homem-corrigindo-texto

Como escrever melhor? Dicas para escritores

Sabe aquela sensação que fica depois de ler um texto incrível, com frases bem costuradas e palavras que você nunca havia pensado em colocar lado a lado, mas que ficaram tão bonitas juntas a ponto de te fazerem parar por alguns segundos e suspirar, maravilhado? 

Pois bem, elas não foram parar ali por acaso e provavelmente não foram escritas por uma mente brilhante que nunca se aventurou no universo literário. Bons conteúdos existem por conta da prática! Ou você acha que os jornalistas dos maiores veículos do Brasil já nasceram sabendo entrevistar e escrever reportagens? 

Dito isso, fica mais fácil admitir que todos precisamos de um pouquinho de paciência e muita persistência para melhorar cada vez mais nossas produções. É claro que a criatividade e a bagagem de cada autor têm muito peso na hora de escrever, mas isso não significa que nunca chegaremos lá.

Por isso, separamos algumas dicas para te ajudar a praticar e escrever melhor. Confira!

Como melhorar sua escrita?

Leia muito

O clichê “você só será um bom escritor se for um bom leitor” também se aplica neste caso. Quem lê muito, tem maior facilidade em construir frases gramaticalmente corretas e coesas. Não é necessário ser um grande poeta para escrever um bom texto: a organização e a forma como uma história é contada tem grande influência no resultado final.

Além disso, a partir da leitura conhecemos outras formas de escrever um mesmo texto – cada autor possui estilos diferentes e trará inspirações para sua mente criar seus próprios conteúdos. Por tanto, leia. E leia muito!

Saiba mais: como ler lentamente pode te ajudar a escrever melhor?

Use as redes sociais como palco

Precisando enviar um e-mail para responder uma dúvida do cliente? Ou então, quer publicar uma foto no Instagram e precisa de uma legenda criativa? Use esses espaços do dia a dia para treinar sua escrita e observe com cuidado como utiliza vírgulas e pontos de exclamação, por exemplo.

Muitas vezes somos “viciados” em certos recursos textuais e nem nos damos conta – por isso aproveitar esses espaços em que temos maior liberdade para testar e olhar com atenção os nossos hábitos pode ser muito recompensador!

Pratique diferentes formatos

Você diz que não escreve poemas. Mas quantas vezes você de fato tentou? Esse mesmo pré-conceito vale para todos os formatos: fábulas, crônicas, textos de opinião, romances curtos… enfim! Treinar sua escrita com formatos diferentes pode ajudá-lo a “sair da caixa” e explorar novos caminhos literários. Além disso, esse hábito garante que você não será bom em escrever um único tipo de texto, por isso o conselho é: saia da sua zona de conforto!

Peça para que outras pessoas critiquem seu texto

Que tal escrever algo e pedir para que uma pessoa próxima (ou até mesmo distante) avalie o que você criou? Peça para que destaquem pontos positivos e negativos, tanto no enredo quanto na formulação das frases. Às vezes, um trecho que parece óbvio para o autor, fica um pouco confuso para alguém de fora.

Ter um par de olhos diferente revisando sua escrita também pode ajudar na identificação dos “vícios” citados anteriormente. Quem sabe o que pode surgir a partir de uma crítica construtiva, não é mesmo? 

Leia seu texto em voz alta e grave o áudio

Sabe quando você envia um áudio por WhatsApp e escuta depois? A voz parece estranha, percebemos que falamos “e daí…”, “tipo….”, “enfim…” várias vezes e até nos achamos um pouco chatos. A mesma auto avaliação pode servir para o conteúdo que você escreve.

Esse recurso é excelente, inclusive, para encontrar erros ou ter ideias de como melhorar o texto. Quando lemos em voz alta, encontramos frases longas que precisam ser pontuadas, palavras estranhas que não combinam umas com as outras, termos muito difíceis e que podem ser substituídos. 

Você também pode enviar este áudio para amigos escutarem e opinarem sem ter o texto em mãos. Assim você garante que tudo está coerente de verdade. 

Bônus: Dicas de George Orwell para escrever bem

george orwell em preto e branco

George Orwell é, provavelmente, um dos escritores mais lidos do mundo. Autor de A Revolução dos Bichos e 1984, ambos com uma concepção catastrófica de sociedades “pseudo-comunistas”, cativou leitores por todo o planeta.

Boas ideias para livros, no entanto, são apenas parte da fórmula de sucesso de qualquer escritor. Além disso – e de outros ingredientes como, por exemplo, pitadas de sorte e competência em autopromoção – há que se escrever bem. Claro.

E não é que Orwell criou uma espécie de manual para melhorar a escrita?

Veja as suas seis regras abaixo:

  1. Nunca use uma palavra longa quando uma curta resolver;
  2. Se for possível cortar uma palavra de um texto, corte;
  3. Nunca use a voz passiva quando puder usar a voz ativa;
  4. Nunca use metáforas ou comparações que já forem “lugar-comum” (e que, portanto, você já tiver visto inúmeras vezes);
  5. Nunca use um termo em inglês ou em jargão científico quando conseguir substituir por algo mais corriqueiro, simples de ser entendido;
  6. Se necessário, quebre qualquer uma dessas regras para evitar dizer algo que soe tosco.

Tudo bem que não há um livro de receitas para se escrever livros – mas não custa nada beber um pouco da sabedoria dos que já trilharam, com sucesso, o caminho que estamos buscando. Não é verdade?

E você, quais estratégias utiliza para melhorar sua escrita? Conta pra gente nos comentários!

Continue lendo: 

Como começar a escrever um livro?
Vozes verbais: tudo o que você precisa saber
O que é subtexto e como utilizar este recurso?

Assine a Nossa Newsletter

Ricardo Almeida

Sou fundador e CEO do Clube de Autores, maior plataforma de autopublicação do Brasil e que hoje responde por 27% de todos os livros anualmente publicados no país. Premiado como empreendedor mais inovador do mundo no segmento de publishing pela London Book Fair de 2014, sou também Key-Account Director da Brivia, escritor, triatleta e, acima de tudo, pai de família :)

4 comentários em “Como escrever melhor? Dicas para escritores

  1. Tenho facilidade para escrever numa linguagem coloquial, tipo escrita automática. Mas pouco fôlego para textos longos.
    Como dizia o Cartola, “preciso me encontrar”…

    1. Eu preciso muito dessa técnica, pois eu tenho sérios problemas com a escrita. E com tudo tenho um sonho de escrever um livro.
      MAIZA Sales.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *