floco-de-neve

Método Snowflake para escrever livros

O planejamento é o primeiro passo para idar início a qualquer projeto. Seja uma dieta, rotina de exercícios, lançamento de um produto, uma campanha publicitária ou… um livro!

Sem um planejamento, corremos o risco de tomar decisões incoerentes e que resultarão em trabalho dobrado para remendar os furos que deixamos pelo caminho.

E foi com o objetivo de ajudar nesse processo inicial que surgiu o método Snowflake (ou “floco de neve”, em português), idealizado pelo escritor americano Randy Ingermanson. Entenda!

O que é o método snowflake?

O método Snowflake é um “guia” utilizado por autores nas etapas iniciais de um livro. Ele serve para nortear a tomada de decisão sobre elementos fundamentais da história. Durante esse brainstorm, o escritor pode testar diferentes possibilidades e projetar a obra por completo, do começo ao fim.

Quais são as etapas do método Snowfale?

Etapa 1: escrever a história em uma frase

Resuma sua história em poucas palavras, sem muitos detalhes. Foque no gancho principal da narrativa. Por exemplo, o livro Assassinato no Expresso do Oriente, de Agatha Christie, poderia ser resumido em “Detetive investiga assassinato em trem para descobrir o passageiro culpado”.

Etapa 2: expandir a frase em um paragrafo

Depois de criar uma frase, comece a adicionar detalhes. Ainda utilizando o exemplo do livro de Agatha Christie, o parágrafo poderia trazer informações sobre quem morreu e onde o trem estava indo.

Etapa 3: criar fichas para os personagens

Com essas informações, já é possível ter ideia de quais personagens farão parte da narrativa. Crie fichas para catalogar suas principais características e desvios de personalidade. Não é necessário ir muito a fundo neste momento.

Etapa 4: expandir o parágrafo inicial em vários parágrafos

Agora que você já perfilou os principais personagens, fica mais fácil adicionar ainda mais detalhes ao esboço que você já fez. Divida o parágrafo da etapa anterior como se você estivesse contando a história a um amigo, acrescentando mais detalhes para que a trama seja compreendida.

Etapa 5: expandir as fichas dos personagens em sinopses mais completas

Hora de escrever um pouco mais sobre cada personagem. Crie um resumo sobre sua personalidade e seu papel na história, realmente planejando sua jornada. Conhecer os arquétipos de personagens pode facilitar este trabalho.

Leia mais: o que é sinopse e como escrever uma?

Etapa 6: expandir cada parágrafo em uma página

Quanto mais detalhes você conseguir adicionar, melhor. Por isso, complemente o que já foi escrito com mais informações, pensando nos desdobramentos e em como cada ponto se conecta com o gancho principal da história.

Etapa 7: construir uma ficha detalhada dos personagens

Experiências passadas, sonhos, traumas, hobbies, motivações… todos esses detalhes são fundamentais para justificar as escolhas dos personagens ao longo da trama. Por isso ter tudo isso catalogado em uma ficha será fundamental para os passos seguintes.

Etapa 8: criar uma planilha com capítulos e cenas

Agora que você já sabe como sua história começa e termina, é hora de planejar a sequência em capítulos e cenas fundamentais para conduzir a narrativa até o ponto final. A dica é organizar tudo isso em uma planilha, assim você tem um guia prático de qual evento deve ser apresentado em seguida.

Etapa 9: desenvolver as cenas como base para um primeiro rascunho

Depois de organizar os capítulos, comece a rascunhar as cenas mais importantes, pensando em elementos fundamentais, decisões dos personagens e cenários.

Etapa 10: escrever seu primeiro rascunho.

Após esse passo a passo, você está pronto para rascunhar sua história. Todos os detalhes importantes já foram planejados, basta desdobrar tudo o que você já criou em cenas mais detalhadas.

Lembre-se de que você provavelmente revisará esse rascunho no futuro. Por isso, não se apegue ao perfecccionismo neste momento. Escreva da forma mais fluida possível e, depois de finalizar o texto por completo, trabalhe para melhorar o que for necessário.

E aí, gostou das dicas? Conta pra gente nos comentários qual método você utiliza para planejar uma história :)

Conteúdos relacionados:

Como escrever um livro?
5 coisas que todo escritor iniciante precisa saber

Leia Mais

ms-marvel-desenho-hq

A importância da representividade na literatura infantil

Qual era seu personagem favorito de desenho animado quando criança? Por que você sempre gostava mais de personalidades femininas? Ou então, por que sempre torcia pela pessoa mais tímida e incompreendida dos filmes da Sessão da Tarde?

Se você nunca parou para pensar nos motivos deste favoritismo, saiba que ele não é aleatório. Livros, desenhos e filmes são tão importantes em nossa vida porque nos transportam para realidades paralelas, onde descobrimos personagens únicos com os quais nos identificamos, ou que possuem características que gostaríamos de ter.

E é por isso que a representatividade é uma pauta tão fundamental e precisa ser discutida com mais intensidade entre os autores de histórias infantis. Afinal, temos uma grande responsabilidade em mãos: cabe a nós, escritores, criarmos as referências das próximas gerações, eliminando estereótipos que fizeram parte do nosso desenvolvimento.

Leia também: Como criar personagens para seu livro?

Como a Marvel tem incluído mais diversidade em suas histórias?

Sana Amanat é uma editora americana de quarinhos, responsável por levar diversidade às HQs da Marvel. Além de sua participação notável em Ultimate Comics como Homem Aranha e Capitã Marvel, Sana é co-criadora da primeira série solo da Marvel a ser protagonizada por uma super-heroína muçulmana.

Ms. Marvel é, sem dúvidas, um exemplo incrível de representatividade. A personagem servirá de referência para crianças e adolescentes que até então eram cercados por representações negativas de sua religião, principalmente nos Estado Unidos, por conta de conflitos políticos. A própria editora, Sana, é uma inspiração para garotas que sonham em fazer parte deste universo predominantemente masculino e preconceituoso com o islamismo.

Confira alguns destaques da fala de Sana em seu TED Talk, “A importância da diversidade no universo de HQs”:

  • De acordo com a editora, existe algo chamado “ameaça de estereótipo”, que ocorre quando um grupo de indivíduos internaliza e reage a ideias negativas relacionados a eles. Por conta do medo de ser associado a este estereótipo, as pessoas deixam de agir conforme suas habilidades, performando menos do que poderiam (academicamente ou socialmente), mascarando quem realmente são para negar as expectativas dos outros.
  • Por conta do neurônio-espelho, é da natureza humana agir conforme a massa, repetindo ou acreditando no que os outros dizem que devemos acreditar. Por isso, é fundamental criar histórias empoderadoras e inspiradoras, que nos desafiem a ser melhores.
  • Ms. Marvel é uma personagem tão inspiradora porque está tentando se encaixar e descobrir quem é de verdade. Ou seja, sua história reforça que tudo bem ser diferente ou ainda estar em busca do seu verdadeiro eu.

Confira o vídeo completo abaixo:

E, da mesma forma que a Marvel vem incluindo diversidade em suas histórias, é nosso papel trazer mais representatividade para nossas histórias infantis, não é mesmo? :)

Artigos relacionados:

Por que precisamos escrever e falar sobre o nazismo?
5 livros independentes para entender o racismo no Brasil
25 livros escritos por mulheres para ler em 2020

Leia Mais

pai e filho brincando no por do sol

5 livros para dar de presente no Dia dos Pais

Que tal renovar a estante de livros do seu pai neste mês de agosto, incluindo autores independentes e histórias inéditas à coleção?

Confira as dicas do Clube de Autores para o Dia dos Pais:

Crônicas de Quarentena

Autor: Clube de Autores

O livro apresenta 39 crônicas escritas por autores independentes do Clube, narrando suas experiências com o isolamento social de 2020, vivenciadas de diversos cantos do mundo. Os textos são cheios de bom humor, reflexões e histórias inusitadas sobre esse período tão distópico.

Reis do Rio

Autor: André Baibich

Recomendação especial para os amantes de futebol: o livro resgata a corrida pelo título de “rei” do Rio de Janeiro em 1995, protagonizada por Renato Portaluppi, do Fluminense, Túlio Maravilha, do Botafogo e Romário, do Flamengo. Dividido entre pesquisas, memórias e entrevistas, a obra apresenta histórias pré, durante e pós campeonato, que terminou com a vitória do Fluminense e um gol de barriga de Portaluppi.

Correndo com os Etíopes

Autor: Danilo Balu

Neste livro, recomendado especialmente para os fãs de corrida, Danilo Balu narra sua experiência na Etiópia, um dos países mais pobres do mundo, berço de atletas consagrados na corrida de longa distância.

Inteligência comportamental

Autor: Edson Carli

Esta obra explica o conceito de inteligência comportamental e como esse modelo de inteligência, baseada no entendimento de ambientes, faz parte do novo desafio no universo corporativo. O livro apresenta dicas e ferramentas para desenvolvimento pessoal de forma modena e atualizada.

Trilhando sonhos

Autor: Thiago Fantinatti 

Neste relato, o autor conta sua experiência de 365 dias pedalando pela América do Sul. Foram mais de 15 mil km percorridos e muitas histórias para contar.

Conteúdos relacionados:

25 livros escritos por mulheres para ler em 2020
5 livros para entender o racismo no Brasil

Leia Mais

mão-de-pessoa-folheando-livro

O que é epílogo e como escrever um?

O que acontece depois do “felizes para sempre”?
O príncipe encantado continua jovem e bonito? E a princesa, tem filhos ou decide largar o palácio e aventurar-se pelo mundo?

Algumas histórias tornam-se tão especiais que o desfecho da trama não parece suficiente para aceitar seu término. Imaginamos o futuro dos personagens, tentamos entender melhor algo que ficou aberto e ansiamos por algumas linhas a mais para acalmar o coração e seguir em frente.

Tudo isso pode soar bastante exagerado, mas não é atoa que existe um recurso textual justamente para nos dar esse gostinho depois do fim. Saiba mais sobre esse formato! =)

O que é epílogo?

O epílogo é o oposto do prólogo. É a última parte do texto, adicionada ao final da obra para encerrar a narrativa. Trata-se de um recurso utilizado para desfecho, sendo bastante útil quando não é possível deixar todas as pontas amarradinhas no último parágrafo, por exemplo. Também é usado para projetar o futuro dos personagens ou dar voz a um deles, revelando seus sentimentos a partir dos acontecimentos narrados.

Dicas para escrever um epílogo:

  1. Menos é mais: não utilize um epílogo caso sua história tenha sido bem concluída no último capítulo. As vezes, o mistério que fica depois do fim é o que torna a obra tão memorável. No livro “A culpa é das estrelas”, escrito por John Green, não sabemos o que acontece depois da cena final, o que nos leva a especular sobre o futuro de Hazel na luta contra o câncer. E é justamente esse tipo de incerteza que torna a narrativa tão especial, afinal, estamos falando de uma doença imprevisível. Um epílogo com certeza não teria o mesmo efeito.
  2. Planeje o futuro com cuidado: mexer com o futuro é sempre perigoso, inclusive para escritores. Ao projetar acontecimentos que não serão narrados, é preciso tomar muito cuidado, conduzindo os personagens por caminhos possíveis e adequados para os desdobramentos da história. As sagas infantojuvenis Harry Potter, Jogos Vorazes e Crepúsculo são exemplos de projeções bem feitas e (geralmente) aprovadas pelo público.
  3. Fuja do óbvio: a não ser que você esteja escrevendo um conto de fadas para crianças, tente surpreender seus leitores no epílogo. Afinal, se os próximos acontecimentos já forem prevísiveis a partir dos capítulos finais, será que um desfecho é realmente necessário?

Ficou com alguma dúvida? Deixe um comentário abaixo!

Artigos relacionados:

O que é sinopse?
O que significa prefácio?
Saiba como escrever um livro

Leia Mais

instagram-na-tela-do-celular

Como lançar um livro em uma LIVE no Instagram?

O universo digital já era utilizado para aumentar o alcance de produtos e serviços lançados no mercado, porém, depois do isolamento social de 2020, descobrimos que a internet (e, principalmente as redes sociais) têm mais poder do que imaginávamos… inclusive para lançar um livro!

Isso não significa que daqui pra frente os eventos presenciais deixarão de existir, apenas que existem outros formatos para serem explorados por aí. Neste artigo, explicaremos um pouco sobre as LIVES no Instagram e como podem ser utilizadas para divulgar obras recém publicadas. Confira!

O que são LIVES?

Lives são vídeos transmitidos ao vivo. Elas podem ser realizadas no YouTube, Instagram, Facebook ou em plataformas de próprias para o formato. Normalmente, são feitas por pessoas populares na internet para apresentação de produtos e serviços. Ou seja, é um recurso super valiozo para quem não pode investir muito em grandes eventos ou não tem tempo para organizar um encontro presencial.

Dicas para criar um evento virtual no Instagram:

  • Para alcançar o maior número de pessoas possível é necessário utilizar uma plataforma que já possua uma base relevante de inscritos. Se o seu Instagram tem poucos seguidores, considere fazer uma parceria com um canal mais popular. Influenciadores digitais, marcas relacionadas ao conteúdo da sua obra ou amigos famosos podem ajudar com a exposição.
  • Planeje o evento com antecedência e utilize o tempo disponível para divulgar data e horário. E-mails, redes sociais, mensagens em grupos de WhatsApp… quanto mais pessoas interessadas no conteúdo, maior será o engajamento no dia da LIVE.
  • Crie um “roteiro” em vez de simplemente falar o que vier na cabeça durante o evento. Assim você garante que terá bons conteúdos do início ao fim da transmissão. Entregar toda a mensagem logo no começo pode desinteressar o público.
  • Estude a ferramenta do Instagram antes de se aventurar nesse universo. Entenda como adicionar pessoas ao vídeo, como interagir nos comentários e quais são as restrições do aplicativo. Essas informações estão disponíveis no site oficial e também em blogs de comunicação. É importante revisar o conceito porque a tecnologia está sempre evoluindo e podemos explorá-la de forma mais criativa quando estamos informados.

Como lançamos o livro Crônicas de Quarentena no Instagram?

No ínicio da “quarentena”, o Clube de Autores promoveu um desafio para os escritores: produzir crônicas sobre o isolamento social e todas as mudanças que vivenciamos neste período. O projeto fez tanto sucesso que escolhemos 39 textos originais para transformar em livro.

Obviamente não poderíamos nos encontrar pessoalmente (apesar da vontade de abraçar e agradecer todos os que participaram). Por isso, optamos por divulgar o lançamento no próprio Instagram do Clube.

Saiba mais sobre o livro de crônicas.

Abaixo algumas das estratégias que utilizamos:

  1. Definimos uma data para a realização da LIVE e destacamos o evento em toda nossa comunicação.
  2. Disparamos e-mails para nossa base de inscritos e compartilhamos a novidade em nossas redes sociais.
  3. Planejamos o conteúdo da LIVE e trouxemos um convidado especial. O roteiro foi pensado para apresentar o livro, contar mais sobre o projeto e explicar como fazer a compra.
  4. Depois de finalizado, o vídeo ficou disponível em nosso Instagram e pode ser visualizado por qualquer pessoa.

Confira o vídeo de lançamento do livro Crônicas de Quarentena.

Tem dúvidas sobre como utilizar as redes sociais para divulgar sua obra? Deixe seu comentário abaixo!

Artigos relacionados:

O que é Book Trailer e como fazer o seu
Publicação independente cresce durante a quarentena

Leia Mais