concurso literário

Concursos literários 2019: ainda dá tempo de participar

A gente sai de casa e se depara com decoração de Natal em todos os lugares mas o ano ainda não acabou! Se você tem interesse em participar de concursos literários, ainda neste ano, ainda dá tempo de se inscrever. Veja a grade de concursos para os próximos meses e quais ainda possuem inscrições abertas:

NOVEMBRO

32º Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba 

Organizado pela Prefeitura de Araçatuba, no interior de São Paulo, o prêmio será destinado a textos literários inéditos e cada autor pode inscrever apenas um conto. 

Prazo: 01 de novembro

Mais informações: http://smculturaaracatuba.blogspot.com/2019/09/32-concurso-nacional-de-contos-cidade.html


Concurso Nacional de Literatura João de Barro 

Organizado pela Prefeitura de Belo Horizonte, em Minas Gerais, o prêmio contempla obras nas categorias texto literário e livro ilustrado, com projeto gráfico completo, voltadas para jovens e crianças.

Prazo: 04 de novembro

Mais informações: https://prefeitura.pbh.gov.br/noticias/pbh-abre-inscricoes-para-dois-dos-mais-tradicionais-premios-literarios-do-pais



Prêmio Cidade de Belo Horizonte 

Também organizado pela Prefeitura de Belo Horizonte, em Minas Gerais, é voltado a autores residentes no Brasil (brasileiros ou estrangeiros). O concurso é para livros inéditos nas categorias de Romance e Dramaturgia.

Prazo: 04 de novembro

Mais informações: https://prefeitura.pbh.gov.br/noticias/pbh-abre-inscricoes-para-dois-dos-mais-tradicionais-premios-literarios-do-pais 


Prêmio Literário Ayres Koenig

Voltado a residentes da cidade de Araranguá, em Santa Catarina. O prêmio será para obras literárias nas categorias Infantil, História de Araranguá, Poesia e Gênero Livre. Haverá incentivo para publicação de obras.

Prazo: 07 de novembro

Mais informações: https://www.ararangua.sc.gov.br/noticias/index/ver/codNoticia/579733/codMapaItem/4496 


X Concurso Literário da Academia Taubateana de Letras 

Seleção de contos e crônicas com o tema “Sonhar é Preciso”.

Prazo: 07 de novembro

Mais informações: https://www.facebook.com/academiataubateanadeletras/posts/2886279321400595


Prêmio de Literatura Professor Germano Machado

Seleção de Contos aberta a autores de países de Língua Portuguesa

Prazo: 13 de novembro

Mais informações: http://www.fundacaoomnira.com.br/2019/09/premio-internacional-de-literatura.html 


Prêmio de Incentivo – 200 Anos de Independência – 2ª Edição

Seleção de 20 obras literárias inéditas com o tema “200 anos de Independência do Brasil”

Prazo: 25 de novembro

Mais informações: http://mapas.cultura.gov.br/oportunidade/1387 


XXXV Concurso de Poesia Brasil dos Reis – 2019

Seleção de Poesias aberta a autores de países de Língua Portuguesa

Prazo: 29 de novembro

Mais informações: https://www.facebook.com/ateneuangrensela/posts/1991778464265768 


e-Antologia – Crônicas – Covil da Discórdia

Seleção de crônicas humorísticas.

Prazo: 30 de novembro

Mais informações:http://www.covildadiscordia.com.br/concurso-cronicas-3/ 


IV Concurso Literário Cléber B. Silva 

Exclusivo para autores residentes no Brasil, com divisão por temas, de acordo com a geolocalização do autor. 

Prazo: 30 de novembro

Mais informações:https://www.facebook.com/apeletras/posts/2362933453944055

 

Gincana da Poesia 

Poesias divididas em temas, em homenagem a Castro Alves e Gregório de Mattos. 

Prazo: 30 de novembro

Mais informações: https://www.verlidelas.com/gincana-de-poesia 


Prêmio Maraã de Poesia 

Um concurso de Poesias para autores estreantes (sem livros publicados), brasileiros e residentes no Brasil.

Prazo: 30 de novembro

Mais informações: https://www.premiomaraa.com.br/regulamento 


DEZEMBRO

e-Antologica – ACID+NEON 2.0 – Coverge 

Seleção de Contos em Língua Portuguesa ou Espanhola. Há possobilidade de publicação em coletânea digital a ser distribuída gratuitamente e publicação impressa através de financiamento coletivo. 

Prazo: 01 de dezembro

Mais informações: https://coverge.com.br/edital-acidneon/ 


Chamada para Publicação – Revista A Taverna

Seleção de Contos nas categorias Fantasia, Ficção Científica e Terror.

Prazo: 05 de dezembro

Mais informações: https://tavernablog.com/2019/08/13/revista-a-taverna-envie-seu-conto/ 


Concurso Literário da Academia Pernambucana de Letras 

Podem concorrer Livros Inéditos mas também há uma categoria para Livros Publicados em 2018.

Prazo: 10 de dezembro

Mais informações: http://www.aplpe.org.br/apl-concurso-literario-2019/ 


Concurso Literário de Contos

Contos inéditos de tema livre. Os contos selecionados serão publicados no livro Coletânea de Contos CONTE-ME UM CONTO 2019, pelo Concurso Nacional de Novos Escritores.

Prazo: 31 de dezembro

Mais informações: https://www.cnne.net.br/conte-me-um-conto 


Prêmio Literário Vergílio Ferreira

Livros Inéditos na categoria Romance. Aberto a todos os interessados.

Prazo: 31 de dezembro

Mais informações: http://www.cm-gouveia.pt/noticias/abertas-as-inscricoes-ao-premio-literario-vergilio-ferreira-2020/ 


Concurso Literário de Fábulas

Contos inéditos de tema livre. Os contos selecionados serão publicados no livro Coletânea de Fábulas ERA UMA VEZ… 2019, pelo Concurso Nacional de Novos Escritores.

Prazo: 31 de dezembro

Mais informações: https://www.cnne.net.br/era-uma-vez 


Prêmio FNLIJ 2020 – 46ª Edição

Livros voltados ao público infantojuvenil e publicados no Brasil em 2019

Prazo: 31 de dezembro

Mais informações: https://www.fnlij.org.br/site/item/1205-46%C2%AA-sele%C3%A7%C3%A3o-anual-do-pr%C3%AAmio-fnlij-2020-%E2%80%93-produ%C3%A7%C3%A3o-2019.html 


Gostou? Então leia nossas dicas sobre como escrever poesias. Se você tem interesse em escrever um livro, o Clube de Autores pode te ajudar

escrever um livro

Leia Mais

livro de poesia

Como escrever um livro de poesias

Há um tempo atrás, publicamos um texto reflexivo sobre o futuro da poesia. Diante da mudança de pensamento do ser humano, com sua racionalidade cada vez mais aflorada e as emoções sendo deixadas de lado, a poesia se faz ainda mais importante nos dias de hoje. Na leitura de uma poesia, a gente desacelera, presta atenção e se identifica. É um processo natural. 

E o melhor de tudo é que qualquer pessoa pode escrever uma poesia, basta um pouco de sensibilidade e criatividade.

Afinal, o que é poesia?

A poesia já foi rotulada como aquela série de versos simétricos e com rimas no final mas é muito mais que isso. É uma linguagem livre, de ritmo próprio e figuras de linguagem, o que permite ainda mais liberdade para criar entre versos e estrofes de poema. 

Existem poesias curtas, textos que brincam com a disposição das palavras no papel e muito mais. O Limerique, por exemplo,  é uma maneira mais descontraída de escrever poemas em cinco versos, de forma que as rimas do 1º, do 2º e 5º versos sejam iguais, enquanto o 3º e o 4º versos têm rimas diferentes e são mais curtos.

