ilustração de grupo de pessoas na esquerda, com nota de dinheiro acima, seta no meio apontando para uma pessoa segurando uma lampada na direita

Como publicar um livro com financiamento coletivo?


A vaquinha da era digital tem proporções maiores que a tradicional vaquinha de colégio e agora também é bilíngue, pois atende tanto por “financiamentos coletivos”, em português, como por  “crowdfundings”, em inglês. O significado dos termos é o mesmo e a ideia de arrecadação de dinheiro também.

Entre as formas mais comuns para a publicação de livros independentes no Brasil estão o patrocínio por empresas privadas e as leis de incentivo à cultura existentes a nível nacional, estadual e municipal. A Lei Rouanet, por exemplo, permite que cidadãos e empresas dediquem parte de seu imposto de renda para contribuir com a cultura. Nesse caso, o governo direciona parte dos impostos para beneficiários que são selecionados pelo Ministério da Cultura e os projetos beneficiados passam a ser de exibição pública. 

Mas essas não são as únicas opções (muito menos as mais simples). O objetivo de alavancar projetos também é compartilhado com os sites de financiamentos coletivos que existem como alternativa para sonhadores independentes que não querem estar ligados ao Estado, empresas privadas ou editoras tradicionais – e é justamente sobre isso que falaremos neste post!

Apesar de não ser necessário investir dinheiro para publicar uma obra de forma independente, contar com um orçamento pode sim tornar o processo mais fácil, principalmente nas etapas de revisão de texto e design da capa, por exemplo. Mas falaremos sobre isso mais adiante! Primeiramente, cabe explicarmos como o financiamento coletivo pode ajudar a materializar uma obra. Vamos lá?

O que é crowdfunding?

O financiamento coletivo funciona como uma “vaquinha” mesmo. Esse formato digital chegou ao Brasil em 2011, mas já existia nos Estados Unidos desde 2005. Qualquer pessoa pode lançar uma proposta a ser financiada e o sucesso dos projetos acaba sendo resultado do esforço de quem idealiza, que fica responsável pela divulgação. No fim, se tudo der certo, o criador do projeto tem acesso direto ao dinheiro sem muita burocracia e ainda consegue abrir caminho para um público que acredita no seu trabalho.

Mas vale lembrar que ter uma boa ideia ou negócio é apenas a primeira etapa e, antes de iniciar, é preciso muito planejamento. Além de definir a estratégia de divulgação e a “recompensa” para os apoiadores, também é importante pesquisar direitinho as vantagens de cada plataforma, tipo de campanha e objetivo.

Como funciona o financiamento coletivo?

De modo geral, cada plataforma de crowdfunding define as próprias regras de funcionamento. Entre os itens que diferenciam os projetos estão:

  • Tempo mínimo e máximo de campanha;
  • Lucro sobre o valor do financiamento;
  • Modelos de campanha;
  • Necessidade de recompensar ou não os apoiadores etc.

O modelo de campanha “Tudo ou Nada” é o mais popular e é adotado pela maioria dos sites. Neste tipo de projeto, após decidir a meta de arrecadação da campanha, o idealizador precisa atingir o valor definido até o dia previamente estipulado por ele. Se isso não acontecer, o projeto não é financiado e todo o dinheiro arrecadado volta para quem apoiou. Mas, caso a meta seja atingida e o livro seja publicado, o autor concede “recompensas” aos apoiadores – geralmente determinadas pela quantia de dinheiro “investida” por cada pessoa.

Por exemplo: uma pessoa que decide contribuir com R$10,00 para a publicação do livro pode receber um e-book, que não envolve custos de impressão e envio. Já quem contribui com R$ 50,00 pode receber a versão impressa da obra, pois o valor cobre as despesas do autor. Legal, né?

Dicas para escolher uma plataforma:

Como mencionamos, há diversas soluções digitais disponíveis para lançar um projeto de crowdfunding. Antes de definir o melhor lugar para lançar sua campanha, conheça os diferenciais de cada site e entenda como você pode se beneficiar de cada modelo.

Durante essa etapa, analise:

  • Confiabilidade da plataforma: afinal, seus apoiadores precisam de segurança para incluir seus dados pessoais;
  • Usabilidade do site: quanto mais fácil encontrar seu projeto, maior a probabilidade de obter sucesso com a campanha. Usuários menos familiarizados com a tecnologia podem ter dificuldades em finalizar o investimento em plataformas muito difíceis de usar.
  • Projetos mais populares: observe o perfil dos projetos apoiados em cada site e entenda se há um “padrão”. Opte por plataformas que apresentam campanhas parecidas com a que você planeja lançar.
  • Modelos disponíveis: planeje com cuidado seu projeto e entenda qual site oferece condições mais adequadas para que você alcance sua meta.

Você realmente precisa financiar sua obra coletivamente para publicá-la?

Agora que você já sabe como funciona um crowdfunding, cabe retomarmos a discussão que começamos no início deste texto: é possível publicar um livro gratuitamente. Ou seja, talvez você nem precise investir seu tempo em uma campanha de arrecadação de fundos. Entenda:

Aqui no Clube de Autores, por exemplo, você cadastra sua obra, define quanto quer ganhar por direitos autorais e, se tiver o registro ISBN, com poucos cliques pode distribuir seu livro nas maiores livrarias do país. O gerenciamento é todo feito por nós e você não precisa investir nada! Como as impressões são feitas sob demanda de acordo com a venda de exemplares (diretamente para o cliente final ou para as livrarias), não há custos para o autor.

Além disso, como o escritor tem liberdade para tomar decisões editoriais, todo o processo – da escrita à divulgação da obra – podem ser feitos por você mesmo! É claro que, se possível, vale a pena contratar um capista e um revisor de texto para garantir a qualidade do material, mas não é obrigatório e a escolha dos profissionais fica a cargo do autor. Legal, né?

Quando investir em um projeto de financiamento?

Já que não é necessário ter um orçamento largo para colocar sua obra no mundo, o crowdfunding pode ser usado de forma estratégica, justamente para “cobrir” os custos de produção – não de impressão.

Veja: ao financiar seu livro coletivamente e entregar obras impressas como recompensa, você fica responsável pela distribuição dos exemplares – e isso pode dar um trabalhão. Mas, ao distribuir e vender via Clube de Autores, todo esse processo é simplificado com a nossa ajuda. Portanto, pode ser mais interessante oferecer e-books como retorno aos apoiadores, definir uma meta menor de arrecadação e usar o valor para contratar um revisor e um diretor de arte.

Depois disso, caso você queira vender a obra por conta própria, pode adquirir um pequeno estoque com condições especiais para autores, além de garantir um espacinho para seu livro nos principais e-commerces do Brasil!

Dicas de plataformas para lançar seu projeto:

Confira algumas das principais plataformas de financiamento coletivo:

E aí, curtiu as dicas? Caso tenha dúvidas, basta enviar um e-mail para nossa equipe de atendimento pelo endereço: atendimento@clubedeautores.com.br

Você também pode se interessar por:

Como definir o preço de um livro?
Como ganhar dinheiro escrevendo livros?

Assine a Nossa Newsletter

Paulo Santos

Diretor de Operações do Clube de Autores. Sou advogado por formação e administrador por amor. Gosto de ler de bula de remédio a outdoors, incluindo eventualmente livros. livros e livros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *