O que nos faz humanos?

Sabe qual o resultado de 3 anos entrevistando mais de 2 mil pessoas em 60 países em busca de suas visões de mundo? Um mosaico absolutamente caótico, disruptivo, desorganizado e, sobretudo, intenso. E esse mosaico, por assim dizer, foi transformado em filme pelo cineasta Yann Arthus-Bertrand.

Considerando que o entendimento da nossa própria humanidade é um ingrediente fundamental para que consigamos “sobreviver” a ela, essa é uma história que merece ser vista. Uma história, aliás, que já começa por um site bem costurado e permitindo uma imersão nesse mundo feito de mundos.

Um dos clipes do filme pode ser visto aqui, abaixo:

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=05Eh8qkZGx8]

O site inteiro, com acesso ao filme, pode ser visto clicando aqui, na imagem abaixo ou no link https://humanthemovie.withgoogle.com/intl/pt-br/

Screen Shot 2015-09-16 at 3.40.47 PM

Leia Mais

Qual o evento online ideal que podemos proporcionar aos autores?

Recentemente, inauguramos aqui no Clube um projeto novo basicamente voltado para a realização de eventos online para escritores. No caso do primeiro, com Edson Carli, acabamos escolhendo como tema a gestão de carreiras e testando o formato do Google Hangout, com um papo em tempo real e interativo.

Foi um sucesso tanto do ponto de vista de participação quanto de crítica – o que acabou nos colocando um desafio maior: escolher o próximo tema e ajustar o formato ao que tivemos de retorno do público.

Ainda bem que existe a Internet: colocamos no ar uma pesquisa na semana passada perguntando a todos, aqui no blog, o perfil ideal de eventos. Quer saber o resultado? Veja abaixo nos gráficos:

 

 

 

O resumo é:

Eventos no começo ou final da semana, preferencialmente à noite, com algo entre 30 minutos e 1 hora de duração e sobre os mais diversos temas. É fato que “divulgação” acaba dominando a preferência popular – mas outros, como técnicas para escrita e mesmo a gestão da carreira, também se destacaram.

Agora é dever de casa nosso: hora de mergulhar nos próximos eventos programados e, aos poucos, começar a moldar todo esse projeto às expectativas de quem mais importa: os autores.

A todos os que participaram respondendo ao questionário, muito obrigado!!!

Leia Mais

Se somos o que buscamos, o que fomos em 2014?

Faz algum tempo que o Google “interpreta” a mente humana a partir das buscas feitas em seu site. Faz sentido: afinal, os temas que mais moveram o mundo ao longo de um determinado período foram também os que mais geraram manifestações, seja em forma de textos e artigos, de livros, filmes e outras formas de arte.

Todo final de ano o Google monta um vídeo falando sobre esse conjunto de buscas – e o de 2014 está aqui, abaixo do texto.

Por que isso importa a nós? Porque, afinal, somos todos escritores. E se há um ingrediente fundamental em todo livro é a necessidade de olhos lendo as suas páginas. Olhos, por sua vez, que são capturados pelo interesse em torno de determinado tema, nome, assunto, fato.

Entender as pessoas à nossa volta, em nosso mundo, é essencial para qualquer escritor. Então, mesmo considerando que não é possível resumir as particularidades de um planeta tão grande e heterogêneo como o nosso, pelo menos podemos nos divertir um pouco com a maneira que nos “definimos” enquanto comunidade global, por assim dizer, no ano passado.

Confira:

Leia Mais

Livrarias que nos revendem

Distribuir ebooks é mais complicado do que parece: a negociação com livrarias é quase individual (mesmo quando se atua com um intermediário assumindo o papel de distribuidor), o processo técnico de sincronização de catálogos é assustadoramente manual e a conciliação dá um trabalho impressionante.

Ainda assim, está claro para nós que ter livros distribuídos em lojas eletrônicas é o mesmo que abrir canais de venda FUNDAMENTAIS para autores independentes. Até a sorte acaba ajudando: como há poucos títulos em português autorizados a serem revendidos em formato digital, livros independentes acabam ganhando um destaque muito, muito maior do que em livrarias físicas convencionais.

Mas há regras que precisam ser observadas: a Amazon, por exemplo, apenas aceita formatos EPub – e eles testam minuciosamente para garantir que os arquivos estejam tecnicamente perfeitos; o Google, por sua vez, aceita trabalhar com PDFs tranquilamente; e assim por diante.

Para responder a muitas das dúvidas, subimos recentemente no site do Clube uma área que detalha as livrarias que nos revendem. Para acessar, clique aqui.

Também colocamos, abaixo, uma tabela explicativa bem prática.

Uma observação: estamos trabalhando na integração com a Saraiva. Alguns dos livros do Clube estão lá, mas estamos com algumas questões técnicas sendo resolvidas e, por isso, não os colocamos na tabela. Já já isso muda :-)

Quer um conselho? Autorize já a publicação do seu livro nesses canais. Como dizem, estar presente pode não ser garantia de sucesso nas vendas – mas estar ausente é, sem dúvidas, garantia de fracasso!

Leia Mais

Onde os nossos ebooks mais vendem

Movido por essa boa notícia da Apple (veja aqui), decidimos fazer um levantamento dos últimos 30 dias de vendas de ebooks aqui no Clube. A ideia era saber se esses 1.200 títulos, que foram inseridos ao longo de dezembro, fizeram efeito.

Veja você mesmo:

Do total de vendas de ebooks, 54% acontecem dentro da rede do Clube (incluindo Clube de Autores, AGBook etc.). Mas, surpreendentemente, a Apple ultrapassou o Google na liderança, chegando a 24% do total de vendas (sendo que ela vinha de uma participação mínima nos meses anteriores).

Na medida em que o tempo for passando, esse gráfico deve sofrer algumas mudanças: há mais de 4 mil títulos ainda a serem convertidos para a Apple e, recentemente, o Iba divulgou parceria de distribuição com Ponto Frio, Extra e Casas Bahia.

Vamos acompanhando por aqui e deixando todos informados!!

Leia Mais