Hoje vamos escrever um livro. Ao vivo.

Daqui a 30 minutos, começará em São Paulo um evento chamado CrossTalent. Realizado pela ABRADI (Associação Brasileira de Agências Digitais), o evento reunirá uma série de criativos de diversas áreas e, em um estilo de conversa, proporá soluções de marketing para diversos “problemas”.

O Clube de Autores estará lá para captar todas as informações do evento e todas as idéias surgidas em meio ao público. E todas elas, claro, serão devidamente registradas pela nossa equipe – que, ao final, montará um livro com os resultados finais.

Fiquem atentos ao longo do dia: publicaremos, no Twitter, updates com o tema #livrovivo falando sobre o evento e a experiência de se escrever um livro ao vivo e durante um evento!

Quem quiser conhecer melhor o CrossTalent, o link para o blog é http://brasil.crosstalent.org/

Leia Mais

Livro analisa os efeitos práticos da Lei Maria da Penha, sobre violência contra a mulher

Faz pouco tempo, o advogado Fábio Dantas lançou, pelo Clube de Autore, o livro “Lei Maria da Penha: Uma análise dos aspectos controvertidos de ordem penal e processual penal” sobre a legislação criada para proteger a mulher da violência doméstica.

Apesar de tema recorrente na mídia, os efeitos dessa lei relativamente nova raramente são expostas ao público. Ou seja: ela tem demonstrado resultados práticos? O que falta para que ela se aprimore, sob todos os aspectos? A sua aplicação tem diminuído casos de violência?

Essas e outras perguntas são respondidas pelo autor em sua obra, que permite uma visão muito mais clara sobre a lei, seus efeitos e suas consequências.

Abaixo, o autor responde a algumas perguntas com o objetivo de esclarecer alguns dos pontos abordados em seu livro:

Clube de Autores: Quais os principais assuntos abordados no livro?
Fábio Dantas: A obra  “Lei Maria da Penha: Uma análise dos aspectos controvertidos de ordem penal e processual” trata dos aspectos controvertidos da Lei Maria da Penha (Lei 11.340/06), criada para prevenir e coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher, mas que tem se mostrado bastante polêmica no cenário jurídico pátrio.

Clube de Autores: Qual sua avaliação sobre a eficácia da lei?
Fábio Dantas: Trata-se de uma lei que trouxe avanços no tratamento da violência doméstica. Alguns pontos polêmicos de ordem penal e processual penal merecem destaque na obra, a saber 1) Exclusão da incidência da Lei nº. 9.099/95 em hipóteses de crimes praticados com violência doméstica e familiar; 2) A ação penal pública incondicionada em casos de violência doméstica que resultem lesão corporal leve na vítima; 3) Renúncia ao direito de representação somente perante o juiz, em audiência designada para tal fim; 4) Uma nova hipótese para decretação de prisão preventiva.

Clube de Autores: Qual o objetivo central do livro?
Fábio Dantas: O objetivo central do presente trabalho é fazer uma abordagem sobre a repercussão da Lei Maria da Penha no âmbito do sistema de justiça criminal a fim de analisar alguns pontos polêmicos de natureza penal e processual penal que estão comprometendo a efetividade jurisdicional e a correta aplicabilidade da mencionada lei. Além disso, busca-se verificar como tem sido aplicada a Lei Maria da Penha na prática, tanto na fase policial como na judicial, bem como mostrar o posicionamento da doutrina e jurisprudência acerca de matéria de tamanha repercussão e alcance.

Clube de Autores: O livro fala também de jurisprudências no assunto?
Fábio Dantas: Sim, inclusive com julgados de 2009 do Superior Tribunal de Justiça e ainda uma decisão inédita do juiz titular do Juizado Especial Criminal Unificado de Cuiabá, Mário Roberto Kono de Oliveira, que determinou por analogia a aplicação de medidas protetivas de urgência da Lei Maria da Penha a um homem que vinha sofrendo constantes ameaças da ex-companheira, após o fim do relacionamento.

Clube de Autores: Além dos principais julgados, existe um capítulo destinado às implicações práticas da Lei Maria da Penha. Em que contexto se insere essa pesquisa?
Fábio Dantas: Nos últimos capítulos da obra, é feita uma análise da Lei Maria da Penha com os primados da Justiça Restaurativa, defendendo a tese do retrocesso normativo da nova lei, na medida em que o diploma legal dispõe que a ação penal pública nos crimes de lesão corporal leve envolvendo violência doméstica será pública incondicionada e, ainda, problematizando sobre o dispositivo que afastou os institutos despenalizadores da Lei 9.099/95 e outro que estabeleceu uma nova hipótese de prisão preventiva – sem a observância dos requisitos cautelares. Por fim, o capítulo “implicações práticas da lei Maria da Penha tem o escopo de demonstrar o significativo aumento de denúncias dos casos de violência doméstica contra a mulher após o advento da Lei, bem como mostrar a fase procedimental e o papel das autoridades policial e judicial.

Para adquirir o livro “Lei Maria da Penha: Uma análise dos aspectos controvertidos de ordem penal e processual penal“, clique aqui ou vá diretamente ao link http://clubedeautores.com.br/book/2770–LEI_MARIA_DA_PENHA

Sobre o autor:
Fábio Dantas de Oliveira é doutorando em Ciências Jurídicas e Sociais pela Universidad Del Museo Social Argentino, especialista em Direito Penal e Processual Penal pela Faculdade de Sergipe e em Direito Educacional pela Universidade Tiradentes. Formado em Direito pela Universidade Federal de Sergipe e em Letras pela Universidade Tiradentes. Advogado e trabalha com Assessor de Procurador de Justiça no Ministério Público de Sergipe.

Leia Mais

As próximas "Flips"

Em menos de uma semana, o cenário cultural brasileiro mudou-se para a pequena cidade de Paraty, encravada no meio da Rio-Santos em meio a uma arquitetura colonial de tempos em que informação era escassa e que, ironicamente, a produção local de livros era completamente banida.

E para lá fomos, acompanhar a Flip de perto e sentir ruas repletas de autores, leitores e, em suma, de um tipo de reunião do ciclo literário completo.

Não vamos aqui falar de Gay Talese, Richard Dawkins, Milton Hatoum, Chico Buarque ou outros autores-celebridades que atraíram a atenção e os comentários da Flip. Estes ficam para os grandes veículos que já fizeram as suas coberturas e para as próprias mesas de debate e discussão que ocorreram.

Para nós, do Clube de Autores, o importante mesmo foi ver os escritores que perambulavam pelas ruas, muitos nos questionando sobre o Clube e o nosso modelo, outros simplesmente querendo falar sobre o que já escreveram – mas que não conseguiam publicar. Assim, contavam as suas obras para nós e para outros que porventura passavam, salpicando as narrativas com tons ora ansiosos, ora empolgados.

Lá conhecemos uma jornalista que escreveu sobre as vidas que mudaram durante o período de construção da Linha 4 do Metrô de São Paulo; conhecemos uma artista com um “livro-táctil”, algo entre a escultura, a pintura e a literatura; falamos com uma pesquisadora que está medindo o impacto do aquecimento global na mata atlântica brasileira; com um historiador que tinha pronta uma obra sobre a vila de Paraty e a colonização do local; e com muitos outros escritores de obras que eram pura originalidade.

Nos dois dias que estivemos presentes na Flip, aliás, falamos com algumas centenas de autores. Em comum, a existência de histórias e estórias, presas em suas mentes e mãos. Muitos deles devem publicar as suas obras aqui no Clube, mostrando ao mundo as suas letras, trabalhando as suas divulgações e conquistando os seus leitores. Como em tudo na vida, alguns certamente terão mais sucesso que outros na consolidação das suas carreiras literárias, quer pelo interesse despertado pelo tema, quer pelo estilo literário, quer por fatores que não controlamos – como a mais pura sorte.

Mas, de uma forma ou de outra, o fato é que daqui do Clube sairão algumas das letras que, no futuro, estarão impressas na programação de alguma edição da Flip ou de outros eventos do gênero.

Aliás, o nosso maior orgulho aqui é justamente ser um celeiro de talentos, de onde se pode detectar as novas correntes e tendências da literatura contemporânea.

Leia Mais

Neste final de semana, funcionaremos a partir da FLIP

A partir da tarde de hoje, o Clube de Autores se mudará para a FLIP (Festa Literária Internacional de Paraty). É por lá, entre mesas literárias e cercados de autores, que coordenaremos toda a empresa e os atendimentos prestados aos autores até a segunda-feira.

Em meio a tanta criatividade e a ares tão ricos, vamos viver mais de perto essa que é uma das festas literárias mais gostosas do país. Quem estiver por lá, será fácil nos reconhecer: basta procurar camisetas roxas que estarão perambulando pelas ruas ;-)

A FLIP será o primeiro evento literário que conferiremos de maneira mais…. digamos…. oficial. A idéia, claro, será planejar a nossa presença nos próximos anos e nas próximas feiras, abrindo espaço para que os autores do Clube possam se expor de maneira mais marcante.

Estaremos também “tweetando” de lá os acontecimentos que marcarem o evento no final de semana. Quem quiser nos acompanhar pelo Twitter, basta ir ao endereço twitter.com/clubedeautores .

Leia Mais