Cara Liberdade, de Zdenek Korecek, narra o drama da emigração da Europa em guerra até o Brasil

Estamos entrando em uma era com um infeliz crescimento de conceitos como xenofobia, protecionismo e anti-globalização. Neste começo de 2017 tão cheio de rupturas, do Brexit ao Trump com seu muro no México, as mudanças de comportamento das gerações futuras prometem ser intensas.

Mas há um outro lado para isso, como já postei diversas vezes aqui no blog. Momentos de ruptura social, momentos que marcam mudanças grandes nas mentes das pessoas, costumam vir juntas com histórias intensas e extremamente dramáticas. Histórias, acrescento, que tendem a se metamorfosear em obras primas da literatura e, assim, ajudar a própria humanidade a crescer enquanto espécie. Não vou me alongar muito aqui sobre esse assunto – escrevo um outro post na sext sobre ele. Mas um livro recentemente publicado no Clube me chamou a atenção: Cara Liberdade, escrito por Zdenek Korecek.

O motivo: trata-se da história do próprio autor que passou pela guerra e emigrou da antiga Tchecoslováquia para o Brasil. Ou seja: é um testemunho vivo e intenso de uma outra era de mudanças na história da humanidade.

Veja o book trailer abaixo, que conta ainda com algumas preciosas fotos do autor:

Gostou? Deixo então uma dica que estou pessoalmente prestes a fazer: vá neste link (https://www.clubedeautores.com.br/book/201591–Cara_Liberdade), no site do Clube, compre o livro e mergulhe nessa incrível história!

Leia Mais

Sobre as tantas histórias que carregam os imigrantes

Muitos podem não saber, mas o Brasil tem recebido milhares e milhares de refugiados sírios. Aliás, esses mundos à parte de pessoas cruzando fronteiras em busca de sobrevivência, a maior parte saindo da África e do Oriente Médio, está redefinindo o próprio conceito de globalização.

Mas isso não é novidade. O Brasil é, em grande parte, feito de imigrantes. O que seria de São Paulo, por exemplo, sem os japoneses, italianos e tantos outros?

Enquanto o mundo desenvolvido decide como lidar com esse fenômeno que, embora não seja novidade, certamente está em uma escala como jamais vista, essas vidas em gerúndio perambulam em busca dos seus nortes.

No caminho, histórias. Muitas histórias de passados tenebrosos e futuros esperançosos, muitos livros ainda a serem escritos. Essa onda de imigração mudará a forma com que o mundo se vê de maneira radical.

Mudará por meio de histórias diversas, densas, com uma carga emocional capaz de fazer populações inteiras abrirem os seus olhos para os terrores que habitam nos cantos mais escondidos deste nosso planeta.

Como essa, abaixo, contada há anos atrás mas que parece tenebrosamente atual. Depois de assistir a algo assim, dá para dizer que histórias não são as únicas ferramentas capazes de mudar as nossas visões de mundo?

Espero que não. Afinal, isso tudo é também parte do nosso mundo de escritores.

 

 

Leia Mais

"De Babá a Patroa", de Nara Vidal, traz contos reais – e outros nem tanto – sobre a difícil convivência entre crianças, babás e patroas na Europa

Ao desembarcar na Europa, em 2001, Nara Vidal se viu dividida entre o sonho de começar uma vida nova em um país desconhecido e a difícil procura pelo emprego para se sustentar. Formada em Letras pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e com ampla experiência em sua área, ela resolveu largar tudo para apostar em um desejo antigo: morar no Velho Mundo.

Ao chegar, Nara tinha dinheiro suficiente para viver pouco mais de um mês. A necessidade de um emprego era grande e a oferta para estrangeiros recém chegados não era muito animadora. “Poderia trabalhar de garçonete ou babá e preferi a segunda opção. Desta forma, além de casa e comida, teria tempo para me dedicar a outros projetos e estudos”.

Mas como qualquer pessoa que trabalha dentro da casa de uma família, Nara vivenciou todo tipo de situação. “Algumas foram engraçadas, como a falsa promessa de conhecer a rainha da Inglaterra, mas também aconteceram momentos bastante embaraçosos e difíceis”, complementa.

Em 2009, a autora começou a reunir as suas histórias – já não apenas como babá, mas também como mãe – e as colocou no papel. “Me sentia mais madura para escrever sobre o assunto criança. Agora não apenas como uma cuidadora do filho dos outros, mas também como mãe. Neste livro abordo os dois lados da moeda, que conheço bem”, comenta.

A obra, que fala sobre a conturbada convivência entre essas profissionais, as crianças de quem cuidam e suas famílias, aborda também a peculiar dinâmica de vida de alguém que, como imigrante, assume para si a tarefa de participar na educação de crianças inseridas em uma cultura já sedimentada por séculos de história.

Publicada aqui no Clube de Autores, a obra em si está fazendo o mesmo percurso da autora e deve ser lançada também, dentro em breve, em toda a Europa.

Quem quiser conhecer melhor as histórias de Nara Vidal pode encontrá-las em “De Babá a Patroa“, clicando aqui ou acessando diretamente o link http://clubedeautores.com.br/book/8517–De_baba_a_patroa .

Leia Mais