maos-de-mulher-mexendo-no-notebook

Sites para autores: como divulgar seu livro na internet

Dia desses, um autor do Clube nos enviou um email sugerindo que reforçássemos a importância de autores terem o seu próprio site. Concordamos, por uma série de motivos.

Confira o artigo completo e saiba mais sobre as vantagens de criar um site para divulgar suas obras!

Por que autores deveriam ter seus próprios sites?

Quando um leitor busca uma história, ele normalmente vai atrás de uma recomendação, de um autor já consagrado ou de um tema. No primeiro e no terceiro caso, os seus maiores aliados são o Google e as redes sociais.

Leia também: Como utilizar o Skoob para divulgar sua obra?

Se o autor tiver montado uma boa rede de relacionamentos na web e encontrar boas recomendações, ponto positivo. Mas essas recomendações são apenas consequência – afinal, é primeiro preciso conquistar um leitor para depois ter a sua boa avaliação.

E é nesse ponto que entra o chamado marketing de conteúdo e também o site de autor.

Como o marketing de conteúdo para autores ajuda na venda de livros?

Se você tiver um site ou blog e postar frequentemente sobre um tema pelo qual é apaixonado – e que seja relacionado à sua obra – então o Google e demais buscadores considerarão que você tem uma relevância maior em relação ao tema. Ou seja: quanto mais conteúdo escrever sobre um assunto e com mais frequência, maior o vínculo que o Google fará entre você e esse tema.

Leia mais: Já tem um blog? Saiba como transformá-lo em livro!

Tecnicamente, esse “vínculo” significa uma maior possibilidade do seu nome (e do seu blog ou livro) aparecerem nos primeiros resultados. Aparecendo nos primeiros resultados, você terá mais cliques; com mais cliques, mais leitores; com mais leitores, mais recomendações; com mais recomendações, mais vendas; e assim por diante.

E outras palavras: uma das maiores técnicas de marketing para o sucesso no universo literário é fazer o que, provavelmente, você já ama: escrever. Mas não apenas em livros e sim também em sites, blogs, redes sociais e todo local que conseguir.

Escrevendo na Internet, você será visto. E terá um caminho melhor na busca pelo seu espaço editorial.

Mas como criar um site sem conhecimentos de programação?

Ter um site próprio é fundamental para que seu livro venda? Não, claro que não. Afinal, a venda ocorrerá aqui no Clube de Autores e em nossos canais de vendas, que essencialmente abrangem a quase totalidade das grandes livrarias online do Brasil.

Mas, hoje em dia, criar e manter um blog ou site não é uma tarefa impossivel, mesmo para pessoas que são pouco familiarizadas com liguagem de programação e design. Para te ajudar, separamos três formas de fazer o seu site que com certeza resolverão o problema, sendo duas por conta própria e uma por intermédio de uma empresa especializada. Confira!

1. WordPress

É, de longe, a principal plataforma de sites e blogs do planeta. O WordPress é simples, prático e tem uma coleção imensa de templates prontos que você pode customizar à vontade.

Lá você pode criar árvores de navegação, levar usuários para páginas de venda livros, falar sobre você e, em suma, ter uma espécie de “casa” na Internet – de graça.

2. Wix

Wix é uma plataforma que permite mais liberdade, por assim dizer, que o WordPress – mas desde que você esteja com vontade de passar algum tempo mexendo na ferramenta. O conceito é muito semelhante ao do gerenciador anterior e vem fazendo sucesso entre os criadores de conteúdo.

3. Upsites

Se você não está disposto a fazer um site por conta própria, então vale a pena recorrer a profissionais que possam entender os seus objetivos e estruturar algo de acordo.

Aqui, claro, haverá um custo envolvido. Sempre há, se pararmos para pensar. A questão é se você pagará com seu bolso ou com seu suor :)

De toda forma, a vantagem da Upsites – que trabalha sobre a plataforma WordPress, diga-se de passagem – é que ela conseguirá personalizar seu site para que ele fique perfeitamente de acordo com o que você imagina.

O que mais recomendamos? 

Que você navegue por essas e por outras opções internet afora e faça a sua escolha.

Novamente: livros não se vendem sozinhos e ter um site próprio, principalmente com conteúdo frequente mantendo o engajamento alto, é sempre uma boa ideia. A divulgação da sua obra é fundamental.

