Feira do Escritor Independente promete inovar o mercado

A grande reclamação de autores em eventos como feiras ou bienais é o pouco espaço que o mercado como um todo deixa para eles, dificultando a visibilidade.

Por sorte, o mercado editorial vive um dos momentos mais ricos em produção literária e inovação, de forma que novas oportunidades aparecem a cada instante para escritores de todo o país. Uma delas tem data marcada para acontecer: dias 20, 21 e 22 de abril de 2012.

Batizada de I Feira do Escritor, ela será formada justamente por autores independentes que quiserem espaço para promover as suas obras para um público composto de leitores, outros autores e editores buscando ampliar os seus títulos.

O espaço que cada escritor interessado terá é de 4 m2 – considerado pela organização o suficiente para expor o seu trabalho viabilizando um custo bem inferior ao que costuma ser cobrado em grandes feiras (sendo que autores do Clube tem ainda um desconto de 20% nas inscrições).

Para essa primeira edição, que acontecerá no Expo Center Norte, em São Paulo, a organização do evento limitou as vagas a 500 autores.

Por ser algo voltado ao autor independente e que só tem a beneficiar o mercado editorial como um todo, o Clube apoia a iniciativa! Subimos uma apresentação da Feira no nosso canal do Slideshare e compartilhamos abaixo.

Para mais informações, acesse diretamente o site http://feiradoescritor.com/

Assine a Nossa Newsletter

21 comentários em “Feira do Escritor Independente promete inovar o mercado

  1. Ok…..
    Mas, e o produto fisico? O Clube de Autores produzirá número de exemplares suficiente para serem expostos?
    Ou será que o autor precisará adquirir e pagar antecipadamente uma certa quantidade?
    Preciso saber qual será o esquema?

    1. Oi joão. Nós estamos apenas apoiando a iniciativa, mas ela não é organizada ou coordenada por nós. Nós não temos como arcar com os custos de produção de exemplares por aqui, sendo que caberá ao autor, caso deseje, adquiri-los com antecedência para exposição.

  2. Pensando como independente. porque não juntar dois ou mais escritores num mesmo estande.
    O custo reduzira e mais escritores poderão mostrar e vender as suas obras.
    Se esta limitado a 500, poderão ser pelo menos uns 900 se dividirmos o espaço, tipo 2 m2 para cada.
    Afinal o importante e divulgar… não e.

  3. Olá gente! Sou autor independente mesmo no melhor e maior sentido da expressão. Fiz 4 livros utilizando com serviço de terceiros apenas a gráfica. Produzo, registro, imprimo, vendo e entrego totalmente independente utilizando a internet e os correios. Não dependo de editoras, de espaço em feiras nem de favor de ninguém. Cada autor independente tem que saber bem informática, tem que ter seu site e tem que se virar sozinho. Hoje há muitas ferramentas e não dependemos mais de espaço físico, mas de “espaço virtual” e para isto é preciso saber, estudar e se reciclar. O fato de eu saber fazer sites e trabalhar coma arte final me ajudou muito – http://www.websitearte.com

  4. Muito boa a iniciativa! Espero estar lá e espero que seja o maior sucesso.
    O legal é que quem não acha uma boa, não está forçado a participar. E quem acha que tem uma ideia melhor, tem toda a liberdade de colocar seu projeto em prática!
    Ao invés de reclamar, minha gente, vamos dar força ao projeto.
    Não quer dar força? Então fica quieto, pelo menos. Porque só reclamar sem agir é feio!

  5. Ronaldinho Gaúcho que nunca escreveu um livro e estou certo que também nunca leu nenhum recebeu a maior honraria do mundo literário brasileiro, a medalha Machado de Assis.
    Para o autor independente mostrar a sua obra ele precisa desembolsar R$2000,00 para alugar um espaço de 4mts e ainda pagar 15% de pedágio das suas vendas.
    AONDE NÓS ESTAMOS!

  6. Sem dúvidas será um marco na história da literatura moderna. Há grandes possibilidades do Point dos Amores expor a literatura de sedução científica na feira.

    Gostaria de externar os meus cumprimentos a todos os envolvidos com este projeto e se houver interesse da equipe de organização o Point dos Amores disponibilizará um espaço para que o evento venha ser divulgado sem nenhum custo publicitário, pois como “uma andorinha só não faz verão”, a classe dos escritores independentes alcançarão tudo aquilo que a união e a firmeza de proposito pode oferecer.

    Meus cumprimentos pessoais:

    Hudson Sander

  7. Sou autor independente de dois livros de 32 páginas chamado O REENCONTRO e RESGATE DE UM SENTIMENTO. Os fiz por minha conta na gráfica e vendi de porta em porta em minha cidade num total de quase 900 exemplares. Onde obtive muitos elogios onde pessoas que não tinham o hábito da leitura passaram a ler. Mas quero vê-los conhecidos nacionalmente. São histórias simples, mas que mexe com o coração do leitor e isso agradou há muitos! Tenho um vídeo no Youtub chamado DUAS VIAGENS POR 7,00 onde mostro O REENCONTRO eRESGATE DE UM SENTIMENTO e tenho a foto deles comigo no sait do CALDEIRÃO DO HUCK no AGORA OU NUNCA 5 ESTRELAS chamada TÊNIS COM ESCUMADEIRA.. Acho muito importante essa oportunidade, pois o mais importante é divulgar o nosso trabalho para daí uma porta se abrir. É só cada escritor usar a criatividade que tem. Um exemplo disso é a escritora TALYTA REBOUÇAS. Me informarei e se der estarei lá. fazendo o impossível para que O REENCONTRO E RESGATE DE UM SENTIMENTO se destaquem. Obrigado!

  8. Sou mãe de um escritor infantil e gostaria de saber qual o valor integral que gastaríamos com o evento, e se ele, sendo menor, pode expor seus livros, sendo que um deles já foi editado pelo Clube de Autores.
    Obrigada,
    Cátia

  9. Eu tenho nove livros editados, edição independente. E a minha esposa, (Bete Lima) já está com o seu terceiro livro editado, todos também de edição independente. Nossos livros seguem a linha religiosos e de auto ajuda.
    Minhas dúvidas:
    1- esse gênero pode participar da exposição? Não vi nenhuma menção a respeito desse gênero.
    2- Eu e minha esposa podemos adquirir um único espaço, e utilizá-lo juntos?
    Aguardo seu breve retorno.
    Um grande abraço1
    Jorge Lorente

    1. A princípio, não há nenhuma restrição a essas dúvidas, Jorge. Mas recomendamos que entre em contato diretamente com a organização da Feira, no link que passamos no post. Eles estarão mais aptos a responder do que nós ;-)

  10. É difícil esse tipo de coisa para o autor independente. Retiramos livros no Clube de Autores com desconto apenas dos direitos autorias. Depois deixamos 15% por conta do cartão de crédito/débito e do lucro dos organizadores (tarifas reais de cartão são de 5 a 6%) e mais 10% de desconto para os visitantes cadastrados. Ou seja, tiramos os livros ocm desconto de cerca de 10% no Clube e teremos que vendê-los com desconto de 25%… Mais o estande, pessoal, despesas logísticas. Precisa de bastante capital para entrar numa empreitada dessas!

    1. Gilberto, não entendemos direito a conta… mas assim: quando fazemos uma promoção aqui no Clube (como a da semana passada), damos descontos de 25% no bruto (desconsiderando apenas os direitos autorais, que os autores, claro, não precisam pagar mesmo). Esse desconto sai, em grande parte, dos custos gráficos diretos em acordos que fazemos com os nossos parceiros. Em outras palavras, seja em qual for o patamar de preço que o seu livro estiver à venda, essas promos permitem que você os adquira por 25% a menos (sendo que os 75% já incluem custos gráficos, impostos, tarifas de cartão e tudo mais).

      O preço de venda, no entanto, é decidido pelo próprio autor. Não é necessário que você dê um desconto de 25% para vender não – aliás, a maior parte dos autores faz até o contrário. Quando entra alguma promoção nossa, eles compram uma quantidade maior de exemplares (ou seja, por 25% a menos). Quando revendem, incluem de volta os 25% mais os seus direitos autorais (o que dá o valor exato que o livro fica à venda no próprio site do Clube).

      Isso, claro, se você quiser comprar os exemplares para vender por conta própria – pois nada impede que não compre nenhum e os deixe diretamente no site, para que os leitores comprem online. Com isso, o seu desembolso com livros passa a ser de zero…

    2. Gilberto, acredito que não devemos pensar apenas no lucro… Creio que a idéia é bem vantajosa para a propaganda do livro. Afinal, o investimento não paga a quantidade enorme de pessoas que verão seu título ali exposto. O conhecimento das pessoas acerca da existência do livro é fundamental.

    3. Prezado Clube de Autores. Deixe-me explicar melhor a minha conta, que nada tem a ver com o desconto do Clube.

      Participando da feira, eu vou precisar usar o serviço de cartão de crédito/débito. Hoje é quase obrigatório e a maior parte dos estandes em feiras vende por este meio. Disso é cobrado 15%. Trabalho muito com eventos e uso direto serviços de cartão de crédito como o próprio Pagamento Digital, utilizado pelo Clube. A taxa para uso de cartão por esses meios é de 6,4% para pequenas transações e vai caindo à medida em que o volume aumenta. Isso nunca custa 15% do valor do produto.

      O site do evento afirma que clientes que se cadastrarem antecipadamente terão 10% de desconto nos livros, custeado pelo escritor. Então todo material vendido a estes clientes terá 10% de desconto. Se eles comprarem por cartão, então o escritor desembolsará 25% do valor do livro em descontos. Essa é a conta.

      SE o cliente não for cadastrado antecipadamente e SE pagar em dinheiro, ENTÃO, e só então, o escritor receberá o valor integral do livro, do qual descontará o custo.

      Se o Clube fizer uma promoção especial de 25% (ou, digamos até 30%) de desconto nas obras exclusivamente para autores participantes, então há um equilíbrio financeiro. Será preciso levar muitos livros! Se o escritor pagar o valor normal do clube, com apenas o desconto dos direitos autorais, o escritor vai pagar para participar sem ter chance de retorno de seu investimento.

      Aqui não cabe críticas à organização ou aos promotores do evento, nem estou fazendo isso, mas tão somente uma análise de viabilidade financeira. O autor independente é sua própria editora e esse tipo de cálculo é coisa corriqueira no mercado editorial. Minha visão é essa, pois escrever livros é parte integrante de meu trabalho. Nem esquentei a cabeça com o valor do estande, que é custo fixo e normal. O fluxo de livros é o que me preocupa.

      Se o autor faz isso como hobby e quer apenas divulgar seu nome e sua obra e dispõe de R$ 4.000,00 a R$ 5.000,00 para isso, é um ótimo negócio. Mas muita gente não faz ideia do que significa participar de um evento desses. Não é mole, não.

      Então meu comentário não foi uma crítica, mas tão somente um comentário sobre viabilidade financeira. Infelizmente isso tem que ser analizado. Pode até ser que eu venha a participar, seria interessante do ponto de vista de divulgação, mas não tenho uma verba publicitária deste tamanho :-) Vou aguardar para ver como caminham as coisas.

    4. Sely, conforme comentei na resposta ao Clube de Leitores, se você quer apenas divulgar seu nome e sua obra e dispõe de R$ 4.000,00 a R$ 5.000,00 para isso, é um ótimo negócio.

      Toda editora pesa sua participação em função do retorno do investimento (nem estou falando de “lucro”). Preciso ponderar se esse montante será negociado ou se sairá do meu bolso, no todo ou em parte como verba de publicidade.

  11. Tenho uma óbra de ficção em final de revisão, e desejo saber até quando posso me inscrever para a Feira do Escritor. Gt. Hélio Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *