Melhores e-readers para comparar e escolher

Recentemente, escrevemos um texto sobre como publicar um livro digital. Falamos sobre a mudança de comportamento dos leitores e também dos diferentes formatos que cada dispositivo comporta. E aí surgiu a dúvida: diante de tantas opções, qual e-reader comprar? Separamos algumas opções para te ajudar a escolher qual atende melhor às suas necessidades. Mas, antes, vamos relembrar alguns benefícios desse dispositivo tecnológico para quem ama ler:

Compacto

Não precisamos nem falar que uma das grandes vantagens do e-reader é que ele é leve e ocupa pouco espaço, né? Enquanto algumas pessoas carregam livros de 500 páginas na mochila, outras guardam seus dispositivos no bolso! A tecnologia tem suas vantagens e a capacidade de “compactar” o que a gente precisa é uma delas – hoje em dia tudo é “Smart”. 

Destaque sem estragar

Você já emprestou (ou pegou emprestado) um livro cheio de marcações? Se você é do tipo que gosta de anotar mas se sente mal em rasurar um livro físico, o leitor de dispositivos digitais é para você Nele, você pode grifar trechos que achar relevante e consultá-los depois, seja por capítulo ou localização do texto.

Biblioteca particular

A memória desses dispositivos é alta e os livros digitais ocupam pouco espaço, o que significa que você pode armazenar muuuuitos livros nele. Pode incluir os clássicos, os que você leu quando jovem e quer ler de novo, os que usa de referência na faculdade ou na carreira, os de autoconhecimento, os romances para dias mais tranquilos, as biografias de pessoas que você admira… e ainda vai sobrar espaço!

Economia a longo prazo

Entendemos que parece loucura gastar mais de 300 reais em um dispositivo sendo que você pode ter livros físicos à sua volta. Mas um e-reader pode ser um investimento à longo prazo, já que existe uma grande vantagem em adquirir livros digitais: sem o custo da impressão, eles se tornam mais baratos! Portanto, à longo prazo, a economia vale a pena.

Bateria duradoura

Uma pergunta simples: quantos dias dura a bateria do seu celular? Se você é heavy user, provavelmente a resposta é “menos de 24 horas”, se não passa tanto tempo assim mexendo no celular, “deve durar mais ou menos um dia e meio”. O celular possui muitos recursos, está sempre conectado, buscando rede, sinal de internet etc… por isso exige muito mais da bateria. Já um e-reader tem apenas uma função: disponibilizar o livro no formato digital para que você tenha uma leitura agradável. 

Os manuais fazem um cálculo de durabilidade de bateria por número de páginas lidas e estimam que é possível ler entre 5.000 a 10.000 páginas com uma única carga. Então faça as contas: se o livro possui mais ou menos 500 páginas no seu dispositivo, você pode ler, no mínimo, 10 livros com uma carga completa. Mas isso pode variar um pouco de acordo com o uso – se você é do tipo que nunca desliga o aparelho e mantém apenas no standby, é possível que a bateria dure um pouco menos. Conectar no wi-fi o tempo todo ou usar os recursos de ajuste de luz no máximo (disponível ame alguns modelos específicos), também pode trazer oscilações nesse cálculo. Mas, no geral, a bateria desses dispositivos costuma durar algumas semanas, tranquilamente. Mesmo lendo todos os dias, por algumas (ou várias) horas. 

E não é porque a bateria dura tudo isso que ela vai demorar dias para carregar, viu? Em média, os dispositivos precisam de apenas 3 horas para completar a carga.

Resistente à água

Eu já vi muitos acidentes envolvendo livro e água. Aquela leitura despretensiosa na beira da piscina tem tudo pra dar errado quando uma criança pula e espalha água para fora. Um distraído pode esbarrar em você enquanto lê durante as refeições e derrubar a bebida no livro, entre outras situações inusitadas. Atualmente existem alguns modelos à prova d’água – mas mesmo quem possui outro modelo já se sente um pouco mais seguro nesse quesito. Isso porque os e-readers são fabricados com material resistente, muitas vezes são utilizados com capas de proteção e podem até aguentar umas gotinhas se forem socorridos rapidamente (a não ser que ele caia na piscina). 

livro na mesa e kindle na mão

Ótimo, já compartilhamos algumas vantagens de ter um e-reader e agora vamos te ajudar a escolher o modelo que mais se adequa ao seu gosto (e ao seu bolso):

AMAZON KINDLE

Os dispositivos da Amazon são os mais famosos e normalmente figuram entre os primeiros lugares nas listas dos e-readers mais recomendados. O queridinho atualmente é o novo Kindle Paperwhite. Ele tem as mesmas funcionalidades do Kindle Paperwhite clássico, com as vantagens de ser à prova d’água, pesar 24g a menos e ainda possuir versão com o dobro de armazenamento (8GB ou 32GB de memória interna). Ambos possuem versão Wi-Fi e 3G.

Com a tecnologia e-ink, a exibição do texto é bem nítida e sem reflexos, tornando mais parecido com a leitura em um livro físico, com a vantagem de não cansar os olhos – diferente das telas de LED dos tablets e Smartphones. Falando nisso, uma das grandes vantagens do Paperwhite, em relação a outros modelos, era a possibilidade de controlar a iluminação, ajustando o brilho da tela de acordo com o tipo de luz do ambiente em que você estiver. Ideal para quem lê em ambientes com pouca iluminação. Agora, todos os dispositivos da Amazon já estão sendo comercializados com essa tecnologia.

Com a chegada do Novo Kindle Paperwhite, o antigo não está mais disponível no e-commerce da Amazon. É considerado atualmente o melhor e-reader da Amazon e o modelo mais recente custa entre R$ 499 e R$ 650, dependendo das configurações selecionadas.

Se você gosta de modelos sofisticados, talvez se interesse pelo Kindle Oasis, mais um modelo à prova d’água (até 60 min e 2 metros de profundidade em água doce) da Amazon – mas que custa exatamente o dobro do valor! Ele possui uma tela maior (de 7″) e ultrafina, se tornando ainda mais leve e sensível ao toque, além de um design diferenciado com botões ergonômicos na lateral para virada de página. O Kindle Voyage fazia parte dos modelos com design diferenciado mas, diante da evolução dos outros, não está mais disponível.

Achou o preço salgado ou sentiu que não precisa de todos esses recursos? Talvez o modelo clássico seja o ideal para você. Ele foi remodelado recentemente porque era o mais pesado e o único que não possuía iluminação embutida. A 10ª geração é mais fina e mais leve, e é o primeiro modelo Kindle equipado com o recurso de acessibilidade chamado VoiceView que e permite o acesso à maioria dos recursos Kindle através do controle de voz. Mais uma vantagem: ele custa apenas R$ 349. 

Os dispositivos da Amazon leem nos formatos Kindle 8 (AZW3), Kindle (AZW), TXT, PDF, MOBI sem proteção, PRC naturalmente; HTML, DOC, DOCX, JPEG, GIF, PNG, BMP por meio de conversão.

KOBO

O Kobo foi criado pela Livraria Cultura e possui alguns modelos competitivos no mercado. Aqui no Brasil, você pode encontrar Kobo Mini, Kobo Touch e Kobo Glo. 

O Kobo Touch possui  mesma tecnologia e-ink da Amazon, com a vantagem de suportar o formato EPUB, não disponível os dispositivos da concorrente. O armazenamento é de apenas 2GB mas sua memória pode ser aumentada por meio de cartão micro SD. Possui conexão Wi-Fi e custa cerca de R$ 399 (a versão mini custa R$ 289, em média)

O Kobo Glo traz mais recursos em relação ao Touch e um ótimo custo-benefício.Ele pode ser comparado com o Amazon Paperwhite, devido aos recursos de luminosidade (mas a durabilidade da bateria é um pouco prejudicada por isso). Seu preço varia entre R$ 399 e R$ 449.

Os modelos suportam 14 formatos diferentes, entre eles EPUB, EPUB3, PDF, MOBI, JPEG, GIF, PNG, BMP e TIFF.

LEV

Este é o e-reader desenvolvido e comercializado pela Saraiva. São dois modelos: o Lev Fit (com 4GB de memória interna e sem recursos extras de iluminação e o Lev Neo (com 8GB de capacidade de armazenamento, LED com 20 níveis de intensidade e melhor acabamento na sensibilidade de tela). É possível expandir o armazenamento para mais 32GB com um cartão microSD, ambos possuem a tecnologia E-Ink que facilita a leitura sem cansar os olhos e os dois modelos possuem apenas conexão via Wi-Fi. São leves e possuem ótima autonomia de bateria e não deixa a desejar para os modelos concorrentes.

O preço varia entre R$ 299 e R$ 479, dependendo do modelo e os dispositivos leem nos formatos ePUB, PDF, HTML, TXT, FB2 e DJVU.

Gostou? Qual desses dispositivos você escolheria para comprar?

Leia Mais

celular com imagem de catálogo de livros

Saiba como criar um livro digital

A tecnologia avança em todas as áreas e estamos cada vez mais imersos no mundo dos “devices”, os dispositivos que facilitam o nosso dia a dia. Você consegue imaginar a sua vida – de hoje – sem o uso da tecnologia? Preste atenção na sua rotina, antes de responder essa pergunta. Estamos cercados por ela e nessa onda surgem novidades o tempo todo. Principalmente no universo dos “gadgets”, que são os dispositivos eletrônicos portáteis como celulares, tablets e os queridinhos dos amantes de livros: os e-readers. 

Kindle, Kobo, Lev… existem diversas marcas e modelos de leitores digitais e eles estão por toda a parte. Basta dar um passeio pelo transporte público, prestar atenção nas pessoas encostadas nas árvores de um parque ou na mochila da galera da faculdade. São dispositivos leves e fáceis de transportar, armazenam uma grande quantidade de informações (e livros) e não são tão dependentes de bateria quanto o celular. Já imaginou levar 4 livros na mochila durante uma viagem? Esse tempo já passou para algumas pessoas. E por isso e-readers e tablets têm feito tanto sucesso.

Diante da grande adesão a esses dispositivos, você – escritor – pode estar se perguntando: será que eu devo entrar nessa onda da criação de livros digitais? A resposta é: a gente recomenda que sim. Afinal, todo autor merece ter sua obra lida e se os leitores de adaptaram a um novo formato é importante que você se adapte também. Quanto mais visível você estiver, maior a probabilidade de conquistar novos leitores. Se você já tiver algum livro publicado no Clube de Autores, é ainda mais fácil, já que provavelmente você tem o arquivo da obra em algum formato digital.

Formatos

O PDF é um formato muito utilizado para leitura de livros em tablets ou de artigos e outros materiais de estudo mas não é o único formato possível quando o assunto é livro digital. 

O EPUB é o formato de e-book mais utilizado no mundo. Ele é gratuito e suporta elementos interativos (incluindo vídeos) na hora de exportar o arquivo. O i-Books da Apple e o Kobo reconhecem esse formato de ficheiro. Mas e o Kindle? Pois é, a Amazon comprou o Mobipocket eBook format e utiliza o MOBI como formato específico para as leituras em seus dispositivos. Mas você pode utilizar este formato em outros leitores digitais também, com exceção do Nook da Barnes and Noble. 

Você tem um arquivo em .epub e utiliza Kindle como e-reader? Não se desespere, existe uma ferramenta chamada Calibre que pode te ajudar na conversão. Você baixa no computador, conecta o dispositivo onde está o arquivo e segue os passos para mudar o formato.  

Ainda falando em Amazon, existem outros dois formatos chamados AZW e AZW3. A diferença deles para o MOBI é que esses dois suportam som e vídeo. Se você comprar ou fizer download de um livro na Amazon, ele provavelmente estará em um desses dois formatos.

livro na mesa e kindle na mão

Dicas de conteúdo e publicação

Bom, já falamos da praticidade do livro digital e da qualidade dos formatos. Se você tem interesse em publicar um livro exclusivamente digital é importante saber que existem várias maneiras de torná-lo mais atrativo aos olhos do leitor. Pode criar uma narrativa diferenciada, usar recursos visuais e até se estender no número de páginas que esse detalhe não é mais um problema para quem leva seu e-reader pra lá e pra cá.

Separe bem os capítulos para que a leitura seja fluida, utilize imagens ou algum outro recurso visual para dar um respiro entre uma parte e outra, destaque frases que achar interessantes – os e-readers possuem recurso de destaque que podem ser consultados separadamente e facilitam bastante para o leitor. 

Você também precisa investir em uma capa de qualidade e criar uma sinopse bem instigante para chamar a atenção do seu leitor durante as buscas na internet. 

Dúvidas na hora de publicar? Existem diversos sites gratuitos que auxiliam a criação e publicação do seu livro digital. O Clube de Autores é um deles

Lembre-se que o e-book é um livro em formato digital, que pode ser lido em qualquer equipamento eletrônico, como computador, smartphone, e-reader ou tablet. Mas também pode ser impresso e lido como um livro tradicional.

Leia Mais

Livrarias que nos revendem

Distribuir ebooks é mais complicado do que parece: a negociação com livrarias é quase individual (mesmo quando se atua com um intermediário assumindo o papel de distribuidor), o processo técnico de sincronização de catálogos é assustadoramente manual e a conciliação dá um trabalho impressionante.

Ainda assim, está claro para nós que ter livros distribuídos em lojas eletrônicas é o mesmo que abrir canais de venda FUNDAMENTAIS para autores independentes. Até a sorte acaba ajudando: como há poucos títulos em português autorizados a serem revendidos em formato digital, livros independentes acabam ganhando um destaque muito, muito maior do que em livrarias físicas convencionais.

Mas há regras que precisam ser observadas: a Amazon, por exemplo, apenas aceita formatos EPub – e eles testam minuciosamente para garantir que os arquivos estejam tecnicamente perfeitos; o Google, por sua vez, aceita trabalhar com PDFs tranquilamente; e assim por diante.

Para responder a muitas das dúvidas, subimos recentemente no site do Clube uma área que detalha as livrarias que nos revendem. Para acessar, clique aqui.

Também colocamos, abaixo, uma tabela explicativa bem prática.

Uma observação: estamos trabalhando na integração com a Saraiva. Alguns dos livros do Clube estão lá, mas estamos com algumas questões técnicas sendo resolvidas e, por isso, não os colocamos na tabela. Já já isso muda :-)

Quer um conselho? Autorize já a publicação do seu livro nesses canais. Como dizem, estar presente pode não ser garantia de sucesso nas vendas – mas estar ausente é, sem dúvidas, garantia de fracasso!

Leia Mais

E-Books ainda são mercado pequeno, mas em franca expansão no Brasil

O número surpreende: no Brasil, a venda de ebooks gerou um total de R$ 3,85 milhões no ano passado (sendo que não há registros oficiais de 2011, em parte pelos resultados serem pequenos demais). Isso significa pouco menos de 240 mil exemplares vendidos, em uma participação de mercado total de 0,29%.

A pesquisa, esmiuçada no blog de Carlo Carrenho, deixa claro que o boom desse formato ocorreu apenas em outubro de 2012, quando a Apple começou a vender livros digitais brasileiros, e ganhou força máxima mesmo a partir de 5 de dezembro do mesmo ano, quando Amazon, google e Kobo chegaram juntas ao país. Isso indica algo muito importante: se fatos que marcaram os últimos meses de 2012 foram responsáveis por tanto crescimento súbito, imagine então como deve ser o ano de 2013, cujos dados ainda não saíram (naturalmente).

Para autores do Clube, isso vem como uma excelente notícia – afinal, nesse ano, todos os ebooks publicados aqui tem a possibilidade de distribuição gratuita pelas principais lojas online, incluindo todas as citadas acima :-)

Confira o texto de Carrenho em seu blog, no http://www.tiposdigitais.com/2013/08/participação-de-e-books-no-mercado-brasileiro-em-2012.html

Leia Mais