10 livros que falam sobre Carnaval

Pode até ser que nem todo mundo ame ou mesmo que a máxima de que “o ano no Brasil só começa depois do Carnaval” ainda seja verdade…. Mas é inegável que a festa do Momo seja uma das bases de toda a cultura brasileira.

Basta sair hoje, preferencialmente no final do dia, às ruas, e observar. O asfalto estará grudento com restos de cerveja quente e urina, o ar estará contaminado de feromônios, as faces contagiadas de sorrisos e os ouvidos impregnados de axé, frevo ou marchinhas as mais diversas. Em síntese: todo o país está devidamente teletransportado para um universo de fantasia, para as páginas de um livro inescrito, para um escapismo tão delicioso quanto inútil.

Entender o Carnaval é mais do que entender o brasileiro: é entender como a busca pela auto-ficção é tão determinante para as nossas vidas.

E, nessa toada, fico aqui com uma recomendação que achei na própria Web, mais precisamente no Coolturalblog: 10 livros que falam sobre o Carnaval.

Vale conferir a lista. Vale comprar. Vale ler. Vale mergulhar nas essências da festa do Momo.

Há oportunidade melhor para penetrar a fundo na mente de personagens fictícios reais?

(Para acessar a lista completa, clique aqui)

(Para testemunhar tudo de perto, não clique em lugar nenhum, feche o computador e vá pra rua!)

o-pac3ads-do-carnaval-jorge-amado-cia-das-letras

 

Leia Mais

Como os livros prevêem o nosso futuro?

Confesso: este post é requentado. Já o havia publicado há uns 6 meses, mais ou menos. Mas, buscando inspiração na Web para novos posts, acabei me deparando com esse relato. Minha curiosidade se reatiçou, por assim dizer: é uma espécie de previsão de futuro com base nos livros publicados.

Copiando agora ipsis litteris o post:

A ideia é simples: pegou-se uma série de obras escritas no passado com algum tipo de previsão. Em seguida, essas previsões foram cruzadas com as datas reais e analisadas. Aí restou um terceiro ponto: estipular quando os eventos que ainda não aconteceram acontecerão, montando uma espécie de linha de tempo da história futura da humanidade.

Doido, não? Mas vale conferir. A pena é só que o gráfico é todo em inglês :-/

De toda forma, vale conferir clicando na imagem abaixo.

Leia Mais

Destaque da semana: As Crônicas de Ravok, de Sidney Ferreira

A julgar pelos comentários e pelo burburinho gerado em torno desse livro nos últimos dias, As Crônicas de Ravok, de Sidney Ferreira, tem tudo para se transformar em um daqueles sucessos literários baseados em conceitos de “realidade fantástica”.

E não é por outro motivo que esse livro fica com o destaque da semana aqui no Clube, trazendo assim a recomendação da comunidade para todos que quiserem se desgarrar no cotidiano e viajar por tramas absolutamente surpreendentes!

Segundo a sinopse:

Ravok era um anjo. As razões de sua queda do Céu e de seu retorno como um deus pagão desencadearão ações que podem afetar os destinos do Céu e do Inferno.

A obra acompanha muitas outras séries:

– Ninrode, o rei assírio ressuscitado na Nova York do século XXI;

– Um grupo de mafiosos sexagenários encara o mundo moderno do individualismo (Frusto);

– Uma nova Ordem Mundial de milionários domina o mundo nas sombras, servindo ao deus do dinheiro Mammom (Cínicos);

– Uma nova religião feminista surge: as adoradoras de Eva;

Quer saber mais? Então acesse a página do livro clicando aqui, na imagem abaixo ou diretamente no link http://clubedeautores.com.br/book/142581–As_Cronicas_de_Ravok

As Crônicas de Ravok

Leia Mais

Autor Marcelo Vinícius é destaque na imprensa baiana

No final do mês passado, Marcelo Vinícius, autor do livro O Escritor, foi entrevistado pelo portal Mais Bahia – um dos mais relevantes do estado.

O motivo foi a publicação foi justamente a sua obra que, com maestria, mescla realidade e ficção e permite uma jornada densa pela mente de um escritor. Confira na sinopse do livro, que pode ser visto clicando aqui ou no link https://clubedeautores.com.br/book/131182–O_Escritor:

Realidade e fantasia estão todas juntas, sem que ninguém saiba onde começa uma e termina outra. “O escritor” exibe o interior de um rapaz chamado Michael, que, aparentemente, não anda bem das idéias, sem conseguir dividir bem os mundos da fantasia e da realidade. Assim, vemos as pessoas da vida real misturando-se com os personagens sobre quem Michael supostamente escreve.

A coisa complica quando ele conversa com um estranho em seu quarto, uma pessoa que ele só consegue ouvir a voz, e que depois imagina ser um escritor famoso chamado David Ebony, que parecia já ter cometido suicídio. Dessa forma, Michael entra quase em surtos de loucuras e começa a pensar que é um personagem, ao invés de um escritor, dificultando o discernimento sobre se o que acontecia com ele era real ou não.

