Conheça os finalistas: Nephesh de cada dia

Conheça os finalistas do Prêmio Clube de Autores de Literatura Contemporânea!

Finalista 7 (por ordem alfabética): Nephesh de cada dia (Jackeline Nuit)

Nephesh de cada dia é o retrato letrado da espiritualidade moderna.

Poesias que refletem a condição e o acordo Humano dia após dia em busca do conhecimento.

Cada linha traz situações do cotidiano, sonhos e venturas que provamos internamente e outras tantas que ousamos viver. Quem se lança a uma leitura de descobertas, anseios e alegrias deve experimentar a poesia em seu estado pleno.

O livro carrega poemas, contos e um profundo respeito pela virtude inerente ao Homem: Humildade.

Quer saber mais? Clique aqui!

Conheça os finalistas: Narciso no mundo dos vilões

Conheça os finalistas do Prêmio Clube de Autores de Literatura Contemporânea!

Finalista 6 (por ordem alfabética): Narciso no mundo dos vilões (Romário Rodrigues Lourenço)

“Através da vidraçaria colorida e dos mosaicos nos vidros da igreja, a chuva caia cada vez mais forte. Sônia chegou ao altar e sentiu o toque macio da mão dele. Um novo relâmpago e ele sorriu, apaixonadamente.

Era mesma paixão pessimista e igual a todas as paixões, dessas que nascem sempre com prazo de validade.

O noivo sabia que todas as paixões tinham um prazo de validade curto, mas ela não sabia que o papel principal durava tão pouco e, durante o pouco que durasse, permaneceria sem saber. Seu coração elétrico funcionava bem enquanto alimentado por mentiras. Era como se ela tivesse realmente morrido e renascido como uma bonita noiva. Talvez sim, para Bóris, sempre houve uma estranha atmosfera fúnebre em todos os matrimônios, e o branco do vestido perfeito dela era uma evidente e estranha contradição. Junto da tempestade lá fora, uma perfeita confirmação de que aquilo poderia ser um velório se não houvesse tantos rostos alegres.”

Narciso No Mundo dos Vilões é o novo romance de Romário Rodrigues Lourenço. Seguindo a mesma linha de suas histórias anteriores, a obra traz uma trama repleta de intrigas, contradições e personagens de conflitos psicológicos marcantes.

Quer saber mais? Clique aqui!
 

Conheça os finalistas: Morada sem prumo

Conheça os finalistas do Prêmio Clube de Autores de Literatura Contemporânea!

Finalista 5 (por ordem alfabética): Morada sem Prumo (Gilmar de Souza Queiroz)

As composições do livro – Morada sem prumo – não são narrativas em prosa e tampouco têm uma sequência lógica, são versos descompromissados, que tentam expressar angústias, inquietações, percepções, insatisfações, sensações de habitar o “torto”, sentimentos comuns, corriqueiros e paradoxais de uma empreitada existencial.

Quer saber mais? Clique aqui!

Conheça os finalistas: JP Um sonho de… Presidente

Conheça os finalistas do Prêmio Clube de Autores de Literatura Contemporânea!

Finalista 4 (por ordem alfabética): JP Um Sonho de… Presidente (Antônio Chiarotto Filho)

Imagine deitar-se em sua cama no conforto de seu lar e acordar na cama de outra pessoa, que por acaso é o Presidente da República do maior país da América do Sul…só pode ser um sonho.

Foi isso que ocorreu com João Paulo Feitosa, o JP. Mineiro, residente em São Paulo, aposentado e ex-funcionário de garagem de ônibus. O sonho não tem fim e JP tem de lidar com situações difíceis nunca imaginadas. Gostando ou não tem de agir como o Presidente. Para piorar, só ele sabe o que está acontecendo…se fosse você leitor, o que faria?

Quer saber mais? Clique aqui!
 

Ventos para Areia Branca vence o V Prêmio Clube de Autores de Literatura Contemporânea

A votação não foi nada fácil – mas, depois de alguns dias de MUITA leitura e análise, o brilhante Ventos para Areia Branca, de Carlos Tourinho de Abreu, ganhou o V Prêmio Clube de Autores de Literatura Contemporânea. O estilo da história, que envolve uma época de grandes migrações europeias, o estilo de saga e o percurso narrativo que envolve doses de drama, aventura e nostalgia marcam esse romance que, na opinião dos jurados, é leitura obrigatória para todos que amam literatura.

Confira a sinopse abaixo:

**

Há um oceano que separa o presente e o passado da velha Chica. Muito embora tenha vivido exatas nove décadas, a senhora de olhos azuis ainda se recorda, mesmo que vagamente, do semblante da sua misteriosa mãe. No calor escaldante do sertão da Bahia, ninguém nunca soube muito bem de onde veio aquela moça de expressão triste. Só desconfiavam que a estrangeira teria migrado de longe – lá da Itália, Alemanha ou França – mas, ninguém nunca chegou a entender bem o que ela dizia para saber ao certo. O passado sempre foi uma incógnita para Chica e foram tantas as noites perdidas refletindo sobre as suas desilusões, perdas, lutas e conquistas. O amor pela leitura ajudava a atenuar a crueldade impelida pela insônia.

Já Zé Maurício, neto de Chica – também tratado pela avó por Neno –, é um homem que foge do passado. O jovem, que em certa altura experimentou o gosto ambíguo da riqueza, persevera em uma incansável busca por um futuro melhor – pela tão sonhada liberdade. Após anos de ausência, o seu caminho cruza novamente o da sua querida avó, justamente em um momento de tamanha vulnerabilidade para ambos. Por ironia do destino, Zé Maurício faz Chica deparar de forma avassaladora com o longínquo passado da sua própria família – desde os tempos em que ela fora adotada por abastados latifundiários, após a trágica morte da sua mãe. Lágrimas rolam dos olhos azuis da velha Chica ao lembrar do seu início servil, tão cheio de dúvidas e decepções.

 

Ventos para Areia Branca é uma saga que trata de laços de família ainda atados nos árduos tempos das grandes migrações européias do fim do Século XIX. Através das narrativas de avó e neto, duas gerações se encontram e tentam desvendar os mistérios das suas origens – europeias e indígenas – tão sofridas e comuns à grande maioria da população brasileira. Ao fim desta leitura, ficará claro que o oceano que nos separa não é tão extenso assim.

**

Para conhecer melhor o livro, clique no link https://www.clubedeautores.com.br/book/163914–Ventos_para_Areia_Branca?topic=literaturanacional#.VA8kR2RdW5Q

Com isso, encerramos o prêmio parabenizando o autor, Carlos Tourinho de Abreu, com quem já estamos entrando em contato para combinar a entrega do prêmio, e todos os demais finalistas pela fantástica participação. Mais uma vez, organizar e acompanhar este prêmio foi algo que gerou um orgulho intenso em todos aqui do Clube!

E, como prometido, estamos também abrindo toda a planilha detalhada de resultados. Basta clicar aqui para acessá-la.