A invenção da comunicação gráfica

Há, no mundo, 3 tipos de comunicação: a falada, a gestual e a gráfica. E – claro – dentre todas, a gráfica é a menos efêmera. É a que permite a perenidade das histórias, as marcas efetivamente impressas no tempo e, claro, a construção de conhecimento sobre conhecimento.

Se voltarmos no tempo, as primeiras comunicações gráficas registradas aconteceram nas cavernas. Há de representações de caças a animais contando histórias de civilizações que já se extinguiram há muito, muito tempo. Mas o mais impressionante delas não é a beleza em si das maneiras mais primitivas de se contar histórias: é a coincidência. Há 32 símbolos geométricos – e, portanto, sem relação com os desenhos mais óbvios – que são praticamente idênticos e encontrados em cavernas distantes tanto no tempo quanto no espaço. Mistério?

Essa palestra abaixo explora justamente essa coincidência, dando uma pista importante sobre como os nossos ancestrais começaram a criar o que futuramente viria a ser o bem mais sagrado de qualquer cultura: o alfabeto.

Vale conferir:

 

 

2 comentários em “A invenção da comunicação gráfica

    1. Geisel, recomendo que acesse diretamente o suporte do Profissionais do Livro – eles com certeza conseguirão te ajudar melhor do que eu, aqui no editorial do blog. O email é [email protected] . O que posso te assegurar é para ficar tranquilo: os fornecedores só recebem depois dos serviços serem aprovados. Se não receber nada ou quiser cancelar, o reembolso é integral.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *