5 motivos para publicar seu livro no Clube de Autores

Qual o melhor caminho para se publicar um livro no Brasil – e por quê?

Se você é autor e está buscando um caminho para publicar seu livro, certamente deve ter se abatido com as notícias divulgadas sobre o mercado editorial brasileiro nos últimos tempos. Estamos falando, afinal, de um mercado que efetivamente encolheu 20% na última década! Isso significa que o sonho de pavimentar uma boa carreira literária deve ser enterrado?

Obviamente que não. Aliás, quer um dado que contrapõe quase que surrealmente o citado acima? Entre 2001 e 2016, o hábito de leitura do brasileiro cresceu os mesmos 20%! Bom… qual a resposta para um mercado que cai na mesma medida em que o seu consumo aumenta? Simples: o surgimento (ou, nesse caso, a explosão) de uma nova dinâmica de mercado – uma dinâmica que nada tem a ver com os velhos e antiquados métodos de se encarar o universo editorial. Quer ter uma boa carreira como escritor?

Então esqueça o “velho” e publique-se em um modelo novo, abrindo mão de velhos e desfuncionais paradigmas e entregando-se de alma a esse mundo de oportunidades que se abre agora para novos autores. O caminho é um só: publique seu livro aqui, no Clube de Autores. Por quê? Veja 5 motivos aqui:

1. O Clube de Autores é de graça!

Quer uma vantagem melhor que essa? Ao invés de pagar milhares de reais para uma editora convencional que não te dará nenhuma mínima garantia de sucesso, você pode trilhar o seu caminho por aqui sem nenhum custo. Para publicar no Clube, basta acessar o site, clicar em Publique seu Livro e seguir as instruções. Em instantes sua obra estará disponível para venda tanto em formato impresso quanto digital – sendo que imprimiremos os exemplares físicos na medida em que as vendas forem acontecendo. Ou seja: vendeu 1 exemplar? Imprimimos e entregamos 1. Vendeu 100? Imprimimos e entregamos 100. E assim por diante.

Mas, claro, há um outro lado envolvido aqui que é importante de se entender. Como não cobramos nada dos autores, também não fazemos revisão, capa, diagramação, registro de ISBN ou coisas do gênero. Aqui, o próprio autor é quem deve cuidar de seu livro – o que inclusive é o que mais funciona no mundo inteiro. Há dois caminhos que você pode trilhar aqui: conseguir “amigos” que te ajudem nesse processo ou contratar serviços profissionais avulsos, de terceiros.

Seja como for, tenha em mente que é assim que o mercado funciona hoje – no mundo inteiro. Esqueça aquela ideia romântica de uma editora que cuidará de toda a sua obra, em todos os detalhes, e não te cobrará nada por isso. A não ser que você já seja um autor best-seller, isso dificilmente acontecerá. Seja prático: encare esse novo momento de mercado, trabalhe você mesmo o seu livro e publique-o aqui.

Quer uma ajudinha a mais? Dê uma olhada nesse post aqui com algumas regrinhas importantes para se escrever um livro ou neste aqui com todas as etapas que um autor deve encarar para publicar o seu livro.

2. Publicar aqui significa estar presente nas maiores livrarias do país!

A maior parte das plataformas de autopublicação resume-se a uma loja. Ou seja: se você publicar seu livro na Amazon, para ficar apenas em um exemplo, ele será vendido exclusivamente na Amazon.

Essa talvez seja a maior das vantagens do Clube: nós funcionamos como uma central de distribuição em todos os formatos. Publicar aqui significa estar à venda na Amazon, na Livraria Cultura, na Estante Virtual, no Mercado Livre e em diversas outras lojas e marketplaces. E isso porque estamos falando apenas de impressos.

No caso de ebooks, os livros irão para venda no Kindle, na Apple, no Google Play, no Kobo e em outros canais importantes.

Claro: somos também uma loja online e os livros estarão todos à venda aqui. Mas não nos enganemos: a grande audiência está mesmo nessas grandes livrarias. Iríamos além, até: estar nesse conjunto de livrarias significa que seu livro estará ao alcance da quase totalidade de leitores do Brasil. Quer vantagem maior que essa?

3. Temos modelos específicos para autores que desejarem adquirir tiragens maiores

Muitos autores acabam montando um modelo próprio de comercialização dos seus livros: eles adquirem tiragens maiores, de 500 ou mais exemplares, e revendem-nos diretamente via redes sociais.

Até o passado recente, nós não éramos uma opção viável para esse perfil de autor: como estávamos focados em impressões sob demanda, simplesmente não conseguíamos trabalhar com uma escala tão grande. Até o passado.

Recentemente, o Clube de Autores lançou um modelo completamente diferente do tradicional e feito para este perfil de autor: a gestão colaborada. Como funciona?

Simples:

  • Conseguimos preços praticamente imbatíveis para tiragens maiores por conta de uma negociação intensa que fizemos com nossas gráficas parceiras
  • Como, seja como for, o valor de 500 ou mais exemplares sempre vai ser mais pesado que o de 10 ou 20 exemplares, conseguimos parcelar esse pagamento em até 12 vezes no cartão
  • O melhor de tudo: conseguimos armazenar parte desse estoque pelo autor, utilizando-o como acervo próprio para distribuição e venda na nossa rede de livrarias.

Em outras palavras: o autor pode comprar uma tiragem maior a preços menores, parcelado e conseguindo também um apoio importantíssimo na distribuição e venda pelas maiores livrarias do Brasil!

Quer saber mais? Acesse essa página aqui com mais informações sobre o nosso modelo de compras em quantidade.

4. Já estamos vendendo no mundo inteiro! 

Desde o começo de fevereiro de 2019, o Clube de Autores passou a vender os livros impressos em todo o mundo! Como?

Depois de meses e meses e meses de negociações e integrações tecnológicas, conseguimos firmar acordos com algumas das maiores redes de gráficas do planeta. Assim, por exemplo, quando um leitor comprar um livro nos Estados Unidos, ele será impresso nos Estados Unidos e enviado diretamente para o leitor sem que precisemos nos preocupar com complicações alfadegárias ou custos de frete impeditivos.

Como isso acontece? Basta fazer o processo de compra tradicional lá no site do Clube. Em algum ponto, o próprio sistema perguntará o endereço e o comprador inserirá os dados de onde estiver, viabilizando o cálculo automático de frete e de coisas do gênero.

5. Somos transparentes!

Tá: talvez esta seja a maior vantagem de todas.

Porque é extremamente comum ouvirmos de autores que costumavam trabalhar com outras editoras que eles nunca faziam ideia de quantos livros venderam.

O esquema aqui é outro. Vendeu? O livro aparece na sua área de direitos autorais.

Na mesma hora, caso seja uma venda ocorrida no site do Clube de Autores, ou em 60 a 90 dias caso seja uma venda ocorrida em uma livraria parceira. Vale ressaltar que esse prazo de registro de vendas existe apenas porque é somente depois dele que as vendas são reportadas pelos canais para nós mesmos.

Mais: o depósito diretamente na conta do autor pode ser tanto automático (sempre no quinto dia útil após o autor acumular um mínimo de R$ 100 a receber) quanto sob demanda (bastando que o autor nos solicite o depósito do seu valor a receber a qualquer momento e independentemente de qualquer montante acumulado).

Não há, no mundo, nenhuma outra plataforma tão transparente assim. Aliás, isso é o mínimo, certo? Afinal, são suas vendas e nada mais natural que você saber sobre elas o quanto antes!

Publique seu livro e comece a vender!

É por motivos como esses que o Clube de Autores tem crescido tanto no Brasil. Mesmo com todo o pessimismo do mercado editorial brasileiro, aliás, o Clube fechou o ano de 2018 registrando 30% de crescimento – um valor extremamente expressivo e que reflete exatamente este novo paradigma que está se estabelecendo.

São novos autores, novos best-sellers, novas descobertas que tem acontecido aqui em nossa plataforma – que, hoje, já tem 85% do mercado de autopublicação e é responsável por cerca de 15% de todos os livros publicados no país!

Sabe o que falta aqui? O seu livro!

Navegue em nosso site, conheça mais a nossa proposta e os nossos conteúdos de apoio e publique seu livro no Clube de Autores!

 

Leia Mais

Quais os melhores programas para se escrever um livro?

Dentre tantas opções, quais as mais práticas para você?

Já abro o post deixando uma coisa extremamente clara: o mais importante para se escrever um livro não é o programa, mas sim a história. E não estou falando aqui apenas de uma boa ideia para um enredo, mas sim da história inteira – sua estrutura, sua cadência, sua revisão ortográfica e gramatical, enfim… tudo o que o leitor for efetivamente ler. Neste sentido, caso tenha qualquer dúvida maior, recomendo que acesse esse post aqui com algumas dicas importantes para se escrever um livro.

OK… mas ter uma história bem estruturada na cabeça não significa, necessariamente, conseguir fazê-la magicamente pular para o papel e para todos os formatos que você precisará para que seu livro esteja no caminho para o sucesso. O motivo para isso é relativamente simples: além de uma diagramação bem feita para que seu livro seja mais gostoso de se ler (nada daquelas páginas com fonte minúscula e sem espaçamento que impõe preguiça ao leitor!), há toda uma questão técnica fundamental que precisa ser levada em conta.

As questões fundamentais (tamanho, PDF e ePub)

Primeiro, seu livro precisa estar no “tamanho” certo. Aqui, no Clube de Autores, trabalhamos com toda uma variedade de tamanhos (A5, A4, pocket e quadrado) – mas se eles não forem respeitados, o próprio sistema não aceitará a sua obra. Vale a pena dar uma olhada nesse post aqui que, além de modelos de documentos para download, traz algumas dicas relevantes.

Em segundo lugar, o seu livro precisa ser facilmente convertido para PDF. Essa regra é sagrada, aliás: sem um PDF, você não conseguirá publicá-lo aqui no Clube em formato impresso (que, hoje, corresponde a mais de 85% de todas as nossas vendas e de mais de 95% das vendas do mercado brasileiro). Normalmente, os próprios programas editores de texto já permitem a conversão para o formato PDF. De qualquer maneira, caso precise, recomendamos o uso desse site gratuito aqui.

Em terceiro lugar, há outro formato importante que você deve considerar: o ePub. Apesar de grande parte das lojas de ebook (como o Google Play, por exemplo) trabalharem com PDF para os livros eletrônicos, outras (como Apple iBooks e Kindle) operam apenas com o formato ePub.

O ePub, na prática, é o modelo mais “perfeito” para ebooks que existe pois, diferentemente do PDF, permite que se navegue com maior liberdade pelo arquivo (incluindo se aumentar ou diminuir fontes mais à vontade, para ficar apenas nesse exemplo). considerando que a imensa maioria dos brasileiros lê ebooks em seus celulares, o ePub é muito mais aconselhável que o PDF. E, a propósito, é possível publicar um PDF para o formato impresso e um ePub para o eletrônico no Clube de Autores, que fará a distribuição da sua obra literária para todas as grandes livrarias em todos os formatos.

O problema de ePub é que sua conversão não é exatamente tão simples quanto no caso de PDF, principalmente se seu livro tiver imagens ou tabelas. Nesse caso, recomendamos mesmo que contrate algum profissional especializado (como esses aqui). A conversão não costuma ser um serviço caro, mas é essencial. Ainda assim, se seu livro for essencialmente composto por texto, você conseguirá trabalhar com algumas ferramentas que fazem a conversão automática e gratuita – e, nesse sentido, vale testar.

Os melhores programas para se escrever um livro

Talvez o título ideal dessa seção não devesse ser exatamente este: “melhor”, afinal, costuma ser uma palavra individual ou pessoal demais. Ainda assim, arrisco algumas sugestões práticas com base no que mais vemos escritores utilizando e recomendando por aqui.

MS Word

Não pretendo me alongar muito nesse aqui. O Word, da Microsoft, é o editor de texto líder de mercado e, de longe, o mais utilizado. é seguro, permite se trabalhar seu livro nos diversos tamanhos possíveis e já consegue gerar o arquivo em formato PDF. Isso sem falar, claro, com a possibilidade de se fazer revisões mantendo os textos originais, o que também facilita – e muito – o processo de leitura crítica e de revisão ortográfica e gramatical.

O Word, portanto, apesar de ser o “avô” dos editores de texto, é ainda o mais utilizado e o mais fácil, prático.

Google Docs

O Docs é a versão do Google para o Word. Sua aparência é semelhante e suas possibilidades técnicas, idem… mas ele tem uma vantagem e uma desvantagem importantes.

A grande vantagem é que tudo o que você fizer ficará automaticamente salvo na nuvem, vinculado à sua conta no Google – o que é uma mão na roda. Há também aplicativos gratuitos para smartphones e tablets, além do bom e velho navegador, o que garantirá a você a possibilidade de escrever sempre que precisar ou desejar. Isso sem contar com outro ponto importante: a possibilidade de compartilhamento do arquivo com seus revisores ou críticos, que poderão acrescentar comentários ou observações extremamente úteis a você.

A grande desvantagem aparece quando você precisa acrescentar imagens no arquivo. Não que seja impossível, claro – mas o processo de fazer upload de uma imagem para a galeria do Docs e depois posicioná-la da maneira desejada é, para dizer o mínimo, chato.

yWriter

O yWriter não é exatamente um programa feito para quem já não tenha uma grande intimidade com tecnologia – mas é extremamente eficiente. Com versão para Mac e Windows, ele permite se acompanhar mudanças, registrar os movimentos dos seus personagens, organizar a história em linhas de tempo e cenários e até mesmo reagrupar trechos da história.

Eu não diria que seja exatamente um aplicativo facílimo mas, se você já for relativamente íntimo de tecnologia, vale experimentar.

Scrivener

O Scrivener é um dos mais famosos aplicativos para escritores em todo o mundo. Ele tem muitas das características do yWriter mas, ao menos na minha opinião, é mais intuitivo e prático. É, de certa maneira, uma mescla entre um editor de texto e um gerenciador de projetos, incluindo desde possibilidades de anotações técnicas à elaboração de linhas de tempo. Também já exporta – e com alta qualidade – para os formatos PDF e ePub, o que pode quebrar um bom galho.

O ponto negativo? Ele é pago (entre US$ 40 – U$ 45).  De toda forma, vale muito conferir: não é à toa que o Scrivener é tão utilizado no mundo afora.

ZenWriter

É uma espécie de meio termo entre o MS Word e o yWriter ou mesmo o Scrivener. Na prática, a grande vantagem do ZenWriter é a experiência de se escrever: quando se inicia um texto, ele “domina” a tela inteira e gera uma sensação de imersão absolutamente inspiradora.

Há também uma biblioteca de inspiração, mas, honestamente, não vi tanta utilidade prática nela (embora seja minha opinião pessoal e não uma realidade escrita em pedra).

O ZenWriter também é pago – US$ 17,50 – e, da mesma forma que o Scrivener, tem apenas a versão em inglês. Ainda assim, vale conferi-lo.

StoryBook

Não vou dizer que o StoryBook esteja na minha lista de preferidos (como o Scrivener, por exemplo): ele tem um aspecto esquisito e uma experiência inversamente proporcional, por exemplo, ao ZenWriter.

Ainda assim, ele inegavelmente auxilia na organização e na estruturação do enredo. Por ser gratuito, talvez valha experimentar o StoryBook como uma espécie de introdução a esse universo de programas para escrever livros mais profissionais.

Scapple

Eu não chamaria o Scapple de um programa perfeito para se escrever livros – mas a facilidade de se organizar ideias e enredos nele é excepcional. Há como se criar mapas interrelacionados, estruturas cronológicas, árvores de personagens e toda uma gama possibilidades que garantirão mais coerência a qualquer enredo mais complexo.

Há mais programas por aí? 

Há, sem dúvidas! Mas esses 7 que listamos aqui acabam, de certa forma, sintetizando toda uma série de possibilidades interessantes para escritores. E, embora alguns deles (como o Scapple, por exemplo) funcionem melhor em conjunto com outro (como o Google Docs ou mesmo o Word), todos acabam suprindo necessidades importantes de escritores.

Nossa recomendação principal, aqui, é que você teste, experimente. Mesmo os pagos costumam ter suas versões gratuitas para demonstração, que costumam ser um caminho interessante para que você se familiarize e descubra se se sentirá ou não à vontade.

Mas não se esqueça: o mais importante não é o programa, é a sua história e a maneira com que ela foi/ está sendo escrita. Tendo ela escrita, tudo passa a ser uma questão de como trabalhá-la para que ela se transforme no livro dos seus sonhos (e dos sonhos de seus leitores, claro).

Tem alguma dúvida? 

Seja sobre programas ou sobre o próprio processo de se publicar um livro (veja mais informações aqui), basta nos escrever por aqui pelo blog ou pela área de dúvidas em nosso site. O Clube de Autores, afinal, nasceu justamente como um lar para autores independentes, e reunimos aqui um compilado de experiências que se somam desde a nossa fundação, em 2009 :)

Aliás, se você ainda não nos conhece, recomendo que reserva alguns poucos minutinhos e acesse o nosso site (clique aqui), navegue pela plataforma e descubra como publicar seu livro gratuitamente em todos os formatos e ainda tê-lo distribuído pelas maiores livrarias do país (como Estante Virtual, Cultura, Amazon, Mercado Livre, Kindle, Apple iBooks, Kobo, GoogleBooks e muitas outras!)

Leia Mais

Clubinho de Autores na Folha de S. Paulo

Desde o lançamento do Clube, nós sempre ficamos acompanhando daqui a evolução da categoria de infanto-juvenis. Afinal, se há algo que pode efetivamente definir o futuro da literatura no Brasil, é justamente o montante de crianças participando do processo de produção cultural (não apenas como leitoras, mas também como autoras).

Há cerca de 1 ano, alguma coisa inexplicável aconteceu: o volume de autores infantis praticamente dobrou, chegando a 2% do total de livros no Clube. Foi por isso que lançamos o Clubinho de Autores – uma versão do Clube feita especialmente para crianças. Já nos seus primeiros dias de vida, o Clubinho conta com mais de 300 títulos, número que tende a crescer bastante nos próximos meses (quando inseriremos novas funcionalidades que o transformarão em uma plataforma mais robusta).

E, em plena fase de lançamento, nos deparamos no dia 1 com uma matéria na Folha de S. Paulo falando sobre a iniciativa :-)

Veja a reportagem abaixo. Para ler na íntegra, clique aqui ou vá ao link http://www1.folha.uol.com.br/folhinha/2013/10/1349754-quer-publicar-um-livro-projeto-na-internet-lanca-obras-de-criancas.shtml

E, claro, para acessar o Clubinho, clique aqui ou no link https://clubinhodeautores.com.br/

Leia Mais

Aproveite as dicas de autores e do Clube sobre como trabalhar o seu livro

Há algumas décadas (ou séculos) atrás, um escritor precisava ser mestre em uma única coisa: escrever.

A vantagem é que ele podia se dar ao luxo de concentrar-se em sua verdadeira paixão; a desvantagem é que havia a necessidade dele se dedicar em tempo integral ao ofício – mesmo considerando a (grande) possibilidade de não conseguir se sustentar por ele.

Para o bem ou para o mal, os tempos mudaram e, já há muito, um autor precisa dominar artes que transcendem a literatura – como divulgação e venda, por exemplo. Há os que reclamam que isso está criando barreiras grandes para a literatura mas, em realidade, o que se observa é exatamente o oposto.

A literatura mundial nunca teve uma quantidade tão grande de autores talentosos e, apesar de nomes como Hemingway, Machado de Assis e Kafla continuarem sendo raros (como são e sempre foram todas as preciosidades), não temos tanto de que nos queixar.

Para nós, autores de todos os diferentes gêneros literários, o fato é que as portas estão abertas e que demandam que nos aventuremos por elas armados com a criatividade de gerar atenção e curiosidade sobre as nossas obras.

Ainda bem que há a Internet! Por ela, afinal, escritores de todos os cantos se mostram quase que aflitos para compartilhar experiências entre si, comentando casos de sucesso e de fracasso em uma espécie de rede de apoio mútuo.

Daqui, do Clube, entendemos que parte do nosso papel é justamente facilitar o acesso entre os que tem boas experiências a compartilhar e os que querem aprender técnicas novas para “acontecer”.

E temos algumas ferramentas que podem ser bastante úteis:

– No próprio site do Clube, há a Universidade do Autor, em que disponibilizamos cursos gratuitos e narrados sobre temas como divulgação de livros, diagramação etc. Para ver, clique aqui.

– No Facebook, realizamos semanalmente o Palavra Inquieta, um “vídeo-papo” ao vivo entre autores contemporâneos badalados e todo usuário que estiver interessado a interagir com eles. O programa acontece todos os finais de tarde das quintas, com programação sempre divulgada aqui no blog e pelas mídias sociais. Para ver, clique aqui.

– No SlideShare, disponibilizamos os mesmos cursos da Universidade do Autor em formato PDF, para download direto. Para ver, clique aqui.

– No Twitter, sempre comentamos casos interessantes e que estão “movimentando” mundo do livro. Acesse o nosso Twitter aqui.

– E, finalmente, sempre fazemos posts aqui no blog sobre casos de autores do Clube que, com muito suor (e, obviamente, talento) conseguiram chamar a atenção da crítica e do público, criando para si as bases sólidas de carreiras literárias mais que promissoras.

Se você é um autor independente, provavelmente convive com as mesmas ansiedades, medos e obstáculos que toda a comunidade. É provável que tenha já passado por momentos de extrema felicidade e de frustração com as letras – coisas que fazem parte da vida de todo escritor desde a antiguidade clássica.

Mas, se é realmente um escritor, então você também não tem alternativa – pois o ato de escrever é tão fundamental quanto o de beber água ou de se alimentar. Sendo esse o caso, então há duas coisas que podem ser feitas: continuar escrevendo e, claro, buscar sempre se aprimorar em um aspecto que está se tornando essencial para todo autor moderno, por todo o mundo: ser empresário de si mesmo.

Os links que passamos acima certamente ajudarão – mas nada de ficar restrito a eles. A Web é vasta e as fontes de inspiração trazidas por ela são praticamente infindáveis!

Isto posto, é hora de trabalhar. E de escrever.

Boas letras!

Leia Mais