Há o que se comemorar hoje?

Hoje é de setembro, dia da nossa Independência.

Na semana passada, um dos mais importantes museus da nossa história desapareceu, sob chamas, por culpa do mais puro descaso dos que deveriam ser as nossas autoridades.

Estamos em plena época eleitoral em que a maior crítica do eleitor é justamente a falta de candidatos capazes de honrar o cargo a que se propõem.

Nossa atual classe política divide-se entre o congresso e o presídio.

Nossas cidades estão infestadas de violência e arruinam-se em tons opostos aos esperançosos ufanismos de candidatos de todos os partidos.

Há o que se comemorar hoje?

Difícil responder. Mas há – e isso é indiscutível – muito a se pensar e repensar sobre o que queremos para o nosso futuro.

Leia Mais

Bem vindo, setembro

E chega um novo mês, desta vez encurtando ainda mais este ano que, verdade seja dita, voou. Mês de setembro, aliás, que já começa comemorando a nossa Independência e simbolizando momentos de ruptura e recomeço.

Para quem está trabalhando em uma nova história, perfeito. Nada melhor do que arquivar o passado e se inspirar nos gritos de D. Pedro para inaugurar um novo capítulo, uma nova fase, uma nova história. 

Gosto de momentos assim. Quando o Tempo em si nos inspira a virar página, temos que aproveitar. Aproveitar para sair da mesmice, do cotidiano que escrevemos para nós mesmos, de perspectivas que, por qualquer que seja o motivo, tenham ficado encravadas em um tempo mais utópico do que real. Viradas de mês com toques simbólicos são, assim, perfeitas. 

Ainda temos alguns meses até o final do ano: um trimestre inteiro, aliás. Normalmente, as nossas resoluções de mudança vem nos finais de ano. 

Mas talvez essa não seja uma regra. Talvez o ideal seja adiantar esse período e já promover alguma ruptura de status quo no presente, já, agora, a partir deste 7 de setembro. 

Quer data melhor para se independer de amarras desnecessárias? 

  
 

Leia Mais

Um pouco de história da Bahia para comemorar o 2 de julho

Poucos brasileiros sabem que hoje, 2 de julho, é uma das datas mais importantes para o estado da Bahia. Na luta contra o status de colônia, a fortificação das cidades baianas era tamanha que foi necessário muito sangue derramado e meses a mais para que a independência fosse finalmente decretada.

Hoje, portanto, é um dos mais importantes feriados baianos e data na qual as cores vermelho, azul e branca são desfiladas pelas ruas e avenidas. E, aqui no Clube, não poderíamos deixar de comemorar e homenagear um estado que tanto contribuiu para a nossa literatura, incluindo nomes como Gregório de Matos, Pedro Calmon, Castro Alves, Jorge Amado etc.

E essa homenagem será por meio da recomendação de um livro sobre a história de uma região da Bahia – Alcobaça, no sul do estado – contada por um dos primeiros autores daqui do Clube, Fábio Said. Veja a sinopse do livro – que, diga-se de passagem, já recebeu excelentes críticas:

Por volta de 1747, dois moradores da vila de Caravelas, no sul da capitania de Porto Seguro (extremo sul da atual Bahia), mudaram-se para terras vizinhas às margens do rio Itanhém. Em 1764, já havia no local uma pequena povoação conhecida como arraial de Itanhém, que em 12 de novembro de 1772 passou a ser a vila de São Bernardo de Alcobaça.

Este livro percorre a história de Alcobaça-Bahia desde as origens até o fim da época dos coronéis, mostrando detalhes da vida da cidade em três séculos: a política e as relações sociais; dados sobre a economia e antigos engenhos; origens de famílias centenárias; a presença dos franciscanos holandeses, naturalistas alemães e imigrantes açorianos e libaneses; históricos dos sobrados antigos; grandes vultos nascidos na cidade; desmembramentos territoriais.

Escrito com base em rigorosa pesquisa documental, este livro pioneiro visa a suprir a demanda de informações sobre Alcobaça, que é mais lembrada pelo turismo de veraneio e cuja história corre risco de esquecimento.

Para acessara sua página clique aqui, na imagem abaixo ou vá diretamente ao link https://www.clubedeautores.com.br/book/31493–Historia_de_AlcobacaBahia_17721958?topic=geografiaehistoria#.U7L0pY1dW5Q

Leia Mais