O aumento de autores no Clube é bom para o sucesso de cada autor?

Estávamos, aqui no Clube, comemorando o número recorde de livros publicados por dia: 40. Era um número que perseguíamos faz tempo, uma espécie de meta mágica que mostrasse e comprovasse a força da literatura independente no país e a consolidação do Clube de Autores como principal plataforma. 

Mas sabe o que aconteceu em novembro? 

Até ontem, 14/11, estávamos com 588 novos livros publicados aqui. 

42 livros novos publicados por dia ao longo de todo o mês de novembro – mês, aliás, recheado de feriados, que costuma representar uma queda brusca na audiência da Internet como um todo.

OK. Aí você pergunta: esse número todo de livros é bom para mim, autor independente, que com isso ganho mais de mil concorrentes por mês?  

A resposta é: sim. É fantástico para você. 

Por que? 

Porque a força de um autor independente está tanto em seu livro quanto na aceitação e acomodação no mercado da sua “categoria”, por assim dizer.  

A qualidade individual de cada livro, claro, sequer merece comentário. Basta olhar para o passado: certamente milhares de obras foram escritas e publicadas lá nos tempos do Machado de Assis – mas poucas, a exemplo de Dom Casmurro, sobreviveram à peneira qualitativa do olhar do leitor ao longo do tempo. Quanto a isso, o máximo que podemos fazer é apontar caminhos, pois a qualidade de cada livro depende diretamente de cada autor. Deixemos, portanto, esse argumento de lado e foquemo-nos no outro.

No passado, éramos o resto

Quando começamos a operar, em 2009, um autor independente era considerado apenas um autor que não tivesse conquistado nenhuma editora. Ou seja: ele já nascia, ele já era apresentado ao mercado como uma espécie de “algo a menos”. Isso, ainda bem, mudou. 

Hoje, somos a vanguarda

Em parte pelo retrocesso do mercado editorial tradicional, hoje um independente é visto muito mais como alguém que acredita em suas próprias histórias ao ponto de vestir-se de empresário de si mesmo e de desbravar novos territórios. Quer uma prova? É só olhar o Prêmio Jabuti deste ano, que premiou justamente um poeta independente

Nesse sentido, quanto mais autores independentes existirem e estiverem dominando o mercado, melhor: mais fácil será abrir espaço para que livrarias aceitem seus livros e os distribuam mundo afora.

Enquanto isso, no Clube de Autores…

Nós somos um exemplo perfeito do quanto essa mudança melhorou as condições gerais dos autores independentes. Foi justamente o crescimento do volume de livros publicados no Clube que viabilizou quedas significativas nos nossos preços. Os autores mais novos não devem saber mas, lá nos idos de 2009, quando começamos, um livro aqui no Clube custava mais que o dobro de hoje; em nosso futuro, certamente haverá novas rodadas de renegociação que permitirão baixar os custos mais e mais e mais.

Foi também justamente por estarmos nos tornando relevantes como uma espécie de hub, de central de autopublicação brasileira, que conseguimos acordos viabilizando a venda dos livros daqui na Cultura, na Estante Virtual, na Amazon e em tantas outras lojas. 

A união que faz a força

Assim, quanto mais autores estiverem aqui, mais vantagens conseguiremos para todos. 

Quanto mais vantagens conseguirmos, mais espaço e mais oportunidades serão abertas para os autores independentes. 

E quanto mais espaço e oportunidade, mais fácil será para que livros independentes ganhem mercados até então inimagináveis. 

Clube de Autores e autores independentes, afinal, estão no mesmo barco, o barco da necessária renovação do mercado editorial brasileiro. 

Renovação, não: revolução. 

E participar de uma revolução é das coisas mais revigorantes e energizantes que podem existir. 

Leia Mais

Número de livros publicados por mês cresce no Clube

Nós tínhamos uma média histórica, aqui no Clube, de cerca de 20 a 25 livros novos publicados todos os meses. Era uma média relativamente estável, que, salvo algum período de pico qualquer, nao mudava por nada.

Bom… pelo menos até esses últimos meses.

Pela primeira vez em alguns anos, o mês de abril registrou uma média maior: 893 livros novos, com 29 publicados por dia.

Poderia ser uma exceção, claro… mas os meses seguintes mostraram que era uma tendência. Em maio, saltamos para 918 títulos; em junho, 1.156; e, em julho, de acordo com nossas previsões baseadas nos primeiros 23 dias do mês, devemos bater o marco de 1.200 livros.

1.200.

Isso dá quase 39 livros novos publicados todos os dias – e também significa que praticamente dobramos de tamanho de um ano para cá.

Há duas coisas para se comemorar aqui: a primeira, claro, o próprio número, reflexo do trabalho que fazemos incansavelmente aqui no Clube desde que começamos a operar, em 2009.

Mas o segundo talvez seja ainda mais importante: mais livros independentes significa, necessariamente, mais público sendo alcançado, mais leitores, mais espaço para autores brasileiros.

Temos visto e sentido isso em nosso cotidiano, aliás: com presença dos nossos livros em livrarias tradicionais, mais e mais gente passou a ter acesso a um volume imenso de conhecimento e de experiência que, em outros tempos, estaria trancada nas mentes dos nossos escritores.

Hoje, não mais.

Ainda bem.

Leia Mais

Autores passam a ter acesso aos códigos dos pedidos de seus livros

Alguns autores haviam nos pedido, há algum tempo, para que colocássemos mais informações sobre os pedidos feitos de suas obras. Uma das principais solicitações era para que colocássemos o código dos pedidos na relação, possibilitando que eles realizassem algumas ações de marketing diretamente com os seus leitores.

Era o caso, por exemplo, do autor Carlos Felipe Pinto Martins, de “Os Super Sinais de Anáise Técnica“, que concede descontos nos serviços que presta sempre que um cliente adquire a sua obra. E, claro, saber o código do pedido é fundamental para que ele identifique que o cliente efetivamente fez a compra.

Desde a semana passada, essa solicitação já está no ar. Agora, em Meu Espaço > Meus Direitos Autorais, é possível verificar o número de cada pedido confirmado de suas obras.

Estamos analisando ainda a possibilidade de colocar alguns outros dados sem ferir a sagrada privacidade do leitor e devemos ter mais novidades em breve.

Leia Mais