Publicado no Clube bastidores de Missão de Paz da ONU

A maioria de nós sabe o que ocorre em missões militares de paz apenas pelo que passa na grande imprensa. Seja no Haiti, Africa ou Oriente Médio, é difícil sequer imaginar essa inversão de papeis sob uma ótica mais tradicionalista, em que soldados passam a ser os responsáveis justamente por evitar o agravamento de situações conflituosas.

Mas uma das coisas mais maravilhosas do Clube – perdoem a falta de modéstia – é justamente o fato de termos aqui um espaço absolutamente aberto a todos os autores, sem nenhum tipo de censura ou agenda obscura. Aqui, quem quiser pode contar a sua história – o que acaba viabilizando um acervo absolutamente único.

E é dentro dessa realidade que nos deparamos com o lançamento de um livro chamado “Será que valeu a pena?“, de Dacílio de Abreu Magalhães.

Segundo o próprio, que foi Presidente da Associação Brasileira das Forças de Paz em 1988:

A ideia de escrever esse livro, nasceu quando ouvi um Coronel do Exército dizer alto e em bom som, que a Missão Suez foi uma página negra na história do Brasil; Sabemos que a intensão daquele Oficial era a de tentar persuadir os Deputados Federais Constituintes, a não votarem a favor da equiparação dos integrantes do Batalhão Suez com os Pracinhas da FEB, o que seria um direito dele e de quem o tenha incumbido de fazê-lo; por outro lado, denegrir a imagem de mais de seis mil Soldados da Paz, para proteger e não dar nome àqueles que chegaram a comprometer a Missão,não deveria ser uma atitude de um Oficial Superior que vestia o mesmo verde-oliva daqueles a quem estava tentando denegrir.

Não fiz um livro usando os mesmos argumentos desse Coronel, muito pelo contrário, procuro mostrar a importância do trabalho desses extraordinários jovens brasileiros, o valor daqueles que brilharam na primeira, uma das mais longas e importantes Operações de Paz da ONU, excluindo, é claro, os nomes dos antipatriotas, dos derrotistas e dos irresponsáveis; aqueles que não merecem usar o verde-oliva e muito menos de participar de uma Missão como essa.

Esse livro é dedicado exclusivamente ao Soldado da Paz, seja ele praça ou oficial, viva ele no Brasil ou no exterior; a homenagem que faço é ao militar pertencente a família das Nações Unidas, o Capacete Azul, aquele que não foi para matar e nem para mutilar seres humanos; não destruiu cidades, não dizimou famílias e nem colocou minas, muito pelo contrário, expôs sua vida, apartou, socorreu e estendeu a mão antes mesmo de apontar o seu fuzil.

Se você está interessado em adquirir a obra, que já está à venda no Clube, aceite a nossa sugestão: agende-se e vá ao lançamento nesse próximo dia 12/01, sábado, em Andina (SP).

Veja o convite abaixo e, para acessar a página do livro, clique nele ou diretamente no link, aqui: http://www.clubedeautores.com.br/book/134107–Sera_que_Valeu_a_Pena_

Assine a Nossa Newsletter

Um comentário em “Publicado no Clube bastidores de Missão de Paz da ONU

  1. Gosto muito do tema. Parabéns pela iniciativa de escrever sobre sua experiência como homem de paz, defendendo homens de paz. Tem meu total apoio, e, espero um dia poder adquirir o seu livro. Boa sorte!
    Como diz o grande Fernando Pessoa; “Valeu a pena? Tudo vale a pena se a alma não é pequena. Quem quer passar além do Bojador, tem que passar além da dor”… beijos, Solange

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *