Escrita total

Na semana passada, o autor Edvaldo Pereira Lima lançpu o seu livro “Escrita Total” – uma obra baseada em um método que desenvolveu e que aborda justamente a escrita. Em uma série de perguntas e respostas diretamente com o autor, desvendamos o que é, exatamente, o método de Escrita Total – e como ele pode ajudar tanto a autores quanto a leitores de todo o país. 

Clube de Autores (CDA): O que é o “Escrita Total“?
Edvaldo Pereira Lima (EPL): É o livro base e pleno  do método de mesmo nome, que criei e desenvolvi ao longo da década de 1990, atendendo a uma necessidade do meu trabalho de professor na Universidade de São Paulo: ajudar jornalistas a produzirem textos mais criativos e empolgantes. Depois, levando-o para fora da academia, percebi que o método é extremamente útil para todas as pessoas que escrevem ou querem escrever, sejam ou não profissionais do texto. Quebra o dogma de que escrever é só para quem tem muito talento. Comunicar-se bem por escrito é uma conquista acessível a todos. O segredo é redescobrir e alimentar o prazer de escrever.

CDA: De que forma?
EPL:  Há um grande equívoco em boa parte do sistema educacional, de se querer estimular os jovens a escrever redações  exigindo-lhes de início o domínio das regras gramaticais. Primeiro, temos de simplesmente colocar nossas idéias, histórias e vontades no papel, da maneira  a mais solta e descontraída possível. Temos de escrever, simplesmente, e isso significa liberar nosso fluxo criativo. Depois, mais adiante, é que vamos editar, isto é, revisar o texto, enquadrá-lo nas normas gramaticais, corrigir a ortografia.  Escrever é um ato orgânico, fluido, prazeroso. O método contribui para esse despertar.

CDA: Baseado em que?
EPL: Diversas técnicas e procedimentos absolutamente testados e provados ao longo desses últimos anos, com os mais diferentes perfis de público. Uma das fontes conceituais de tudo é a Teoria dos Hemisférios Cerebrais, cuja comprovação garantiu o Prêmio Nobel de Medicina ou Fisiologia ao pesquisador Roger Sperry, em 1981. Em síntese, quando colocamos as regras gramaticais antes do prazer de escrever, estamos estimulando essencialmente as habilidades intelectuais do lado esquerdo do cérebro.  Essas habilidades são boas para você revisar um texto, mas  inadequadas para você criar e fluir na redação. Para isso, precisamos das habilidades mais identificadas com o lado direito.

CDA: Escrever não é inspiração?
EPL: É um ato orgânico, completo, envolvendo o intelecto, a intuição, a emoção, o corpo e a mente. Algo do seu ser desperta-se para esta habilidade e o surpreende positivamente. Desde que você empregue os estímulos adequados.  Esses, por sua vez, são mais de ordem lúdica, inicialmente, do que lógica e racional. Precisamos – e fazemos isso com certa facilidade, no método – trazer à tona o que se chama em psicologia profunda de Criança Interior.  É essa a primeira condição para disparar o processo criativo que mais adiante resulta em você produzir, com eficiência e fluidez, o texto que precisa, seja um romance, uma boa reportagem de Jornalismo Literário, um relatório, uma Tese,  ou simplesmente a história do seu avô.

CDA: O livro é teórico, então?
EPL: Não pode ser classificado assim.  É um trabalho inovador que mescla conceitos científicos bastante sólidos com técnicas avançadas, exemplos estimulantes de textos produzidos por ex-alunos meus e casos do mundo da escrita. Tudo numa linguagem bastante leve e agradável,  completando-se com várias histórias interessantes.

CDA: Como, por exemplo?
EPL: Como o caso de Baby Halder, a empregada doméstica na Índia que recuperou sua dignididade de ser humano ao escrever um livro contando sua vida.Virou um best seller.  E dos estudantes rebeldes e alienados na Califórnia que, estimulados por uma professora de coragem e visão, encontraram na escrita um meio de transformar positivamente suas vidas. São os Escritores da Liberdade.

CDA: Escrever é poder, então?
EPL: É poder, é autoconhecimento, é prazer, é cura. Já se usa a produção de narrativas como processo terapêutico. E é uma maneira de você compreender o mundo, tomando uma atitude proativa nesta difícil época de transformação que vivemos, quando somos pressionados a elevar nossa consciência, expandir nossos horizontes. O “Escrita Total” procura contribuir nessa direção.

Para adquirir a obra Escrita Total, de Edvaldo Pereira Lima, clique aqui ou vá ao link http://clubedeautores.com.br/book/2631–Escrita_Total . Para conhecer o perfil do autor, clique aqui ou vá ao link http://clubedeautores.ning.com/profile/EdvaldoPereiraLima .

3 comentários em “Escrita total

  1. Prezado amigo,

    com os parabéns que você merece, junto com uma dose grande de carinho, cumprimento-o por esse seu lançamento. Já hoje falo dele em minha aula sobre narrativas, no Mestrado da Cásper Líbero. Com saudades!

  2. Obrigado pelo seu interesse, Karly. Definitivamente o "Escrita Total" traz uma outra visão (nada cartesiana) sobre a organização do pensamento, a criatividade e o ato de escrever. Contribui para a liberação da capacidade criativa, inclusive para a produção de textos longos (trabalhos acadêmicos, TCCs, Dissertações e Teses entre eles). É divertido, lúdico, profundo e rico de recursos e técnicas, tudo ao mesmo tempo. Sua base procede de estudos avançados em áreas como a neurociência, a Teoria Literária, o Jornalismo Literário e a psicologia humanista.

    Mas não é um livro voltado primariamente para a organização do pensamento de maneira rígida, ortodoxa. A organização do pensamento acontece como resultado de todo o processo gerado pela prática do método.
    Sugiro que o conheça, explorando o amplo leque de possibilidades que o método "Escrita Total" – incorporado no livro – oferece. Depois me conte o que achou.

    Um abraço,

    Edvaldo

  3. olá! sou estudante do primeiro periodo de administração na UFT(Universidade Federal do Tocantins) e estou à procura de um livro no qual eu possa fazer um parâmetro com outro livro (Como ordenar as idéias de Edivaldo M. Boaventura)para um trabalho acadêmico.
    Por isso, prezado sr. Edivaldo P. Lima, gostaria de saber se seu livro "Escrita total" expõe método para construção de textos, ou organização metódica de idéias, ou algo parecido. O livro de Boaventura (base do trabalho) explica como você pode organizar um trabalho seja escrito ou para exposição oral, de maneira a ser o mais compreensivel possível e jamais repetitivo; o autor se orienta a partir do "método cartesiano", inclusive citando pensamentos de Renè Descartes.
    Se seu livro puder me dar uma outra visão a respeito do assunto, ficarei muito grata.

    P.s.: desculpe qualquer erro ortográfico, ou outra coisa… rsrsrs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *