Você conhece o modelo de kickstarting?

Já faz algum tempo que o mundo todo tem se voltado para o modelo de kickstarting – uma espécie de busca por apoio financeiro junto à comunidade de internautas e que, em muitos casos, viabiliza lançamentos de livros e carreiras como um todo.

Estamos começando a desenhar uma parceria aqui no Clube com a Kickante, uma das empresas brasileiras que mais tem se destacado nesse sentido. A ideia é viabilizar um apoio gratuito a escritores que buscam financiamento para tiragens maiores, eventos de lançamento ou coisas do gênero aqui no Clube. Mas, antes de fechar os próprios termos do que pode ser oferecido, preferimos perguntar aos próprios autores.

O que você acha? Que tipo de apoio você acharia importante no marketing do seu livro – principalmente considerando como resultante o levantamento de fundos dentro da comunidade de leitores (seja via pre-venda ou mesmo doação)? Escreva aqui nos comentários do blog e nos ajude a formar a base de uma parceria que pode ser muito, muito proveitosa!

Só faço um pedido: quanto mais específico for, mais fácil será entendermos e aplicarmos a ideia :-)

Ricardo Almeida.

28 comentários em “Você conhece o modelo de kickstarting?

  1. Excelente! É o que muitos autores precisam para alavancar sua carreira editorial. Creio que este recurso irá beneficiar muitas pessoas que estão iniciando seus projetos e talvez sintam até mesmo ‘falta de inspiração’ quando pensam que pode não dar certo. Este será um grande investimento em cultura. Parabéns aos idealizadores!

  2. Muito interessantes os comentários, e também mais uma grande iniciativa do Clube de Autores. Acredito que dessa pesquisa de opinião entre autores sairá uma grande iniciativa que com absoluta certeza vai beneficiar todos os autores do Clube. Não vou dar sugestão, vou apenas citar as minhas maiores dificuldades em divulgar os meus livros, tanto no Clube de Autores, quanto nas redes sociais das quais faço parte. Antes porém um comentário, percebo que as pessoas que conseguem investir algum dinheiro para imprimir seus livros seja no Clube de Autores, ou em outra editora, em número razoável de exemplares, promovendo eventos de lançamento, badalando seus livros em encontros sociais, coquetéis de lançamento, etc, conseguem vender seus livros, para pelo menos recuperar parte do dinheiro investido. Venho lutando de todas as formas na busca de recursos para poder imprimir um número razoável de exemplares dos meus dois livros publicados no Clube de Autores mas infelizmente não consigo, não tenho recursos e não consigo alavancar as vendas, mesmo divulgando-os no meu site e também nas redes sociais. Vendi alguns exemplares, mas não em número suficiente para me entusiasmar com a literatura. Talvez, e estou torcendo para isso, o Clube de Autores com mais essa ideia possa de alguma forma melhorar esse quadro. Vou continuar lutando, e essa possibilidade de se conseguir recursos via internet é uma boa solução que quem sabe poderá melhorar as vendas dos nossos livros. Abraços.

  3. Para mim, importante seria ter uma tiragem inicial do livro que pudesse ser colocada em grandes livrarias. Apesar de meu livro ter tido uma excelente divulgação, o fato de não estar em livrarias tradicionais certamente tirou dele a oportunidade de vender melhor. Muita gente ainda tem medo de comprar pela internet e prefere pegar o produto e pagar no caixa.

    1. Concordo com você, Gustavo.

      Muitas pessoas temem comprar pela Internet e os autores do Clube acabam perdendo vendas por isso.
      Seria muito interessante se o Clube de Autores tivesse um espaço em grandes livrarias, para expor as obras de seus autores.
      Seria bom para todo mundo. Para os autores, que com certeza teriam uma oportunidade excelente de divulgação de seu trabalho, e para o Clube, pois as vendas aumentariam, em todos os gêneros.
      A questão é: que livros seriam expostos? Como escolher, entre milhares de títulos ?
      Um concurso, talvez….

      Abraços a todos,
      Shirley

  4. Acredito que a divulgação da obra seria uma ajuda e tanto. Como já dito em uns dos comentários ali em cima, tenho um romance que acredito que seria tão vendido quanto água se tivesse a divulgação que um bom livro merece.
    Por exemplo, a divulgação poderia ser feita até mesmo pelas redes sociais como o Facebook. Acho que dessa forma, a Editora Clube de Autores poderia chegar a um patamar tão alto quanto a Editora Intrínseca e Novo conceito.
    Agradeço desde já.

    1. Oi Leonardo! O modelo de kickstarting garante uma maneira de fazer pre-venda ou angariar doações – mas a divulgação precisará continuar sendo feita pelo autor. Isso, hoje, é já parte integrante de qualquer modelo editorial no mundo – é assim em todo lugar.

  5. Primeiro de tudo, fiquei muito feliz ao tomar conhecimento do negócio. Acredito que pode está aí a solução para transformar o clube tão eficiente quanto as grandes editoras.
    Na minha opinião, os dois pontos principais à ser investido é o custeio da parte técnica dos livros; correção, diagramação, ficha técnica, aquisição de IBCN e outros itens que capacitam os livros para ser vendidos em todas as redes de livrarias, porque para a maioria dos autores é inacessível a aquisição desses dados técnicos.
    Então, além do suporte técnico, o outro fator determinante que agigantaria o clube e revelaria grandes autores, é sem dúvida a divulgação; distribuindo exemplares grátis para instituições e pessoas especificas, promovendo feiras, imprensa especializada.
    É claro, considerando que, esse “incentivo financeiro” esteja à altura.
    Sou autor independente, lancei recentemente o romance VALENTINE, que não tenho dúvida que seria um fenômeno de vendas de venda se tivesse o suporte adequado. Estou escrevendo atualmente um romance de literatura fantástica de alta performance, além de outros projetos que eu tenho na “fila de espera.”
    Vejo nessa iniciativa a saída para nós autores independentes e desconhecido e um crescimento literário substancial.

  6. Pra mim, o ideal seria um modelo que permitisse um custo mais baixo para o público final, mas contando com os benefício da compra pelo Clube. Imagine: com a dependência do sucesso do projeto do Autor, o Clube se compromete a um custo geral mais baixo e o resto funciona igual (impressão e envio).

    Ou seja, enquanto atualmente o Clube tem que arcar com o trabalho do “1 por 1”, a “pré-compra” gerada pelo Kickante permitiria uma impressão por volume, reduzindo o custo para todos os envolvidos e gerando uma garantia de venda. Assim, qualquer custo de infraestrutura que fosse gerado disso seria facilmente compensado.

    Existe uma empresa nos EUA que faz algo parecido com isso com Kickstarter – eles se chamam Make That Thing, e são um braço da Topatoco, que é parceira de artistas de webcomics.

    1. Oi Rodrigo! De fato, se uma pre-venda garantir uma tiragem maior isso com certeza barateia custo. Se a tiragem chegar a uns mil exemplares, por exemplo, o próprio modelo de impressão muda (de digital para offset), o que coloca tudo em outro patamar.

  7. Gostaria sim de ter a minha disposição um mecanismo para uma melhor divulgação. Com boa divulgação também ficaria mais fácil colocar nossas idéias junto ao grande público. Excelente a iniciativa, pois eu particularmente viso muito a divulgação de pensamentos novos e quem sabe mudar o comportamento social.

  8. Grande iniciativa, PARABÉNS! O que eu noto em todos os distribuidores de e-books (e tive a oportunidade de conversar sobre com a equipe da Saraiva responsável pelo Lev deles), é que eles aplicam a solução de vendas de cauda longa, ou seja, se você vender um exemplar por falta de um aparato eficiente de marketing por trás, você entra pelo cano, mas eles sempre ganham (pois cauda longa é isso, ter tantos produtos vendendo, que se individualmente eles vendem pouco, no conjunto vendem muito). Isso é cruel, afinal você fica com todo o ônus e cada venda que consegue soma em uma enxurrada de vendas (do portfólio total de seus autores) para o distribuidor enquanto você, sem apoio e sem os recursos de marketing das grandes editoras, fica a ver navios.
    Sempre achei que ações como esta que o Clube de Autores está tendo agora, de criar ferramentas de apoio REAL (e não aquele tutoriais blá blá blá que, por exemplo, a Amazon disponibiliza para seus autores, parecendo ser copiados e colados de blogs de e-marketing) é fundamental, cria VERDADEIRAS oportunidades para os autores que, por conseguinte, vão preferir ser fiéis ao distribuidor que não pensa só em si.
    Que esta seja só a primeira de MUITAS e vitoriosas IDEIAS CRIATIVAS do Clube de Autores para fomentar DE FATO as vendas de seus autores e, portanto, atraí-los cada vez mais para o Clube!
    Abraço e sucesso!

  9. Olá!
    Hoje em dia o que tenho sentido mais falta é de tempo para por no papel todas as ideias. Assim, uma espécie de bolsa para que pudesse me afastar de outras atribuições e me dedicar algumas horas por semana ao ofício seria muito bom. Creio que isso se adequa bem à pré-venda. Começar a escrever sabendo que o os exemplares que cobriram o investimento já estão pré-vendidos seria maravilhoso. Ajudas com revisão, diagramação e outras questões editoriais também são muito bem-vindas.
    Um abraço.

  10. O financiamento para tiragens maiores, a divulgação do trabalho pelo menos pós edição, uma equipe de editoração mais profissional, que pudesse ao menos fazer uma boa correção textual e semântico. Tudo isso pudesse ser financiado pelo clube dos autores, já que nós os autores sempre acabamos gastando bem mais do que o preço final do livro, não penso na ideia de lucrar com as vendas, mas que pelo menos tivéssemos condições de publicar um bom livro com a segurança de uma boa assessoria editorial.

  11. Bom dia,

    Acredito que a pré-venda seja uma boa forma de arrecadar fundos para o lançamento de um livro, mas não apenas a pré-venda de um exemplas, mas sim diferentes valores de contribuição com recompensas diversas, como por exemplo um exemplar do livro e uma camiseta de acordo com o valor.
    O que sinto mais dificuldade hoje no mercado editorial é conseguir uma forma de ligar o escritor com a editora e agentes literários, que possam estar auxiliando o escritor e juntos trabalhando na divulgação e venda dos seus livros.
    Mesmo entendendo as dificuldades e como funciona o mercado editorial no Brasil, acredito que se houver uma parceria sólida onde todas as partes investem junto o livro e o escritor nacional podem alcançar seu espaço.

    Obrigado

  12. Já publiquei dois livros e a venda é quase impossível, arquei com as despesas sozinho e não pude reaver meu investimento. Portanto, a pré-venda é interessante, porque o autor saberá que o seu futuro livro já tem um mercado, porém será que o leitor poderá mesmo creditar que o livro pré-vendido será concluído? Sobre a doação também entra na questão da confiança. Contudo a divulgação do trabalho durante a pré-edição e pós edição seria bem mais eficiente. O autor não tem condição sozinho de fazer isso, a não ser que já tenha um público cativo. Assim seria interessante manter uma rede de marketing para os autores iniciantes e apoio principalmente numa editoração mais profissional, correção textual e semântico. O autor iniciante acaba gastando mais do que deveria, acreditando apenas em seu talento, porém não tem um profissional que possa lhe auxiliar e lhe dar conselhos sobre os melhores caminhos e, claro, se o texto que ele tanto se empenhou será compensatório…

    1. Oi Cristiano. Na verdade, a pre-venda pode não ser a solução para este tipo de coisa. Com livro pronto ou não, o autor precisa se envolver fortemente com a divulgação para que o livro tenha resultado – isso em qualquer modelo. Vemos isso aqui no Clube diariamente: os livros que vendem muito o fazem porque os autores montaram uma estratégia interessante de divulgação, incluindo lançamento, blog ou site, presença em redes sociais etc. Isso eu diria ser fundamental em qualquer modelo.

      No entanto, a pre-venda pode ajudar a fortalecer a divulgação por criar já um burburinho sobre a obra.

      Explicando melhor os dois modelos, na pre-venda o usuário que compra recebe o dinheiro de volta caso uma determinada meta de arrecadação não seja atingida; na doação, o montante fica com o autor independentemente de qualquer meta.

Deixe uma resposta para Luiz Henrique Corrêa Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *