Clube de Autores começa a distribuir livros impressos na Amazon

Há alguns dias, fizemos um post sobre a distribuição de livros na Estante Virtual e na rede B2W, que inclui Submarino e Americanas. Bom… esta semana temos mais uma novidade: a Amazon.

Pois é: os livros impressos do Clube também estão seguindo seu caminho para a Amazon, ampliando ainda mais o alcance de todos aqui. No caso da Amazon, no entanto, há uma observação que se faz importante: apenas os livros com ISBN serão distribuídos lá.

Assim, se você tem seu livro com ISBN publicado no Clube e nos autorizando a distribui-lo, pode aguardar que já já ele estará disponível na maior livraria do mundo!

Se você ainda não tem ISBN, recomendo que vá a www.profissionaisdolivro.com.br e contrate uma assessoria para obtenção de ISBN ou tire o seu diretamente no isbn.bn.br . O processo é simples, barato e, acredite, vale muito a pena!

E, claro, reforço abaixo as regras de distribuição:

Hoje, quando se autoriza a distribuição de ebook pelas lojas virtuais (Apple, Google, Amazon etc.), se aceita também regras novas de remuneração para que possamos incluir o repasse financeiro de parte do preço de capa para essas lojas. As regras que adotamos aqui serão as mesmas. Ou seja: 

Se seu livro custar, hipoteticamente, R$ 35,00 no Clube, dos quais R$ 5,00 são de direitos autorais, este montante continuará valendo apenas para vendas feitas através do site do Clube. Caso o livro seja vendido, por exemplo, via Amazon, a sua remuneração será fixa de 20% sobre o preço final – ou seja, de R$ 7,00. Apenas para frisar: custe o que custar o livro, o preço no Clube ou nas lojas será o mesmo e, no caso de vendas pelas lojas, o autor receberá sempre 20% do preço de capa. 

Se você já tem um ebook autorizado a ser distribuído, não precisará fazer nada – a mesma regra se aplicará ao impresso. Caso não tenha e deseje distribuir o seu livro pelos canais, basta que vá a Sua Conta, clique em Livros Publicados, clique no botão de ações e vá a Gerenciar Publicações em Livrarias, seguindo as instruções na tela. 

amazon_logo_RGB

Leia Mais

Confira curso sobre narrativas biográficas em estilo de jornalismo literário

Se você tem interesse em histórias de vidas e escreve sobre elas profissionalmente ou quer escrever ou se você simplesmente tem um projeto pessoal ou familiar a desenvolver, vale conferir esse curso, capitaneado pelo professor Edvaldo Pereira Lima.

Veja:

A era da informação massiva e múltipla que vivemos transporta, implícito, o fenômeno do interesse contínuo do público pelas histórias de vidas. Nas mais distintas formas e nos mais variados meios de comunicação, são as narrativas centradas em pessoas que cativam mentes e corações. Ficcionais ou reais, habitam as novelas, fazem o cinema acontecer, crescem nos livros, passam pelos veículos jornalísticos. Chegam ao universo digital. Marcam presença no mundo corporativo.

Na literatura de não ficção, os perfis, as biografias, os ensaios-pessoais, as memórias, as autobiografias têm espaço consolidado e demanda instalada.

Ótima notícia, mas…

O problema é que nem sempre a demanda é atendida com qualidade.A sofisticação crescente do mercado cultural exige competência ampliada dos autores. É para endereçar essa questão que o Professor Edvaldo Pereira Lima, referência nacional em jornalismo literário, montou o curso de narrativas biográficas.

Confira os tópicos:

  • Storytelling e sua matriz inspiradora para todas as formas de comunicação focadas em pessoas.
  • A Jornada do Herói para escritores de vidas.
  • O legado da rica tradição do Jornalismo Literário.
  • Uma ajuda instrumental do método Escrita Total – publicado em livro no Clube de Autores – de redação espontânea.
  • As possibilidades de vanguarda do Jornalismo Literário Avançado.
  • Uma contribuição de honra com as narrativas de transformação.

Se interessou? Acesse o site epl.eadbox.com , faça uma primeira vídeo-aula como cortesia e, se gostar, inscreva-se!

Screen Shot 2017-07-19 at 16.40.58

Leia Mais

Livro publicado no Clube vira base de novo comercial da Ford

Jean de Andrade é um velho conhecido nosso.

Ele foi um dos primeiros escritores a publicar seu livro aqui no Clube, já esteve conosco em nossa casa na Flip e, enfim, já é daqueles autores que chamamos de amigos realmente próximos.

Essa amizade nos possibilitou também, claro, conhecer melhor a história do Jean além da que ele publicou no Vida de Caminhoneiro: sua luta diária cruzando o Brasil para entregar tanto cargas quanto inspiração, esta última traduzida em suas histórias e no esforço empreendedor que ele faz para levá-las ao mercado.

Bom… ele tem conseguido.

Jean é, hoje, um daqueles autores que tem se destacado no nosso cenário brasileiro pela peculiaridade de suas histórias e pelo “exótico”, se é que essa palavra cabe bem aqui, de se revelar ao mundo a visão tão única e um caminhoneiro real cruzando as vias desse nosso imenso país.

E não são apenas leitores que tem descoberto suas histórias: a Ford também o descobriu.

É hora de me calar aqui no post: veja você mesmo, no vídeo abaixo, um pouco da história de Jean, que se transformou em personagem principal de uma daquelas raras peças de propaganda realmente belas.

E, se quiser se aprofundar mesmo – algo que aconselhamos bastante – acesse o livro do Jean neste link: https://www.clubedeautores.com.br/book/34955–

 

 

 

Leia Mais

O que significa esse movimento de distribuição livrarias que estamos fazendo?

Recentemente, divulgamos aqui no Clube a distribuição de livros impressos via Estante Virtual, Submarino e Americanas. Muitas outras lojas estão já a caminho, mas… o que, exatamente, isso significa para os autores?

Vamos por partes.

Hoje, é possível dividir os leitores (brasileiros ou mundiais) em duas grandes categorias: os que sabem precisamente o que desejam (títulos ou autores específicos) e os que buscam por temáticas. Não há, claro, uma estatística clara que separe uns de outros – mas o fato é que o primeiro grupo costuma ser atraído, em grande parte, pelos best-sellers.

Vamos ao segundo grupo – os que passam tempo navegando por vitrines, reais ou virtuais, ou por buscadores diversos. É aqui que o leitor típico do Clube costuma se encaixar, aliás – e é aqui que o espaço para os autores independentes costuma crescer.

Normalmente, esses leitores buscam sinopses interessantes, obras semelhantes a outras que já leram etc. Nesse ponto, o palco é o mesmo para todos – desde que saibam trabalhar bem os seus livros. E o que é trabalhar bem? É ter um texto profissionalmente revisado, com uma capa belíssima e uma sinopse instigante. Sempre reforçamos isso aqui no Clube: livros bem trabalhados não terão as suas vendas garantidas – não existe garantias assim no mundo; mas livros mal descritos, com capas pouco atrativas e comum português recheado de erros certamente terão resultados pífios.

Mas sigamos adiante no raciocínio: onde o leitor tradicional busca?

Em geral, ele vai a dois diferentes caminhos: Google e sites de livrarias.

No caso do Google, estamos bem aqui no Clube: todas as técnicas de otimização de buscadores estão aplicadas e mais da metade de todo o nosso tráfego vem de lá. Mas isso ainda é pouco: em termos gerais, temos algo como 300 a 400 mil visitas mensais.

Era preciso expandir, dar mais audiência para os livros e os autores e permitir que quem buscasse em livrarias os encontrasse.

Estante Virtual? Hoje, de acordo com o SimilarWeb (ferramenta que estima, embora com alguma margem de erro, a audiência de sites), eles recebem algo como 5 milhões de visitas mensais – e só para livros.

Submarino? 25 milhões (embora nem tudo seja para livros).

Americanas? Amazon? Cultura? Somadas, as audiências de todos esses portais chegam a praticamente toda a Internet brasileira.

E sim: ainda não estamos em todos. Mas estamos chegando lá.

Em suma, o que isso significa para os autores? Visibilidade.

Claro: ainda será fundamental trabalhar bem o livro, fazer a sua divulgação, conseguir boas críticas etc.: livros, assim como quaisquer outros “produtos”, não se “auto-vendem” – mesmo quando bem distribuídos.

Mas essa barreira, a do alcance, está sendo vencida por aqui como nunca antes. Digo mais, até: no mundo inteiro, nenhum site de autopublicação jamais conseguiu se distribuir de maneira tão intensa quanto o Clube de Autores.

Estamos orgulhosos disso. Até porque já estamos testemunhando que essa amplitude está, efetivamente, começando a se converter em vendas.

Leia Mais

Literature-se de cara nova

Não há como ser autor sem ser leitor. Ao contrário: eu, pelo menos, considero que ler insanamente é fundamental para se escrever bem. Que outra forma há, por exemplo, de se aprender as técnicas revolucionárias de narrativa de Mia Couto, Tolstoi, Virginia Woolf e tantos outros mestres?

E a Internet, claro, tem um papel fundamental nisso. Não só por ser um canal global de vendas, permitindo que mesmo os mais sofisticados livros de Khlebnikov cheguem nas mais distantes vilas amazônicas: mas por permitir que se fale densamente sobre livros.

Há um site específico que eu sou fã: o Literature-se. Quando o acessei na semana passada, percebi que ele estava todo remodelado, mais fácil de navegar, cheio de conteúdos belíssimos. Babei.

Babei e decidi divulgá-lo aqui, no blog do Clube, ambiente essencialmente feito de amantes da leitura.

Está com algum tempinho livre agora? Use-o bem: clique aqui ou na imagem abaixo e passeie pelo Literature-se. GaScreen Shot 2017-07-07 at 09.35.46ranto que você vai amar.

Leia Mais