Tipos de personagens secundários em livros: tudo sobre

Não é novidade pra ninguém que um bom personagem principal faz toda a diferença em um livro. Mas, a verdade é que todo personagem é muito importante e deve ser criado com o máximo de características possível para que você possa explorá-lo bem na narrativa. Personagens secundários, coadjuvantes e outros são fundamentais para dar mais consistência à jornada dos nossos heróis!

Por isso, preparamos um guia rápido com os principais tipos de personagens que podem fazer parte da sua obra. Confira!

Um universo além do personagem principal: tipos de personalidades

Personagem secundário

Para muitas pessoas, o personagem secundário é considerado sem importância na narrativa, já que interpretam como se ele participasse do enredo mas sem desempenhar um papel decisivo.

A verdade é que o personagem secundário também deve ser valorizado na ficção. Vamos dar um exemplo: no livro O Pequeno Príncipe, obviamente o protagonista é o jovem menino de cabelos dourados. Podemos considerar a raposa um personagem co-protagonista mas o que seria a rosa? E todos os outros personagens que ele encontra no caminho durante a sua jornada?

Isso mesmo, personagens secundários!

As reflexões que O Pequeno Príncipe traz não estão ligadas somente ao protagonista mas permeiam por todos os personagens e o ambiente ao redor deles. Não é porque são papeis de menor representatividade que não são importantes para a narrativa. 

Antagonista

O antagonista é o personagem que se contrapõe ao protagonista. Ele geralmente traz ou representa alguma possível reviravolta na narrativa como dificuldades, impedimentos, obstáculos ou ameaças, na tentativa de desviar o caminho do protagonista. Pode ser o vilão da história mas não é uma regra. 

Oponente

Ele pode ser considerado parceiro do antagonista, em uma relação parecida com a do protagonista e co-protagonista. A ligação entre os personagens pode ser por parentesco, mesmo ambiente de convívio ou outras ideias. 

Coadjuvante

É um personagem que faz parte do enredo e auxilia no desenrolar da narrativa mas não necessariamente seu papel está relacionado ao personagem principal. 

Figurante

Este sim é um personagem pouco utilizado. Por ter um papel menos significativo, sem relação com o enredo ou nenhum dos personagens. Ele tem a função apenas de “compor” o ambiente. Pode ser citado poucas vezes ou até apenas em uma única situação que o autor julgar relevante.

Existência de personagens na narrativa

Lembrando que os personagens são os seres atuantes na história mas eles podem ser muito diversos! O personagem pode ser um animal, uma pessoa, ou até mesmo um objeto, desde que apresente características humanas – como tantos que você conhece pelos clássicos da Disney em livros infantis. 

Confira alguns tipos de personagem:

  • Real ou histórica: os personagens existem (ou existiram) de verdade
  • Fictícia ou ficcional: os personagens não existem e são frutos da imaginação do autor. Neste caso, pode ser inspirado em pessoas reais
  • Real-ficcional: os personagens são reais, mas com personalidade fictícia
  • Ficcional-ficcional: os personagens são ficcionais dentro de obras de ficção
  • Ficcional-real: os personagens são ficcionais, mas que passam a existir no mundo real

Dicas para criação de personagens

Como você pôde perceber, existe um universo além do personagem principal e a maneira como eles serão aceitos depende do carinho com que você os cria.

Dê personalidade às suas criações! Escolha algumas características que façam com que o leitor se identifique ou pelo menos crie um laço afetivo com o personagem. Pode ser por uma história de vida, alguma característica física, tom de voz… 

Para que esses personagens fiquem na memória do leitor, você pode usar alguns recursos como associar a determinada ação ou lugar. No caso do Pequeno Príncipe, a rosa tem um lugar fixo e é descrito exatamente o que tem ao redor dela. Facilita a identificação e também a associação durante a leitura da história.

Tente relacionar os personagens secundários ao protagonista de alguma maneira! Essa interação entre os personagens é fundamental para o envolvimento da trama. Em uma história com muitos personagens, determine quais poderão ser esquecidos ou ter um papel de menor destaque – não existe regra mas você pode criar momentos para destacar ou ocultar determinados personagens. 

E aí, se inspirou? Então saiba como escrever e publicar o seu primeiro livro!

