notebook óculos e livros

Como escrever uma biografia?

Texto publicado em dezembro de 2019 e atualizado em outubro de 2020.

Esta é uma pergunta não tão rara quanto algumas pessoas podem imaginar. Isso porque muitas pessoas têm vontade contar a história de vida de outras pessoas – ou de si mesmo, no caso da autobiografia.

À primeira vista, parece uma coisa simples: ouvir o que o biografado (quem terá a história contada no livro) tem a dizer e escrever de acordo com as palavras e memórias dele.

Mas escrever um livro de biografia é muito mais complexo do que isso. Por isso, separamos algumas dicas para ajudá-lo a colocar sua história no papel.

1. Escolha do biografado

Antes de começar, já temos a primeira pergunta: sobre quem você quer escrever?

Geralmente, a escolha é baseada em alguém que admiramos e, por isso, temos vontade de expor sua trajetória de vida para que mais pessoas passem a conhecê-lo(a) e admirá-lo(a) também.

Pode ser algum artista, político, atleta, pesquisador, cientista, médico, professor, ativista, músico, empresário, entre outras figuras.

Se a ideia é escrever sobre a vida de alguém, é interessante que ela tenha algo a ensinar para quem lê – seja uma lição de vida, superação, maneira diferente de pensar etc. É interessante que haja algo novo (nunca contado ou pouco explorado) para detalhar, gerando curiosidade e interesse no leitor.

Ou seja, se você já sabe quem gostaria de descrever, o primeiro passo já foi dado. Mas, caso tenha dúvidas, faça uma lista de pessoas que você admira e gostaria de ter a oportunidade de conhecer mais profundamente – acredite, este processo pode levar um bom tempo.

Diante dessa lista, filtre quem está mais acessível, seja por distância geográfica, momento de vida ou rotina de trabalho, por exemplo. O biografado precisa estar disponível. 

Existe um outro cenário possível: personalidades que gostariam de ter sua vida relatada em um livro e que procuram escritores para isso. Se alguém te procurar com essa demanda, entenda qual é a necessidade do futuro biografado, o que ele gostaria de expor, em quanto tempo ele pretende ter o livro publicado e todas as informações necessárias para a construção da obra, antes de aceitar. Entenda que o livro é como um filho para o biografado!

Temos ainda um terceiro cenário: a biografia de alguém que já morreu. Pode acontecer por interesse do próprio escritor ou por intermédio de familiares do biografado já que é a família quem tem que autorizar a publicação das informações, neste caso. 

2. Entrevistas e coleta de informações

Estabeleça uma relação de confiança para que a pessoa se sinta à vontade em abrir a vida dela para você, essa é a parte mais importante do processo!

Anote tudo desde a primeira conversa. Você precisa entender o que o biografado gostaria de expor, detalhes dos fatos (que muitas vezes são contados fora de ordem e em conversas totalmente aleatórias), nomes de pessoas, lugares onde esteve, datas. São muitas informações.

A cada novo encontro, faça um resumo do que foi dito anteriormente. É bom para lembrar de onde pararam e também para confirmar se aqueles fatos realmente aconteceram e se falta algum detalhe. 

As datas não batem? Converse. Ficou com dúvida sobre algum momento específico? Converse. Quer obter mais informações? Converse.

Essa dica vale também para pessoas próximas ao biografado. Converse com familiares, colegas de trabalho, amigos de infância e todas as pessoas acessíveis que possam confirmar (ou dar mais detalhes) sobre os momentos mais importantes da história dele. Em caso de biografia póstuma, essa etapa com quem convivia com o biografado é ainda mais importante para dar veracidade às informações. 

Para garantir que nenhum detalhe será perdido no processo, que tal sugerir a gravação das conversas? Elas podem ser feitas pelo celular mesmo. Assim, sempre que surgir uma dúvida, você pode voltar ao que foi dito. Existem, inclusives, alguns aplicativos que transcrevem as gravações, economizando muito tempo de decupagem.

Mas lembre-se: as gravações precisam ser autorizadas por quem está sendo entrevistado, ok? É fundamental manter a ética durante a escrita de uma biografia (e de qualquer outro texto, diga-se de passagem).

3. Pesquise muito

Uma pessoa mais velha, que teve sua história marcada pela Guerra, com certeza terá um contexto histórico como parte de sua biografia.

Você precisa conferir as datas citadas, as notícias da época e tudo que envolva o universo de vida dela. Se for um pesquisador, você precisa ler seus artigos publicados, estudos relacionados ao trabalho realizado por ele, referências e como ele é visto na área de atuação.

É preciso fazer uma varredura sobre a vida do seu biografado, saber o que já foi dito sobre ele na internet ou em qualquer outro lugar. Tudo isso é fonte de informação. 

sentado em frente ao computador

Se for uma personalidade e a exposição de sua figura (assim como polêmicas) for parte do enredo, você precisará pesquisar ainda mais! Isso porque, muitas vezes, a ideia da biografia é confessar algum ato cometido, limpar a própria barra de alguma situação ou até culpar outras pessoas. Esteja ciente da repercussão do seu trabalho.

4. Organize os fatos

Essa é uma etapa desafiadora, não vamos mentir.

Depois de colher muitas informações, chega a hora de costurar a colcha de retalhos e organizar os fatos para finalmente estruturar o livro.

Diante das informações, vocês podem conversar sobre o melhor caminho a seguir: seja por ordem cronológica ou destacando os momentos mais importantes, separando capítulos por temas ou momentos de vida, por exemplo. Ressalte traços de personalidade que você percebeu ao longo do tempo que passaram juntos e escreva de uma maneira que demonstre o impacto dela diante dos fatos narrados.

É normal chegar nesta fase e perceber que ainda faltam algumas informações e voltar para a etapa anterior. E não há problema nenhum nisso, volte quantas vezes achar necessário para que a obra esteja o mais fiel possível aos fatos. 

Na hora de organizar este quebra-cabeça, você pode se deparar com algumas informações que julga serem não tão relevantes e é importante conversar com o biografado para entender se ele gostaria de manter no livro ou se, de fato, não fará diferença na história. Às vezes, pode parecer um fato comum para você mas foi um momento que marcou a vida dele. 

5. Ajustes finais e aprovação da obra

Tudo certo? Ainda não! Primeiro o biografado (ou familiar que irá autorizar a publicação) precisa aprovar a obra. Normalmente, ele recebe o arquivo original impresso ou em PDF para refinar alguma informação, incluir ou excluir trechos.

Depois disso, basta escolher uma bela capa, enviar o material para revisão e publicar no Clube de Autores. Divulgue a obra e faça um evento para lançá-la oficialmente, em parceria com o biografado, obviamente.

Extra: Autobiografia

Mas e se eu quiser contar a minha história, preciso seguir todas essas etapas? A resposta é: mais ou menos. Claro que a obra sua vida pode ser escrita do jeito que você quiser mas é importante organizar os fatos (uma linha do tempo pode facilitar as coisas), incluir dados históricos (se necessário), conferir datas e pedir a opinião de amigos sobre detalhes que talvez você não se lembre.

Escolha um profissional para revisar e publique com a gente! =)

banner-saiba-como-publicar-um-livro

Quer mais dicas sobre como escrever uma obra de qualidade? Confira outros artigos:

Releitura de textos: o que é e como fazer?
O que é subtexto e como utilizar este recurso?
Dicas para começar a escrever um livro

Tags
biografia
Assine a Nossa Newsletter

7 comentários em “Como escrever uma biografia?

    1. Oi Humbelina. Infelizmente não oferecemos esse serviço por aqui, pois somos uma plataforma de autopublicação. Uma vez que seu livro estiver pronto, no entanto, conte conosco para publicá-lo e disponibilizá-lo nas maiores livrarias, em formatos impresso e digital, sem nenhum custo para você!

    2. Você afirma que minha autobiografia será publicada e digitada sem custos.
      Como é viabilizado?
      sabemos das digiculdades do mercado!
      abraços
      Humbelina

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *