Autor do Clube, George dos Santos Pacheco é eleito para a Academia Friburguense de Letras

O escritor friburguense George dos Santos Pacheco, autor de Uma Aventura Perigosa (2015) foi eleito para uma cadeira na Academia Friburguense de Letras. O anúncio foi feito pelo presidente da AFL durante a solenidade de premiação do Concurso Nacional de Literatura Heitor Villa-Lobos, que aconteceu no Auditório da Câmara Municipal de Nova Friburgo no dia 11/12. O evento celebrou também a entrega do título de Benemérito da Casa de Salusse a Luiz Fernando Bachini, presidente do Nova Friburgo Futebol Clube (NFFC) e contou com a apresentação do Coral da Academia Friburguense de Letras.

Pacheco é autor do Clube de Autores, e tem textos publicados em diversos sites, tendo sido premiado em 1º lugar, na categoria crônica, e em 2º lugar, na categoria conto, no 1º Concurso Literário da Câmara Municipal de Nova Friburgo, Troféu Affonso Romano de Sant’anna. Em 2014, teve seu conto “A Dama da Noite” adaptado para um curta metragem homônimo e em 2015, publicou o conto “Tarde demais para Suzanne” na antologia Buriti 100, e o romance “Uma Aventura Perigosa”, além de ser premiado em 3º lugar, na categoria Prosa, com o conto “O Dono do Bar”, no I Concurso de Prosa e Poesia de Bom Jardim – RJ. É também autor de O fantasma do Mare Dei (2010) e Sete – Contos Capitais (2015).

Uma Aventura Perigosa narra a história de Max de Castro, um funcionário público insatisfeito com trabalho e com problemas no casamento. Após uma crise de estresse em pleno expediente, incentivado por um psicanalista em um programa de entrevistas, escreve uma carta confessional, que deve ser escondida e destruída em 24 horas, mas a mesma desaparece, antes que ele pudesse fazê-lo.

Começa então o inferno de Max, angustiado pela possibilidade de seus maiores segredos serem descobertos, ou por sua esposa, ou por sua cunhada, a jovem Sophia, por quem se sente fortemente atraído. Uma série de coincidências atinge a vida de Max e ele descobre que nem tudo que ele sabe é verdade, e que todos tem segredos que precisam ficar escondidos a sete chaves.

No romance ‘Uma aventura perigosa’, George dos Santos Pacheco descreve de forma audaciosa e sem pudores as aventuras sexuais do “orgulhoso, impulsivo, e machista” Max de Castro, que se envolve com diversas mulheres ao longo da trama: jovens, universitárias e prostitutas. Com toques de humor e sarcasmo, Pacheco narra a impossibilidade de sair ileso a qualquer relacionamento, garantindo grandes surpresas aos leitores.

A posse do novo acadêmico deve ocorrer em março de 2016 em data a ser divulgada pela Casa de Salusse.

FB_IMG_1450702401825

Leia Mais

Livro do Clube na lista dos 11 títulos imperdíveis para gestores em 2016

Não poderíamos ter começado o ano com mais motivo para comemoração. Em plena recessão, a necessidade de se repensar o marketing em grandes empresas faz da temática em si um dos grandes assuntos de todo o mundo corporativo. Isso significa que há demanda tão grande quanto oferta sofisticada no mercado de livros do gênero, certo?

Certo.

E, talvez até por isso mesmo, um livro aqui do Clube tenha marcado território na lista dos 11 títulos que todo gestor deveria ler em 2016, segundo a Exame. Eis o Meaningful Marketing, de Marcelo Tripoli, lançado no final de novembro do ano passado e destinado a muito sucesso!

Ficou curioso? Para acessar a página do livro clique aqui ou vá diretamente ao link https://www.clubedeautores.com.br/book/196835–Meaningful_Marketing#.Vpe3ejbTbLI

Para acessar a matéria na Exame, clique aqui, na imagem abaixo ou acesse o link no http://exame.abril.com.br/negocios/noticias/11-livros-que-os-gestores-nao-podem-deixar-de-ler-em-2016#5

Screen Shot 2016-01-14 at 12.53.49 PM

Leia Mais

Promoção relâmpago no ar! 

E estamos terminando o primeiro mês do ano – já! Façamos isso com uma promo relâmpago – 2016, afinal, pede.

Vamos a ela: de hoje, segunda, até o dia 30, sábado, todos os impressos estarão com até 20% de desconto!

Vamos às regras:
1) Todas as obras impressas publicadas no Clube já estão incluídas na promoção;
2) Os descontos variam de acordo com a paginação de cada obra (sendo, portanto, diferente para cada uma);

3) Os descontos não abrangem os direitos autorais. Ou seja: independentemente do montante cortado no preço, os direitos autorais permanecem rigorosamente os mesmos e os autores não serão prejudicados em nenhum aspecto. Caso queiram ampliar as quedas de preço no período mexendo nos direitos autorais, os próprios autores deverão fazê-lo indo a Sua Conta > Livros Publicados, clicando em “gerenciar” e em “editar direito autoral”.

4) O desconto durará até o final do dia 30.

Boas vendas!

Leia Mais

Estou empolgado com o ano

Pode isso? Nossa inflação está no céu, nossos políticos no inferno, o crescimento do país mais negativo do que nunca, o desemprego virou uma realidade e as placas de “passa-se o ponto”, “vende-se” ou “aluga-se” praticamente dominando as paisagens urbanas. Em qualquer que seja o meio de comunicação, é difícil se pegar vendo alguma notícia boa, algo que nos acalente o peito quando projetamos as nossas vidas nesse futuro próximo.

Ainda assim, talvez com alguma resistência mental que comprove a minha própria imbecilidade, devo dizer que não me recordo de ter iniciado um ano tão empolgado quanto este 2016.

Talvez seja por amar tanto a literatura: épocas de grandes crises ou depressões, histórica e globalmente, sempre geraram as maiores obras de arte. Os poetas arcadistas brilharam no conturbado fim do ciclo do ouro em Minas; Álvares de Azevedo impôs o seu ultra romantismo quando chafurdado na então conservadoríssima São Paulo da metade do século XIX; Machado de Assis criou toda uma era literária no momento em que o Brasil saía de império para república.

No mundo, então, nem se fala: Tchekhov, Dostoiévski, Voltaire, Kafka, Nietzsche, Schopenhauer… todos foram fruto de alguns dos momentos mais tensos que o mundo já viu.

Talvez seja por conta desse abismo descrito por todos os que comentam as notícias e enxergam as realidades. Explico-me: é em momentos de crises, quando os abismos se fazem mais assustadores, que o nosso instinto de sobrevivência mais aflora e inova. Surgem, além de novas histórias, novos negócios, novas oportunidades, novas linhas de pensamento.

Por fim, tempos mais escuros como os que vivemos tem a inabalável capacidade de nos fazer repensar a vida. E repensar a vida é sempre, sempre algo positivo.

Veja, portanto, que não são poucos os indícios de que esse ano será absolutamente impactante, marcante, importante. Se pudermos nos basear na estatística – e sempre podemos – sairemos dele com excelentes histórias novas escritas, com inovações para todos os lados, com visões diferentes sobre as nossas próprias vidas.

E a crise em si? Bom… como todas as outras, ainda que a duras penas e impondo grandes sacrifícios, ela certamente passará. Em algum momento ela deixará as nossas manchetes e será substituída por um clima melhor, mais ameno. Como tudo, eventualmente será parte do passado.

O seu legado, no entanto, tem tudo para ser absolutamente atemporal. E quem está fazendo este legado somos todos nós.

Há como não se empolgar com um ano assim?

Nostalgia
Nostalgia

Leia Mais