Você também pode se interessar por:
Arquétipos de personagens em livros
A importância da representatividade na literatura infantil

Leia Mais

Cinco personagens principais marcantes para você se inspirar

O enredo de uma história é muito importante, já que é ele que conduz a trama do início ao fim, mas não dá para negar que a maneira como o personagem principal é inserido no contexto pode tornar a história brilhante ou totalmente desinteressante para o leitor. 

É o personagem principal que desperta essa vontade de continuar a leitura, de entender o desenrolar da história. Ele não é necessariamente o protagonista da história, embora possa ser. O personagem principal envolve mais pela ação e pela maneira como se conecta ao enredo e aos outros personagens, enquanto o protagonista gera uma curiosidade mais relacionada à sua personalidade. 

Por exemplo: Game of Thrones é uma história com muitos personagens e até um pouco complicada de entender o enredo diante de tantas reviravoltas. Se você perguntar para algum fã responder, de imediato, quem é o personagem principal, talvez ele responda Jon Snow ou Daenerys. Concordo que eles tenham características de protagonismo mas diversos sites já promoveram discussões sobre o assunto e chegaram à conclusão de que o personagem principal da série GoT é Tyrion Lannister, que se destaca em 49 capítulos dos livros da saga. A maneira como ele é conduzido na trama pode até passar despercebida no início, mas aos poucos ele vai ganhando destaque e é possível entender que cada vez que o nome dele é citado em um dos livros significa que aquele momento é relevante para a história. 

O protagonista é o personagem mais importante da obra, já que a história gira em torno dele. Ele é muito caracterizado como herói mas uma história pode ter mais de um protagonista.  Entendeu as diferenças entre Jon Snow, Daenerys e Tyrion? 

O co-protagonista geralmente é a pessoa que ajuda o herói e também pode existir mais de um. Em Game of Thrones a gente pode listar vários nomes conectados a Jon Snow para essa categoria, como sua irmã Arya Stark – que pode ser confundida como personagem principal devido ao envolvimento na trama mas isso ocorre porque um coadjuvante pode cair nas graças do público e ganhar mais relevância, equivalendo ao protagonista.

Trouxe o exemplo de Game of Thrones para compartilhar como existe uma linha muito tênue entre o papel de cada personagem, principalmente quando a narrativa acontece por meio de vários livros.  Mas existem muitas outras inspirações para ajudar na hora de criar os personagens do seu livro. Veja outras quatro:

MACUNAÍMA –  O famoso “herói sem nenhum caráter”, de Mario de Andrade, é um exemplo diferenciado de personagem principal. Sua personalidade forte se mistura entre as coisas erradas que faz e a sua força e coragem. Um final melancólico mostra que nem todo protagonista tem o desfecho óbvio que é esperado pela maioria.

CAPITU – Machado de Assis foi um gênio ao criar Capitu em sua obra Dom Casmurro. Ela é a personagem mais polêmica (Capitu traiu Bentinho ou não?) do autor e uma das mais famosas também. O romance destaca muitas características da personagem e nos envolve na narrativa como se fôssemos seduzidos por ela, de certa maneira. Uma mulher de força e coragem, muito a frente de seu tempo.

HERCULE POIROT – Criação de Agatha Christie, Poirot não é exclusividade de uma única obra mas sim de mais de 40 livros da autora. Um detetive perfeito para a criatividade policial que Agatha nos presenteou. Suas características são bem diferentes de Sherlock Holmes mas o egocentrismo e seu jeito peculiar de pensar são tão envolventes quanto. 

MACABEA – O romance A Hora da Estrela, de Clarice Lispector,narra a história da alagoana, Macabea, que se muda para o Rio de Janeiro e tem sua rotina narrada por um escritor fictício chamado Rodrigo S.M. Macabea tem um estilo único e envolve por meio das mudanças em sua vida. Ela vivia uma vida simples e sem muitas emoções, até que tudo muda. Em meio à sua curiosidade, uma reflexão cultural e de valores encantam na mulher forte que ela é.

E aí, já sabe como vai ser o personagem principal da sua próxima história? Use a criatividade e depois publique o seu livro no Clube de Autores.

Leia Mais