Para quem gosta de rimas, elas podem ser bem variadas. Em um poema de quatro linhas, por exemplo,  é possível fazer combinações como 1ª com 2ª e 3ª com 4ª, 1ª com 3ª e 2ª com 4ª ou apenas 2ª com 4ª. Para os versos livres, quem guia é a criatividade.

Dizem que os poemas rimados são os mais fáceis de lembrar mas essa informação não é totalmente correta. Um poema que toca o coração é um poema eternizado, mesmo que seja feito apenas por versos livres. O mais importante é encontrar um estilo que você reconheça e se identifique. 

Braulio Bessa é um exemplo de poeta que conquistou seu espaço ao utilizar a cultura popular nordestina como referência para suas poesias. Um tema do qual ele domina. Assista ao vídeo dele no TEDxFortaleza, falando sobre o poder de transformação através da poesia:

Por onde começar

Você já deve ter ouvido dizer que todos temos um pouco de poeta dentro de nós. E o primeiro passo é justamente esse: olhar para dentro, buscar inspiração. O que te toca? Sua bagagem de vida pode render ótimas poesias. Olhe ao redor, mude a percepção das questões do dia a dia e use a sensibilidade como ferramenta para criar. Leia bastante, o olhar do outro também pode te trazer reflexões interessantes para escrever.

O processo criativo é algo bem pessoal. Não há um único jeito (nem o jeito certo) de fazer. Algumas pessoas preferem colocar as palavras no papel para depois organizar, outras são adeptas da construção ordenada. Tem gente que prefere papel e caneta, já os mais modernos acham muito mais fácil digitar, deletar e refazer. Há quem se inspira no meio das atividades do dia a dia (é sempre bom ter um caderninho à mão ou o bloco de notas do celular pelo menos para anotar os insights) e quem precisa de silêncio e concentração para escrever. Alguns até separam palavras que rimam, por tamanho e sonoridade. 

Parece suficiente mas não é. A inspiração é apenas uma parte do processo. Um bom poeta tem o dom de tocar as pessoas com suas palavras e para isso você deve saber se expressar por meio delas. Mexa com o imaginário do leitor, descrevendo cenários, sons, cheiros, movimentos e outros elementos que os envolva entre as palavras. 

Tenha referências. Leia poemas de Vinícius de Moraes, Cecília Meireles, Gonçalves Dias, Manuel Bandeira, Paulo Leminski, Pablo Neruda, Mário Quintana e William Shakespeare, entre outros poetas de sua preferência. Eles possuem estilos diferentes e podem te dar uma “luz” nesta fase de organização das palavras.

Pratique a escrita! Essa é a dica mais importante. Escreva, apague, mude, escreva de novo. Entre verbos, adjetivos e substantivos, priorize a harmonia de cada verso. Preste atenção na sonoridade das palavras e no sentido de cada uma delas. 

Depois de escrever faça um teste: leia em voz alta, sinta se os versos possuem ritmo. Sim? Então você está no caminho certo para uma leitura fluida e instigante. Leia para outras pessoas, perceba se elas têm dificuldade para compreender alguma coisa. As críticas podem ser construtivas e ajudarem na composição do seu trabalho.

Livro de poesias

Diante de tantas possibilidades, que tal compilar todas as poesias em um livro? No Clube de Autores, temos mais de 8 mil livros de poesias publicados – e sempre há espaço para mais um, já que a visão de cada poeta é única e a maneira como expressa seus sentimentos também. 

Você pode escolher um tema e fazer uma série de poesias sobre ele ou trabalhar com temas variados. Seu livro, suas escolhas. 

Conteúdo de qualidade, ok? Os próximos passos são: revisão textual, uma capa com potencial de vendas, acabamento profissional e divulgação.  Baixe o Manual de Como Divulgar o Seu Livro e descubra como o Clube de Autores pode te ajudar a se tornar um autor de poesias de sucesso. 

Leia Mais

Poetas serão substituídos por computadores?

Escritores terão máquinas como seus competidores?

Não vou nem me prolongar muito no texto deste post: um dos maiores limites para a ação de computadores e inteligência artificial é a capacidade de máquinas expressarem seus corações, algo essencial para a poesia.

