Onde somos lidos?

Já faz algum tempo, temos traçado o perfil dos leitores que adquirem
livros aqui no Clube. De maneira geral, analisamos as origens, a
distribuição geográfica, os sites e blogs que mais geram visitantes ao
site, o papel do Twitter e de comunidades e assim por diante.

Aos poucos, vamos disponibilizando algumas das informações aqui no blog
– sendo que, nos nossos planos, está a montagem de um painel que
permita ao próprio autor acompanhar os dados demográficos dos seus leitores.

Enquanto isso não está pronto, vamos colocando algumas das informações
aqui mesmo, no blog.

O gráfico abaixo refere-se à distribuição
percentual do Clube nos últimos dois meses. Apesar da predominância do sudeste, em grande parte devido à concentração populacional, há que se registrar a relevância dos três estados do sul. Somados, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná são responsáveis por 15% do total de livros comprados pelo Clube.

Podemos afirmar também que cada livro tem o seu ecossistema regional – mesmo considerando que a Internet atinge, claro, a todos: 70% das vendas de um autor são para o estado em que ele vive. Os outros 30% ficam distribuídos pelo país de maneira proporcional ao gráfico abaixo.

Assine a Nossa Newsletter

14 comentários em “Onde somos lidos?

  1. Pretendo lançar meu próximo livro aqui, mas vou aguardar a possibilidade de uma capa personalizada. Um papel mais encorpado também ajudaria a valorizar o livro.

  2. Olá Ricardo,

    Estou com três livros em fase de elaboração, porém, eu vi que duas grandes alterações estão em curso: o sistema de geração de PDF e de capas.

    Quanto ao PDF, eu indico ao pessoal que utilize o PrimoPDF: tenho usado sem problemas.

    A minha dúvida é em relação às capas: pelo que eu notei, o CA utilize um papel de gramatura maior para a capa, e esse papel "mais grosso", já vem com uma cor pré-definida… por isso são poucas as opçoes de capa?

    E no mais, eu to perdendo um tempinho mais no processo de produção, pois já estou fazendo um trabalho de arremate na editoração, para deixar o visual mais "agradavel".

    Por que o CA não oferece a opção de diagramação profissional de páginas e capa aos membros?

    Eu, p. ex., manjo alguma coisa de Photoshop, Corel Draw e Word. Mas a grande maioria, se vira no Word com o básicão mesmo…

    Obrigado,

  3. Prezados, tendo lançado livros por outras editoras é possível colocá-lo no site e compartilhar as vendas, ou seja, utilizar-se do site como mais um meio de distribuição? Acredito que a capa não seja o maior problema, embora reconheça que é importantíssima. No meu entender a parte mais difícil para um autor é justamente a distribuição, estar presente para o leitor em vários lugares. Como o site imagina estar presente em livrarias e outros pontos de vendas?

    Tenho um livro em construção e estou na dúvida em relação a editoras pois o papel de "vendedor" é um papel difícil para autores.

    Abraço e obrigado.

  4. Ela estava em teste para algumas regiões desde o meio da semana – mas publicamos ela inteira hoje cedo.

    Quanto às capas, você poderá customizar 100% dela – e contar com orelhas, que fazia falta ;-)

  5. Olá Ricardo,

    Quando vai estar disponível a nova tabela de preços do e-sedex?

    Sobre as capas personalizada, nesse novo sitema há possibilidade de mudar cor da fonte, tipo de letra e outras configurações

  6. A princípio, não… mas sinceramente, o papel que usamos no miolo é padrão (offset 75g), o mesmo tipo utilizado na grande maior parte dos livros. Ele só tem problema quando se coloca muita imagem – mas para isso, sim, estamos fazendo algumas modificações. Devemos incluir a opção de se montar livros coloridos ainda em agosto e, neste caso, a gramatura será maior.

  7. Olá, Orácio!

    Olha… eu te responderia isso de algumas maneiras diferentes. Primeiro, não há problema algum em você subir o seu livro aqui em paralelo à distribuição que já faz. Só precisamos ressaltar que não distribuímos materiais impressos, até pq não temos estoque. Você precisa subir o seu livro como arquivo, da mesma forma que os demais que estão no Clube. Isso feito, ele estará no ar.

    Estamos trabalhando muito para estar presente em diversos sites – mas a presença em livrarias físicas é mais difícil. O motivo é simples: como fazemos impressão sob demanda, não temos como distribuir exemplares. Mas alguns autores, de fato, estão começando a fazer este papel.

    Voltando ao ambiente de Internet, temos alguns pontos a ressaltar. Primeiro, todo o site está extremamente otimizado para os buscadores. Isso significa que, muito provavelmente, o seu livro aparecerá na primeira página do Google se for buscado por título, nome do autor ou, em alguns casos, tema. Essa é a origem da imensa maioria dos usuários, seja para qual for o site. Ou seja: podemos considerar o Google como uma espécie de "home page do mundo" – e, nele, estamos muito bem posicionados. Temos ainda alguns acordos saindo com livrarias online grandes – mas isso é novidade para daqui a mais alguns poucos dias ;-)

    Finalmente, meu caro, eu te diria todo o autor, hoje, PRECISA ser um vendedor de si mesmo. E isso independe de publicar conosco ou com alguma editora tradicional. O que te sugiro é uma olhada na Universidade do Autor, acessada a partir do menu do Clube de Autores. Lá tem uma série de cursos online, narrados e gratuitos, especificamente sobre como se divulgar na rede.

    Boa sorte e boas vendas!

  8. Li em um blog uma crítica sobre o tipo de papel do miolo nos livros do Clube. Há a possibilidade de o Clube pôr em estudo o uso de outro tipo de papel do miolo, como para o polen, por exemplo? Obrigado, e parabéns pela iniciativa!

  9. Por tudo o que estamos vendo e acompanhando de todos os autores daqui, somado ao que temos conversado com algumas das maiores editoras e livrarias, Orácio, somos obrigados a discordar. Praticamente todos os membros da cadeia editorial, em todos os níveis, foram unânimes ao afirmar que o melhor vendedor é o próprio autor – seja ele iniciante ou best-seller. Alguns chegaram até a nos afirmar que, se um autor não for bom em se vender, ele tem duas opções: aprender ou desistir da carreira.

    Mas veja: vender é algo que vai além de um "produto", por assim dizer. Se você vender a sua obra para uma massa específica de públicos (seja em palestras ou aulas ou em qualquer outro tipo de evento), ela possivelmente acabará atraindo a atenção de formadores de opinião. Esses podem ser blogueiros, líderes de comunidade ou jornalistas de grandes veículos – que podem acabar fazendo uma cobertura sobre a sua obra, como já vimos em alguns casos de livros aqui mesmo, do Clube.

    Com o tempo, ela vai crescendo em relevância, ganhando peso, massa crítica e atraindo a atenção de um público variado – incluindo grandes editoras. Hoje, formar uma carreira de escritor passa por aí. E já estamos vendo isso acontecer com alguns autores daqui do Clube – como, por exemplo, o Sidnei Oliveira, o Rodrigo Capella e outros. Ambos tem obras excelentes e são muito bons vendedores – e estão alcançando grandes números. Tanto que, no caso deles, algumas livrarias já começam a pedir as suas obras para colocar à venda, caracterizando um processo comercial que, este sim, acaba chegando até além dos números que você citou.

    O caminho não é fácil, claro. Se transformar em um escritor de sucesso nunca o é. Mas, agora mais do que nunca, ele é bastante viável. Todo dia temos provas vivas acontecendo aqui mesmo no Clube….

  10. Era o segundo ponto que mais atormentava, Sérgio ;-)

    O primeiro eram os fretes, que estão altíssimos. Mas isso já está resolvido – os últimos testes com o sistema dos correios foram feitos agora e validados. Até o final de amanhã uma tabela nova, bem mais em conta, estará no ar. Agora depende só da gente mesmo (e você não acredita o alívio que isso dá)!

    Aliás, você me deu uma idéia aqui… vou preparar um post sobre as maiores demandas recebidas no atendimento, até para saber o que os próprios autores querem priorizar.

  11. Só q não é uma cor pre-definida, são algumas – que você pode escolher. A gente vai dar a opção de diagramaçào das capas sim – é a próxima alteração que vai subir aqui no Clube, até o final do mês. ;-)

  12. Uma sugestão poderia ser conveniar gráficas localmente, de maneira que a logística seria otimizada. Ao invés de ser impresso em SP e viajar pelo correio poderia ser impresso em local mais próximo do adquirente.

    No caso do autor ser vendedor de si mesmo de fato hoje qualquer profissional deve buscar ser um negociante, mas não basta para atingir algum nível de venda respeitável. Vender não é uma arte, vender é uma profissão que requer bastante conhecimento técnico, planejamento. Não acredito ser possível, para um juiz de direito, ser juiz e vendedor de suas obras ao mesmo tempo. Penso que quando a editora somar dessa forma, a parceria acaba por tornar-se a ideal para ambos. Veja que não estou falando de vender 100 livros, estou falando de vender mil livros, dois mil livros.

    Acredito que as editoras que estão iniciando acabam pecando justamente por conta da distribuição pois sabemos que estar na vitrine é importantíssimo mas o papel de vendedor é mesmo para poucos. Imagino que se o editor quer realmente auferir lucros significativos ele deve contar com excelentes autores mas tem que fazer a parte comercial de maneira bastante agressiva. É uma questão de posicionamento que dificilmente um autor consegue por si.

    Para o caso de buscadores concordo plenamente com você. Realmente está bastante otimizado.

    Grande abraço!

  13. O papel não temos como mudar agora, Mário – pelo menos não para livros em preto e branco, pois isso os encareceria muito. Mas a capa já está a caminho. Quer que te mandemos um email quando ela estiver no ar?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *