Que tal parar tudo e escrever algo neste exato instante?

Se há algo que poucos questionam é o quão mais corrida está a vida hoje em relação ao passado. Em um punhado de horas, acumulam-se obrigações com trabalho e família em uma soma de responsabilidades difíceis de dar conta.

Hoje, no entanto, é sexta-feira. Para muitos, dia de iniciar uma desaceleração de ritmo, de preparar um descanso merecido, de respirar um pouco mais fundo e de forma levemente mais pausada.

E, daqui, gostaríamos de dar uma pequena sugestão e contribuição para a sexta de tantos autores que fazem do Clube a sua casa: esteja você onde estiver, se dê um punhado de minutos e pare tudo.

Agora.

Neste instante.

Pare, abra uma página em branco do Word ou tire um papel e caneta e simplesmente escreva o que vier à mente.

Escreva paisagens, amores, temores, previsões, medos, angústias, esperanças, vida. Escreva um parágrafo, que seja – mas deixe o corpo descansar enquanto a mente entra em estado de fervor criativo nem que seja por alguns instantes.

Depois disso, pare novamente e leia-se. Releia-se. Entenda-se naquele pedaço de instante, naqueles segundos em que você eas suas letras foram um só antes do final de semana.

Somos todos, afinal, escritores – e se não escrevermos a nós mesmos de vez em quando, dificilmente teremos paz.

Bom final de semana a todos!

#EscrevaSemPensar

37 comentários em “Que tal parar tudo e escrever algo neste exato instante?

  1. Desde que aprendi a escrever as primeiras palavras, sou escritora… vivia rabiscando meus contos e romances em cadernos. Antes eu era uma uma escritora sem livros, hoje, graças ao CLUBE DE AUTORES sou realmente uma escritora! Demorou, mas eu consegui e ainda tem muito mais por vir! Minha mente é um mundo povoado por vidas imaginárias que anseiam fazer parte da vida real através dos livros!

    1. Oi Neuza. Vai na área de dúvidas, no menu. Temos muitas perguntas e respostas já prontas lá e, caso não encontre o que deseja, basta descer a página e você encontrará o link para o Fale conosco.

  2. Em meus livros ESPÍRITO DE LUTAS e PRA NÃO DIZER QUE NÃO FALEI DE AMOR abordo temas sobre o preconceito dissimulado e padrões pré estabelecidos que rola no imaginário do ser humano. Trabalho pela conscientização. Isso está bem explícito em todos contos e destaco o QUANDO É VERDADEIRO, no qual o protagonista é um homem negro e vive um conflito amoroso com uma mulher branca. Esse conto faz parte do último livro.

  3. “Não ha quem bata mais forte que a vida, e o segredo não e o quão forte você bate, mas quanto você aguenta sem ser nocaltiado e continuar de pe seguindo em frente”

  4. Tenho 13 anos e escrevo livros no clube.
    Minha frase é:
    ”Ser feliz é ser feliz para os outros”.
    ”O Silêncio é a verdade…”
    E vou começar uma coleção. ”A coleção Aventuras de Áalex Tyson”… Bem fera…

    1. Cara, eu escrevo terror, ficção, aventura, poesia e só tenho 11 anos. ‘-‘

      Somos a futura geração.

      Corrigindo: “Sinsseramente” não, “SINCERAMENTE”.

  5. Fiquei pensando nela, naquele instante, enquanto estava sentado em minha sala, em meu escritório. Reimaginei os cabelos negros anelados, a pele morena salpicada de sardas, o sorriso radiante. Onde vc foi parar meu amor?

  6. O tempo não apagou as pegadas que ainda no solo existe
    Nem mesmo com o dilúvio que varreu a terra à água
    Não afogou um olhar triste.

  7. Cheguei agora e nesse momento escrevo algo de Augusto Cury que diz:
    “Ser feliz não é ter uma vida perfeita. Mas usar as lágrimas para irrigar a tolerância. Usar as perdas para refinar a paciência. Usar as falhas para esculpir a serenidade. Usar a dor para lapidar o prazer. Usar os obstáculos para abrir as janelas da inteligência”.

  8. acho que os últimos dez anos daminha vida dão uma pela estória e até pode servir como exemplo pra jovens… tenho 23 anos mais já vivi o suficiente pra hoje em dia, ser mãe, respeitar a vida, dar valor ao meus pais, dizer q drogas são legais, mais não pra quem quer viver, pra quem quer dar orgulho a sua família… só por cima trai meu namorado, me apaixonei por uma pessoa q tinha namora filho e uma vida noturna, fugi de casa varias vezes pra acompanha-lo, com 16 anos engravidei fui jogada na rua pela minha mãe, fui acolhida pela minha sogra q me odiava, sem contar q o pai da minha filha tinha mais 5 mulheres, quase me matei 4 vezes antes disso, por não querer decepcionar minha família com uma gravidez na adolescência,,, entre tudo isso tem ainda muita estória… Mais hoje em dia, apesar de tudo isso sou casada, morro em uma casa, q apesar de eu não ser rica muito confortável e sou um exemplo de boa mãe e esposa…fiz muita coisa erra mais consegui fazer com q a minha vida não fosse pro buraco como a de muitos dos meus amigos q viveram as mesmas loucuras q eu…queria pode fazer das minhas experiências um livro…

  9. A escrita de um livro é um ato de desabafo, uma válvula de escape para a mente criativa, uma mente que não encontrou no contato direto(na fala) um receptor de sua mensagem atento ou não encontrou receptores na quantidade pretendida, um livro é um grito que intenta ser ouvido , não um grito por socorro, mas um grito justamente em busca de alguém por socorrer.