Mas será que esse limitador é algo muito mais preso à nossa mente do que à realidade? Se você se deparasse com uma poesia escrita por uma máquina, como se sentiria?

Vale conferir a palestra abaixo, do Oscar Schwartz, sobre o assunto (clique no balão com reticências no rodapé do vídeo para escolher legendas em português).

Na prática – ao menos na nossa opinião, aqui no Clube – um bom texto é o casamento entre o conhecimento do seu autor aplicado a questões como técnica, linguagem e uso de referências efetivas com a originalidade de uma ideia.

Não há muito como competir com computadores na primeira questão: com uma capacidade essencialmente infinita de acúmulo ordenado de conhecimento, sistemas de big data e inteligência artificial podem facilmente superar o maior dos gênios humanos.

Mas e quanto à originalidade? Como conseguir detectar o zeitgeist de uma determinada sociedade e costurar as metáforas perfeitas para as obras de arte mais que perfeitas como fez um Shakespeare? Como inovar no próprio idioma como um Mia Couto ou um Guimarães Rosa?

É até possível que sistemas cheguem nesse ponto em algum futuro próximo: se tem uma coisa que a história nos ensinou é que todos somos apenas um compilado (genial, é bem verdade) de algoritmos que trabalham em sincronia interna e externa. Enquanto isso, no entanto, parece que a maior propriedade que nós, escritores (humanos) temos é justamente a nossa originalidade criativa.

Nesse sentido, recomendamos fortemente esse post aqui sobre como ter ideias para escrever um livro. Sim, ele aborda muito a questão de construção de conhecimento e referências – mas de nada elas servem sem essa originalidade criativa.

E quer saber? Todos os livros mais vendidos da história da humanidade – veja aqui – foram justamente os que portaram mais originalidade em suas páginas.

Voltando, pois, ao tema do post: é possível que poetas sejam substituídos por computadores? É, com certeza. Talvez mais que possível: provável.

Mas até lá, cabe aos poetas e escritores dificultar essa possibilidade aplicando a sua própria originalidade criativa e inovação, sendo esses dois os elementos que sempre, desde o princípio da literatura mundial, dirigiram os olhos e atenções dos leitores.

Leia Mais

5 dicas para se publicar e vender poesia

Poesia vende no Brasil? Como em qualquer lugar do mundo, isso só depende do poeta!

Há uma espécie de crença popular nos círculos literários de que poesia não vende. Pois bem: já inicio este post deixando claro que trata-se de uma crença errada.

Há pouco mais de 70 mil livros publicados aqui no Clube de Autores. Destes, cerca de 8 mil – mais que 10% – são livros de poesia. E o comportamento comercial desses livros é rigorosamente o mesmo do comportamento comercial de biografias, didáticos, técnicos, romances.

Ou seja: quando o poeta se engaja, cria um produto de qualidade (inclusive tecnicamente, com uma capa bem elaborada, ISBN que permita distribuição em livrarias, revisão, leitura crítica etc.) e monta uma estratégia de divulgação boa, ele vende; quando ele apenas publica de qualquer jeito, sem dar a devida atenção à sua obra, ela não vende. Sim: é simples assim.

E que dicas podemos dar a novos poetas que queiram ganhar mercado com suas obras?

Dica #1: Leia poesias e aforismos.

Parece uma dica óbvia, certo? Mas há uma assustadora quantidade de poetas que dificilmente toca em um livro de poesias. Ora… se você está nessa categoria, se você mesmo não se dá ao trabalho de aprender com os grandes mestres, como esperar que outros façam o mesmo com o seu trabalho?

Poesia não é apenas um conjunto mais ritmado de versos: é, sobretudo, uma dificílima arte de condensar pensamentos ricos no menor espaço possível. É dominar a arte das metáforas, é ser um microcontista, é ser um músico, é ser… bom, é ser um poeta.

E há dois mestres que eu recomendarei com intensidade aqui: Manoel de Barros e Karl Kraus.

