ms-marvel-desenho-hq

A importância da representividade na literatura infantil

Qual era seu personagem favorito de desenho animado quando criança? Por que você sempre gostava mais de personalidades femininas? Ou então, por que sempre torcia pela pessoa mais tímida e incompreendida dos filmes da Sessão da Tarde?

Se você nunca parou para pensar nos motivos deste favoritismo, saiba que ele não é aleatório. Livros, desenhos e filmes são tão importantes em nossa vida porque nos transportam para realidades paralelas, onde descobrimos personagens únicos com os quais nos identificamos, ou que possuem características que gostaríamos de ter.

E é por isso que a representatividade é uma pauta tão fundamental e precisa ser discutida com mais intensidade entre os autores de histórias infantis. Afinal, temos uma grande responsabilidade em mãos: cabe a nós, escritores, criarmos as referências das próximas gerações, eliminando estereótipos que fizeram parte do nosso desenvolvimento.

Leia também: Como criar personagens para seu livro?

Como a Marvel tem incluído mais diversidade em suas histórias?

Sana Amanat é uma editora americana de quarinhos, responsável por levar diversidade às HQs da Marvel. Além de sua participação notável em Ultimate Comics como Homem Aranha e Capitã Marvel, Sana é co-criadora da primeira série solo da Marvel a ser protagonizada por uma super-heroína muçulmana.

Ms. Marvel é, sem dúvidas, um exemplo incrível de representatividade. A personagem servirá de referência para crianças e adolescentes que até então eram cercados por representações negativas de sua religião, principalmente nos Estado Unidos, por conta de conflitos políticos. A própria editora, Sana, é uma inspiração para garotas que sonham em fazer parte deste universo predominantemente masculino e preconceituoso com o islamismo.

Confira alguns destaques da fala de Sana em seu TED Talk, “A importância da diversidade no universo de HQs”:

  • De acordo com a editora, existe algo chamado “ameaça de estereótipo”, que ocorre quando um grupo de indivíduos internaliza e reage a ideias negativas relacionados a eles. Por conta do medo de ser associado a este estereótipo, as pessoas deixam de agir conforme suas habilidades, performando menos do que poderiam (academicamente ou socialmente), mascarando quem realmente são para negar as expectativas dos outros.
  • Por conta do neurônio-espelho, é da natureza humana agir conforme a massa, repetindo ou acreditando no que os outros dizem que devemos acreditar. Por isso, é fundamental criar histórias empoderadoras e inspiradoras, que nos desafiem a ser melhores.
  • Ms. Marvel é uma personagem tão inspiradora porque está tentando se encaixar e descobrir quem é de verdade. Ou seja, sua história reforça que tudo bem ser diferente ou ainda estar em busca do seu verdadeiro eu.

Confira o vídeo completo abaixo:

E, da mesma forma que a Marvel vem incluindo diversidade em suas histórias, é nosso papel trazer mais representatividade para nossas histórias infantis, não é mesmo? :)

Artigos relacionados:

Por que precisamos escrever e falar sobre o nazismo?
5 livros independentes para entender o racismo no Brasil
25 livros escritos por mulheres para ler em 2020

Assine a Nossa Newsletter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *