Autor Edweine Loureiro é eleito membro de Academia Literária no Nordeste

Gregório de Matos, Gonçalves Dias, Castro Alves, Gilberto Freyre, José de Alencar, Graciliano Ramos, José Lins do Rego, Rachel de Queiroz, Jorge Amado e uma lista quase sem fim de nomes fazem do Nordeste brasileiro uma das regiões mais férteis para toda a literatura mundial.

Em páginas desses e de outros grandes mestres, toda a história e cultura de um povo que mescla a luta pela sobrevivência à esperança sempre bem humorada é imortalizada. E, claro, não é todo dia que vemos autores ingressando formalmente em academias literárias, redutos que costumam ser reconhecidos por abrigar algumas das mentes e mãos mais talentosas das artes escritas de suas regiões.

Essas academias, aliás, tem surgido com relativa frequência não apenas pelo nordeste, mas por todo o país. E, ao invés “banalizar” o conceito como um todo, o que isso tem feito é aberto portas para escritores dos quatro cantos do país que, por meio de reconhecimentos locais, conseguem galgar mais apoio e visibilidade para os seus textos.

Recentemente, o escritor Edweine Loureiro, daqui do Clube, foi confirmado como membro da Academia de Letras de Nordestina. Uma conquista para ele, claro, e também para a própria academia, que sem dúvidas recebe em seus quadros um talentosíssimo escritor que, apesar de residir no Japão, mantém as suas raízes aqui nas terras tupiniquins.

A ambos – Edweine e a Academia – gostaríamos de deixar aqui os nossos parabéns!

Para conhecer melhor o autor, clique aqui, no link http://www.clubedeautores.com.br/authors/34378 ou na imagem abaixo.

Leia Mais

Autor Edweine Loureiro vence Prêmio Literário Ferreira Gullar

Edweine Loureiro é um daqueles autores que está movimentando o universo literário com as suas ações e letras, ganhando visibilidade, leitores e, claro, reconhecimento.

Radicado no Japão, ele chegou a usar o seu livro, por exemplo, para ajudar as vítimas do terremoto que sacudiu o país em abril deste ano (veja post clicando aqui).

Além de efetivamente auxiliar os tantos desabrigados (seus vizinhos, diga-se de passagem), a ideia teve como efeito colateral chamar a atenção da mídia japonesa, que louvou a atitude e abriu espaço para ele em diversos veículos locais.

Enquanto isso, no Brasil, a carreira de Edweine seguiu em ritmo próprio, provando a tudo e a todos que, em tempos de Internet, a distância certamente não é barreira para ninguém. Entre novos textos e vendas de seu livro, o autor foi contemplado, agora em outubro, com o primeiro lugar do prêmio Ferreira Gullar, realizado pela Editora Assis, de Uberlândia.

Certamente uma porta a mais que se abre para o autor de Clandestinos que, assim, vai aumentando a sua base de leitores e fortalecendo uma carreira que, no mínimo, pode-se considerar muito promissora.

Leia Mais