A história percorre também por questões como o perigo da aniquilação e da morte, da tortura e da solidão, do amor ora correspondido e ora platônico, da arte e de uma atitude geral diante da vida, em busca de uma existência mais profunda. Os personagens dessa obra são homens de situações extremas, chegou aos limites últimos de sua existência ou estão diante deles.

Os personagens sofrem de conflitos existenciais, como o homem de hoje. Questionam seriamente a existência e outros assuntos. Por isso, a temática da solidão como fuga, a paranóia, os delírios, as angústias, o amor e a introspecção estão muito ligados a esta história.

Quer conferir a entrevista? Então clique aqui, na imagem abaixo ou no link http://www.maisbahia.com.br/EntrevistaVIP.aspx?id=1371

Leia Mais

Dan Albuk fala sobre "Lerulian – A Queda da Cidade dos Homens"

Com mais de 70 opiniões postadas em sua página, a obra “Lerulian – A Queda da Cidade dos homens” é, hoje, a mais comentada de todo o Clube.

Curiosos com a repercussão que está sendo gerada, fomos conversar com o autor para que ele nos contasse um pouco mais sobre a história que, de fato, prende o leitor em um tempo-espaço distinto ao estilo de Senhor dos Anéis.

Confira, abaixo, a entrevista com o autor.

Clube de Autores: Fale um pouco sobre o seu livro.

Dan Albuk: A Queda da Cidade dos Homens é o primeiro volume da série Lerulian, e apresenta ao leitor o conflito do jovem ferreiro Vaan Sorg, que do dia para noite é obrigado a sair da Cidade dos Homens a mando do Rei. O rapaz é forçado a levar um grande pacote até Cidade de Gravelt, que não deveria ser aberto em nenhuma hipótese. Ao longo do caminho Sorg descobre que a tarefa é muito mais complicada do que ele imaginava, e que sua vida estava ligada diretamente ao conteúdo que carregava. Com a ajuda de novos amigos, Sorg enfrenta diversas situações mortais, onde um passo em falso mudaria o destino do continente de Yvion.

CDA: De onde veio a inspiração para escrevê-lo?

DA: Sempre gostei de escrever. Adoro histórias fantásticas, de aventura, terror e suspense. E só de pensar que eu poderia criar um mundo repleto de criaturas, continentes, cidades, fauna e flora me fascinava. Escrever é uma arte sem limites, sem barreiras. Você consegue viajar para onde quiser, na hora que bem entender. Com um papel, caneta e imaginação você pode construir cidades, planetas e destruir galáxias. É só colocar uma musica para entrar no clima, e começar a criar.

CDA: Quais as suas principais referências? Outros livros, filmes?

DA: Sou uma pessoa completamente fascinada por filmes, livros e jogos. Isso me  ajudou muito na hora da criação do mundo de Lerulian. As vezes, quando não sai nenhuma letra no papel, o melhor a fazer é colocar um filme, ler um livro ou jogar algum jogo. Quando você menos espera sua cabeça faz um “click”, e as idéias que estavam em extinção começam a tomar a forma de uma avalanche, inundando o cérebro com ondas criativas.

Stephen King é leitura obrigatória para mim, e isso, de alguma forma, contribuiu para a confecção de algumas partes do livro. J.R.R Tolkien, Joe Dever, C.S. Lewis, William Peter Blatty, Anne Rice e filmes como: O Poderoso Chefão, Matrix, O Senhor dos Anéis, Coração Valente, Alien, Jurassic Park, O Exorcista, Gladiador, Madrugada dos Mortos, Poltergeist, Seven, são apenas algumas, das várias referências que usei.

CDA: Como você tem divulgado a sua obra?

DA: De toda forma que consigo. Além do Clube de Autores, tenho um site, perfil do Twiiter, Facebook e Skoob. Mas a principal forma de divulgação ainda é o boca a boca. Quem lê o livro e gosta, passa para frente, espalhando a obra por tudo que é lugar. O simples fato de ler seu próprio livro na rua já é uma divulgação e tanto, uma das melhores. Tenho velhos e novos amigos me ajudando bastante e promovendo o livro em todos os lugares possíveis. Tenho recebido vários e-mails de parcerias, entrevistas e participações. Quando um ajuda o outro, tudo fica mais fácil. Quero aproveitar e agradecer a todos que estão me ajudando, apoiando e me dando novas oportunidades. Um agradecimento especial ao Ricardo Almeida, que possibilitou esta entrevista.

CDA: Há planos para uma sequência?

DA: Sem dúvida nenhuma. Atualmente estou escrevendo um suspense, que provavelmente será publicado no final deste ano. Começo o segundo volume de Lerulian logo depois, e não irei parar até terminar a série.

Dúvidas, críticas, contato, elogios ou sugestões? É só me mandar um e-mail que terei prazer de responder!
Site – http://www.lerulian.com.br/
Twitter – http://twitter.com/Dan_Albuk
Facebook – http://www.facebook.com/profile.php?id=100001305083338
Skoob – http://www.skoob.com.br/usuario/251435
E-mail – [email protected]

Para conhecer Lerulian, clique aqui, na imagem abaixo ou vá diretamente ao link http://clubedeautores.com.br/book/29934–Lerulian

Leia Mais