O pantaneiro Manoel de Barros é possivelmente um dos maiores poetas de toda a nossa história, talvez um dos melhores do mundo. Arrisco dizer até que ele não deve ser apenas lido, mas estudado. Por que? Porque ele não apenas escreve: ele reinventa toda a nossa língua portuguesa, cria novas palavras, ultrapassa fronteiras linguísticas que nós sequer sabíamos que existiam.

Karl Kraus vai em um outro extremo. Satirista austríaco do final do século XIX e começo do século XX, ele ganhou fama pela sua capacidade de criar aforismos que dilaceravam reputações e derramavam ovas óticas sobre velhos conhecimentos. Apesar de não ser um poeta formal, por assim dizer, ele dominou a arte de se condensar significado em palavras como poucos no mundo.

Há, claro, incontáveis outros poetas – mas esses dois já são um belo começo.

Dica #2: Tenha carinho pelo seu livro

Sim: carinho. Essa palavra pode parecer simplória, mas acredite: ela é muito, mas muito mais importante do que parece.

Pode ter certeza de que, se você publica um livro de poesia com uma sinopse rasa, uma capa feia e sem o ISBN que garantirá a sua distribuição, ele não será vendido.

Ou colocando em outros termos: se um livro bem acabado não é uma garantia de sucesso, um livro mal acabado é, sim, uma garantia de fracasso.

Faça pelo seu livro, portanto, tudo o que você puder. Ao menos se quiser que ele venda, claro.

Nesse sentido, recomendamos que veja este post aqui.

Dica #3: Monte e execute um plano de divulgação

Romantismos à parte, um livro é um produto como outro qualquer. Se você não divulgá-lo, ninguém saberá da sua existência e, consequentemente, ninguém o comprará.

E sim: esta tarefa é sua, do autor. Esqueça aquelas ideias românticas de arrumar uma editora mágica que investirá tudo em seu talento: isso não existe hoje. Você precisará ser o seu próprio empresário.

Há aqui, duas escolhas: você pode aceitar isso, aprender e se esforçar – e recomendamos que acesse esse guia aqui, uma espécie de manual de divulgação de livros; ou você pode dar murro em ponta de faca até destruir a própria mão crendo nesse conto de fadas de que um terceiro eventualmente te descobrirá.

Dica #4: Autopublique-se

Seguindo a mesma linha da dica anterior, use e abuse da autopublicação. Onde? Aqui no Clube de Autores, claro.

Por que aqui? Porque é apenas aqui, no Clube de Autores, que você conseguirá se autopublicar gratuitamente e ainda ter garantida a distribuição pelas maiores livrarias do país, incluindo Livraria Cultura, Estante Virtual, Amazon, Mercado Livre etc. – tanto no formato impresso quanto digital.

N!ao é à toa que há 8 mil livros de poesia aqui no Clube: modéstia à parte, não há nenhuma outra plataforma que ofereça mais a poetas e a escritores do que a nossa :)

Dica #5: Você também é poesia: use-se

Uma das coisas que mais difere poetas de outros escritores é que seu trabalho pode ser tanto lido quanto ouvido.

Perca, portanto, a timidez: cace eventos e oportunidades, saraus e feiras, onde você possa entrar em uma roda e simplesmente declamar.

Use a sua voz, use o seu corpo, use a si mesmo. Um poeta é um artista e usar a sua arte para levar a sua palavra primeiro aos ouvidos do público pode ser uma estratégia excelente.

Leia Mais

Um pouco de poesia para fechar a semana

Poesia, sempre acreditei, é essencial para se viver. E dessa dificílima arte de condensar significado em palavras que muitos dos nossos grandes mestres, de Drummond a Manoel de Barros, ajudaram a imortalizar a nossa língua e a nos entendermos a nós mesmos.

Em homenagem a todos os poetas – tanto do Clube de Autores, onde já são quase 8 mil – quanto de todo o mundo – deixamos abaixo um vídeo com interpretações fantásticas de textos ainda mais fantásticos.

Que sirva de inspiração para todos!

Leia Mais