Intervenções artísticas, encontros de poesia e arte contemporânea são assunto do Palavra Inquieta

O “Palavra Inquieta” vai receber para o bate-papo virtual a poeta e escritora, Ana Rüsche. O encontro irá acontecer, excepcionalmente, no dia 15 de novembro, terça-feira, a partir das 19h30, com transmissão gratuita através da página do Clube de Autores no facebook.

Ana, que ministra oficinas de criação e cursos sobre arte contemporânea, irá falar sobre poesia contemporânea, intervenções artísticas e também da relação da literatura atual com a internet, principalmente blogs. Blogueira desde 2005, Ana atualmente mantém o blog “Contrabandistas de Peluche” e possui inúmeras participações em revistas como: “Le Monde Diplomatique“,“Coyote“,“Offline“,“Poesia Sempre“ e a revista novaiorquina “Rattapallax“, além disso ela organiza a FLAP – Festa Literária Alternativa à de Paraty.

Aos 33 anos, escritora possui três livros de poesia publicados. “Rasgada” (2005), que foi traduzido para o Espanhol, “Sarabanda” (2007) e “Nós que adoramos um documentário” (2010). Em prosa, Ana escreveu o romance “Acordados” (2007). Além desses títulos, a poeta participou de várias Antologias, entre elas: “Panamericana – Poetas nascidas após 1976” (2005), “Oitavas” (2006), “Caos Portátil – Poesia Contemporânea Brasileira” (2007) e “Blablablogue” (2009).

Para participar do bate-papo com a poeta Ana Rüsche basta acessar a página do Clube de Autores no Facebook e clicar no item “Palavra Inquieta”, ou se preferir, ir direto pelo link: http://on.fb.me/gh5QD7.

O encontro será mediado por Leonardo Gonçalves. Dúvidas e perguntas poderão ser feitas durante a transmissão pelo perfil do CdA no Twitter: @clubedeautores. Para mais informações ou sugestões, basta enviar um e-mail para atendimento@clubedeautores.com.br.

Leia Mais

Helena Polak lança novo livro no Clube sobre alta sensibilidade emocional

Autora do livro Sensibilidade à Flor da Pele, Helena Polak se consagrou uma das best-sellers do Clube com uma temática singular: o transtorno de personalidade limítrofe, ou borderline.

O seu primeiro título, Sensibilidade à Flor da Pele, já virou referência no mercado pela abordagem: Helena narra um aprendizado e visão de quem convive com o borderline na família. Com base em experiência e muita pesquisa, ela fala sobre a aceitação do transtorno e principalmente sobre como lidar com quem o tem.

Os comentários dos leitores, que recheiam a sua página, deixam claras as recomendações:

“Das diversas coisas boas do livro destaco a facilidade da leitura. Minha esposa também começou a ler e minha filha já está achando que o livro foi escrito para ela. (…) O livro é ótimo para quem é leigo, mas vai haver muito profissional do ramo com certeza maravilhado com a abordagem limpa e direta do tema.” – Eugenio Pacelli

“Parabéns à autora…Minha esposa sofre desse trantorno que tanto tem me prejudicado. Já li muita coisa a respeito desse transtorno, mas esse livro é fantástico.Tudo que precisamos saber sobre o distúrbio em si bem como lidar com a pessoa portadora. Excelente obra! Já me ajudou muito.” – Marcelo

Seguindo a mesma temática, Helena lançou um novo título: Alta Sensibilidade Emocional: Novas perspectivas. O foco, no entanto, são dicas práticas para melhorar a qualidade de vida de quem está sofrendo com sua alta sensibilidade emocional – uma espécie de complemento ao primeiro título.

Segundo a autora, “às vezes essa extrema sensibilidade leva a sofrimento emocional, sinal de que a pessoa talvez possua algumas das características daquilo que é chamado de ‘transtorno de personalidade borderline’ – tais como impulsividade, acessos de raiva, variações rápidas de humor, sensibilidade a críticas, medo de rejeição e abandono, atitude ‘oito ou oitenta’, entre outras. Este livro oferece uma compilação prática de ‘primeiros passos’ para que estas pessoas possam ir adquirindo mais conhecimento e autoconfiança até terem acesso a um apoio terapêutico eficaz.”

Um dos maiores desafios de autores independentes é se tornar referência em seu segmento, algo que acaba trazendo um público fiel e gerando um boca-a-boca poderoso. Chegar nesse ponto requer não apenas uma produção literária que agrade aos leitores, mas também consistência e clareza ao abordar com fluência assuntos dominados por poucos.

Com essa consistência reforçada pelo seu segundo título, Helena está consolidando uma carreira literária promissora e que serve de exemplo a autores independentes especializados nos mais diversos assuntos.

Leia Mais

Você sabe o que é uma FanFic?

Segundo a Wikipedia, “Fanfic é a abreviação do termo em inglês fan fiction, ou seja, “ficção criada por fãs”. Trata-se de contos ou romances escritos por terceiros, não fazendo parte do enredo oficial do livro, filme ou história em quadrinhos a que faz referência.”.

Em outras palavras, são estórias criadas pelos leitores de determinada obra, com base nos seus personagens e enredos originais mas capitaneados imaginação não de quem os escreveu, mas nos de quem leu.

FanFics talvez sejam uma das expressões mais singulares dos tempos colaborativos em que vivemos e onde a figura do leitor assume papel protagonista na criação de um verdadeiro universo paralelo, feito da fusão de imaginações espalhadas por todo o globo.

E é sobre este tema que a autora Lhaisa Andria lançou a obra FanFics: Aprendendo a escrever escrevendo, publicado aqui no Clube de Autores.

Com base em um trabalho acadêmico, Lhaisa aborda o tema como forma de se estimular a escrita e de desenvolver escritores partindo justamente de seus hábitos como leitores.

Com crescimento extraordinário nos últimos anos, as FanFics estão gerando toda uma nova geração de autores e já inteferindo na literatura mundial contemporânea de maneira ímpar.

Curioso? Então veja a obra já, lá no Clube de Autores, clicando aqui ou acessando o link http://clubedeautores.com.br/book/4134–FANFICS

Boa leitura – e escrita!

Leia Mais