livro-de-poesia-e-xicara-de-cafe

Como escrever um livro de poesias?

Há um tempo publicamos um texto reflexivo sobre o futuro da poesia. Diante da mudança de pensamento do ser humano, com sua racionalidade cada vez mais aflorada e as emoções sendo deixadas de lado, a poesia se faz ainda mais importante nos dias de hoje. Na leitura de uma poesia, a gente desacelera, presta atenção e se identifica. É um processo natural. 

E o melhor de tudo é que qualquer pessoa pode escrever uma poesia, basta um pouco de sensibilidade e criatividade.

Afinal, o que é poesia?

A poesia já foi rotulada como aquela série de versos simétricos e com rimas no final mas é muito mais que isso. É uma linguagem livre, de ritmo próprio e figuras de linguagem, o que permite ainda mais liberdade para criar entre versos e estrofes de poema. 

Leia mais: qual a diferença entre poemas e poesia?

Quais são os principais formatos?

Existem poesias curtas, textos que brincam com a disposição das palavras no papel e muito mais.

  • O Limerique, por exemplo, é uma maneira mais descontraída de escrever poemas em cinco versos, de forma que as rimas do 1º, do 2º e 5º versos sejam iguais, enquanto o 3º e o 4º versos têm rimas diferentes e são mais curtos.
  • Para quem gosta de rimas, elas podem ser bem variadas. Em um poema de quatro linhas, por exemplo,  é possível fazer combinações como 1ª com 2ª e 3ª com 4ª, 1ª com 3ª e 2ª com 4ª ou apenas 2ª com 4ª. Para os versos livres, quem guia é a criatividade.
  • Sem rimas: dizem que os poemas rimados são os mais fáceis de lembrar mas essa informação não é totalmente correta. Um poema que toca o coração é um poema eternizado, mesmo que seja feito apenas por versos livres. O mais importante é encontrar um estilo que você reconheça e se identifique. Braulio Bessa é um exemplo de poeta que conquistou seu espaço ao utilizar a cultura popular nordestina como referência para suas poesias.

Assista ao vídeo dele no TEDxFortaleza, falando sobre o poder de transformação através da poesia:

Dicas para escrever poesias:

1. Saiba o que te inspira:

Você já deve ter ouvido dizer que todos temos um pouco de poeta dentro de nós. E o primeiro passo é justamente esse: olhar para dentro, buscar inspiração.

O que te toca? Sua bagagem de vida pode render ótimas poesias. Olhe ao redor, mude a percepção das questões do dia a dia e use a sensibilidade como ferramenta para criar. Leia bastante, o olhar do outro também pode te trazer reflexões interessantes para escrever.

O processo criativo é algo bem pessoal. Não há um único jeito (nem o jeito certo) de fazer.

Algumas pessoas preferem colocar as palavras no papel para depois organizar, outras são adeptas da construção ordenada. Tem gente que prefere papel e caneta, já os mais modernos acham muito mais fácil digitar, deletar e refazer.

Há quem se inspira no meio das atividades do dia a dia (é sempre bom ter um caderninho à mão ou o bloco de notas do celular pelo menos para anotar os insights) e quem precisa de silêncio e concentração para escrever. Alguns até separam palavras que rimam, por tamanho e sonoridade. 

Parece suficiente mas não é. A inspiração é apenas uma parte do processo.

2. Conheça as palavras

Um bom poeta tem o dom de tocar as pessoas com suas palavras e, para isso, é necessário saber se expressar por meio delas: mexa com o imaginário do leitor, descreva cenários, sons, cheiros, movimentos e outros elementos que os envolva entre as palavras. 

A língua portuguesa é genial (e extremamente complexa!). Não é preciso utilizar palavras difíceis para ser um poeta, mas saber brincar com as letras, enfileirá-las de forma criativa e dar novos significados às coisas é muito mais fácil quando se tem um repertório rico.

3. Observe o que já foi escrito

E por falar em repertório: tenha referências. Leia poemas de Vinícius de Moraes, Cecília Meireles, Gonçalves Dias, Manuel Bandeira, Paulo Leminski, Pablo Neruda, Mário Quintana e William Shakespeare, entre outros poetas de sua preferência. Eles possuem estilos diferentes e podem te dar uma “luz” nesta fase de organização das palavras.

Pratique a escrita! Essa é a dica mais importante. Escreva, apague, mude, escreva de novo. Entre verbos, adjetivos e substantivos, priorize a harmonia de cada verso. Preste atenção na sonoridade das palavras e no sentido de cada uma delas. 

Veja mais dicas: como ser disciplinado para escrever?

4. Avalie seu trabalho

Depois de escrever faça um teste: leia em voz alta, sinta se os versos possuem ritmo. Sim? Então você está no caminho certo para uma leitura fluida e instigante.

Leia para outras pessoas, perceba se elas têm dificuldade para compreender alguma coisa. As críticas podem ser construtivas e ajudarem na composição do seu trabalho. E não vale mostrar seus textos apenas para sua mãe, pai, avó… eles são obrigados por lei a dizerem que gostam!

Brincadeira à parte: a dica é procurar feedbacks sinceros e críticas construtivas para evoluir sua escrita.

Como fazer um livro de poesias?

Diante de tantas possibilidades, que tal compilar seus textos em um livro? No Clube de Autores, temos mais de 8 mil livros de poesias publicados – e sempre há espaço para mais um, já que a visão de cada poeta é única e a maneira como expressa seus sentimentos também. 

Você pode escolher um tema e fazer uma série de poesias sobre ele ou trabalhar com temas variados. Seu livro, suas escolhas. 

Conteúdo de qualidade, ok? Os próximos passos são:

  • Revisão textual: que atire a primeira pedra quem nunca errou uma crase! A revisão do texto é super importante para garantir a qualidade do conteúdo. Se possível, aposte em um revisor! Sem dúvidas aparecerão sugestões e correções valiosas.
  • Capa com potencial de vendas: as capas são a primeira impressão que os leitores terão do seu livro e precisam ser planejadas para chamar a atenção. Em livros de poesia, essa missão é ainda mais delicada – como transmitir a sensibilidade do conteúdo em desenhos, cores e fontes? Por isso, dedique um tempo especial para essa etapa!
  • Diagramação: um texto bem diagramado também conta muito na impressão que os leitores terão ao folhear sua obra. Já em e-books, é fundamental que as páginas sejam agradáveis de ler e que o formato escolhido combine com a capa e o texto.
  • Plano de lançamento: se seu objetivo é vender, antes de colocar a obra no mercado é necessário traçar uma meta e criar um plano de divulgação. Existe orçamento para um evento de lançamento? Se não, quem sabe vale a pena fazer uma live no Instagram?
  • Publicação: existem diversas formas de publicar um livro. O método independente está entre as opções mais acessíveis. Aqui no Clube de Autores, a publicação é gratuita – você só paga pela impressão do seu próprio estoque (caso queira).

    Saiba mais sobre como publicar um livro independente.

*Texto publicado em novembro de 2019 e atualizado em setembro de 2020.

Leia Mais