Livros como esmolas

Dia desses, enquanto zapeava por diferentes canais, acabei me deparando com um quadro do Fantástico em que uma criança de rua pedia um livro para os transeuntes.

Parei. A cena toda era uma espécie de experimento social – mas a reação das pessoas realmente foi surpreendente. Mostra que, ao menos com literatura, somos mais generosos enquanto povo do que costumamos nos ver.

Em tempos de tanto ódio espalhado pelas redes e de cisões virtuais em nosso país, apenas absorver essa cena já faz o dia valer mais a pena. Confira abaixo:

Ricardo Almeida.

Leia Mais