Sendo assim, pesquise, navegue, escolha! Se tiver dúvidas, considere criar sites “teste” nas plataformas para entender o conceito geral e tomar uma decisão!

E aí, o que achou das dicas? Conta pra gente nos comentários!

Você também pode se interessar por:

Como escrever releases para divulgar sua obra?
Como lançar seu livro em uma LIVE no Instagram?
O que é Book Trailer e como fazer o seu?

.

Leia Mais

capa-de-livro-antigo-preto-sob-fundo-branco-com-oculos-apoiado-na-capa

Como fazer a capa perfeita para o seu livro? 5 dicas

Sumário:

  1. Saiba o que você quer transmitir
  2. Sintetize sua mensagem em conceitos
  3. Sintetize seu livro
  4. Tenha referências de capa
  5. Escolha um bom capista

Capas vendem. Simples assim.

Iríamos até além dessa afirmação acima. Capas não apenas vendem: elas possivelmente são as melhores vendedoras de livro do planeta. E se você acha isso péssimo, se acha que isso reflete uma espécie de estereótipo de mau leitor que depende de uma imagem para se decidir… talvez esteja certo! Mas isso não deixa de ser uma verdade.

Por isso separamos algumas dicas fundamentais para te ajudar a criar uma capa perfeita para sua obra. Confira!

Por que capas importam tanto?

Toda história começa por algum lugar. No caso de livros, que demandam uma imersão maior por parte de leitores (uma vez que o próprio ato de ler requer mais tempo e concentração que qualquer outra maneira de se absorver histórias), a necessidade de sedução é sempre, sempre grande.

No passado, há um ou dois séculos, era normal que capas mais artísticas sequer existissem. Mas não adianta levar isso em conta como uma espécie de argumento de que, lá no passado, as pessoas liam mais e melhor. É uma afirmação saudosisticamente vazia: os tempos simplesmente eram outros.

No passado, a variedade de livros era muito menor, dependia-se de livrarias fisicamente próximas e decidia-se com base em críticas feitas por jornais que, tendo uma base infinitamente menor de títulos para revisar, conseguia estruturar artigos completos o suficiente para fazer ou matar o sucesso de alguma obra.

Hoje, há uma infinidade de livros sendo lançados todos os dias. Mais de 40 por dia apenas no Clube de Autores, aliás. Hoje, há livros impressos, e-books, audiolivros. Hoje, há internet, deixando todos os livros do mundo ao alcance de todo mundo.

Hoje há abundância, não escassez. E abundância se traduz em concorrência. 

Imagine-se agora olhando uma vitrine com dezenas ou centenas de livros de autores que você não conhece. O que você faria para se decidir por um? Ler um trecho de todos? Dificilmente: ninguém tem tempo para isso.

Muito provavelmente você escolheria alguns e os folhearia para ver se se identifica com os textos. E como você escolheria quais folhear? Se você não conhecesse os autores ou os enredos, muito provavelmente pela capa. É por isso que ela importa.

O que você JAMAIS deve fazer?

Ignorar a importância da capa por conta da empolgação de ter terminado de escrever seu livro, fazer qualquer coisa, de qualquer jeito, e publicar.

Fazer isso é praticamente dizer ao leitor que nem você mesmo acredita no seu livro ao ponto de ter dedicado um mínimo de zelo e de carinho para construir uma capa condizente com o conteúdo.

Aliás, hoje, é extremamente comum que o leitor “deduza” a qualidade do texto a partir da qualidade da capa. Isso está certo? Está errado? A discussão é irrelevante: se é assim que o leitor pensa e escolhe, é nesse mundo que o autor deve se enquadrar.

5 dicas para criar uma capa de livro

1. Saiba o que você quer transmitir

O primeiro passo para a capa perfeita é descobrir o que, exatamente, você quer. Isso pode parecer óbvio, mas a quantidade de escritores que não fazem ideia do que desejam ao iniciar um trabalho de criação de capa é assombroso. A regra aqui é simples: se você, que escreveu o livro, não sabe o que quer de capa, dificilmente um capista conseguirá produzir algo bom.

Isso significa que você deve descrever, em detalhes, uma imagem de capa, para que um artista a coloque no papel? Claro que não: você é escritor, não capista. Mas quer dizer que você deve saber sim, em detalhes, qual imagem, qual percepção você deseja transmitir ao leitor. Isso nos leva ao segundo ponto.

2. Sintetize sua mensagem em conceitos

Todo livro do mundo tem uma mensagem central, uma ideia básica que funciona como alicerce para toda a sua narrativa. Seja de maneira direta ou indireta, óbvia ou abstrata, você deve ter essa ideia tangivelmente clara, descrita, palpável.

Essa será a essência do seu “briefing”, do seu pedido para o capista que trabalhará em seu livro. E se, ao final do trabalho, você não achar essa mensagem transmitida na capa, é porque ela não está boa (independentemente da sua qualidade artística).

3. Sintetize seu livro

Não adianta também entregar um livro inteiro para um capista e falar “se vire”. Sejamos práticos: a probabilidade de um capista profissional que depende de escala (e, portanto, produz diversas capas por mês para sobreviver) efetivamente ler o seu livro inteiro é mínima.

Sintetize-o. Tenha clara a mensagem que deseja transmitir e entregue ao capista material para que ele possa se aprofundar, incluindo uma sinopse eficiente e trechos que você acredita que sejam “exemplares”.

4. Tenha referências de capas

O capista que você arrumará (falaremos disso logo mais) até pode entender a mensagem do seu livro – mas ele dificilmente saberá o seu gosto pessoal se você não passar referências práticas.

O que são essas referências? Capas de outros livros que você gosta.

Vá a uma livraria no final de semana, pesquise na internet, tire fotos, enfim: reuna algumas imagens que sirvam de inspiração para o profissional que estiver trabalhando para você.

Referências, aliás, nem precisam ser apenas de capas incríveis.  É tão importante dizer o que quer quanto dizer o que não quer.

Leia também: As 10 piores capas da história

5. Arrume um bom capista

A não ser que você seja um designer ou um entusiasta da diagramação – o que certamente facilita a vida – não tenha dúvidas da necessidade de arrumar um para trabalhar para você. Como?

Pode ser um amigo ou um profissional de mercado – tanto faz. O importante é ter em mente que este será um profissional fundamental para seu livro.

F-U-N-D-A-M-E-N-T-A-L.

Neste sentido, recomendamos que você navegue no Profissionais do Livro, plataforma do Clube de Autores que permite a contratação direta dos mais diversos prestadores de serviço relacionados ao mercado editorial. Lá você encontrará centenas e mais centenas de capistas oferecendo seus serviços a preços com grande variação. Significa que todos sejam incríveis? Não.

Uma vez no Profissionais do Livro (ou em qualquer outra plataforma), você deve vasculhar os comentários de clientes feitos sobre aquele capista e, principalmente, visitar o seu site ou portfolio para ver se realmente gosta do seu estilo. Se não gostar, não contrate. Simples assim.

Se gostar, contrate: mas seja extremamente rígido na sua demanda e aprove apenas se realmente amar a capa.

Saiba quanto custa publicar um livro

A capa é só o que eu preciso para o meu livro funcionar?

Claro que não – há muitos livros com capas incríveis que nunca venderam mais que meia dúzia de exemplares. Há mais, muito mais envolvido em transformar uma história em um sucesso de vendas. A capa é só um dos elementos fundamentais.

texto em fundo roxo "publique sua obra"

Quer saber mais? Confira outros artigos sobre como produzir uma obra:

Como diagramar um livro?
Revisão ortográfia de livros: o que é e qual a importância 
A importância dos Feedbacks antes de publicar um livro

Leia Mais

mulher-de-cabelo-curto-virada-para-lado-esquerdo-olhando-para-livro-em-suas-maos

Quanto custa publicar um livro?

Escreveu um livro e não sabe quanto deve investir na sua publicação? Fique tranquilo! Neste artigo, separamos algumas informações super importantes para ajudá-lo nesta missão. Vamos lá?

Antes de mais nada, é necessário alinhar as espectativas:

Não mantenha altas as esperanças de encontrar alguma editora que aceite bancar a publicação inteira do seu livro. Também não leve isso para o lado pessoal: hoje, a não ser que você já seja uma personalidade consagrada e famosa, praticamente nenhuma editora do país investe o que deveria investir.

Na melhor das hipóteses, aliás, elas propõem uma espécie de “divisão de investimentos” (assim, entre aspas mesmos): você paga tudo e ela presta os serviços editoriais convencionais (capa, revisão etc.).

Considerando esse cenário, a publicação independente é, de longe, a mais econômica. E é sobre ela que vamos falar nos próximos tópicos!

Suas opções para lançar um livro independente:

  1. Contratar profissionais especializados nos serviços necessários para a finalização do seu livro;
  2. Usar e abusar da sua rede de contatos, pedindo os favores certos às pessoas certas para que tudo saia a contento.
  3. Aprender as funções de diagramação e desempenhar a maior parte das etapas sozinho.

Mas lembre-se: há uma série de serviços que precisa ser executado com profissionalismo. Ou seja: não adiantará nada fazer algo “mais ou menos”. O resultado, tenha certeza, será igualmente “mais ou menos”.

Em outras palavras: você pode contratar os serviços ou garantir que alguém de confiança os faça gratuitamente. Você só não pode ignorá-los e lançar o seu livro sem que ele seja devidamente trabalhado.

Quais os serviços necessários para a finalização de um livro?

Listaremos, abaixo, todos os serviços tradicionalmente necessários para a publicação de um livro e valores de referência de mercado. Mas ressaltamos: você pode fazer por conta própria (ou por meio de amigos) quase todos, o que garantirá que publique seu livro de maneira gratuita.

Outro ponto importante: os valores apresentados abaixo são de referência. Em suas cotações, dependendo tanto do profissional quanto do próprio livro, é possível que consiga orçamentos maiores ou menores que esses abaixo! :)

1. Leitura crítica

Primeira e mais fundamental de todas as etapas, trata-se da seleção de um crítico literário que esmiuce seu texto e critique absolutamente tudo dele, recomendando ajustes gerais na fluidez da narrativa.

Valor de referência: R$ 500 a R$ 4.000.

2. Revisão

Finalizado o processo de leitura crítica, entra em cena a revisão ortográfica e gramatical. E essa etapa é fundamental também! Acredite: um português correto e bem escrito, é muito importante para que seu texto ganhe destaque e seja recomendado pelos leitores.

Valor de referência: R$ 4,00 a R$ 7,00 por lauda (sendo uma lauda composta por 1.200 caracteres). Apenas como referência, um livro de cerca de 200 páginas pode ter algo na casa de 125 laudas – o que gerará um custo de revisão de R$ 500 a R$ 875).

Veja algumas opções re revisores aqui.

3. Capa

A capa é também um elemento fundamental para o sucesso de um livro. Capas vendem: ponto final.

Confira nossas dicas para criação de capas.

Valor de referência: R$ 200 a R$ 600

4. Diagramação

Sabe aqueles livros com fontes minúsculas e praticamente sem margem, do tipo que dá preguiça de sequer começar a ler? Sim, você quer fugir disso. A diagramação é uma etapa gráfica importantíssima que garante uma espécie de conforto visual para o leitor, algo que complementa a experiência de leitura em si.

Valor de referência: R$ 1,5 a R$ 7 por lauda (dependendo principalmente da complexidade). Seguindo o mesmo exemplo que demos para a revisão, um livro de aproximadamente 200 páginas custará algo entre R$ 187,50 e R$ 875.

Veja uma relação de diagramadores que você pode contratar aqui.

5. Conversão para EPub

EPub é o formato de ebook ideal. Por que dizemos “ideal”? Porque você até pode distribuir o seu livro como PDF, mas apenas Google e mais uma meia dúzia de sites o aceitará. Kindle, Apple e muitos outros exigirão que o formato seja EPub, algo que dificilmente pode ser feito com qualidade de maneira automatizada.

Temos, aqui, uma relação de profissionais que fazem este serviço e que podem ser contratados online.

Valores de referência: R$ 50 a R$ 300

6. ISBN

Com o livro devidamente revisado e diagramado e com sua capa pronta, é o momento de fazer o registro de ISBN. Aqui, honestamente, você mesmo consegue fazer tudo sozinho! :)

Valores de referência: o registro é feito diretamente junto à Biblioteca Nacional. Se for o seu primeiro livro, você precisará se cadastrar como editor-autor, o que inclui um custo extra, mas a partir daí, cada livro que você quiser registrar te custará aproximadamente R$ 20.

Confira a tabela de preços do ISBN sempre atualizada.

7. Publicação

Fique tranquilo! Essa é a parte mais fácil.
Aqui no Clube de Autores, a publicação é gratuita: e além de disponibilizá-lo em nosso site, sua obra também será encaminhada para as maiores livrarias do Brasil. Com custo zero.

Só há custos para o autor caso deseje adquirir uma quantidade de livros para distribuição própria. Se não, todas as impressões são feitas sob demanda e, por isso, não é necessário investir nada.

No final, quanto custa publicar um livro?

Nunca é demais repetir que você pode conseguir apoio/ ajuda de amigos para todas essas etapas, garantindo custo zero. Em nosso blog, temos uma série de artigos para ajudá-lo neste processo.

Ainda assim, se você quiser contratar profissionais para todas essas etapas, seu livro custará algo entre R$ 1.457,50 a R$ 6.940. Lembrando, claro, que esses são apenas valores de referência.

E aí, o que achou dos valores? Caso fique com dúvidas, basta escrever um comentário no final do post!

Artigos relacionados:

Livros best-sellers: como fazer parte da lista?
Como publicar um livro na Amazon?

Leia Mais

contra-capa-de-um-livro-sobre-o-teclado-do-computador

Segunda edição de livro: tudo o que você precisa saber

Autores são seres autocríticos e com tendências ao perfeccionismo. Pergunte a qualquer escritor com experiência no mercado editorial: sempre há algo que gostariam de ajustar em suas obras já publicadas ou então, novas informações que poderiam ser adicionadas ao conteúdo de estudos e artigos científicos escritos anteriormente.

Por isso é tão comum encontrarmos mais de uma edição de um mesmo livro. Afinal, é justamente para isso que elas existem. Segundas edições (ou terceiras, quartas etc) dão aos autores a possibilidade de modificar o conteúdo de suas obras mesmo após a publicação. Neste artigo, responderemos algumas das principais dúvidas sobre o tema. Confira! :)

O que é considerada uma edição de livro?

Depois que uma obra é publicada e o autor decide fazer mudanças no conteúdo do livro, seja capa, título ou partes da história, podemos considerar a nova versão uma edição diferente da original. Justamente por isso é necessário revisar o conteúdo e ter certeza de que seu livro está pronto para lançamento logo na primeira publicação, afinal, será necessário registrar novamente o ISBN a cada nova edição, então os ajustes precisam valer a pena, né?

Registro ISBN de nova edição

Por falar em registro, vale lembrar que pequenas correções de formatação ou ortografia/erros de digitação podem ser feitas sem a necessidade de um novo ISBN para sua obra. Se o conteúdo não mudar, basta atualizar o arquivo nas plataformas onde o livro é comercializado e pronto. Mas se os ajustes forem significativos, é necessário um novo número de registro, ok?

Quando publicar uma nova edição de um livro?

Confira nossas dicas e saiba quando vale a pena investir em uma nova edição para sua obra:

  • Quando a obra possui opiniões pessoais do autor que não estão atualizadas. Nestes casos, ao revisar o conteúdo, vale mencionar que o texto contém edições devido à mudança de perspectiva. Assim, mantemos os leitores informados e damos a eles a oportunidade de consultar a versão original. É uma forma ética de ajustar o que já foi escrito;
  • Em casos de estudos, teses e dissertações que podem ser atualizadas com informações recentes e análises complementares, tornando a obra mais completa;
  • Quando o autor não está satisfeito com o texto da primeira versão e quer atualizar o conteúdo, mesmo sem mexer no sentido da história.

Agora que você já está bem informado sobre o assunto, avalie com cuidado sua obra e veja qual cenário citado descreve melhor os objetivos da publicação de novas edições. E caso surjam dúvidas, é só deixar um comentário abaixo! :)

Você também pode se interessar por:
Como otimizar seu Perfil de Autor no site do Clube?
Como publicar um livro independente?
Quando uma obra vira domínio público?

Leia Mais

homem-branco-de-oculos-escrevendo-em-caderno

Dicas para seu Perfil de Autor no site do Clube

Se você já faz parte de nossa comunidade de autores independentes, sabe que ao publicar um livro é necessário criar um perfil que será exibido junto com sua obra em nosso site. Ele poderá ser replicado em outras plataformas e até mesmo otimizado para suas redes sociais.

Mas, se você ainda não publicou um livro por aqui e está caindo de paraquedas neste post, fique atento às dicas que preparamos e comece a planejar seu perfil desde já!

