livros-para-ler-na-pandemia

4 livros sobre epidemias para ler na quarentena

Quantas vezes você lavou as mãos hoje?
E o álcool em gel, já passou?

Ainda que as frases anteriores devam fazer parte do nosso dia a dia por questões básicas de higiene, elas recentemente adquiriram novas interpretações.

O novo coronavírus chegou no Brasil exigindo distanciamento, cuidado redobrado e, até mesmo, isolamento. Tudo isso para evitar que o vírus se espalhe, diminuindo os impactos do contágio na saúde pública: quanto menos pessoas circulando nas ruas, menos infectados e, consequentemente, mais eficiência no tratamento dos casos já diagnosticados. 

Se você tem a opção de se colocar em auto-quarentena e ficar dentro de casa, agradeça. Mas, se essa não é a sua realidade, lembre-se das dicas da Organização Mundial da Saúde. Mesmo que você não faça parte do grupo de risco, certamente possui pais, avós ou vizinhos que fazem. E precisamos cuidar uns dos outros. 

E lembre-se: informações, somente de fontes oficiais. WhatsApp, Facebook e outras redes sociais não devem ser utilizadas para saber mais sobre o vírus. Vamos passar longe das Fake News, ok?

Puxões de orelha devidamente dados, agora sim, vamos falar de quarentena? 

Nada de jantar fora, ir ao shopping no final de semana ou reunir os amigos na casa da praia. Aproveite esse momento de reclusão para conhecer novas histórias, colocar as séries em dia, assistir aos filmes vencedores do Oscar, escrever uma crônica ou ler os livros recomendados para 2020.

E, já que estamos vivendo em meio a uma epidemia, é natural que o interesse pelo assunto seja transportado ao universo literário. Então, se você ainda não decidiu como aproveitar os tempos livres durantes a quarentena, aqui vão algumas dicas de leitura relacionadas ao tema: 

Inferno, Dan Brown

Neste livro, Dan Brown entrelaça o destino da humanidade à Divina Comédia de Dante, conduzindo o personagem principal pelo Mapa do Inferno em busca de suas memórias perdidas. No meio do caminho, o protagonista se depara com a existência de uma praga que poderia resolver o problema da superpopulação na Terra. A história é cheia de ação, história e mistura ficção com realidade, além de ser mais um clássico do autor de Anjos e Demônios e Codigo Da Vinci.     

O fim de Outubro, Lawrence Wright

Uma obra novinha em folha: conta a história de um vírus devastador que começa na Ásia antes de tornar-se global. Coincidência? O livro será lançado em Abril de 2020!

A Peste, Albert Camus

Camus, em sua genialidade (ganhadora do Prêmio Nobel de 1957, vale lembrar), apresenta realismo, personagens únicos e reflexões banhadas de filosofia. Nesta Obra, os habitantes de Orã viviam suas vidas normalmente, até que a Peste revira suas histórias. Os desdobramentos são narrados com muita riqueza de detalhes e questionamentos sobre a pena de morte, individualidade, pensamento racional e por aí vai…

Estação Onze, Emily St. John Mandel

A narrativa apresenta a vida antes e depois da pandemia que tomou conta do mundo no universo ficcional criado por Emily Mandel. De forma comovente e cheia de reviravoltas, a obra traz um novo ângulo para o formato: os desdobramentos e consequências da praga, 20 anos mais tarde.  

E você, gostaria de recomendar um livro? Deixe um comentário!

Outras recomendações do Clube de Autores:

25 livros escritos por mulheres
Como fazer um diário de leituras?
Por que precisamos escrever e falar sobre o Nazismo?
Os melhores livros de 2019

Assine a Nossa Newsletter

2 comentários em “4 livros sobre epidemias para ler na quarentena

  1. Bom Dia!
    Muito interessante sua postagem, mas, dizer que não se deve dar importância para as Redes Sociais é, no mínimo, um contrassenso, tendo em vista que a imprensa oficial, hoje está empenhada a atacar o Presidente em vez de informar. Lamento muito, mas nas Redes Sociais e nas entrevistas dos Ministros, quando vistas ao vivo, temos muito mais informações do que na mídia Marrom, Esquerdista, Safadista, Comunista, Perversa, Sacana, etc, etc, etc.
    Abraços meu irmão!! Que Deus nos proteja!

    1. Oi Rubens! Nós não dissemos para ignorar redes sociais: dissemos que o único lugar para se obter informações é por fontes oficiais. Dissems, aliás, e reforçamos isso. Mas viremos a página aqui e falemos de literatura: tenho certeza de que todos temos nossas opiniões políticas mas, aqui, o espaço é literário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *