correndo-com-os-etiopes

O processo de escrita do livro “Correndo com os Etíopes”

“Para você poder contar a experiência real de um povo tem que, de certa forma, viver como eles”. 

Essa frase, que também poderia ter sido escrita por um jornalista, antropólogo ou historiador, faz parte do relato de Danilo Balu, graduado em Esporte e Nutrição e autor do livro “Correndo com os Etíopes”. 

A obra, publicada em 2019, conta a experiência de Danilo em um dos países mais pobres do mundo, berço de alguns dos melhores corredores de longa distância da história, numa tentativa de descobrir o que faz desses atletas tão especiais. 

A narrativa apresenta a Etiópia sob o olhar atento de um brasileiro apaixonado por corrida e nutrição esportiva, transportando os leitores para o continente africano em um “treino irrecusável”, como a própria sinopse do livro descreve. Escrito em primeira pessoa, o relato começa logo após o desembarque no continente africano, descrevendo pensamentos, motivações, desafios e descobertas do autor.

O título da obra foi inspirado no livro “Correndo com os Quenianos”, escrito por Adharanand Finn. Além de ser fã do trabalho de Finn, Danilo teve a oportunidade de participar de uma de suas palestras pouco antes de embarcar em sua aventura. Atualmente, existem diversos estudos, documentários e livros sobre o Quênia, mas não sobre a Etiópia. Por isso, ao mergulhar na cultura etíope, o treinador tinha como objetivo apresentar outras referências (ainda não tão exploradas) aos brasileiros.

Confira outras ob

Sobre o processo de escrita

“Eu sou um tanto peculiar quando viajo… fujo das redes de hotéis… ando de transporte público (não na Etiópia!)… como em botecos, em restaurantes baratos cheio de gente, me arrisco e abro chance para errar. Visito os mercados centrais, supermercados e dou uma estudada sobre a história do país para entender seu povo”, explica o autor. 

Segundo ele, se você vem ao Brasil e não sai da Avenida Paulista ou do Lebron, terá uma visão distorcida da realidade. Por isso, quando foi à Etiópia preferiu, literalmente, correr com os etíopes, em vez de treinar isoladamente em um resort. “Acho que voltaria de lá pensando que estive em Wakanda”, brinca, fazendo referência ao país africano fictício das histórias em quadrinho da Marvel. 

Para relatar com tantos detalhes toda a experiência internacional, foi necessário muita pesquisa, começando pela  leitura de livros e artigos e trocando figurinhas com um amigo que morou por lá. Por conta da formação em Esportes e Nutrição, conseguiu tomar alguns atalhos para encontrar fontes técnicas confiáveis e oferecer informações seguras para o leitor, mas mesmo sendo profissional da área, teve que dedicar um bom tempo aos estudos. 

O processo de publicação e a escolha do Clube de Autores

Para Danilo, a plataforma do Clube representou uma possibilidade de publicar um livro sem muitos riscos, alto investimento ou uma equipe de suporte. “Ela é prática, de fácil compreensão pra quem tem menos experiência (como eu era). E por causa das redes sociais, quem acompanha meu trabalho está espalhado por todos os cantos, então eu precisava de algo com capilaridade sem ter que eu me dedicar a isso”, explica o autor. 

Segundo ele, publicar o livro de forma independente através do Clube de Autores foi uma excelente opção. Além de Correndo com os Etíopes, Danilo Bali lançou outros três livros por aqui: O Nutricionista Clandestino, O Treinador Clandestino e O Veterinário Clandestino. 

Mais artigos sobre autopublicação:

Clube de Autores lançará livro com crônicas sobre a quarentena
Sobre o Livro Rios Invisíveis da Metrópole Mineira
Dicas do autor de “Descomplicando Vinhos”

Assine a Nossa Newsletter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *