Qual o papel dos bibliotecários na era digital?

Imaginar que, em plena era da informação, com ebooks e catálogos impressos disponíveis sob demanda, o papel de um bibliotecário será o mesmo de 30 anos atrás, é certamente um erro grosseiro. Por outro lado, acreditar que não há mais espaço para este profissional é também outro erro.

O principal motivo, ao menos em minha opinião, é que o papel do bibliotecário – de certa maneira, assim como o do professor – deixou de ser o de organizar conhecimento de maneira quase procederam e passou a ser o de guiar o interessado em um tema pela selva de conteúdo em torno dele. Repito algo que já disse diversas vezes: em nossos tempos, conteúdo deixou de ser escasso e passou a ser abundante – o que apenas mudou a cara do problema (e não o eliminou).

Exemplifico: imagine que voce queira pesquisar um determinado assunto, seja para escrever um livro novo, seja para estruturar um trabalho acadêmico ou seja por pura curiosidade. Sim: você pode sempre ir ao Google e nadar por conta própria.

Mas e se voce pudesse ir a um espaço contar com um profissional experiente, capaz de te guiar pelas fontes mais relevantes e pelos autores mais experientes? E se ele conseguir ainda garantir um espaço praticamente feito para se absorver conhecimento, como são algumas das mais modernas bibliotecas do mundo? Nesse aspecto, o bibliotecário é uma espécie de curador ultra dinâmico de conteúdo: e sempre haverá papel para bons curadores.

E por que estou escrevendo isso? Nos Estados Unidos, o Wall Street Journal publicou uma matéria que praticamente enterrou bibliotecários, condenando-os ao mais certo ostracismo. E é claro que isso gerou um debate poderoso, incluindo uma carta resposta da American Libraries Magazine.

Debates são sempre bons, são sempre positivos. Nos permitem ver ambos os lados, instigam a mente, nos fazem pensar. Infelizmente, os artigos estão apenas em inglês: mas recomendo fortemente para quem conseguir lê-los que o faça. Os links estão neste próprio post, no parágrafo de cima, e também podem ser acessados clicando na imagem abaixo.

A pergunta que fica é: o que deve mudar na maneira com que nos guiamos pelo conhecimento em tempos tão dinâmicos quanto os nossos? Quais instituições devem sobreviver – e que adaptações elas terão que fazer, no melhor estilo do darwinismo, para se salvar da extinção?

Screen Shot 2016-01-26 at 1.30.16 PM

 

Leia Mais

Que tal visitar uma biblioteca perto de você?

Tá… muitos acham que bibliotecas são coisas do passado, ultrapassadas, antiquadas. Não é o meu caso: no mínimo, acho que bibliotecas são o equivalente a igrejas no universo religioso. Me explico: se você é católico ou muçulmano, para ficar apenas em dois exemplos, precisa de uma igreja ou mesquita para exercitar sua fé? A resposta, provavelmente, será não: fé costuma independer de qualquer local físico.

Isso não significa que igrejas e mesquitas sejam desnecessárias: são locais sagrados, com símbolos máximos de fé, com silêncio, com uma aura de meditação que circula por cada pedaço de oxigênio.

Biblioteca é a mesma coisa. Discorda? Dê um pulo na Mário de Andrade, aqui em São Paulo, ou nas outras 6.020 que existem pelo país. Não sabe qual está mais próxima de você? Surpresa :-)

O Ministério da Cultura lançou, recentemente, um mapa completo com todas as 6.021 bibliotecas do país. Acredite: com certeza tem alguma do seu lado que merece uma visita nem que seja para te inspirar e fazer as letras fluírem com maior velocidade e facilidade.

Somos escritores: cultuemos, pois, as letras que nos definem.

Para acessar o mapa clique aqui, na imagem abaixo ou vá diretamente ao link http://bibliotecas.cultura.gov.br/busca/##(global:(enabled:(space:!t),filterEntity:space))

Screen Shot 2015-10-13 at 11.27.56 AM

Leia Mais

Que tal uma viagem pelos maiores templos literários a partir de hoje?

De hoje, dia 10, até o finalzinho de setembro, dedicaremos todo o conteúdo da nossa página no Facebook a desbravar e divulgar alguns dos mais incríveis “templos” literários do mundo.

Estamos fazendo a seleção ao longo do dia, mas já encontramos desde uma exótica livraria infantil na China até um castelo escocês que serve de bibioteca. Se você ama viajar (e planeja uma escapada do cotidiano em breve), será uma excelente oportunidade para incrementar o seu roteiro com locais que todo escritor deve considerar sagrado.

Se não tem planos para rodar o mundo (ao menos no curto prazo), então é só acompanhar as nossas postagens, usar a criatividade que todo escritor tem de sobra e se imaginar passeando por esses ambientes que mais parecem ter saído de incríveis histórias.

Enfim: para acessar a nossa página, é só clicar aqui, na imagem abaixo ou diretamente no link https://www.facebook.com/cdautores

E boa viagem!!!

Leia Mais