texto-da-imagem-black-lives-matter

5 livros independentes para entender o racismo no Brasil

Recentemente, casos como a morte do norte-americano George Floyd, sufocado por um policial branco, e do brasileiro João Pedro, morto em uma operação policial no Rio, mobilizaram o mundo. As redes sociais explodiram em manifestações de apoio aos movimentos antirracistas e parte da população foi às ruas pedir justiça e igualdade. 

A urgência do assunto é evidente e não deve ser limitada aos episódios de violência noticiados pela mídia. É necessário que exista um debate constante sobre o racismo no Brasil, resgatando a origem do preconceito e promovendo reflexões sobre inclusão e representatividade. 

Por isso, criamos uma lista de 5 livros para entender o racismo no Brasil e no mundo, publicada no portal de notícias Rolling Stone. E, para dar continuidade no assunto, preparamos também recomendações de leituras independentes publicadas via Clube de Autores para ajudar na compreensão do tema. 

Confira 5 livros independentes sobre racismo no Brasil:

Não há racismo no Brasil!, Jeremias F. Torres

A maioria das pessoas posiciona-se contra o racismo, considerando absurdo todos os episódios de discriminação apresentados pela mídia, dentro e fora do Brasil. Este livro apresenta questões observadas no dia a dia, que mostram que esse comportamento não está livre de preconceito e que, apesar do brasileiro considerar-se um povo pacífico e inclusivo, a prática é muito diferente da teoria e o racismo está nas entrelinhas.

A presença do negro em nossa história, Israel Foguel

A história do Brasil foi construída a partir da exploração da mão de obra do negro africano, que precisou lutar diariamente para manter sua identidade cultural. O objetivo desta obra é relembrar a presença do negro na formação brasileira, desde a colonização, trazendo a tona todas as dificuldades, confrontos e  preconceito que antecederam os tempos em que vivemos hoje.

Negros, pardos e pobres nas universidades, Cleberson Eduardo da Costa

No final da década de 90, o percentual de negros e pardos nas universidades era mínimo. A realidade mudou no início do século XXI, a partir da implementação do sistema de cotas e com a transformação deste cenário, surgiram dúvidas quanto ao desempenho dos negros e os problemas de inclusão. Nesta obra, o autor desmistifica muitos preconceitos em relação a cotas raciais e apresenta os desafios políticos-educacionais no país.

Miscigenação, democracia racial e preconceito contra os negros no Brasil, Nilson Yamauti

Quando surgiu o preconceito racial contra os negros no Brasil? E o que fizemos para minimizar a desigualdade histórica? O livro tem como objetivo apresentar uma síntese da discriminação em solo brasileiro, desde suas origens até os dias atuais. 

O Homem Negro, no Brasil, não é levado a sério, Cleber Caetano

Apesar dos avanços na inclusão do homem negro no contexto social, ainda existe muito preconceito racial no Brasil. O livro, escrito a partir da perspectiva de um negro, traz reflexões sobre a eficiência das garantias estabelecidas no regime democrático e os problemas enfrentados ainda hoje, na tentativa de “ser levado a sério”.

Artigos relacionados:

Por que precisamos escrever e falar sobre o Nazismo?
O processo de escrita do livro Correndo com os Etíopes
25 livros escritos por mulheres para ler em 2020

Assine a Nossa Newsletter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *