Confira a lista de julho/ 19 dos 10 livros que mais se destacaram no Clube de Autores

Sempre falamos aqui que seleções de livros – de best-sellers históricos ou de independentes recém-lançados – sempre devem ser analisadas com carinho.

O motivo? São justamente elas que expressam os sentimentos dos leitores – os mesmos sentimentos que, de alguma forma, todo autor busca se conectar para que o seu livro desponte no mercado.

Faz já algum tempo que nós, aqui no Clube de Autores, publicamos listas com os 10 livros que mais estão despontando. Em nosso caso, por conhecermos mais o universo de independentes – somos, afinal, a maior plataforma de autopublicação do Brasil e a única com distribuição pelas maiores livrarias do país – consideramos fatores que vão além das vendas em si (como diversos aspectos técnicos da obra, capa, qualidade da sinopse etc.).

Se você é autor independente, então recomendamos que veja a lista do mês de julho, especialmente recheado de livros de história (do tipo que dificilmente se encontra em editoras tradicionais). Quer mais detalhes?

Clique aqui ou na imagem abaixo!

Leia Mais

Clube de Autores registra crescimento de vendas em canais e de livros publicados pela plataforma

O que os resultados do primeiro trimestre de 2019 dizem sobre o Clube de Autores e a autopublicação?

Houve uma espécie de ciclo virtuoso para a autopublicação como um todo desde que começamos a distribuir os livros em canais como Cultura, Estante, Mercado Livre, Amazon e outros. Sempre imaginamos, aqui no Clube, que isso mudaria a cara do próprio modelo de autopublicação – mas uma coisa é hipotetizar e outra, constatar.

Mudança cultural no perfil do cliente Clube de Autores

A primeira grande mudança que percebemos foi que as vendas feitas por consumidores finais – leitores – estão efetivamente migrando de local. Se, antes, comprar no site do próprio Clube de Autores era a única opção para os leitores de livros independentes, hoje o cenário é outro. Faz sentido, inclusive: não há como comparar a audiência do Clube de Autores com a de sites como Cultura, Estante ou Amazon. E considerando que ao publicar aqui, os livros são automaticamente (e gratuitamente) distribuídos por esses e outros ecommerces, nada mais natural que uma mudança importante no perfil, como pode ser ilustrado no gráfico abaixo:

O gráfico mostra a evolução do perfil do comprador do Clube nos três primeiros meses do ano (comparando 2018 com 2019). Ou seja: em janeiro de 2018, 19,63% dos compradores do Clube eram leitores; um ano depois, esse número saltou para 23,56%. O mesmo raciocínio se repete para fevereiro e março.

Por que esse número não é ainda maior – ainda?

Apesar do crescimento, era de se supor que essa proporção ficasse ainda maior. Por que ela não é? Porque, para que os livros sejam distribuídos nas livrarias, é fundamental que eles tenham o registro do ISBN – e nem todos têm.

Que sirva de alerta aos autores do Clube: maiores vendas dependem de uma maior distribuição e basta que você registro o ISBN – algo simples, rápido e extremamente barato – para isso. Clique aqui para saber como registrar seu ISBN por conta própria ou aqui para contratar ajuda de profissionais (caso deseje).

Vendas diretas x vendas por canais

A mudança de perfil veio junto com a mudança dos locais de venda, como comentamos acima. Veja no gráfico abaixo:

Há ainda uma outra informação “escondida” nesse crescimento de vendas por canais: o perfil da compra. Não é só que os canais tenham crescido 10% de 2018 para 2019: eles estão crescendo principalmente sobre as vendas a leitores finais enquanto as vendas diretas, ocorridas no Clube de Autores, tem sido cada vez mais geradas por pedidos maiores de autores.

Isso aconteceu desde que lançamos o modelo de vendas em grandes quantidades com gestão de estoque inclusa (veja aqui e aqui). Apenas para contextualizar esse modelo: desde o final do ano passado, o autor consegue descontos efetivamente imensos em compras acima de 500 exemplares com a vantagem adicional de não precisar estocar os livros em casa uma vez que nós mesmos cuidamos disso (a custo zero). É natural que uma oferta dessas mudasse o tipo de compra feita no Clube, o que de fato aconteceu.

Novos livros publicados por mês

Outra mudança importante aconteceu nesse primeiro trimestre: um crescimento grande na quantidade de novos títulos publicados por mês. E veja: estamos falando aqui apenas de novos livros – excluindo republicações ou reedições. O gráfico abaixo ilustra isso com clareza:

O que isso tudo significa?

Em linhas bem gerais:

  1. Apesar de ainda ter um apelo grande ao consumidor final, em grande parte por conta dos livros sem ISBN que contam com uma distribuição reduzida, o Clube de Autores está se tornando uma plataforma cada vez mais voltada para autores.
  2. Os canais, que cresceram 10% de 2018 para 2019, tendem a crescer cada vez mais e a superar o total de vendas de livros independentes.
  3. Pluralidade é chave: o mais importante desse crescimento é que não estamos falando de um canal de vendas: estamos falando de diversos, o que garante que o autor independente esteja virtualmente em todas as grandes livrarias brasileiras
  4. Há um ciclo virtuoso claro que se instala aqui: quanto mais canais, mais vendas; quanto mais vendas, mais novos autores tomam conhecimento da plataforma e publicam seus livros aqui; quanto mais publicações, mais livros são distribuídos por mais canais; e assim por diante

As previsões para 2019 são, portanto, intensas: o Clube deve crescer mais que o registrado no ano passado, abrindo cada vez mais espaço para que autores independentes encontrem seus leitores por todo o mundo.

Leia Mais

Top 10 livros independentes que mais estão acontecendo: dezembro/ 2018

Volta e meia tanto autores quanto a imprensa especializada nos perguntam sobre rankings de livros independentes que mais estão acontecendo em nosso mercado. Nunca conseguimos efetivamente criar uma lista oficial aqui no Clube, em grande parte pela dificuldade de se conciliar obras de tantos diferentes gêneros e com indicadores tão diversos. 

Nesses últimos dias, finalmente, montamos uma lista e um modelo de operação que destacará, a cada 30 ou 60 dias, livros que mais estiverem chamando a atenção. 

A lista de top 10 livros independentes é, portanto, feita com base no acervo de títulos publicados diretamente pelos autores, de forma gratuita, aqui no www.clubedeautores.com.br, maior plataforma de autopublicação da América Latina. A seleção leva em conta fatores como o ISBN (essencial para que o livro seja revendido nas livrarias brasileiras), avaliações dadas pelos leitores, qualidade técnica do texto apresentado (incluindo desde a revisão ortográfica e gramatical até a diagramação das páginas), qualidade técnica das capas e desempenho comercial efetivo. Seguindo estes critérios, cada um com um peso específico, o algoritmo do próprio Clube de Autores gera uma pontuação mensal que se traduz no ranking aqui publicado.

A primeira lista, referente a dezembro, já está publicada e será distribuída para a imprensa em geral. Vale conferi-la aqui ou clicando em qualquer um dos links abaixo (que, adianto, não estão por ordem).

Trilhando Sonhos, de Thiago Fantinatti

Cara Liberdade, de Zdenek Korecek

A Conquista da Amazônia, de Carlos Araujo Carujo

Educação Ambiental na América Latina, organizado por Ivo Dickmann e Cláudia Battestin

Inútil Inocência, de Natália Sartor de Moraes

O Nutricionista Clandestino, de Danilo Balu

A Primeira Dor, de Leda Rezende

Sensibilidade à Flor da Pele, de Helena Polak

Tempo, de Ricardo Almeida

Astrofotografia Prática, de Rodrigo Andolfato

Curtiu? Clique nos livros, navegue por eles, leia-os. De acordo com a Internet, valem muito a pena :)

 

 

Leia Mais

Os brasileiros

Não há, no mundo, nenhuma estirpe de escritores mais incrível que a brasileira. 

Por favor não entendam essa minha opinião como xenófoba ou preconceituosa: já me derramei em elogios, em posts passados, por autores dos quatro cantos do mundo. Mas nenhum deles consegue casar a delicadeza revolucionária da linguagem com a brutalidade desconcertante dos temas como os nossos. 

Tá… talvez essa seja uma opinião que se pode esperar de um brasileiro que, obviamente, compartilha os mesmos panoramas culturais que esses autores… 

Ainda assim, é uma opinião que insisto em repetir. 

Não há, no mundo de fora, nenhum autor que tenha conseguido captar a essência da vida de maneira tão incrível quanto Guimarães Rosa. Não há nenhum poeta tão embasbacante quanto Manoel de Barros. Não há cronista de cotidianos como Alcântara Machado. Não há nenhum retratista de lugares e épocas como Jorge Amado. 

Mas sabe qual o problema do parágrafo de cima? Todos os meus exemplos são feitos de cadáveres. 

Será que ainda somos um país de escritores geniais ou que, um dia, fomos – e deixamos de ser?

Quero crer que ainda sejamos – muitos dos livros do Clube que leio me apontam para essa conclusão. 

Só que livros são feitos de leitores e, enquanto o público brasileiro insistir em comer apenas a literatura empacotada vinda da Europa ou dos EUA, dificilmente conseguiremos consolidar carreiras de novos mestres nossos. 

Passou da hora de nos lermos mais e de nos concentrarmos mais na nova literatura produzida por aqui. 

Leia Mais

Participe do Hangout sobre Produção, Divulgação e Vendas para Autores iniciantes!

Demorou um pouco, é verdade – mas finalmente nosso próximo Hangout já está organizado sob o tema mais pedido pelos autores: produção, divulgação e vendas de livros!

O encontro, gratuito, será amanhã, 02/07, às 20:00. Mais informações podem ser vistas no site http://historia.clubedeautores.com.br/producao_divulgacao_venda

Leia Mais