kindle-em-frente-a-livros-fisicos

Como publicar um e-book?

Sim, é verdade: o formato impresso sempre terá um lugar especial no coração dos leitores. O cheiro de páginas novas, a gramatura do papel e o prazer de folhear uma obra ainda têm grande destaque no mercado literário, mas isso não significa que os hábitos continuarão assim para sempre.

Eis que surge a dúvida: será que vale a pena investir em e-books?

Primeiramente, vamos aos números:

Em 2018, publicamos este post com dados de consumo do ano anterior ao texto. Naquela época, os e-books fecharam o ano com uma fatia de 42% do total de vendas de livros, com várias quedas percentuais nos meses seguintes, enquanto o volume de vendas dos impressos continuava subindo consideravelmente.

Com base nesses dados, Marcus Dohle, CEO da Penguin Random House, acreditava que o mercado se estabilizaria em uma proporção de 80% para impressos versus 20% para e-books. Isso nos EUA, claro. No Brasil, o livro digital representava apenas 1,9% do mercado.

Números pouco otimistas, né? 

Em 2020, muita coisa mudou, inclusive a forma como consumimos a informação: diretamente de nossas casas, distantes de livrarias físicas. Por conta do isolamento social e as restrições impostas para combate ao coronavírus, o consumo de e-books aumentou muito. Aqui no Clube de Autores, por exemplo, entre abril e julho deste ano registramos um de 40% em vendas no formato digital (em comparação ao mesmo período do ano passado).

Isso significa que a versão digital está se popularizando? Sim! Mas vale destacar que a venda de livros em geral cresceu durante a pandemia e, enquanto no ano passado (abril a julho) as vendas de e-books representavam 16,9% do total, hoje não ultrapassam os 14,5%. Ou seja: livros físicos continuam sendo os formatos mais procurados, porém, os livros digitais nunca foram tão necessários quanto hoje. 

Agora sim, munidos de informações, voltamos à pergunta inicial deste texto:

Por que publicar um livro digital?

Porque uma coisa não anula a outra.

Afinal, publicar um e-book não significa deixar o modelo impresso de lado. Pelo contrário: a melhor alternativa para autores é lançar um livro em todos os formatos possíveis. Aqui no Clube de Autores, por exemplo, não há nenhum custo extra para esta opção e toda publicação é 100% gratuita. 

Quer dois outros argumentos?

O primeiro: você. A venda de ebooks pode não ser tão alta quanto a de impressos, mas ela está totalmente concentrada em autores independentes. No mundo, aliás, estima-se que de 30%-40% do total de e-books vendidos sejam de escritores independentes. E 30%-40% de 1,9% de TODO o mercado brasileiro de livros não é, exatamente, algo a se desprezar. Principalmente, repetimos, quando o custo de se brigar por espaço seja zero.

O segundo argumento – e é ele que veremos aqui agora – é a facilidade. Se nunca foi tão fácil publicar um e-book, por que deixar a oportunidade passar?

banner-saiba-como-publicar-um-livro

A questão dos formatos: PDF versus EPub

A primeira coisa a se ter em mente é que o mercado costuma trabalhar com dois formatos diferentes de e-book: PDF e EPub.

O PDF é, de fato, o formato mais fácil de se trabalhar e pode ser gerado a partir do seu livro em formato Word. Além disso, como já é o padrão do Clube de Autores para se publicar em formato impresso, basta utilizar o mesmo arquivo e pronto: seu ebook já estará disponível.

MAS (e este “mas” é bem considerável), PDF é também o formato mais pobre de e-book – pobre ao ponto de não ser sequer aceito pelas principais plataformas.

Há motivos para isso. Um arquivo em formato PDF funciona como uma espécie de imagem do texto e, na maior parte dos programas de leitura, ele não permite que o texto se molde confortavelmente à tela. Isso é especialmente relevante no Brasil, onde 56% dos usuários lêem e-books em seus smartphones.

Em outras palavras: se não tiver alternativa nenhuma, deixe seu ebook em formato PDF. Mas se quiser um desempenho melhor, converta seu arquivo para EPub.

Como converter um arquivo em EPub?

Se seu livro for simples (essencialmente composto por texto, sem imagens ou ilustrações), você encontrará programas gratuitos para livros que farão essa conversão diretamente.

Mas, se seu livro for mais complexo, vale a pena contratar algum profissional que faça essa conversão de maneira mais bem cuidada e personalizada. Há uma série de profissionais no mercado capazes de fazer isso.

Dica: O site Profissionais do Livro pode te ajudar a encontrar especialistas :)

Onde meu e-book será comercializado?

Já comentamos, aqui neste post, que 56% dos usuários brasileiros lêem ebooks em seus smartphones – e isso inclui toda uma maioria que usa ferramentas de suas próprias operadoras de celular ou apps terceiras, muito pouco famosas, para isso.

Aliás, a pesquisa Retratos da Leitura de 2016 apontou que apenas 4% dos brasileiros usam plataformas como Kindle, Apple, Google ou Kobo para ler ebooks. E, por mais que 2016 esteja há longos anos no passado, dificilmente esse número teve grandes mudanças nos últimos meses.

No mesmo ano do Retratos da Leitura, a PublishNews fez uma matéria comparando as principais plataformas de leitura de ebooks. Em outras palavras: onde esses 4% de leitores de ebooks lêem seus ebooks?

O Kindle, da Amazon, tem destaque aqui, com 55% do mercado. ele é seguido pelo GooglePlay (18%), Apple (13%), Saraiva Lev (8%) e Kobo (8%).

O Clube de Autores distribui, hoje, para todos esses formatos – além de diversos outros pequenos aplicativos que fazem a maioria do mercado de ebooks, como já mencionado aqui.

Voltando às principais plataformas, apenas o GooglePlay trabalha com o formato PDF. As demais – Kindle, Apple, Saraiva Lev e Kobo – todas exigem que o livro esteja em formato EPub para oferecê-lo aos seus leitores.

Quer saber mais? Confira nosso guia completo sobre autopublicação :)

Confira as dúvidas frequentes sobre a publicação de e-books.

Leia Mais

quadro-de-giz-com-emojis-felizes-e-tristes-desenhados

A importância dos feedbacks antes da publicação de um livro

A não ser que seu livro seja um diário pessoal que será descoberto pela geração futura depois que você já tiver partido deste mundo, ou que você realmente não se importe em agradar — e esteja escrevendo por puro prazer —, compartilhar sua história e pedir feedbacks é fundamental.

Muitas vezes, o escritor está tão imerso no universo que criou que não percebe detalhes soltos, viradas muito bruscas ou falta de conexão entre as personagens. É mais ou menos como escrever um longo texto para um trabalho da faculdade, revisá-lo dez vezes e entregá-lo com a segurança de que estava perfeito, mas recebê-lo de volta cheio de círculos vermelhos com erros gramaticais que até uma criança de dez anos evitaria.

Às vezes, coisas que passam despercebidas aos nossos olhos podem ser facilmente identificadas por outras pessoas. E isso nem sempre é ruim.

Procure por feedbacks de pessoas que você confia e que serão sinceras em criticar sua obra. Escute com atenção e utilize as críticas como uma forma de aprimorar seu texto. Não desista com facilidade de algo que você acredita, mas não confie cegamente na sua opinião.

Como lidar com feedbacks negativos?

Depois de testar a sua história uma, duas ou três vezes e receber olhares mais reprovadores, é comum que o escritor busque refúgio ou alívio no pensamento de que seu texto está perfeito, mas além do alcance das pessoas. Esqueça isso.

Claro: nem todo livro funcionará para todo mundo, mas se você escolheu bem os “críticos” para quem contou ou mostrou a sua tese, então confie nas opiniões que ouvir. Em última instância, force-se a acreditar que não existem gênios incompreendidos: existem escritores que não conseguiram concatenar suas ideias direito.

Quanto mais você colocar a culpa nos outros, afinal, menos conseguirá
mudar para evoluir. Tenha a mente aberta e encare feedbacks como
parte do processo criativo, sejam bons ou ruins!

