O que você acha da proibição do Mein Kampf?

Para quem não tem acompanhado muito, o Mein Kampf foi o livro que Hitler escreveu antes de assumir a liderança da Alemanha e que norteou todo o pensamento nazista. Sim: ele é repleto de tudo o que há de mais odioso no mundo. Sim: a ideologia foi responsável por um dos mais devastadores genocídios que a humanidade já viu. E sim: certamente o mundo seria um lugar melhor se Hitler e o nazismo não tivessem existido.

Mas o fato é que existiram e que causaram um impacto poderoso na história da humanidade.

Desde o fim da II Guerra, o estado alemão que detemos direitos autorais dessa obra odiosa proibiu a sua publicação. Só que este ano, em 2016, a obra cai em domínio público.

Resultado: quem quiser publicá-la, hoje, tem “autorização”. E sim: já há pelo menos uma editora brasileira que reproduzirá o livro aqui por nossas bandas.

Confesso que eu, sendo bem sincero, estou dividido.

Este livro deveria ser proibido? Sim, ele foi a base ideológica de um dos maiores desastres humanos da história, o nazismo. Mas proibir o acesso a essa ideologia realmente garantirá que pensamentos assim jamais se repitam? Ou gerará o efeito contrário, evitando que conheçamos os (esdrúxulos) argumentos hitlerianos para que possamos sempre contra argumentá-los?

Tendo a pensar sempre que conhecimento (sem fazer juízo de valor) nunca deve ser proibido. Tendo a pensar inclusive que conhecimento deve sempre ser disseminado, pois é apenas mergulhando a fundo nele que conseguimos extrair as bases para formar e melhor fundamentar as nossas próprias opiniões.

Tendo a acreditar que a melhor maneira de afastar ideologias tenebrosas é justamente permitindo que se conheça melhor o que elas pregam – e não barrando-as.

Esse tema, no entanto, ainda é muito mais delicado do que outras tantas ideologias por trás de outras tragédias históricas por conta, principalmente, de sua recência. É isso que me leva a uma pergunta:o que você acha sobre a questão do Mein Kampf? O que é pior: liberá-lo ou mantê-lo na lista de proibições?

51koRKz3zGL._SX332_BO1,204,203,200_

Leia Mais

Lançamento de livro reune políticos e marketeiros em Brasília

Em tempos de crescimento explosivo de Internet, do sucesso da campanha do atual presidente americano, Barrack Obama, e às vésperas das eleições brasileiras, é natural que o casamento entre Web e o pleito comece a tomar corpo.

E foi exatamente isso que aconteceu na noite desta terça-feira, 22/09, em Brasília, com o lançamento do livro “Eleições 2008: o Brasil e o efeito Obama“, de Gustavo Fleury, pelo Clube de Autores.

Jornalista, escritor e assessor de imprensa no congresso nacional, Gustavo analisou toda a campanha eleitoral de 2008 no Brasil e nos Estados Unidos, comparando posicionamentos e ações de candidatos de São Paulo, Belo Horizonte, Salvador, Rio de Janeiro e Porto Alegre, além de abordar o uso da Web, o marketing polítco digital e o “case” Obama.

O evento incluiu uma palestra sobre marketing político e um jantar, contando com a presença de profissionais do setor, assessores, deputados, senadores e da mídia em si. No total, cerca de 150 pessoas compareceram para prestigiar o autor e, claro, adquirir o seu livro como forma de entender melhor a dinâmica eleitoral nos tempos modernos.

Se você também quiser adquirir o livro, basta clicar aqui ou acessar o endereço http://clubedeautores.com.br/book/5023–Eleicoes_28

Boa leitura!

Leia Mais