Os top 10 livros independentes de outubro e novembro/ 2019

Quais são os livros independentes que mais estão dando o que falar?

Sempre fazemos um levantamento dos livros que mais se destacam aqui, no Clube de Autores. O motivo é simples: autores independentes precisam de referência, de exemplos de outros casos semelhantes aos seus e que, por algum motivo, se destacaram.

É claro que o livro em si não é o suficiente para garantir sucesso. Já falamos incontáveis vezes aqui no blog que um livro é como um produto e que, portanto, precisa ser bem trabalhado e bem divulgado para que tenha sucesso. Apenas para citar exemplos básicos: quase todos os livros que já ingressaram essa lista têm ISBN (caso contrário não seriam distribuídos nas livrarias que trabalham com autores independentes e, portanto, veriam suas chances de sucesso reduzidíssimas); todos têm uma capa sedutora; uma sinopse interessante; autores engajados, ativos em trabalhar a divulgação; e assim por diante.

Ainda assim, essas referências servem como base: são títulos dos mais diversos assuntos que conseguiram capturar a atenção de seus leitores.

E quais são, afinal, os livros que mais se destacaram nesse período? Clique aqui ou na imagem abaixo para ver!

Leia Mais

aplicativo-para-quem-gosta-de-livro

Os 7 melhores aplicativos para amantes de livros

O que você deve ter à mão para mergulhar nas novas formas de leitura?

Graças ao avanço da tecnologia e o criação de novos apps para todos os tipos de gostos e necessidades, os amantes de livro também estão se beneficiando bastante, tanto para achar maneiras de otimizar a leitura diária quanto para economizar na compra de livros.

Por isso, selecionamos hoje dicas com os melhores aplicativos para quem é apaixonado por leitura. Vamos conferir?

Se você for escritor, leia isso antes:

Se sim, então leia este texto com um olhar diferente. Perceba que esses aplicativos abaixo não foram escolhidos a esmo por nós: eles refletem, em grande parte, a preferência dos usuários do mundo inteiro.

Por que isso importa para você? Porque – oras – se você é um escritor, você necessariamente quer ser lido. E a melhor maneira de ser lido é estar presente em todas as plataformas que os leitores escolhem para ler. Claro.

Mas reforço aqui um ponto importante: como autor, você não deve escolher um. Isso é não apenas desnecessário como também pouco inteligente. PAra que escolher estar em um único aplicativo se você pode estar em todos – e sem pagar nada a mais por isso?

Recomendamos fortemente que você veja esse post aqui, que não apenas fala sobre o mercado de ebooks no Brasil (incluindo a maneira que brasileiros mais lêem) como também ensina como publicar o seu ebook via Clube de Autores, única plataforma que distribui para todos os grandes apps (além de garantir presença do livro impresso também).

Pois bem: feitas essas observações iniciais, vamos às apps!

1. Amazon Kindle

Se você pensa em economizar papel e quer ser mais sustentável guardando menos livros, provavelmente já ouviu falar do Kindle, um tipo de tablet feito exclusivamente para leitura, pois possui uma tela fosca que não prejudica os olhos.

Porém, além do próprio Kindle, a Amazon disponibiliza um aplicativo de mesmo nome, que pode ser baixado no iOs ou Android, para você ler aonde quiser através da tela do seu smartphone.

Você pode baixar e-books grátis pelo computador e passar para o smartphone ou comprar títulos disponíveis na loja da Amazon com até 80% de desconto. Tudo fica disponível para acesso offline.

Sem papéis, sem poluição ambiental e na sua mão, onde você quiser. Incrível, não é?

2. Pocket

Se você está sempre lendo artigos e notícias, o aplicativo Pocket será indispensável na sua rotina. Com ele é possível salvar conteúdos a partir de qualquer site para ler mais tarde em modo offline.

E se você tem o e-reader Kobo, basta sincronizar o app com o aparelho e tudo que você salvar irá diretamente para o Kobo. Muito prático.

3. Ubook e Audible para ouvir livros

Outra dica para quem vive na correria, mas não quer deixar de ler são o Ubook e o Audible, dois apps disponíveis em português que apresentam diversos títulos narrados em áudios para você colocar o fone de ouvido e escutar onde quiser.

Com poucos minutos por dia você poderá aprender sobre os assuntos que deseja com uma narração espetacular.

O Audible ainda tem uma opção de soneca para evitar que você perca o conteúdo caso durma durante a narração.

4. Goodreads

O app Goodreads é ideal para quem devora um título atrás do outro e está sempre buscando novidades para ler.

Nele você pode organizar os livros que já leu, deixar avaliações e comentários para outros leitores e ler as dicas de outras pessoas para saber qual será seu próximo livro.

A ferramenta mais atrativa do Goodreads é o scanner que permite escanear a capa de um livro e adicioná-lo à sua aba de “Livros para Ler”. Assim você pode ver instantaneamente o que outras pessoas comentam sobre o título.

5. Moon + Reader

Ideal para quem está acostumado a ler no Kindle ou Kobo e gosta de personalizar o texto para ler com mais conforto, o Moon + Reader não é uma loja, mas sim um leitor de e-books completamente personalizável.

Atualmente ele suporta arquivos TXT, HTML, ePUB, PDF, MOBI e diversos outros formatos.

É possível aumentar ou diminuir o tamanho da letra, marcar o texto, fazer anotações, verificar o dicionário, praticamente um Kindle menor na sua mão.

6. Comics: App para ler HQs

Como um amante de livros também pode ser fã de quadrinhos, a loja mais bem avaliada da play store neste quesito é a Comics, desenvolvida pela comiXology.

A Comics é um app desenvolvido pela Amazon e tem em sua loja cerca de 75 mil quadrinhos, incluindo Marvel, DC, Disney e diversos outros para você ler de onde estiver.

7. Blinklist

O Blinklist é um aplicativo gratuito elaborado para quem ama se informar e ler, mas não tem muito tempo disponível durante o dia.

Ele funciona gerando resenhas elaboradas sobre os principais livros de não-ficção do mundo. Você poderá ouvir análises de livros importantes em apenas 15 minutos de texto e áudio.

A principal vantagem dele é que cada livro é realmente detalhado, não é apenas um resumo simples. Porém, apesar de os narradores terem excelente pronúncia, o app só está disponível na versão em inglês.

Gostou das dicas? Então deixe um comentário!

*Por Caio Nogueira, da Upsites

Leia Mais

site-para-escritores

Faça seu site ou blog para divulgar melhor o seu livro

Dia desses, um autor do Clube nos enviou um email sugerindo que reforçássemos a importância de autores terem o seu próprio site. Concordamos – e por uma série de motivos.

Quando um leitor busca uma história, ele normalmente vai atrás de uma recomendação, de um autor já consagrado ou de um tema. No primeiro e no terceiro caso, os seus maiores aliados são o Google e as redes sociais.

Se o autor tiver montado uma boa rede de relacionamentos na Web e encontrar boas recomendações, ponto positivo. Mas essas recomendações são também consequência (afinal, é primeiro preciso conquistar um leitor para depois ter a sua boa avaliação).

E é nesse ponto que o chamado marketing de conteúdo entra.

Se você tiver um site ou blog e postar frequentemente sobre um tema pelo qual é apaixonado – e que seja relacionado à sua obra – então o Google e demais buscadores considerarão que você tem uma relevância maior em relação ao tema. Ou seja: quanto mais conteúdo escrever sobre um assunto e com mais frequência, maior o vínculo que o Google fará entre você e esse tema.

Tecnicamente, esse “vínculo” significa uma maior possibilidade do seu nome (e do seu blog ou livro) aparecerem nos primeiros resultados. Aparecendo nos primeiros resultados, você terá mais cliques; com mais cliques, mais leitores; com mais leitores, mais recomendações; com mais recomendações, mais vendas; e assim por diante.

E outras palavras: uma das maiores técnicas de marketing para o sucesso no universo literário é fazer o que, provavelmente, você já ama: escrever. Mas não apenas em livros e sim também em sites, blogs, redes sociais e todo local que conseguir.

Escrevendo na Internet, você será visto. E terá um caminho melhor na busca pelo seu espaço editorial.

Se quiser mais detalhes sobre o assunto, recomendamos baixar, gratuitamente, este manual de divulgação de livros aqui.

Está ainda alguns passos atrás e quer saber se está realmente pronto para baixar seu livro? Acesse, então, este checklist aqui.

.

Leia Mais

quanto-custa-publicar-um-livro

Quanto custa publicar um livro?

Escreveu um livro e não sabe quanto deve investir na sua publicação?

Antes de mais nada, vale abrir aqui com duas informações de suma importância:

  1. Não mantenha altas as esperanças de encontrar alguma editora que aceite bancar a publicação inteira do seu livro. Também não leve isso para o lado pessoal: hoje, exceto se você já for uma personalidade consagrada e famosa, praticamente nenhuma editora do país investe o que deveria investir. Na melhor das hipóteses, aliás, elas propõem uma espécie de “divisão de investimentos” (assim, entre aspas mesmos): você paga tudo e ela presta os serviços editoriais convencionais (capa, revisão etc.).
  2. Considerando o primeiro ponto acima, não ignore todo o trabalho necessário para se publicar um livro e publique-o sem se dar ao trabalho de garantir um acabamento perfeito. Livros devem ser vistos como produtos convencionais: se eles não forem bem trabalhados, dificilmente venderão.

Como você, autor, deve se preparar para lançar o seu livro?

O primeiro (e mais importante) ponto é ter claro para si que você não é apenas o autor, mas sim o empresário do seu próprio livro. Sabe aquelas ideias românticas de que basta escrever e esperar a ajuda de alguma entidade ou agente especialista no mercado que faça todo o trabalho de formiguinha para você? Esqueça: isso não existe mais em nossos tempos.

Tudo, absolutamente tudo relacionado ao sucesso do seu livro – algo que vai MUITO além do texto em si – dependerá diretamente de você.

Dará trabalho? Sim, sem dúvidas. Muito trabalho. O mercado editorial é o mais difícil e concorrido de todos, algo que já repetimos inúmeras vezes aqui. E nem adianta reclamar dizendo que isso é coisa de Brasil e que no primeiro mundo tudo é mais fácil, porque não é. Essa realidade literária é rigorosamente a mesma no Brasil, nos Estados Unidos, na Finlânda ou em qualquer outro lugar. Corrijo-me, aliás: a nossa realidade é, em verdade, melhor e mais fácil do que na imensa maioria desses países.

Deixemos, portanto, a ladainha de lado e foquemo-nos no que precisamos fazer.

Quais opções você, autor, tem em mãos?

Duas, essencialmente: você pode contratar profissionais especializados nos serviços necessários para a finalização do seu livro ou pode usar e abusar da sua rede de contatos, pedindo os favores certos às pessoas certas para que tudo saia a contento.

Mas não deixe de ter claro para si que há uma série de serviços que precisa ser executado com profissionalismo perfeito. Ou seja: não adiantará nada fazer algo “mais ou menos”. O resultado, tenha certeza, será igualmente “mais ou menos” e, portanto, insuficiente para garantir qualquer resultado minimamente aceitável.

Em outras palavras: você pode contratar os serviços ou garantir que alguém de confiança os faça gratuitamente. Você só não pode ignorá-los e lançar o seu livro sem que ele seja devidamente trabalhado. Acredite em nós: com 40 livros lançados todos os dias aqui no Clube, sabemos com alguma precisão e experiência o que funciona e o que não funciona nesse mercado. “Gambiarras”, “fazer de qualquer jeito”, é algo que decididamente não funciona.

Quais os serviços necessários para a finalização de um livro?

Listaremos, abaixo, todos os serviços tradicionalmente necessários para a publicação de um livro e valores de referência de mercado. Mas ressaltamos: você pode fazer por conta própria (ou por meio de amigos) quase todos, o que garantirá que publique seu livro de maneira gratuita.

Outro ponto importante: vale repetir aqui que os valores que colocaremos abaixo são de referência. Em suas cotações, dependendo tanto do profissional quanto do próprio livro, é possível que consiga orçamentos maiores ou menores que esses abaixo.

Dito isso, vamos a eles:

1. Leitura crítica

Primeira e mais fundamental de todas as etapas, trata-se da seleção de um crítico literário que esmiuce seu texto e critique absolutamente tudo dele, recomendando ajustes gerais na fluidez da narrativa. Veja mais informações sobre a leitura crítica aqui, neste post.

Valor de referência: R$ 500 a R$ 4.000.

2. Revisão

Finalizado o processo de leitura crítica, entra em cena a revisão ortográfica e gramatical. Nem considere a possibilidade de lançar o seu livro sem revisão: u português correto, bem escrito, é fundamental para que seu texto seja sequer considerado pelo leitor.

Valor de referência: R$ 4,00 a R$ 7,00 por lauda (sendo uma lauda composta por 1.200 caracteres). Apenas como referência, um livro de cerca de 200 páginas pode ter algo na casa de 125 laudas – o que gerará um custo de revisão de R$ 500 a R$ 875).

Veja algumas opções re revisores aqui.

3. Capa

A capa é também um elemento fundamental para o sucesso de um livro. Capas vendem: ponto final. Se quiser mais informações sobre como fazer uma capa perfeita, clique aqui. Se quiser uma relação de capistas para que possa contratar online, clique aqui.

Valor de referência: R$ 200 a R$ 600

4. Diagramação

Sabe aqueles livros com fontes minúsculas e praticamente sem margem, do tipo que dá preguiça de sequer começar a ler? Sim, você quer fugir disso. A diagramação é uma etapa gráfica importantíssima que garante uma espécie de conforto visual para o leitor, algo que complementa a experiência de leitura em si.

Valor de referência: R$ 1,5 a R$ 7 por lauda (dependendo principalmente da complexidade). Seguindo o mesmo exemplo que demos para a revisão, um livro de aproximadamente 200 páginas custará algo entre R$ 187,50 e R$ 875.

Veja uma relação de diagramadores que você pode contratar aqui.

5. Conversão para EPub

EPub é o formato de ebook ideal. Por que dizemos “ideal”? Porque voc6e até pode distribuir o seu livro como PDF, mas apenas Google e mais uma meia dúzia de sites o aceitará. Kindle, Apple e muitos outros exigirão que o formato seja EPub, algo que dificilmente pode ser feito com qualidade de maneira automatizada.

Temos, aqui, uma relação de profissionais que fazem este serviço e que podem ser contratados online.

Valores de referência: R$ 50 a R$ 300

6. ISBN

Com o livro devidamente revisado e diagramado e com sua capa pronta, é o momento de fazer o registro de ISBN. Aqui, honestamente, você mesmo consegue fazer tudo sozinho: basta seguir essas instruções aqui.

Valores de referência: o registro é feito diretamente junto à Biblioteca Nacional, cuja tabela de preços pode ser vista aqui. Se for o seu primeiro livro, você precisará se cadastrar como editor-autor, o que ter custará R$ 270,00. A partir daí, cada livro que você quiser registrar te custará R$ 20.

7. Publicação

Isso é de graça, ne? Basta acessar o www.clubedeautores.com.br e seguir as orientações, lembrando que aqui você não precisará comprar nenhuma tiragem mínima e que, dentre outras vantagens, será distribuído gratuitamente para as maiores livrarias do país.

Se tiver dúvidas específicas, veja esse manual de publicação aqui.

No final, quanto custa publicar um livro?

Nunca é demais repetir que você pode conseguir apoio/ ajuda de amigos para todas essas etapas, garantindo custo zero. colocamos, aqui neste post, uma série de links para outros posts com dicas e melhores práticas que devem ser observadas.

Ainda assim, se você quiser contratar profissionais para todas essas etapas, seu livro custará algo entre R$ 1.457,50 a R$ 6.940.

Lembrando, claro, que esses são apenas valores de referência.

E a divulgação?

Isso é um caso à parte – e, normalmente, cabe a próprio autor montar e executar o seu plano de divulgação.

Para isso, temos esse manual daqui com uma série de dicas e melhores práticas que certamente te ajudará.

Leia Mais

Como fazer a capa perfeita para seu livro

Capas vendem. Simples assim.

Iríamos até além dessa afirmação acima. Capas não apenas vendem: elas possivelmente são as melhores vendedoras de livro do planeta. E se você acha isso péssimo, se acha que isso reflete uma espécie de estereótipo de mau leitor que depende de uma imagem para se decidir… bem… talvez seja a hora de deixar de preciosismo e pensar de novo.

Por que capas importam tanto?

Toda história começa por algum lugar. No caso de livros, que demandam uma imersão maior por parte de leitores (uma vez que o próprio ato de ler requer mais tempo e concentração que qualquer outra maneira de se absorver histórias), a necessidade de sedução é sempre, sempre grande.

No passado, há um ou dois séculos, era normal que capas mais artísticas sequer existissem. Mas não adianta levar isso em conta como uma espécie de argumento de que, lá no passado, as pessoas liam mais e melhor. É uma afirmação saudosisticamente vazia: os tempos simplesmente eram outros.

Lá naqueles idos do passado, a variedade de livros era muito menor, dependia-se de livrarias fisicamente próximas e decidia-se com base em críticas feitas por jornais que, tendo uma base infinitamente menor de títulos para revisar, conseguia estruturar artigos completos o suficiente para fazer ou matar o sucesso de alguma obra.

Hoje, há uma infinidade de livros sendo lançados todos os dias. Mais de 40 por dia apenas no Clube de Autores, aliás. Hoje, há livros impressos, ebooks, audiolivros. Hoje, há Internet, deixando todos os livros do mundo ao alcance de todo mundo.

Hoje há abundância, não escassez. E abundância se traduz em concorrência. 

Imagine-se agora olhando uma vitrine com dezenas ou centenas de livros de autores que você não conhece. O que você faria para se decidir por um? Ler um trecho de todos? Dificilmente: ninguém tem tempo para isso.

Muito provavelmente você escolheria alguns e os folhearia para ver se se identifica com os textos. E como você escolheria quais folhear? Se você não conhecer os autores ou os enredos, muito provavelmente pela capa. É por isso que ela importa.

O que você JAMAIS deve fazer?

Ignorar a importância da capa por conta da empolgação de ter terminado de escrever seu livro, fazer qualquer coisa, de qualquer jeito, e publicar.

Fazer isso é praticamente dizer para o leitor que nem você mesmo acredita no seu livro ao ponto de ter dedicado um mínimo de zelo e de carinho para construir uma capa condizente com o conteúdo.

Aliás, hoje, é extremamente comum que o leitor “deduza” a qualidade do texto a partir da qualidade da capa. Isso está certo? Está errado? A discussão é irrelevante: se é assim que o leitor pensa e escolhe, é nesse mundo que o autor deve se enquadrar.

1. Saiba o que você quer

O primeiro passo para a capa perfeita é descobrir o que, exatamente, você quer. Isso pode parecer óbvio, mas a quantidade de escritores que não fazem ideia do que desejam ao iniciar um trabalho de criação de capa é assombroso. A regra aqui é simples: se você, que escreveu o livro, não sabe o que quer de capa, dificilmente um capista conseguirá produzir algo bom.

Isso significa que você deve descrever, em detalhes, uma imagem de capa, para que um artista a coloque no papel? Claro que não: você é escritor, não capista.

Mas quer dizer que você deve saber sim, em detalhes, qual imagem, qual percepção você deseja transmitir ao leitor. Isso nos leva ao segundo ponto:

2. Sintetize sua mensagem

Todo livro do mundo tem uma mensagem central, uma ideia básica que funciona como alicerce para toda a sua narrativa. Seja de maneira direta ou indireta, óbvia ou abstrata, você deve ter essa ideia tangivelmente clara, descrita, palpável.

Essa será a essência do seu “briefing”, do seu pedido para o capista que trabalhará em seu livro. E se, ao final do trabalho, você não achar essa mensagem transmitida na capa, é porque ela não está boa (independentemente da sua qualidade artística).

3. Sintetize seu livro

Não adianta também entregar um livro inteiro para um capista e falar “se vire”. Sejamos práticos: a probabilidade de um capista profissional que depende de escala (e, portanto, produz diversas capas por mês para sobreviver) efetivamente ler o seu livro inteiro é mínima.

Sintetize-o. Tenha clara a mensagem que deseja transmitir e entregue ao capista material para que ele possa se aprofundar, incluindo uma sinopse eficiente e trechos que você acredita que sejam “exemplares”.

4. Tenha referências

O capista que você arrumará (falaremos disso logo mais) até pode entender a mensagem do seu livro – mas ele dificilmente saberá o seu gosto pessoal se você não passar referências práticas.

O que são essas referências? Capas de outros livros que você gosta.

Vá a uma livraria no final de semana, pesquise na Internet, tire fotos, enfim: reuna algumas imagens que sirvam de inspiração para o profissional que estiver trabalhando para você.

Referências, aliás, nem precisam ser apenas de capas incríveis, como essas aqui. Dê uma olhada neste link, com uma espécie de coleção das piores capas. É tão importante dizer o que quer quanto dizer o que não quer.

5. Arrume um bom capista

A não ser que você seja um capista – o que certamente facilita a vida – não tenha dúvidas da necessidade de arrumar um para trabalhar para você. Como?

Pode ser um amigo ou um profissional de mercado – tanto faz. O importante é ter em mente que este será um profissional fundamental para seu livro. FUNDAMENTAL.

Nesse sentido, recomendamos que você navegue no Profissionais do Livro, plataforma do Clube de Autores que permite a contratação direta dos mais diversos prestadores de serviço relacionados ao mercado editorial. Lá você encontrará centenas e mais centenas de capistas oferecendo seus serviços a preços com grande variação. Significa que todos sejam incríveis? Não.

Uma vez no Profissionais do Livro (ou em qualquer outra plataforma), você deve vasculhar os comentários de clientes feitos sobre aquele capista e, principalmente, visitar o seu site ou portfolio para ver se realmente gosta do seu estilo. Se não gostar, não contrate. Simples assim.

Se gostar, contrate: mas seja extremamente rígido na sua demanda e aprove apenas se realmente amar a capa.

A capa é só o que eu preciso para o meu livro funcionar?

Claro que não – há muitos livros com capas incríveis que nunca venderam mais que meia dúzia de exemplares. Há mais, muito mais envolvido em transformar uma história em um sucesso de vendas. A capa é só um dos elementos fundamentais.

Quer saber mais? Então recomendamos que acesse esta página aqui, com instruções mais detalhadas sobre como publicar o seu livro e muitos conteúdos que podem te interessar!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Leia Mais