Dicas para tirar melhor proveito de feedbacks antes da publicação:

  • Escolha críticos familiarizados com o universo literário. Se seus melhores amigos não têm o hábito da leitura, talvez seja interessante procurar leitores mais apaixonados – eles terão um repertório maior de referências para comparar.
  • Se sua intenção é publicar o livro, não disponibilize o conteúdo na internet. Ninguém quer ser alvo de plágio antes mesmo de lançar a obra oficialmente para o mundo, né?
  • Seja crítico com as críticas. Pessoas muito próximas poderão dar feedbacks muito positivos simplesmente para ganhar pontos com você. Faça perguntas como “o que você mais gostou?” e “o que menos gostou?”.

Por que autores não costumam avaliar textos que ainda não foram publicados?

Todo mundo tem um autor favorito e, muitas vezes, ele é acessível em redes sociais ou via e-mail. A maior parte desses profissionais não gosta de avaliar o conteúdo de terceiros antes da publicação, para evitar julgamentos futuros como “você copiou minha ideia” ou “seu último livro foi inspirado em um texto meu”. Plágio é uma coisa séria, por isso não insista e pense com cuidado ao aceitar criticar um livro de outra pessoa.

O que achou das dicas? Deixe um cometário abaixo.

Artigos relacionados:

Como lançar um livro em uma LIVE no Instagram?
Ler lentamente para escrever melhor
5 coisas que todo escritor iniciante precisa saber

Leia Mais

instagram-na-tela-do-celular

Como lançar um livro em uma LIVE no Instagram?

O universo digital já era utilizado para aumentar o alcance de produtos e serviços lançados no mercado, porém, depois do isolamento social de 2020, descobrimos que a internet (e, principalmente as redes sociais) têm mais poder do que imaginávamos… inclusive para lançar um livro!

Isso não significa que daqui pra frente os eventos presenciais deixarão de existir, apenas que existem outros formatos para serem explorados por aí. Neste artigo, explicaremos um pouco sobre as LIVES no Instagram e como podem ser utilizadas para divulgar obras recém publicadas. Confira!

O que são LIVES?

Lives são vídeos transmitidos ao vivo. Elas podem ser realizadas no YouTube, Instagram, Facebook ou em plataformas de próprias para o formato. Normalmente, são feitas por pessoas populares na internet para apresentação de produtos e serviços. Ou seja, é um recurso super valiozo para quem não pode investir muito em grandes eventos ou não tem tempo para organizar um encontro presencial.

Dicas para criar um evento virtual no Instagram:

  • Para alcançar o maior número de pessoas possível é necessário utilizar uma plataforma que já possua uma base relevante de inscritos. Se o seu Instagram tem poucos seguidores, considere fazer uma parceria com um canal mais popular. Influenciadores digitais, marcas relacionadas ao conteúdo da sua obra ou amigos famosos podem ajudar com a exposição.
  • Planeje o evento com antecedência e utilize o tempo disponível para divulgar data e horário. E-mails, redes sociais, mensagens em grupos de WhatsApp… quanto mais pessoas interessadas no conteúdo, maior será o engajamento no dia da LIVE.
  • Crie um “roteiro” em vez de simplemente falar o que vier na cabeça durante o evento. Assim você garante que terá bons conteúdos do início ao fim da transmissão. Entregar toda a mensagem logo no começo pode desinteressar o público.
  • Estude a ferramenta do Instagram antes de se aventurar nesse universo. Entenda como adicionar pessoas ao vídeo, como interagir nos comentários e quais são as restrições do aplicativo. Essas informações estão disponíveis no site oficial e também em blogs de comunicação. É importante revisar o conceito porque a tecnologia está sempre evoluindo e podemos explorá-la de forma mais criativa quando estamos informados.

Como lançamos o livro Crônicas de Quarentena no Instagram?

No ínicio da “quarentena”, o Clube de Autores promoveu um desafio para os escritores: produzir crônicas sobre o isolamento social e todas as mudanças que vivenciamos neste período. O projeto fez tanto sucesso que escolhemos 39 textos originais para transformar em livro.

Obviamente não poderíamos nos encontrar pessoalmente (apesar da vontade de abraçar e agradecer todos os que participaram). Por isso, optamos por divulgar o lançamento no próprio Instagram do Clube.

Saiba mais sobre o livro de crônicas.

Abaixo algumas das estratégias que utilizamos:

  1. Definimos uma data para a realização da LIVE e destacamos o evento em toda nossa comunicação.
  2. Disparamos e-mails para nossa base de inscritos e compartilhamos a novidade em nossas redes sociais.
  3. Planejamos o conteúdo da LIVE e trouxemos um convidado especial. O roteiro foi pensado para apresentar o livro, contar mais sobre o projeto e explicar como fazer a compra.
  4. Depois de finalizado, o vídeo ficou disponível em nosso Instagram e pode ser visualizado por qualquer pessoa.

Confira o vídeo de lançamento do livro Crônicas de Quarentena.

Tem dúvidas sobre como utilizar as redes sociais para divulgar sua obra? Deixe seu comentário abaixo!

Artigos relacionados:

O que é Book Trailer e como fazer o seu
Publicação independente cresce durante a quarentena

Leia Mais

camera-de-filmagem-em-cima-mesa

O que é Book Trailer e como fazer o seu?

Os trailers exibidos antes dos filmes no cinema têm uma missão muito importante: fazer com que o público fique curioso, animado e desesperadamente ansioso para conhecer a história completa.

Sabemos que a propaganda foi bem quando olhamos para a pessoa que está na poltrona ao lado e dizemos (apenas com o olhar, palavras não são necessárias): Parece muito bom, né? Vamos assistir quando lançar?

Depois disso, está feito. Você foi fisgado, assim como milhares de outras pessoas que tiveram a sorte (ou azar) de topar com o trailer no YouTube, em uma mensagem do WhatsApp ou ouvindo a conversa alheia no caminho pro trabalho.

Mas você sabia que também existem trailes de livros? E é sobre isto que vamos falar neste artigo. Confira!

O que são Book Trailers?

São vídeos curtos, de no máximo dois minutos, que contam um pouco da história do livro, aguçando a curiosidade dos leitores, apresentando personagens e divulgando a obra de forma sutil. O formato é muito semelhante ao utilizado no lançamento de filmes, por isso a associação no início do post.

Por que fazer um trailer para seu livro?

Book trailers não são tão comuns, portanto, pode ser uma boa opção para destacar seu conteúdo no mercado editorial. Mas lembre-se: a produção audiovisual precisa ser realmente boa e planejada. Afinal, a primeira impressão é normalmente a que fica.

Como criar um bom trailer?

Vale lembrar que os filmes já são produtos audiovisuais e para criar um vídeo curto, basta cortar o conteúdo que já foi criado. É claro que é necessário organizar as cenas, apresentar o diálogo de forma estratégica e até mesmo escolher a trilha sonora mais adequada. Porém, não é necessário criar algo do zero.

Com os livros o cenário é um pouco diferente. É necessário adaptar o conteúdo escrito para uma linguagem visual e, caso isso não seja feito com muito cuidado, toda a narrativa poderá ser prejudicada.

Confira abaixo algumas dicas para criar um bom trailer:

  • Não utilize atuações reais. O objetivo do livro é permitir que os leitores imaginem os personagens. Associar sua história a imagem de um ator logo no início pode tirar parte da magia.
  • Prefira animações ou imagens ilustrativas. Elas ajudarão a contar a história, mas de forma muito mais abstrata e subjetiva.
  • Planeje a trilha sonora. Com qual gênero musical sua obra combina? A trilha é uma peça-chave para envolver os leitores.
  • Não conte tudo! Deixe pontas soltas que deverão ser amarradas durante a leitura. O trailer é apenas um spoiler da sensação que o livro trará para o público e não deve ser tratado como um resumo.

Como divulgar o vídeo?

A divulgação do trailer também precisa ser planejada. Mas, graças a internet e ao mundo digital em que vivemos hoje, existem diversas formas de fazer isso. Confira:

  • Utilize períodos estratégicos para lançamento do trailer. Se seu livro é sobre a relação entre mãe e filho, considere lançá-lo próximo ao Dia das Mães. Se for romance, talvez faça sentido associá-lo ao Dia dos Namorados. Lembre-se que o interesse de busca por esses assuntos crescem sazonalmente e pode ser uma boa ideia aproveitar o embalo.
  • Utilize as redes sociais e impulsione suas publicações. Hoje em dia qualquer pessoa pode criar um anúncio no Facebook ou Instagram, por exemplo. Basta seguir os tutoriais ou pedir ajuda para algum amigo especialista no assunto.
  • Envie o conteúdo para influenciadores. Eles poderão compartilhá-lo para sua base fãs, aumentando o alcance do seu trailer.
  • O YouTube é a maior plataforma de visualização de vídeos, então não esqueça de compartilhá-lo por lá também!

E você? Já pensou em criar um trailer para sua obra? Compartilhe conosco suas estratégias para divulgação! =)

Artigos relacionados:

Leia Mais

motivos-para-publicar-livro-independente

5 motivos para publicar um livro independente

Escrever e publicar um livro sempre pareceu coisa de gente importante, com muitos contatos ou uma mente dotada de genialidade criativa capaz de impressionar grandes editoras. Nessa fantasia, o mercado editorial tradicional poderia, facilmente, ser comparado à corrida para tornar-se um grande cantor ou uma atriz renomada. É difícil e concorrido. Quase um milagre.

Por parecer tão trabalhoso e mágico, muitos textos incríveis ficam guardados a sete chaves, ou nunca são terminados. Afinal, se não estão dignos do Prêmio Nobel, nem vale a pena nem tentar, certo!

Errado!

Existe, sim, uma alternativa à publicação tradicional, que dá muito menos trabalho e é recompensadora na mesma medida. E se você ainda não ouviu falar sobre a publicação independente ou tem dúvidas sobre as vantagens de seguir por este caminho, este post foi feito para você.

Leia mais: Como publicar um livro?

Quais as vantagens de publicar um livro independente?

Você aprova sua própria obra

“Ser seu próprio chefe” significa não ter que esperar o aval de ninguém para colocar um sonho em prática. Na publicação independente não é necessário ser descoberto ou esperar que alguém diga “sim” para a história que você quer contar. Basta escrevê-la e publicá-la. Simples assim.

Maior controle sobre o que você quer realmente publicar

Liberdade para escrever do jeito que você mais gosta e escolher o formato que mais te agrada sem que ninguém interfira é uma vantagem da auto publicação. Afinal, você é quem está no controle da sua obra e não precisa adequá-la para atender aos critérios de ninguém.

É grátis

Estar responsável pela própria publicação não é sinônimo de investimento financeiro. Você pode publicar sua obra gratuitamente através de uma plataforma como o Clube de Autores e os custos com edição, capa e registro são totalmente opcionais. Você pode, inclusive, optar por utilizar os templates disponibilizados para formatação do conteúdo – são fáceis de utilizar (e gratuitos!).

A maior fatia do lucro é sua, não de terceiros

Uma editora precisa pagar seus funcionários, cobrir os custos com impressão e edição e lucrar (muito) em cima da sua obra. Toda a burocracia precisa ser embutida no preço dos livros. Optando pela publicação independente, sua história pode ser vendida a um valor mais acessível e a maior parte do lucro é sua. Aliás, é você quem decide quanto quer ganhar por exemplar vendido. Os custos com impressão e utilização da plataforma são mínimos!

É rápido e não tem burocracia

Por fim, a publicação acontece a partir do momento em que você declara sua obra como pronta. Para lançá-la no mercado editorial, bastam alguns cliques. É claro que o registro do ISBN é sempre recomendado para que seu livro possa ser comercializado nas maiores livrarias do país, mas até mesmo este processo não leva muito tempo!

Ficou com mais alguma dúvida? Comente este post! Estamos à disposição para ajudá-lo e ansiosos para conhecer sua obra :)

Leia também: 

Como começar a escrever um livro?
Case Clube de Autores: Rios invisíveis da metrópole mineira
Como diagramar um livro?

Leia Mais