Desbloqueio de final de ano

Tenho um livro semi-pronto faz um mês.

Com a correria do final de ano, ele está se arrastando, se arrastando, se arrastando…

Fica como prioridade dois. Depois três. Depois quatro.

Quando estou fora do computador, minha cabeça viaja nos possíveis finais e praticamente deixa tudo escrito em letras nas nuvens, tudo tão claro quanto a mais perfeita utopia.

Quando sento para escrever, no entanto, logo um email, uma mensagem via Whatsapp ou alguma outra urgência qualquer me arrancam da frente do computador.

Não sei se é exatamente isso, mas me parece um caso bem típico de bloqueio criativo. E, com isso, descobri que bloqueio criativo não tem a ver com a criação em si: esta voa, sempre liberta de qualquer amarra, criando e recriando o que quiser. Bloqueio criativo tem a ver com o ato em si, o escrever, o coloca no papel, a finalização.

E, da mesma forma, bloqueio criativo só pode ser encerrado com uma decisão.

No meu caso, ei-la aqui, agora.

Pode ser que demore uma, duas, três horas: mas, de hoje, o final desse livro não passa.

É preciso encerrar o ano com um ponto final.

6359991693275867841308429358_writers-block

Leia Mais

Tem promoção de Natal no ar!

De hoje, dia 6, até a quarta, dia 13, todos os impressos do Clube estarão com desconto de até 25%!

Vamos às regras:

1) Todas as obras impressas publicadas no Clube já estão incluídas na promoção;

2) Os descontos variam de acordo com a paginação de cada obra (sendo, portanto, diferente para cada uma);

3) Os descontos não abrangem os direitos autorais. Ou seja: independentemente do montante cortado no preço, os direitos autorais permanecem rigorosamente os mesmos e os autores não serão prejudicados em nenhum aspecto. Caso queiram ampliar as quedas de preço no período mexendo nos direitos autorais, os próprios autores deverão fazê-lo indo a Sua Conta > Livros Publicados, clicando em “gerenciar” e em “editar direito autoral”.

4) O desconto durará até o final a quarta, 13/12.

Boas vendas e bons presentes!!!

Leia Mais

Anos de fertilidade criativa

Estamos, agora oficialmente, no final do ano.

Não tivemos um 2017 exatamente fácil: a política brasileira parece perseguir a mesma estabilidade que o Zimbabwe, a sociedade seguiu se dividindo mais ainda, não temos sequer ideia de quem conseguirá disputar as eleições no ano que vem.

Mas há dois lados bons nisso tudo.

O primeiro é que, a julgar pelos últimos dados econômicos e pelo mercado como um todo, estamos milagrosamente nos recuperando da recessão em que estávamos. Empregos parecem voltar, ainda que aos poucos, PIB deve crescer mais que o previsto e humores gerais estão mais… digamos… sorridentes. Só mesmo aqui em nosso país é que a vida real consegue se descolar tanto do cataclísmico clima político.

O outro lado bom? Acredito que nossas vidas são feitas das histórias que vivemos. Quanto mais experiências tivermos, quanto mais testemunharmos e protagonizarmos no mundo à nossa volta, mais vida teremos acumulado. Consequentemente, mais histórias teremos para escrever, para contar, para compartilhar.

Sob esse aspecto, intensidades como as que vivemos esse ano, tão cheio de altos e baixos e tão pouco tedioso, só servem para celebrarmos o fato de estarmos vivos.

E para registrarmos isso – preferencialmente em livros.

Talvez não tenhamos essa noção tão exata ainda, mas esse período entre 2014 e 2017 talvez tenha sido o mais fértil para toda a criatividade brasileira.

Saberemos mais nos próximos anos, quando começarmos a colher os frutos das tantas histórias que somente agora estamos conseguindo acabar.

Leia Mais