No ar a III edição do Prêmio Clube de Autores de Literatura Contemporânea!

Já se foram dois anos, mais de mil obras concorrendo e muita divulgação e visibilidade gerada.

Estamos falando do Prêmio Clube de Autores de Literatura Contemporânea, que está no ar em sua terceira edição – um evento 100% gratuito e com o objetivo de permitir que a própria comunidade se manifestasse sobre os livros aqui publicados.

Da mesma forma que nas últimas edições, ele continua dividido em duas fases: a primeira de votação popular e a segunda com eleição feita por um juri de convidados do próprio Clube de Autores, privilegiando critérios mais técnicos para as escolhas finais ao invés apenas da popularidade dos autores.

Veja o regulamento abaixo:

———

1. Condições de Participação:

1.1. Apenas obras literárias publicadas no Clube de Autores podem participar do Prêmio.
1.2. Todas as obras devem ser inscritas pelos seus próprios autores ou responsáveis legais clicando no link “inscreva-se”, no menu deste site.
1.3. Obras que forem retiradas do ar ou editadas, parcial ou integralmente, após a sua inscrição no Prêmio e durante toda a sua vigência, serão imediatamente desclassificadas.
1.4. Todas as obras inscritas receberão um selo “Vote nesta obra” em suas páginas no Clube de Autores.

2. Fase A: Geração de desejo

2.1. Todas as capas e sinopses das obras inscritas estarão abertas para votação popular, sendo que:
2.1.1. As votações serão anônimas, mas exigindo um mini-cadastro (nome e email).
2.1.2. O voto será computado apenas após a confirmação do email do usuário.
2.1.3. Não serão aceitos votos duplicados para a mesma obra e/ ou pelo mesmo usuário.
2.2. As 10 capas e sinopses mais votadas serão classificadas para a fase B.

3. Fase B: Conteúdo.

3.1 Todas as obras finalistas serão submetidas a avaliação por um corpo de jurados especializado e especialmente convidado pelo Clube de Autores.

3.2 Essa avaliação será feita baseada exclusivamente na análise das páginas disponibilizadas pelos autores para avaliação, durante a inscrição. Isso será feito utilizando como critério estilo, fluidez, criatividade, conteúdo e correção.

3.3 O anúncio do vencedor será feito no dia 17/11 no Blog do Clube de Autores.

Os 10 finalistas receberão o selo de finalistas que ficará postado em sua obra no Clube, servindo como testemunho para os leitores de que se trata de um livro reconhecido pela comunidade.

O vencedor levará um IPad 2 de 16GB, pronto para receber muitas e muitas páginas de livros digitais ;-)

E então? Quer participar? Acesse já o http://premio.clubedeautores.com.br e dê mais visibilidade para o seu livro!

A todos, desejamos uma boa sorte!

Leia Mais

Mais um pouco de Fliporto para aquecer os motores ;-)

Que tal viajar pelas edições anteriores da Fliporto (Festa Literário Internacional de Pernambuco)? Veja o vídeo abaixo, do RadarCultura, sobre o evento de 2010, e já prepare a sua viagem para esse ano!

Afinal, o Clube estará com sua casa lá em Olinda entre os dias 15 e 18 de novembro – com as portas totalmente abertas para todos os autores independentes!

#clubenafliporto

Leia Mais

Sem programa para o final de semana? Vá para a 30a Bienal de Artes de São Paulo!

Sim: as Bienais de Arte de São Paulo já foram maiores no passado do que hoje. Afinal, desde a sua primeira edição, na década de 50, até pouco tempo atrás, alguns dos mais renomados artistas de toda história já passaram pelo prédio da Fundação Bienal, no Parque Ibirapuera (em SP).

Mas uma mudança de rumos – o foco maior em artistas contemporâneos do que nos grandes mestres do passado – certamente deu um ar diferente, mais “fresco” e mesmo mais impactante para quem quiser “beber” inspiração diretamente da frente de batalha cultural.

É por conta disso que indicamos – ferozmente – que todos os autores que puderem agendem uma visita ao evento. Veja como a curadoria definiu essa Bienal:

(…) a 30a Bienal de São Paulo – A iminência das poéticas não possui um tema, mas um motivo. Esse motivo é o ponto de partida do qual se deduz uma série de perguntas sobre o tempo presente – entre elas, como a arte contemporânea funciona em situação de iminência, em um mundo imprevisível, marcado por acontecimentos que estão por vir e que nossos sistemas de pensamento não são capazes de assimilar plenamente.

Nesse âmbito, ligam-se duas ideias: a de iminência – entendida como aquilo que está a ponto de acontecer, como o que está suspenso, em vias de efetivação – e a de poética – entendida como discurso, como aquilo que se expressa, que se cala, que se transforma e que ganha potência comunicativa por meio da linguagem das artes. De acordo com o curador Luis Pérez-Oramas, a iminência também se manifesta pelo fato de que as obras de arte acontecem adquirindo, cada vez, uma forma diferente. A poética, por sua vez – em um sentido muito antigo resgatado pela curadoria –, é o arsenal simbólico que permite o estabelecimento de estratégias discursivas, cada vez mais presentes na arte contemporânea.
Nas palavras do curador, “a 30a Bienal aspira contribuir com o estado da discussão sobre o rol das práticas artísticas hoje, e não pretende, portanto, afirmar-se com respostas definitivas, ortodoxas, messiânicas”. A curadoria da exposição deseja colaborar para a construção do presente, a partir das articulações que propõe entre as obras, da consistência de sua expografia, da claridade de sua identidade visual e do diálogo a travar com o público.

Já quer sair correndo para a Bienal? Então veja as informações abaixo:

TRIGÉSIMA
BIENAL DE SÃO PAULO
A IMINÊNCIA DAS POÉTICAS

7 DE SETEMBRO – 9 DE DEZEMBRO 2012

PARQUE DO IBIRAPUERA, PAVILHÃO DA BIENAL – SÃO PAULO

ENTRADA GRATUITA

HORÁRIO DE VISITAÇÃO:
TER, QUI, SÁB, DOM E FERIADOS
DAS 9 ÀS 19H – ENTRADA ATÉ 18H
QUA E SEX DAS 9 ÀS 22H – ENTRADA ATÉ 21H
FECHADO ÀS SEGUNDAS

SITE: http://www.bienal.org.br/30bienal

Leia Mais

Autor Carlos Walter lança “O Violão e as Linguagens Violonísticas do Choro” em Paris

Ter um livro lançado é sempre um momento único na vida de qualquer autor – afinal, isso significa marcar no tempo a documentação de toda uma experiência de vida em páginas que ajudarão a formar as visões de vida de muitos, muitos leitores.

Daqui, sempre buscamos ajudar na divulgação de lançamentos de todos os autores – e recebemos, na semana passada, a notícia de um que ocorrerá em Paris. Curiosos, batemos um papo rápido com o autor Carlos Walter sobre sua obra e o evento em si, que segue abaixo:

CLUBE DE AUTORES (CDA): Fale um pouco sobre o convite e o lançamento de sua obra na capital francesa.

CARLOS WALTER (CW): O convite foi o desdobramento de um recital e uma oficina sobre as linguagens violonísticas do Choro realizados em 2010 durante o VI Festival de Choro de Paris, com o apoio do Programa de Intercâmbio e Difusão Cultural do Ministério da Cultura.

Na ocasião preparei um roteiro didático que em seguida foi aprimorado e testado em minha oficina de Violão para um projeto do Clube do Choro de Belo Horizonte. O resultado satisfatório e a descoberta do Clube de Autores fez com que eu transformasse esse material no livro “O violão e as linguagens violonísticas do choro”. Aproveitei o embalo e fiz o mesmo com “No crepúsculo da mocidade: arranjos e composições de Aníbal Walter reconstituídos por Álvaro Walter” e “Composição instantânea” redigidos por meu pai (Álvaro Walter), publicando-os pelo Clube de Autores.

Depois disso, fui convidado a participar das Jornadas de Abertura da Temporada 2012-2013 e do Intercommunal Choro – L’âme de la musique brésilienne pela pianista Maria Inês Guimarães (diretora do Clube do Choro de Paris e do Cebramusik) e selecionado pela curadoria do Edital de Intercâmbio do Programa Música Minas (parceria entre a Secretaria de Estado de Cultura e o Fórum da Música de Minas Gerais) para lançar meu livro, realizar recital e ministrar oficina didática junto ao violonista Sílvio Carlos (com o qual montei o duo de violões “13 Cordas”) e o trombonista Marcos Flávio. Ou seja, para difundir mundo afora a brasileiríssima linguagem do Choro através da música, da literatura e de estratégias de ensino-aprendizagem.

CDA: De onde vem o interesse por esse gênero musical tão brasileiro?

CW: O interesse pelo Choro decorre da minha ascendência musical. Sou filho, sobrinho, primo, neto e bisneto de bons músicos da cidade histórica de Mariana (Minas Gerais). Cresci ouvindo choros interpretados por meu talentoso pai, o saxofonista, compositor e arranjador Álvaro Walter (que hoje integra o Grupo Chorocultura da cidade de Uberaba e também publica pelo Clube de Autores). Vale ressaltar que a imagem da capa [que remete à boca (campana) e à sonoridade caleidoscópica do violão] e a foto da orelha do meu livro (a qual faz alusão às minhas origens maternas e à indicação gestual de um caminho que desemboca na diversidade) foram confeccionadas por minha mãe, a inventiva artesã Giselda Walter. Somem-se a esses fatores genotípicos as fenotípicas curiosidades de Uberaba (minha cidade natal) possuir inspirados artistas e uma atmosfera bastante musical… E o fato de hoje poder desenvolver em Belo Horizonte projetos (recitais, oficinas, gravações de vídeos e CDs) ao lado de especialistas em Choro.

CDA: Como será o evento?

Em 23/09/2012 (20h00), o duo de violões 13 Cordas (integrado por Carlos Walter e Sílvio Carlos) retornará à França para mais uma apresentação na Maison du Brésil a convite do Clube do Choro de Paris, associação dirigida pela pianista Maria Inês Guimarães. Na ocasião, realizará um recital nas Jornadas de abertura da temporada 2012-2013 com a participação especial do trombonista Marcos Flávio (professor da Escola de Música da UFMG) mediante apoio do Centro Eurobrasileiro de Música (Cebramusik) e do Edital de Intercâmbio do Programa Música Minas (parceria entre a Secretaria de Estado de Cultura e o Fórum da Música de Minas Gerais). O evento também abrigará o lançamento do livro “O violão e as linguagens violonísticas do choro” de Carlos Walter (um temário geral sobre o imaginário violonístico comercializado pelo Clube de Autores).

Em seguida, ofertarão uma oficina de choro na sede do Cebramusik (Centro Eurobrasileiro de Música, também dirigido pela pianista Maria Inês Guimarães) localizada na cidade de Antony entre 18h00 e 20h00 para estudantes dos conservatórios locais vinculados ao projeto Intercommunal Choro – L’âme de la musique brésilienne, ocasião em que o livro acima também será divulgado.

—–

Está interessado no tema e no livro? Então – se não estiver em Paris – veja informações sobre o livro clicando aqui, na imagem abaixo ou diretamente no link http://www.clubedeautores.com.br/book/31024–O_VIOLAO

Leia Mais

O Clube vai para a Fliporto, em Olinda

Sabe o que vai acontecer entre os dias 15 a 18 de novembro, em Olinda, Pernambuco? A FLIPORTO – uma das mais animadas e culturalmente ricas festas da literatura em todo o nordeste!

E, seguindo a mesma linha que adotamos na FLIP e FLIV, o Clube também estará presente lá com uma casa, recebendo diversos bate-papos com autores, saraus e criando um ambiente perfeito para que escritores independentes de todo o Brasil possam se conhecer, trocar experiências e confraternizar.

Teremos mais detalhes postados aqui no blog e em nosso Facebook em breve, mas queríamos já deixar todos informados aqui para reservar as datas, passagens e hospedagem: em novembro, Olinda será a capital nacional da literatura e você PRECISA estar lá com a gente ;-)

Para mais informações, acesse diretamente o site do evento, clicando aqui, no link www.fliporto.net ou na imagem abaixo!

Leia Mais