  10. À pedidos, vou continuar na ingenuidade da escrita
    Revelando tudo o que, por um instante, vier à mente
    Até porque, há neste baú um turbilhão de frases e versos
    Pronto a se soltar e voar feito uma águia no primeiro teste
    ganhando o espaço mental e sentindo o cheiro da atmosfera
    sonhando planar em novos campos imaginários
    descendo em plantações e visualizando o mar
    Té chegar ao almejado ponto e cantar ao sol
    Uma cantiga que fale da vida que hoje flui docemente.

    1. Sérgio Bittencourt, esse nome me lembra um grande poeta e músico que conheci na TV, compositor de uma mágica Modinha que nunca mais saiu da minha mente e do meu coração, e dizia: “Olho a rosa na janela, sonho um sonho pequenino, se eu pudesse ser menino eu roubava esta rosa e ofertava todo prosa à primeira namorada…”.
      Como gostaria de ver este poeta poetando este turbilhão de versos!!!

  11. Salve a imutabilidade das coisas
    Salve os vícios e a ignorância
    Repudiemos os espíritos libertários
    Eu quero rotina!

    Abram-se as portas da velha ignorância
    Dê-me de volta as raízes de meus erros
    Quero uma dose do antigo conhaque
    Eu quero reprise!

    Na valsa leve sinto frio, e nos sons mais rudes… saudade
    E o verso livre repudia a beleza e a calma
    Resta o corpo inerte de delitos
    Resta o corpo

  12. No vazio, “vejo palavras”;
    Palavras soltas, sem sentido.
    São apenas ecos de pensamentos passados,
    Que não quebram o silêncio;
    Apenas ecoam na mente, mas por fora…
    Reina o silêncio.

  13. Não estamos nesse mundo para atender as expectativas de quem quer que seja. A maior prova de amor que um ser humano pode dar ao próximo é ser ele mesmo. O verdadeiro veículo que conduzimos nessa vida é uma motocicleta chamada “nós mesmos”.

  14. Brincadeiras do meu tempo de criança
    São lembranças que o tempo não desfaz
    Corria, pulava,fazia lambança
    E assim eu era feliz por demais

    Brincava de amarelinha,
    De roda, bandeirinha estourada, passa anel
    Brincava de casinha com minha linda boneca a Xexéu

    Fazia grande festança
    Com a magia de ser criança
    Em um grande carrossel

  15. Desafio de escrever sem pensar, saiu este poema espero que gostem.

    Transfiguração

    É um encontro
    Sexta-feira
    Com o espectro
    Da solidão
    Rumina a tumba
    Mortífera
    Do dia cansativo
    Palavras voam
    Rumo ao encontro
    Transfiguram a noite
    Relatam
    Que o fim de semana
    Será poesia….
    Léris Seitenfus 11/10/2013

    1. Transfiguração
      Léris Seitenfus
      É um encontro
      Sexta-feira
      Com o espectro
      Da solidão
      Rumina a tumba
      Mortífera
      Do dia cansativo
      Palavras voam
      Rumo ao encontro
      Transfiguram a noite
      Relatam
      Que o fim de semana
      Será poesia….

  16. Estava tão tristinho quando esta mensagem apareceu
    Eu deixei de olhar pra trás, veio um pinto e me comeu
    Eu não sei se eu gostei, nem se foi ruim demais
    Só sei que eu não gostei, isto é coisa de Satanás!!!

  17. Me inspirou.
    AJá havia algum tempo que eu precisava retomar meus escritos.
    Um livro sobre um livro mágico e um conto de sabedoria chinesa que me apaixona.
    No mais, já tenho um livro escrito há mais de cinco anos sobre Leitura Dinâmica, que nunca fiz esforço para editar e acabo de lançar um novo livro em formato ebook, o qual disponibilizo gratis na rede. Para quem tiver interesse em melhor sua oratória, poderá fazer essa leitura que está sendo positivamente criticada, apesar de eu não ser um escritor de qualidade: http://materiais.sidneimiranda.com.br/ebook-gratis-oratoria

    1. Li a apresentação de seu livro e gostei tanto que o avaliei com 5 estrelas. Agora vejo você se analisando, dizendo não ser um escritor de qualidade. Que tal se reavaliar quanto a isto.

    2. Li a apresentação de seu livro e gostei tanto que o avaliei com 5 estrelas. Agora vejo você se analisando, dizendo não ser um escritor de qualidade. Que tal se reavaliar quanto a isto?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *