Ano novo, cara nova ;-)

Demorou, mas saiu. Com base em muitos, muitos comentários, sugestões de usuários, análises de estatísticas de acesso e testes de usabilidade, finalmente lançamos a nossa nova primeira página.

Quem acessar agora já verá as seguintes mudanças:

1) A busca foi reduzida para um campo simples de texto. Pode-se buscar por título ou autor e o resultado será encontrado na hora.

2) Menu vertical. Muitos usuários tem os seus gostos específicos por uma categoria ou tema literário. Assim, toda a navegação por tema era prejudicada no passado. A partir de agora isso já muda de figura: o menu vertical apresenta todas as categorias temáticas e, para ajudar, já apresenta a quantidade de livros parte delas.

3) Até então, a única maneira de navegar pelo Clube era pelo conjunto de obras mais recentes (além dos dois mais vendidos que ficavam no destaque). A partir de agora, já é possível reordenar todos os resultados por “mais vendidos”, “mais comentados”, “título”, “preço” e, claro, “mais recentes”. Isso tudo em geral (abrangendo todas as categorias) ou dentro de alguma categoria específica.

4) O blog, nosso canal oficial de comunicação com o público, passa a ganhar um espaço de mais destaque – os três últimos posts ficarão sempre presentes na home.

5) Além dele, os nossos outros pontos de presença nas mídias sociais – destacando Facebook, Twitter e Páginas de Autores, também ganham destaque.

E ainda tem mais mudança a caminho, nas mais diversas áreas. Que venha 2010!

17 comentários em “Ano novo, cara nova ;-)

  1. Prezados, com o devido respeito, gostaria de relatar certa insatisfação na questão do ranking dos livros mais comentados. Existem livros ali com contagem dos comentários do próprio autor. Isso não é correto. Além desse fato tem autores colocando comentários em branco o que frauda a filtragem. Sugiro que somente contem no ranking os comentários feitos por terceiros. Alguns está parecendo verdadeira picaretagem para aparecer na parte superior da lista.
    Abraço,
    Julis

  2. Bom cada qual com seu ponto de vista. E sobre os comentários em branco, o que você acha? Bem verdade que o leitor vai ver e vai perceber que o autor está pretendendo apenas ranquear-se, pior para o autor. Os comentários deveriam ser usados para que o consumidor pudesse ter o mínimo de confiança no site e na obra que vai adquirir, mas vocÊ quem sabe. Penso exatamente que isso destrói credibilidade e um filtro é bastante fácil. Se o autor quer promover-se pode fazê-lo na resenha do livro. Na maior parte das compras do livro próprio o autor compra para presentear seus familiares.

    Desculpe-me você mas essa é demais. Que tal cada autor passar horas em frente a tela escrevendo sobre ele mesmo? Relaxa um pouco e pensa bem a respeito. Um filtro pode bem moralizar tudo isso.

    Abraço,

    Julis

  3. Olha, que bom que alguma coisa será feita. Não é impossível verificar se o autor posta comentários para ele mesmo, basta pegar o registro no momento de logar e comparar com o registro de quem está postando. No caso de vendas posso concordar com você. Se eu comprar 200 livros meus eu tenho que aparecer entre os mais vendidos mesmo que eu entregue para amigos, parentes, embora isso, estatisticamente não revele nada sobre a qualidade do livro. Me preocupo é quando um autor tomo esse tipo de conduta acaba por prejudicar o coletivo. Todo mundo vai dizer que aqui, os mais destacados, são autores que comentam de si mesmos. Não fica legal essa postura e certamente vai atrapalhar o posicionamento do clube. Você quem sabe.

    No caso do comentário da Drica tem sim, basta criar um número interno que o autor faz referência quando republica e o sistema cria uma tabela que armazena as vendas dequele número e soma novamente para abrir outra contagem.

    Vamos lá pessoal de informática, vocês levaram o clube a ser uma proposta das mais inovadoras. Não vão me dizer que esses simples controles são difíceis de fazer.

    A menos que o Clube não queira, daí é outra coisa.

    Abraço.

  4. Desculpa, Julis – mas desses pontosneu discordo. Primero pq comentário é comentário – e, no mínimo, contém conteúdo adicional. Além disso, o usuário vê que o comentário é do próprio autor – o que evita fraudes, por assim dizer.

    No outro ponto, a quase totalidade de livros comprados pelo autor é feito para revenda, lançamento etc. – a não ser que ele queira fazer um estoque próprio de seus livros. Em um caso ou outro, venda é venda – e não seria correto desconsiderá-la.

  5. Oi, Drica!

    Não há como fazer um ISBN nosso – mas estamos trabalhando em uma forma de revendê-lo e inseri-lo diretamente nos livros, sem que o autor precise fazer isso.

    A contagem de vendas não é zerada não! Mas desde que você edite o livro que estiver no ar, claro. Se, para fazer alguma mudança, o autor preferir excluir o que está no ar e publicar outro, aí realmente não há como o sistema entendê-los como o mesmo livro.

  6. Por fim, no caso dos livros mais vendidos, sugiro que os comprados pelo próprio autor também não entrem na contagem.Assim como não recebemos direitos autorais quando compramos nossos próprios livros penso que é possível estabelecer algum controle. Gostaria que os demais autores tivessem o entendimento de que quando esse tipo de fraude ocorre TODOS os autores do clube ficam desacreditados. No mais, tudo certo. O clube está cada dia melhor. Tenho um livro publicado, chamado auditoria ambiental florestal que vendeu 23 cópias. Eu o retirei, corrigi e incrementei, lancei novamente e o contador de vendas é zerado. Isso também poderia ser corrigido estabelecendo um número de controle no clube, similar ao ISBN, para que o contador não desaparecesse.

    Abraço.
    Julis

  7. Magnífico! Mostra muita atenção e dedicação para com os autores. Só da para agradecer. Se cabe uma humilde sugestão para 2.010 seria de convidar um grande autor brasileiro para uma entrevista sobre as novas formas de escrita, como o clube e também convidá-lo para lançar uma obra inédita pelo clube. (se não ofender o contrato com a editora onde tem suas publicações). Isso poderia desmistificar a idéia de que só publicam livros pelo clube os autores rejeitados por editoras.

    Grande abraço!

    Julis

  8. Jóia, Ricardo. Bom saber que vcs estão trabalhando na questão do ISBN. Sim, a contagem só é zerada se a gente exclui o livro e republica. Seria mesmo nesses casos que eu gostaria que não fosse zerado! :-) Quem sabe com o sistema de ISBN interno não dê pra mudar? Fico esperando essas novas mudanças, torcendo para tudo dar certo e sair bem rapidinho!
    ABS

  9. Ricardo,
    a repaginação do site ficou muito boa! Bem mais eficaz, com navegação mais prática e simples. Gostei mesmo! Espero que o Clube continue melhorando e inovando.
    Tenho duas sugestões; a primeira, a criação de um ISBN do Clube de Autores (é possível, legalmente falando?) ao qual nossas pulicações ficariam vinculadas. A segunda seria (aproveitando o que o Julis falou) que o contador de vendas do livro não fosse zerado quando nós o retiramos para revisão/ampliação.
    Valeu pelo esforço em atender nossas reinvindicaçãoes.
    Grande abraço e muito sucesso ára todos nós.

  10. De fato o Brasil é mesmo o país do jeitinho. Todo mundo quer vender, ótimo, mas a concorrência precisa ser leal. Como é que queremos cobrar de nosso políticos atitudes éticas e fazemos coisas como essa de postar comentários sobre nós mesmos??? Sugiro retirar o ranking dos mais comentados até que a equipe de informática esbabeleça um critério de filtragem adequado anti picaretagem.

  11. Site bem personalizado! Muito bom, cara nova e renovada, ficou ainda melhor! Realmente o Clube de Autores atendeu às sugestões, conselhos e ideias do seu público de admiradores e escritores.
    Sou prova disso: A mais ou menos dois meses atrás opinei em ter no site lista dos livros mais vendidos (uma estratégia e curiosidade de leitores e autores), e aí está concluído.

    Parabenizo à equipe deste Clube, que a cada dia se fixa como uma família para a gente, escritores.

  12. Nossa! Ficou ótimo! Muito mais fácil de visualizar. As informações foram facilitadas, tanto para o leitor como para o escritor.
    E realmente, existem muitos comentários dos próprios autores, eu mesma postei três que estavam no meu orkut, mas isso não quer dizer que todos vão acreditar que os comentários são de terceiros. O Orário Felipe, está certo.

  13. Venda é venda, Julis. Alguns podem comprar para presentear (sendo que não há mal nisso), outros para revender. O fato é que é impossível saber quem faz o que e, de fato, não temos como (ou porque) prejudicar autores desconsiderando as suas vendas para que eles não tenham destaque. A ordenação é de "mais vendidos" – e, como dissemos, venda é venda.

    Quanto aos comentários em branco, vamos passar isso para a equipe técnica. Fora esses, não temos como (tanto por questões técnicas quanto por convicção) tirar espaço do autor que comentou a sua própria obra. Como falamos, caso ele faça isso apenas para aparecer, pior para ele – que ficará exposto de forma negativa aos seus possíveis compradores. Neste ponto, a própria impossibilidade de se postar comentários anônimos já resolve.

  14. Oi Drica… o código interno já existe – mas ele é aplicado para livro mesmo. Basta não excluir e publicar um novo que ele é mantido, minha cara. Se quiser editar, vá a Livros Publicados > Gerenciar e siga os processos lá. Assim, não apenas a contagem continua, como o link também – que é importante.

    MAs você deu uma idéia interessante…. com o ISBN é possível, creio, evitar que isso ocorra (mesmo que se exclua e se republique)….

    Façamos assim: vou levar o assunto ao time de desenvolvimento e voltamos a falar, ok?

    Obrigado!

  15. Julis… como te respondemos nos emails que nos mandou e seus posts aqui no blog, há duas coisas:

    1) Comentários em branco. Isso é erro mesmo e vamos barrar. Aliás, dissemos isso desde a primeira vez que você mencionou o caso.

    2) Compras de autor e comentários feitos pelo autor. Já respondemos a esses itens também. Discordamos de você e sim, vamos mantê-los pelos motivos que expressamos acima. Como dissemos nas respostas anteriores, não se trata apenas de questão de tecnologia – isso está assim porque acreditamos que é assim que deva ser.

    Não leve a mal, meu caro. Somos parceiros e tenho certeza de que tudo o que você está sugerindo é por convicção e por querer zelar pelo bem comum. Mas realmente discordamos nesses pontos e não vamos voltar atrás – pelo menos não no momento.

    Te peço então que, para evitar que prolonguemos ainda mais uma discussão que não levará a lugar algum, deixemos o tempo dar a sua opinião, por assim dizer. Se sentirmos que isso está atrapalhando, não tenha dúvidas que mudaremos. Até lá, sigamos em frente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *