conto de fadas livro

A importância da ilustração nos livros infantis

Se você já leu para uma criança, deve ter percebido como a história em si é apenas uma parte do universo da leitura para os pequenos – eles gostam de observar as figuras, cores, detalhes… tudo encanta. 

Isso se a ilustração tiver a ver com a história que está sendo contada – acredite, nem sempre isso acontece! E não tem nada mais frustrante para uma criança do que não entender o que está desenhado ali. É a hora da famosa pergunta, com dedinho apontado “o que é isso?”. Você pode estar pensando “mas as crianças não conhecem tudo, os livros abrem um mundo de possibilidades para elas” – e está certíssima – o que irrita uma criança é quando ela conhece a palavra, o som, as cores e não entende a imagem. Ou quando não há ilustração naquele trecho específico. 

Até os 5 anos, mais ou menos, eles estão mais focados nas imagens do que na história em si. Às vezes, o pedido para ler novamente pode ser por um animalzinho fofo ilustrado na capa ou uma página super colorida no meio do livro. Os estímulos visuais são muito importantes nesta fase. É por meio deles que as crianças aprendem a diferenciar cores formatos, reconhecer figuras e até desenvolver melhor a fala, entre outros benefícios. 

Quanto menor a criança, mais importante é a imagem. O bebê não sabe a diferença entre um peixe e um cavalo mas ele gosta do que vê, aponta, ri, volta a página para o desenho que mais gostou. Conforme ela vai crescendo, as frases ficam maiores e as ilustrações com mais detalhes para prestar atenção.

ilustracao-livro

Reconhecimento de imagem

Quer um exemplo? Felipe é uma criança que não gosta muito de comer frutas, vira e mexe torce o nariz para o que a mãe coloca no prato e chora quando insistem que ele coma. Outro dia, estava brincando com um livro em que um macaco encontrava uma linda banana e sorria depois de comê-la. O estímulo daquela imagem, somado à explicação da mamãe, fez com que ele passasse a ver a banana de um jeito diferente – pelo simples fato de que ele reconheceu a fruta ali e associou a alegria do macaco ao alimento. Você já deve imaginar quem passou a comer banana feliz da vida depois desse dia, né? 

Tipos de ilustrações

Já sabemos o quanto a ilustração pode impactar na experiência da criança e por isso é importante pensar no tipo de ilustração que você pretende incluir no seu livro infantil. Assim como a escrita, existem diferentes estilos de desenho com traços e expressões variadas. 

Ao conversar com um especialista em ilustração infantil, você irá descobrir que existem diversas técnicas para ilustrar um livro. Além do desenho livre (feito à mão com lápis ou caneta), é possível usar técnicas de colagem, aquarela e até xilogravura. Você também pode criar personagens com características únicas, como O Menino Maluquinho, de Ziraldo.

Mas, atenção: desenhos disformes, ilustrações psicodélicas ou que gerem algum tipo de perturbação não são indicados para crianças – preste atenção antes de contratar alguém para realizar este serviço. Lembre-se que a ilustração é o complemento da narrativa e ela deve harmonizar com o contexto (e o clima) da história. Não estamos dizendo que não há espaço para arte diferenciada no universo infantil mas as crianças possuem uma mente mais realista e talvez são estejam preparadas para interpretar algo tão diferente do que estão acostumadas – se este for o caso, guarde o livro para quando ela estiver um pouco maior. 

Profissional ilustrador

Agora que você já sabe a importância da ilustração para o seu livro infantil, chegou a hora de escolher alguém para fazê-las. Não são simplesmente “rabiscos”, é o sucesso do seu livro em jogo. Geralmente, a primeira opção é um amigo que faz alguns desenhos legais mas recomendamos que você escolha algum profissional para dar mais vivacidade à mensagem que você quer passar. Existem diversas plataformas digitais onde você pode encontrar ilustradores que trabalham freelancer e possuem portfólio digital para avaliar os trabalhos já realizados. 

O Pinterest é uma rede social que pode te ajudar a buscar referências e ver as diferentes possibilidades para se inspirar na hora de passar as orientações de como ilustrar o seu livro. Para tornar o trabalho do ilustrador mais conectado à história, você deve terminar de escrever o livro e conversar sobre a maneira como imaginou o livro ilustrado enquanto produzia a obra.
Atenção: Se você desenha bem e quer se especializar em ilustração infantil, saiba que existem diversos cursos com essa finalidade – inclusive online. Você pode escolher uma técnica para começar e ganhar dinheiro como freelancer em projetos especiais.

Leia Mais

Concursos literários 2020: as primeiras oportunidades

O ano mal começou e os escritores já estão à procura dos famosos concursos literários para inscrever suas obras. Poemas, contos, biografias, ficção… são muitas opções para participar, de acordo com o gênero que mais te interessa. Se você faz parte deste time, dê uma olhada nas primeiras oportunidades do ano:

JANEIRO

5º Concurso Literário Conto Brasil

O tema é livre e cada autor poderá enviar somente um conto, de até 2.100 caracteres (contando espaços), que deverá ser inédito no meio impresso. A inscrição é permitida para autores brasileiros maiores de 16 anos residentes em qualquer região do país. 

Prazo: 10 de janeiro

Mais informações: http://editoratrevo.com.br/premios/conto-brasil/

Prêmio Poesia Agora – Verão 2020

O tema é livre e cada autor poderá enviar somente um poema, que deverá ser inédito no meio impresso. A inscrição é permitida para autores brasileiros maiores de 16 anos residentes em qualquer região do país. 

Prazo: 18 de janeiro

Mais informações: www.editoratrevo.com.br/poesiaagora

Prêmio Barco a Vapor 2020

Focado em obras de ficção nos gêneros romance e novela para crianças e jovens. Podem se inscrever autores residentes no Brasil.

Prazo: 31 de janeiro

Mais informações: http://barcoavapor.smeducacao.com.br/16-premio-cadastro-inscricoes/

FEVEREIRO

Prêmio Trema Verão 2020

Focado em prosas, o prêmio é aberto a todos os interessados. A inscrição é feita pela internet, conforme regulamento.

Prazo: 24 de fevereiro

Mais informações: https://www.trema.com.br/regulamento

e-Antologia – O Lado Poético da Vida

Seleção de crônicas em concurso aberto a todos os autores da língua portuguesa.

Prazo: 28 de fevereiro

Mais informações: hhttps://rosimeirepiredda.wixsite.com/escritora/concurso

Prêmio Edebê de Literatura 

Autores podem inscrever livros inéditos – Infantil e Juvenil. Haverá premiação em dinheiro e publicação da obra.

Prazo: 29 de fevereiro

Mais informações: http://www.edebe.com.br/premioliteratura

MARÇO

Prêmio Todavia de Não Ficção

As obras inscritas devem corresponder ao tema: Livros Inéditos – Jornalismo/Reportagens, Biografias. O concurso é aberto a residentes do Brasil e o prêmio é um contrato de edição com valor pré-fixado.

Prazo: 17 de março

Mais informações: https://todavialivros.com.br/premio

ABRIL

Prémio Literário do Município de Mafra

Sob a categoria de Livros Inéditos – Poemas, o concurso é aberto a todos os interessados, sem restrição de cidadania.

Prazo: 30 de abril

Mais informações: https://www.cm-mafra.pt/pages/1144?news_id=488

Gostou? Então leia nossas dicas sobre como escrever poesias. Se você tem interesse em escrever um livro, o Clube de Autores pode te ajudar

Leia Mais

Aproveite as férias para colocar a leitura em dia

O ano já começou mas ainda tem muita gente curtindo a “preguiça” antes de voltar ao trabalho (ou aos estudos). Grande parte da população opta por tirar férias nessa época para aproveitar o verão, as praias e as férias escolares para se divertir e descansar com a família toda. 

E que tal aproveitar o clima de sossego para fazer um detox das redes sociais, de checar os emails e tudo que envolva o celular ou o computador? O livro é o melhor companheiro nessas horas – permite que você foque em algo diferente, se envolva em uma história e até aprenda algo novo, dependendo do tema escolhido. 

Separamos alguns temas que podem te ajudar na escolha dos livros das férias:

Clássicos

Este é o momento perfeito para ler um dos clássicos da literatura ou reler algum dos seus favoritos. Se engana quem acha que reler um livro é perda de tempo – é na segunda leitura que a gente assimila detalhes que podem ter passado da primeira vez. Pode ser Machado de Assis, Shakespeare, Clarice Lispector, José Saramago, García Márquez… com certeza algum clássico da literatura (nacional ou estrangeira) irá te agradar.

Saúde do corpo e da mente

O início do ano é a época em que as pessoas costumam renovar suas metas e as promessas para o ano seguinte. Neste contexto, sempre ouvimos os desejos de melhoras os hábitos alimentares, fazer mais atividade física, aprender a meditar etc. Se você sente que está precisando adquirir um novo hábito, talvez esses livros sejam ideais para ler durante as férias. Você pode focar no autoconhecimento também, que trabalha diversas áreas da vida e auxilia nas mudanças do cotidiano. O mesmo acontece com os livros de autoajuda. 

Carreira e propósito

A palavra “propósito” caiu na boca do povo de um tempo pra cá e trouxe alguns sentimentos positivos e outros nem tanto – principalmente para quem não está feliz no trabalho e não sabe o que fazer. A busca incessante pelo propósito pode gerar frustração e existem diversos livros sobre o assunto. Alguns ajudando a encontrar o caminho e outros desmistificando essa obrigatoriedade de ser feliz no trabalho sendo que propósito envolve muito mais do que uma atividade apenas. Se você está passando por este momento ou tem alguma dúvida sobre propósito, vale a pena ler sobre o assunto. Se está feliz na carreira e pretende aprender coisas novas para se desenvolver, pode escolher um livro sobre a sua área de atuação, liderança, metodologias de trabalho ou outros temas que vão agregar valor ao seu trabalho.

Finanças

Diminuir os gastos, guardar dinheiro, fazer um investimento à longo prazo, organizar as finanças… taí uma das metas de todo brasileiro – considerado um dos povos com menor cultura financeira do mundo. Se identificou? O ano de 2020 pode ser o seu momento de finalmente investir em educação financeira e colher os frutos da mudança de hábitos. Existem muitos livros sobre o tema, você pode buscar os que ajudam a fazer uma planilha de gastos, os que organizam as finanças do casal, os focados em ensinar sobre investimentos, entre outros temas. 

Entretenimento

Tudo isso pareceu chato demais e te deu até dor de cabeça? Talvez você esteja precisando de uma leitura mais leve. Que tal um livro de humor? Ou de viagens? Se você pretende conhecer algum lugar novo, é sempre bom pegar umas dicas. Qual é o seu esporte favorito? Aposto que há vários livros sobre ele. Escolher um tema que você gosta (como a biografia de alguém que você admira) faz a leitura se tornar ainda mais prazerosa. Crônicas e poesias também são ótimas opções para ler sem pressa.

Ficção

Essa é uma das categorias mais procuradas nas livrarias, especialmente entre os jovens. Os livros de ficção são narrativas focadas em histórias que não são reais. Harry Potter e a saga Crepúsculo são alguns exemplos, mas os temas são muito variados e há obras para todos os tipos de público. Romances, histórias futuristas… existe uma infinidade de possibilidades para se jogar! 

Indicação

São tantas opções que ficou difícil escolher por onde começar? Você pode pedir ajuda a um amigo – é sempre bom compartilhar dicas de livros. Você pode comentar sobre o tema depois, com a pessoa que te indicou o título. 

Outra dica é ir direto na fonte – toda livraria ou editora possui uma lista com os livros mais indicados e você pode começar a pesquisa por eles. Se você ainda não escolheu o livro das férias, dê uma olhada na nossa lista de best-sellers

Leia Mais

Quando uma obra vira domínio público?

Algumas das principais dúvidas dos nossos leitores tem a ver com direitos autorais. Quais são os direitos, como cadastrar as obras, quando receber etc. Inclusive, fizemos um guia sobre direitos autorais, para facilitar a sua vida. Mas uma outra questão tem surgido em rodas de conversa e gostaríamos de esclarecer por aqui. Se você já escreveu um livro, talvez tenha a resposta, mas vamos lá: Você sabe quando uma obra passa a ser considerada de domínio público? 

De acordo com a Lei do Direito Autoral (Lei nº 9.619/98), os direitos patrimoniais do autor são válidos durante todo seu período em cida e, após falecido, têm o prazo de 70 anos. De acordo com o Art. 41, “os direitos patrimoniais do autor perduram por setenta anos contados de 1º de janeiro do ano subseqüente ao de seu falecimento, obedecida a ordem sucessória da lei civil.”

Depois que o prazo terminar, suas obras se tornarão domínio público, podendo ser utilizadas livremente por qualquer pessoa, com a possibilidade de ser explorada economicamente sem autorização do autor. 

As obras de Machado de Assis, por exemplo, estão nesse estágio. É comum encontrar textos publicados por várias editoras e comercializados em livros que levam o nome do autor, no entanto não há repasse financeiro das vendas. Isso acontece não apenas com livros mas com todo tipo de propriedade intelectual, como obras literárias e artísticas. Música, desenhos, pintura, fotografia, peças de teatro, filmes, novelas etc.

Apesar deste prazo estabelecido em lei, é importante destacar ele é válido apenas para os direitos patrimoniais do autor. Os direitos morais devem ser preservados em qualquer circunstância, mesmo após as obras se tornarem domínio público. Isso significa que se engana quem pensa que uma obra em domínio público “é de ninguém”. Herdeiros ou sucessores possuem a missão de “manter a fiscalização” da obra, por tempo indeterminado. Ninguém pode pegar um livro que está na condição de domínio público e republicar o conteúdo porém colocando sua própria autoria, por exemplo.

livro aberto

É de responsabilidade deles fazer com que a obra seja mantida em sua forma original, impedindo modificações que possam prejudicar a qualidade do conteúdo, honra ou reputação do autor, além de fazer com que o nome do autor seja vinculado à obra, sempre que ela for referenciada, reivindicar mudanças e autoria da obra, se houver necessidade. 

Veja o que diz o art. 24 da Lei nº 9610/98, que considera direitos morais do autor as seguintes prerrogativas:

I – o de reivindicar, a qualquer tempo, a autoria da obra;

II – o de ter seu nome, pseudônimo ou sinal convencional indicado ou anunciado, como sendo o do autor, na utilização de sua obra;

III – o de conservar a obra inédita;

IV – o de assegurar a integridade da obra, opondo-se a quaisquer modificações ou à prática de atos que, de qualquer forma, possam prejudicá-la ou atingi-lo, como autor, em sua reputação ou honra;

V – o de modificar a obra, antes ou depois de utilizada;

VI – o de retirar de circulação a obra ou de suspender qualquer forma de utilização já autorizada, quando a circulação ou utilização implicarem afronta à sua reputação e imagem;

VII – o de ter acesso a exemplar único e raro da obra, quando se encontre legitimamente em poder de outrem, para o fim de, por meio de processo fotográfico ou assemelhado, ou audiovisual, preservar sua memória, de forma que cause o menor inconveniente possível a seu detentor, que, em todo caso, será indenizado de qualquer dano ou prejuízo que lhe seja causado.

Em caso de descumprimento de alguma dessas etapas, é possível obter apoio jurídico para penalizar a violação dos direitos. 

Ficou com vontade de publicar um livro? Então veja as nossas dicas.

Curiosidades

  1. Não existe uma lista oficial de obras que estão em domínio público. Para ter certeza é necessário confirmar a data de criação e fazer a conta.
  1. Não são apenas obras com o prazo final de 70 anos que possuem seus direitos descontinuados. Também é considerado de domínio público toda obra de “autor desconhecido” e de autores falecidos sem herdeiros ou sucessores.

Leia Mais

Melhores e-readers para comparar e escolher

Recentemente, escrevemos um texto sobre como publicar um livro digital. Falamos sobre a mudança de comportamento dos leitores e também dos diferentes formatos que cada dispositivo comporta. E aí surgiu a dúvida: diante de tantas opções, qual e-reader comprar? Separamos algumas opções para te ajudar a escolher qual atende melhor às suas necessidades. Mas, antes, vamos relembrar alguns benefícios desse dispositivo tecnológico para quem ama ler:

Compacto

Não precisamos nem falar que uma das grandes vantagens do e-reader é que ele é leve e ocupa pouco espaço, né? Enquanto algumas pessoas carregam livros de 500 páginas na mochila, outras guardam seus dispositivos no bolso! A tecnologia tem suas vantagens e a capacidade de “compactar” o que a gente precisa é uma delas – hoje em dia tudo é “Smart”. 

Destaque sem estragar

Você já emprestou (ou pegou emprestado) um livro cheio de marcações? Se você é do tipo que gosta de anotar mas se sente mal em rasurar um livro físico, o leitor de dispositivos digitais é para você Nele, você pode grifar trechos que achar relevante e consultá-los depois, seja por capítulo ou localização do texto.

Biblioteca particular

A memória desses dispositivos é alta e os livros digitais ocupam pouco espaço, o que significa que você pode armazenar muuuuitos livros nele. Pode incluir os clássicos, os que você leu quando jovem e quer ler de novo, os que usa de referência na faculdade ou na carreira, os de autoconhecimento, os romances para dias mais tranquilos, as biografias de pessoas que você admira… e ainda vai sobrar espaço!

Economia a longo prazo

Entendemos que parece loucura gastar mais de 300 reais em um dispositivo sendo que você pode ter livros físicos à sua volta. Mas um e-reader pode ser um investimento à longo prazo, já que existe uma grande vantagem em adquirir livros digitais: sem o custo da impressão, eles se tornam mais baratos! Portanto, à longo prazo, a economia vale a pena.

Bateria duradoura

Uma pergunta simples: quantos dias dura a bateria do seu celular? Se você é heavy user, provavelmente a resposta é “menos de 24 horas”, se não passa tanto tempo assim mexendo no celular, “deve durar mais ou menos um dia e meio”. O celular possui muitos recursos, está sempre conectado, buscando rede, sinal de internet etc… por isso exige muito mais da bateria. Já um e-reader tem apenas uma função: disponibilizar o livro no formato digital para que você tenha uma leitura agradável. 

Os manuais fazem um cálculo de durabilidade de bateria por número de páginas lidas e estimam que é possível ler entre 5.000 a 10.000 páginas com uma única carga. Então faça as contas: se o livro possui mais ou menos 500 páginas no seu dispositivo, você pode ler, no mínimo, 10 livros com uma carga completa. Mas isso pode variar um pouco de acordo com o uso – se você é do tipo que nunca desliga o aparelho e mantém apenas no standby, é possível que a bateria dure um pouco menos. Conectar no wi-fi o tempo todo ou usar os recursos de ajuste de luz no máximo (disponível ame alguns modelos específicos), também pode trazer oscilações nesse cálculo. Mas, no geral, a bateria desses dispositivos costuma durar algumas semanas, tranquilamente. Mesmo lendo todos os dias, por algumas (ou várias) horas. 

E não é porque a bateria dura tudo isso que ela vai demorar dias para carregar, viu? Em média, os dispositivos precisam de apenas 3 horas para completar a carga.

Resistente à água

Eu já vi muitos acidentes envolvendo livro e água. Aquela leitura despretensiosa na beira da piscina tem tudo pra dar errado quando uma criança pula e espalha água para fora. Um distraído pode esbarrar em você enquanto lê durante as refeições e derrubar a bebida no livro, entre outras situações inusitadas. Atualmente existem alguns modelos à prova d’água – mas mesmo quem possui outro modelo já se sente um pouco mais seguro nesse quesito. Isso porque os e-readers são fabricados com material resistente, muitas vezes são utilizados com capas de proteção e podem até aguentar umas gotinhas se forem socorridos rapidamente (a não ser que ele caia na piscina). 

livro na mesa e kindle na mão

Ótimo, já compartilhamos algumas vantagens de ter um e-reader e agora vamos te ajudar a escolher o modelo que mais se adequa ao seu gosto (e ao seu bolso):

AMAZON KINDLE

Os dispositivos da Amazon são os mais famosos e normalmente figuram entre os primeiros lugares nas listas dos e-readers mais recomendados. O queridinho atualmente é o novo Kindle Paperwhite. Ele tem as mesmas funcionalidades do Kindle Paperwhite clássico, com as vantagens de ser à prova d’água, pesar 24g a menos e ainda possuir versão com o dobro de armazenamento (8GB ou 32GB de memória interna). Ambos possuem versão Wi-Fi e 3G.

Com a tecnologia e-ink, a exibição do texto é bem nítida e sem reflexos, tornando mais parecido com a leitura em um livro físico, com a vantagem de não cansar os olhos – diferente das telas de LED dos tablets e Smartphones. Falando nisso, uma das grandes vantagens do Paperwhite, em relação a outros modelos, era a possibilidade de controlar a iluminação, ajustando o brilho da tela de acordo com o tipo de luz do ambiente em que você estiver. Ideal para quem lê em ambientes com pouca iluminação. Agora, todos os dispositivos da Amazon já estão sendo comercializados com essa tecnologia.

Com a chegada do Novo Kindle Paperwhite, o antigo não está mais disponível no e-commerce da Amazon. É considerado atualmente o melhor e-reader da Amazon e o modelo mais recente custa entre R$ 499 e R$ 650, dependendo das configurações selecionadas.

Se você gosta de modelos sofisticados, talvez se interesse pelo Kindle Oasis, mais um modelo à prova d’água (até 60 min e 2 metros de profundidade em água doce) da Amazon – mas que custa exatamente o dobro do valor! Ele possui uma tela maior (de 7″) e ultrafina, se tornando ainda mais leve e sensível ao toque, além de um design diferenciado com botões ergonômicos na lateral para virada de página. O Kindle Voyage fazia parte dos modelos com design diferenciado mas, diante da evolução dos outros, não está mais disponível.

Achou o preço salgado ou sentiu que não precisa de todos esses recursos? Talvez o modelo clássico seja o ideal para você. Ele foi remodelado recentemente porque era o mais pesado e o único que não possuía iluminação embutida. A 10ª geração é mais fina e mais leve, e é o primeiro modelo Kindle equipado com o recurso de acessibilidade chamado VoiceView que e permite o acesso à maioria dos recursos Kindle através do controle de voz. Mais uma vantagem: ele custa apenas R$ 349. 

Os dispositivos da Amazon leem nos formatos Kindle 8 (AZW3), Kindle (AZW), TXT, PDF, MOBI sem proteção, PRC naturalmente; HTML, DOC, DOCX, JPEG, GIF, PNG, BMP por meio de conversão.

KOBO

O Kobo foi criado pela Livraria Cultura e possui alguns modelos competitivos no mercado. Aqui no Brasil, você pode encontrar Kobo Mini, Kobo Touch e Kobo Glo. 

O Kobo Touch possui  mesma tecnologia e-ink da Amazon, com a vantagem de suportar o formato EPUB, não disponível os dispositivos da concorrente. O armazenamento é de apenas 2GB mas sua memória pode ser aumentada por meio de cartão micro SD. Possui conexão Wi-Fi e custa cerca de R$ 399 (a versão mini custa R$ 289, em média)

O Kobo Glo traz mais recursos em relação ao Touch e um ótimo custo-benefício.Ele pode ser comparado com o Amazon Paperwhite, devido aos recursos de luminosidade (mas a durabilidade da bateria é um pouco prejudicada por isso). Seu preço varia entre R$ 399 e R$ 449.

Os modelos suportam 14 formatos diferentes, entre eles EPUB, EPUB3, PDF, MOBI, JPEG, GIF, PNG, BMP e TIFF.

LEV

Este é o e-reader desenvolvido e comercializado pela Saraiva. São dois modelos: o Lev Fit (com 4GB de memória interna e sem recursos extras de iluminação e o Lev Neo (com 8GB de capacidade de armazenamento, LED com 20 níveis de intensidade e melhor acabamento na sensibilidade de tela). É possível expandir o armazenamento para mais 32GB com um cartão microSD, ambos possuem a tecnologia E-Ink que facilita a leitura sem cansar os olhos e os dois modelos possuem apenas conexão via Wi-Fi. São leves e possuem ótima autonomia de bateria e não deixa a desejar para os modelos concorrentes.

O preço varia entre R$ 299 e R$ 479, dependendo do modelo e os dispositivos leem nos formatos ePUB, PDF, HTML, TXT, FB2 e DJVU.

Gostou? Qual desses dispositivos você escolheria para comprar?

Leia Mais