O que é um Perfil de Autor no site do Clube?

Ao publicar um livro em nosso site, você ganha também uma página de apresentação pessoal. É nela que todos os seus livros publicados serão apresentados juntamente com um textinho sobre você, links para suas redes sociais, selos de reconhecimento por suas conquistas como autor e notícias sobre suas obras. O próprio Presidente do Clube de Autores, Ricardo Almeida, tem um perfil de autor no site :)

Por que essa página é importante?

Considere seu Perfil como seu cartão de visitas. Sempre que alguém quiser saber mais sobre você para avaliar se realmente vale a pena comprar seus livros, é lá que olharão. Além disso, você pode utilizá-la em suas redes sociais para compartilhar o link de todas as suas obras de uma só vez e até mesmo para marcar presença em resultados de pesquisa do Google – assim, sempre que alguém procurar por seu nome, a página aparecerá como resposta, divulgando seu trabalho e aumentando sua credibilidade como autor.

Lembre-se que ter uma página bem estruturada pode influenciar diretamente os resultados de suas estratégias de divulgação da obra. De nada adianta participar de LIVEs no Instagram, ter redes atualizadas e até dar entrevistas se quando os leitores procurarem suas obras, verão um perfil fraco e mal escrito, né?

Por isso, separamos algumas dicas para deixar seu cartão de visitas virtual ainda mais completo. Confira!

Dicas para otimizar seu Perfil de Autor:

1. Escolha um tom de voz para escrever o texto de apresentação

Você pode se apresentar em primeira pessoa, de forma mais intimista, como se estivesse contando algo a um amigo, ou então optar por uma versão mais formal em terceira pessoa, falando de seu currículo e trajetória acadêmica, por exemplo.

Ao escolher o melhor formato, considere sempre o tipo de livro que está publicando: conteúdos científicos, estudos e guias pedem credibilidade, então focar em suas conquistas profissionais pode ser uma boa ideia. Já no caso de poemas e livros de ficção, falar sobre sua personalidade e motivações para escrever pode ser mais conveniente.

Divulgue suas Redes Sociais

Para saber mais sobre seu trabalho ou acompanhar sua jornada como escritor, é fundamental que os leitores encontrem suas redes sociais com facilidade (e lembre-se: elas precisam ter bons conteúdos!). Aproveite as funcionalidades da página para adicionar o link de seu Instagram, Twitter, Facebook, YouTube, Blog ou site pessoal etc.

Foto de Perfil

As pessoas vão querer te conhecer melhor! Por isso, considere tirar uma foto especialmente pensada para acompanhar a apresentação em seu perfil. Deixe as selfies e fotos super conceituais para as redes e capriche em uma foto que mostre bem o seu rosto, tenha boa iluminação e alta qualidade. Entre as poses mais populares estão:

  • Foto do autor na cortada na altura do peito, com foco em seu rosto;
  • Autor posando com seu próprio livro, olhando para a câmera;
  • Autor lendo o próprio livro, em formato “espontâneo”.
  • Autor segurando algo que ajude a reforçar sua personalidade ou características da obra. Um escritor de livros de receita pode posar segurando uma espátula, por exemplo.

Seu nome

Por fim, o dilema do nome de autor.
Parece óbvio, mas cadastrar seu nome corretamente ainda é um problema comum entre os escritores. Alguns autores utilizam seu nome completo registrado em certidão de nascimento, com 3 ou 4 sobrenomes. Avalie se todos eles são realmente necessários para diferenciar seu perfil dos de outras pessoas na internet. Quanto mais longo o nome, mais difícil de gravá-lo! Além disso, o link de sua página ficará maior e se tornará mais difícil de ser localizado.

Depois de revisar todos os itens acima, lembre-se de compartilhar o link com seus amigos e colegas. Eles poderão ajudá-lo a conferir as informações, erros de ortografia e organização da página! Ouça cada feedback e aproveite as sugestõs para continuar evoluindo como autor independente :)

E aí, curtiu as dicas? Caso tenha dúvidas, deixe um comentário abaixo! Teremos o maior prazer em ajudá-lo.

Você também pode se interessar por:

Como escrever uma biografia?
O que são Psudônimos e quando utilizá-los?
Ghost Writer: conheça o misterioso escritor fantasma

Leia Mais