o-que-e-cronica-e-como-escrever-uma

Crônica: o que é e como escrever uma

Sabe aquele texto engraçadinho que você leu enquanto folheava uma revista esquecida na sala de espera do dentista? Se ele falava sobre um assunto do dia a dia de forma leve e descontraída e você conseguiu terminar de ler antes de ser atendido, é quase certo que estamos falando de uma crônica (ou que você tenha lido uma reportagem estranha e tomado um chá de cadeira do dentista).

O que são crônicas?

Crônicas são textos curtos, que abordam o cotidiano de forma bem humorada. Normalmente retratam um acontecimento vivido pelo autor ou suas reflexões sobre o contexto em que está inserido. 

Principais características do formato: 

  1. Linguagem simples e informal, com trocadilhos, gírias e até palavrões, caso seja do estilo do autor.
  2. Normalmente utilizam ordem cronológica para narrar os acontecimentos.
  3. Não são apenas histórias curtas e descritivas. São carregadas de reflexão e alguma conclusão com base em um acontecimento cotidiano.
  4. Trazem eventos do dia a dia sob óticas diferentes.
  5. São publicadas em blogs, jornais, revistas e portais jornalísticos. 

Dicas para escrever uma crônica:

Observe a sociedade:

Sobre o que as pessoas estão falando? Aconteceu algo inédito recentemente? As crônicas falam do cotidiano, então nada mais justo do que explorar os assuntos do momento, né?

Pratique em sua mente:

Observe o universo a sua volta: você está sentado usando pijamas? Lendo este texto enquanto bebe café? Já escovou os dentes hoje? Seu gato subiu em cima do teclado e fez uma busca cheia de carecteres estranhosokglfçgkdlfmhlpl,w? (isso, como esses!). 

Pense em como você descreveria o que está acontecendo de forma leve e bem humorada. Se possível, faça uma comparação dessa cena com o governo, a alta do dólar ou qualquer outro evento mundial. 

Conseguiu? Pronto! Você já tem um tema para sua primeira crônica.

Seja leve e natural

Boas crônicas são simples, com histórias fáceis de ler e que podem ser consumidas durante o café da manhã. Não tente forçar o humor ou falar de temas muito complexos com palavras difíceis. Escreve o texto como se estivesse contando uma boa história a um amigo. 

Exemplo de crônica:

Tati Bernardi é uma cronista já consagrada no Brasil por assinar seus textos na Folha de S.Paulo. Confira um de seus textos abaixo:

Você já ouviu falar em carga mental? 
Se um dia você vir minha filha sem sapatos, saiba que eu apenas obedeci e relaxei

Eu tenho um marido sempre presente e prestativo. Todos o elogiam. Eu sempre o elogio. Por que, então, fui parar no médico tantas vezes o ano passado, sentindo a cabeça e o corpo pifarem?

Ao falar para o clínico geral que eu tinha vontade de me deitar no chão da feira de orgânicos, ele me pediu marcadores tumorais e colonoscopia.

Ao falar para o psiquiatra que eu tinha vontade de me internar num hospital só para ficar um dia inteiro sendo cuidada, ele me pediu que aumentasse a pregabalina (para dores) e a venlafaxina (para depressão).

Por sorte, a minha obstetra (mulher!) me falou sobre CARGA MENTAL

(….)

Para ler o texto na íntegra, acesse o site da Folha de S.Paulo.

E que tal conhecer autores independentes que se aventuram no universo das crônicas? Confira os livros deste gênero publicados via Clube de Autores.

Continue lendo!

Diferença entre Poema e Poesia
Como escrever uma fábula?
Como escrever um livro?

Assine a Nossa Newsletter

Ricardo Almeida

Sou fundador e CEO do Clube de Autores, maior plataforma de autopublicação do Brasil e que hoje responde por 27% de todos os livros anualmente publicados no país. Premiado como empreendedor mais inovador do mundo no segmento de publishing pela London Book Fair de 2014, sou também escritor, triatleta e, acima de tudo, pai de família :)

7 comentários em “Crônica: o que é e como escrever uma

  1. RICARDO
    06/12/2020 às 22:12

    Preciso desesperadamente escrever. Fazer isso no Twitter
    não basta. obrigado pelas dicas…

  2. O que posso dizer?
    Eu apenas resolvi escrever,
    Entre quatro paredes,de quarentena
    A escrita se tornou parte do meu esquema.

  3. COVID-19, não podemos ver seu rosto, seu olhar, nem seu cheiro.
    Sentimos o terror em todo lado, por causa de sua impressão digital.
    Você conseguiu desorganizar toda a nossa comunidade. Cada toque seu, lembra um filme de guerra. Não sabemos de onde vem os tiros. Cada rosto assustado em um clima arriscado.
    O medo surge e você acaba sendo o centro das atenções. O risco passa a ter seu benefício, pois tudo a nossa volta se modifica. O bom disso tudo é que toda modificação traz crescimento e sobrevivência.
    COVID-19, você conseguiu destruir a ditadura do mundo que tinha uma visão profissional: professor dá aulas, o policial prende, o médico dá consultas e envia receitas, o soldado guerreia, o operário trabalha na sua fábrica. Você conseguiu fazer o homem modificar o seu discurso ideológico. Muitas ações estão sendo alteradas para verificar as estruturas sociais dos menos favorecidas, verificando os diferentes mundos que existe em nosso país.
    COVID-19, você está fazendo os nossos governantes a ter atitudes autênticas, transformadora e dialógica. Tudo isso, oportuniza o ser humano a romper com a superficialidade e tentar ser útil, dando valor a existência e a construção de um país fidedigno e unido.
    Com sua impressão digital, você entra em contato com muitos. Modifica leis e até o comércio. Sua impressão digital modifica as leis do senado e até dos grandes empresários.
    Os cientistas estão procurando suas digitais e seu prazo de atuação findará. O seu rosto irá ser desmascarado e suas digitais confiscadas pela ciência. Seu fim de atuação, então chegará ao fim.

  4. Tudo tem sido muito bom neste Clube de Autores, instigante, muito trabalho e estudo a desenvolver nesses tempos de isolamento. Muito bom!

    1. Poxa, Lúcia, muito obrigado pela mensagem :) Trabalhamos incansavelmente aqui e receber esses retornos é sempre muito, muito bom!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *