Vídeo da Fliba saindo já já

Quer saber como foi a I Fliba – Festival Literário do Baixa Augusta – primeiro evento exclusivamente voltado para autores independentes do Brasil?

Bom… tome minha palavra: foi sensacional. O primeiro de muitos, arriscaria dizer.

Mas não precisa se ater a ela: estamos trabalhando em um vídeo que mostra exatamente o que aconteceu lá na Passagem Literária.

Aguarde. Já já você verá como foi a primeira edição desse evento que se tornará regra no calendário literário brasileiro!

​​

Leia Mais

Este ano (provavelmente) não estaremos na FLIP

No post da quarta passada, comentei sobre a indesculpável não realização do Prêmio Clube de Autores de Literatura Contemporânea.

Agora, já abro uma nova decisão: provavelmente não participaremos da FLIP.

Sim, eu sei: colocar a palavra “provavelmente” à frente de uma “decisão” soa como contrasenso, como uma desculpa para que possamos voltar atrás. E até pode ser – mas, hoje, agora, não enxergamos nenhuma motivação para voltar a Paraty.

Já fomos por anos – muitos anos. Em todos eles abrimos as portas da nossa casa, recebemos autores, nos envolvemos em papos absolutamente intensos e inspiradores.

Mas, nos últimos dois anos – principalmente no último – , o próprio teor da Festa Literária Internacional de Paraty mudou…

As ruas da cidade minguaram com a crise, a violência escalou na região, o clima de pessimismo dos editores e livreiros presentes contagiou todo o centro histórico com lágrimas e tristezas.

Para nós, só há crise no mercado editorial brasileiro porque os editores e livreiros insistem em rasgar suas intenções de inovação e em publicar apenas o que vem pronto, empacotado, de fora do Brasil. (OK, com uma exceção: os autores que já são best sellers brasileiros também ganham passe livre para o mercado).

Mas e o espaço para os novos, os independentes? Nada.

Sem nós, os autores independentes, não há renovação na literatura. Sem nós, os autores independentes, há apenas um velório das letras brasileiras.

A FLIP se transformou nisso: em um evento para que todos babemos nos autores estrangeiros e velemos os novos brasileiros. A FLIP, infelizmente, se transformou no oposto do que o Clube representa.

Tomara que mude – era um evento fantástico.

Mas, até lá, nós estaremos fora. Até lá, vamos pensar em algum outro evento para dar mais espaço aos independentes.

Leia Mais

Parceria entre Clube e Festival Path garante desconto a autores

Já fiz um post aqui sobre o Festival Path – um evento FENOMENAL de cultura que deve dominar as ruas do entorno do Largo da Batata, aqui em São Paulo.

Pois bem: conseguimos também uma parceria com eles para dar desconto a autores do Clube :-)

Antes, um pouco sobre o evento:

O Festival Path, produzido pelo O Panda Criativo, é o maior festival de inovação e criatividade do Brasil, e o único de seu gênero no país. Durante um fim de semana em 2016 o festival vai oferecer mais de 300 horas de conteúdo (palestras, filmes, shows e mais) para aproximadamente 10 mil pessoas.

Como obter o desconto

Para resgatar o desconto de 15% da parceria entre Clube de Autores e Path basta:

  1. Acessar o site: www.ingresse.com.br/festivalpath
  2. Clicar em: Comprar ingressos
  3. Digitar no campo do Cupom a palavra: especial
  4. Clicar em: Aplicar Cupom
  5. Scroll para escolher o ingresso com desconto
  6. Clicar em: Comprar

Para conferira agenda completa e saber mais sobre o festival, acesse o site http://www.festivalpath.com.br

card-parceiros-autores

Leia Mais

Você conhece o Festival Path?

Entre os dias 13 e 15 de maio, São Paulo receberá um dos festivais mais inspiradores sobre criatividade dos últimos tempos: o Path.

Sendo bem prático: será uma série de eventos, em um estilo que mescla a Flip ao SXSW, envolvendo desde criatividade e inovação até um festival de documentários e de música. Não, não tem nada específico para livros – mas nós, autores, temos a bênção de poder ser inspirados por qualquer que seja o movimento criativo existente. Tentarei, daqui, pegar mais algumas informações sobre o Path nos próximos dias – mas já deixo aqui o vídeo do evento. Quem quiser saber mais, recomendo fortemente que acesse o site https://www.festivalpath.com.br

Festival Path – 2015 from Fabio Seixas on Vimeo.

Leia Mais

Pensamentos inspiradores dos mestres africanos

Em maio e setembro deste ano, as cidades de Nakuru e Nairobi, no Quênia, recebem o Storymoja Hay Festival – um dos mais importantes eventos literários do continente africano.

Pouco se fala, aliás, sobre a literatura produzida na Africa – terra que costuma concentrar uma mescla de beleza natural com miséria humana, dois curiosos ingredientes conhecidos por inspirar escritores ao longo de toda a história da humanidade. Ou alguém questiona a sombria tristeza das obras de Kafka e Tchekhov, a solidão dos textos de Hemingway ou a dor que marca as letras de Marguerite Duras?

Se esses dois ingredientes propiciam tão boa literatura, então a África deveria ser um dos maiores berços da cultura escrita.
E é – apesar de, infelizmente, pouco conhecida e reconhecida por isso.

Mas foi de lá, do espaço entre o deserto e as savanas, que escritores como Brian Chikwava (Zimbabwe), Tsitsi Dangarembga (Zimbabwe), Chimamanda  Adichie (Nigeria), Ngugi wa Thiong’o  (Quênia) e Wole Soyinka (Nigéria), este último vencedor de um Prêmio Nobel, produziram uma literatura de qualidade impressionante.

Nada mais natural, portanto, que essas almas letradas produzirem o que chamamos de “pensamentos inspiradores”. O site britânico Telegraph costuma cobrir o festival e, recentemente, conversou com editores e escritores africanos e elencou alguns desses pensamentos, que traduzimos e reproduzimos abaixo. Afinal, nada melhor do que inspiração para começar um final de semana!
<strong>”Poetas fazem amor com as mentes dos leitores e – não nos enganemos – já houve muitas gestações mentais.” </strong><em>- Ben Okri</em>

<strong>”Para ser um escritor você precisa desenvolver a habilidade de falhar em público.”</strong><em> – Hari Kunzru</em>

<strong>”A ficção e a literatura conseguem falar verdades que a mídia tem dificuldades em expressar.”</strong><em> – J M Ledgard</em>

<strong>”Se eu soubesse antes de escrever como um poema terminaria, ele seria uma jornada inexistente.”</strong><em> – Yusef Komunyakaa</em>

<strong>”Kibera (maior favela de Nairobi) tem a maior concentração de bibliotecas do Quênia.”</strong><em> – Muthoni Garland</em>

<strong>”A Internet supera a tirania da distância.”</strong><em> – Peter Moore</em>

<strong>”A cultura pode ser a única coisa que nos salvará.”</strong><em> – Chief Nyamweya</em>

Bom final de semana recheado de inspiração e de letras!<em></em>

Leia Mais