Contrate um crítico literário

Há quem deteste críticos literários. 

“São engenheiros de obras prontas”, acusam alguns. “São especialistas em maldizer o que não foram capazes de escrever”, dizem outros.

Eu, pessoalmente, amo críticos exatamente por motivos assim.

Há tantos livros disponíveis no mercado, afinal, que a opinião de leitores ávidos – e, via de regra, críticos são sempre leitores fanáticos – é mais que bem vinda. São seus apontamentos ácidos que indicam a cautela necessária, nem que seja em trechos específicos, para autores e leitores; são seus elogios que abrem caminho para mercados novos; são por seus olhos que conseguiremos antecipar um pouco das reações dos tantos olhos que esperamos alcançar.

Acho o papel dos críticos tão fundamental que costumo recomendá-los para os autores antes mesmo que os livros fiquem prontos. Descobri faz pouco tempo que essa possibilidade – a leitura crítica – existia.

Testei-a com um livro novo que eu estou escrevendo, encaminhando o original a uma amiga do mercado.

Ela me devolveu em uma semana com incontáveis observações e pontos de ajuste. Ficamos em um bate-volta: reescrevi trechos, parágrafos, capítulos. Mudei até o final.

O resultado? Ficou muito, mas muito melhor que o original.

Do meu lado, ainda tenho um caminho longo a percorrer: preciso de uma capa boa, de uma revisora, de uma diagramação impactante. Mas o texto, pelo menos – a essência de qualquer história – está melhor encaminhada do que eu jamais imaginaria.

E por que escrevo isso aqui? 

Para deixar como dica aos colegas escritores. Antes de publicar seu livro, considere fortemente convidar ou contratar um crítico para trabalhá-lo com você. Na pior das hipóteses, você sairá com valiosíssimos apontamentos literários de um profissional que entende profissionalmente de literatura!

4 comentários em “Contrate um crítico literário

  1. Olá!
    Sou autor da obra Escritas pela alma, literatura brasileira poesia, publicada em 2019.
    Gostaria de saber como contatar um crítico literário.

    Grato!

    1. Isso não sabemos responder, Silvio… Para cada tema sempre há um editor que funcione melhor – mas cabe a cada autor buscar. Nossa recomendação sempre é começar pelo próprio Google, buscando blogs e artigos que julgue mais relevantes.

Deixe uma resposta para Caio Mota Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *