Dica de Eduardo Esber para divulgar o seu livro

A divulgação de seus livros é um tema de crescente importância não apenas para autores independentes, mas para todo e qualquer escritor no mundo de hoje.

Sempre que possível, buscamos compartilhar aqui pelo blog ou em outras mídias sociais em que estams presentes práticas de sucesso encabeçadas por autores dos quatro cantos do país.

Essa semana, recebemos, pelo atendimento, um artigo do autor Eduardo Esber sobre o mesmo tema. Com a sua autorização, o publicamos, na íntegra, aqui no blog. Boa leitura!

Dicas para divulgar seu livro

Se apenas escrever um bom livro bastasse para que o livro vendesse bem e seu autor ficasse feliz, todos os autores desse mundo seriam as pessoas mais felizes que poderiam existir. O melhor livro do mundo não venderá nada se as pessoas não souberem que ele existe, e para isso é necessário um árduo trabalho de marketing. Por outro lado, livros nem tão bons vendem muito bem devido a um adequado trabalho de marketing, que faz as pessoas saberem que ele existe e comprarem-no.
 
Nesse aspecto, digo para os autores que conta tudo o que for válido para fazer com que o público saiba que o seu livro existe. Fundamentalmente, isso é o que importa! Mesmo que não o comprem de imediato, as pessoas precisam saber da existência do livro. Isso favorece uma compra futura e também favorece a divulgação do mesmo, informalmente, entre elas.

Quando você vai comprar um sapato ou uma roupa, você não experimenta? Quando vai numa livraria convencional comprar um livro, você não dá umas folheadas antes? Compraria um carro sem fazer um test drive? Nesse aspecto, é sempre de bom tom divulgar algumas partes de seu livro para que o leitor conheça o tipo e o estilo de seu trabalho e assim possa se interessar pela sua obra. Seria como uma degustação oferecida a eles. Você acha que essas empresas que investem em quiosques de degustação de café em supermercados não têm um bom retorno desse trabalho? Claro que sim! E com os livros, acredite, a coisa não é diferente. A não ser que seu livro não seja lá grande coisa, sempre é bom dar uma amostra de seu conteúdo para os leitores, principalmente em se tratando de livros vendidos pela internet, pois nesse caso, o leitor não pode folheá-los antes da compra.

Levando-se em conta tudo isso que foi dito, deixo uma dica que considero importante para os autores que desejam uma maior divulgação de seus livros:

_ Façam um blog específico para o livro, onde constará a capa do livro, sua história, uma amostra de seu conteúdo, uma breve biografia do autor, comentários da imprensa e de quem leu o livro e o principal, que é o link para que o leitor compre o livro.

Tudo isso é muito importante e conta muito. Nesse blog, você até pode abrir espaço para comentários dos leitores e responder a eles, aumentando a interatividade. Para divulgar seu livro, simplesmente divulgue o endereço de blog, que deve ser fácil de ser memorizado. Um detalhe importante: O nome do blog deve corresponder ao nome do livro. Você não pode escrever um livro sobre, por exemplo, culinária, e chamar o seu blog de “estrela cadente”. Tem que haver uma certa coerência. Se quiser algo bem profissional, registre um domínio “ponto com” ou “ponto net”. É fácil, custa em torno de vinte reais ao ano e você e sua obra ganham individualidade.
 
Para ilustrar tudo isso que foi exposto, aproveito para mostrar o trabalho que fiz com relação ao recente livro que publiquei. O livro se chama “80 piadas de dentistas (revisitadas e comentadas)”, aqui publicado. Coloquei no ar a página:
 
http://80piadasdedentistas.net

Nela consta tudo sobre o que conversamos, inclusive com link para uma outra página mais detalhada, que fala mais do livro, acessado quando se clica em sua capa. Existe um link para a compra do livro e inclusive, também, para a compra de uma versão reduzida do mesmo, em formato E-book, bem mais barata e que serve como divulgação do trabalho.

Resumindo, escrever um livro é relativamente fácil, perto do trabalho de divulgação que vem depois. Não basta apenas escrever o livro. Isso seria a mesma coisa que se acendêssemos uma lâmpada e a colocássemos dentro do armário. É necessário um trabalho de marketing, de divulgação, enfim, de fazer o maior número de pessoas possível saberem que o livro existe. Nós somos autores independentes, mas isso não basta. Devemos também nos tornar os melhores divulgadores independentes que pudermos e assim alcançaremos os bons resultados que almejamos.

Desejo aos autores muito sucesso e muita criatividade na divulgação de seus trabalhos.

Abraços a todos.

Eduardo Esber

9 comentários em “Dica de Eduardo Esber para divulgar o seu livro

  1. Olá Edaurdo,
    Sou jornalista, ex-balconista de farmácia e autor do livro Farmáfia: falcatruas nos balões de farmácias (atuei 30 anos como balconista, e em 27 farmácias, sendo que em 20 delas meramente com interesse investigativo). Quando lancei meu livro, sofri represália dos profissionais da área farmacêutica, que me tacharam de mentiroso, que estava sendo leviano com a classe, que as falcatruas e crimes denunciados no livro não podiam ser generalizados…
    Eu visitei um site (de clínica odontológica) onde o autor desce a lenha nos seus livros… Tanto no meu caso, como no seu, não passa de atitude corporativista.
    Sobre o seu livro 80 motivos para não ir ao dentista, cada vírgula é verdadeira, e a questão deve ser generalizada porque a situação é caótica e abrange todas as clínicas. Me lembra um fato que me ocorreu na segunda vez na vida que fui a um dentista (na primeira vez minha mãe me levou num dentista de posto para extração), eu tinha 16 anos (hoje 44) e ao entrar na recepção (era dessas bem popular, que atende por atacado) e, não havendo ninguém, enfiei a cara em um dos consultórios e a menina que devia estar no atendimento estava “fazendo unhas”: ELA LIXAVA AS UNHAS COM A CANETA DE ALTA ROTAÇÃO!!! Essa pessoa lembra bem as secretárias do livro 80…
    Generalizando, as clínicas e consultórios odontológicos não prezam pela higiene, e não existe dentista que preza a ética — afinal, não pode haver ética sem higiene —. Dentistas, balconistas de farmácia e farmacêuticos pilantras existem aos milhares por aí… veja os golpes, fraudes e crimes a que os consumidores de medicamentos estão sujeitos no meu site http://www.portalfarmafia.com
    Boa sorte e continue defendendo a sua causa e denunciando os dentistas. Se faça um Diógenes, quem sabe um dia encontre um dentista honesto e higiênico.

  2. Super interessante. Adorei a dica. Escrevo desde menina. Hoje estou com 45 anos, tenho muitos escritos e ainda acho que sou uma menina. Sempre escrevi porque eu não podia fazer terapia, então utilizava, e ainda utilizo, o papel e o lápis como divã. Gosto de me derramar sobre cadernos e escrever de próprio punho.
    Já enviei uns trabalhos a alguns escritores, pedindo que emitissem opinião sobre meus escritos, mas nunca recebi resposta. Continuo tentando, não custa nada e não dói. Queria perguntar se posso enviar um trabalho de cada gênero para sua avaliação (crônica, conto e poesia), a fim de que eu decida se continuo escrevendo com um propósito maior de publicação ou se desisto de vez e sigo utilizando a escrita apenas como terapia. O que eu quero mesmo é ter uma opinião abalizada a respeito e até, se possível, alguma orientação, pois sei o quanto é difícil publicar e, mais ainda, viver de literatura neste país.

    Desde já agradeço a atenção.

    Um abraço,

    Áurea Stela

  3. Oi Stela. Uma maneira interessante de você divulgar seu trabalho e ter um retorno dos leitores é justamente colocando alguns trechos num blog e abrindo espaço para que eles comentem. Dessa forma você terá várias opiniões de diferentes pessoas, consolidando vários pontos de vista distintos. Ninguém melhor do que o próprio público para dizer se uma obra vale ou não a pena ser lida. Abraços.

  4. Adorei!
    Sempre precisamos trocar informacoes de boa divulgação.
    Acho que muitas vezes autores se tornam competitivos entre si, o que é bastante negativo. precisamos nos unir, prestigiar uns aos outros, dividir dicas boas e experiências más.
    Eu, por exemplo, faço vídeos de divulgação para o que escrevo. Presto este serviço para autores que se interessam também.
    Divulgo pelo you tube e o interesse cresce.

    Minha pergunta a vocês: será que vale o dinheiro pagar empresas de assessoria de imprensa especializadas?
    Já fui abordada por algumas, mas o preço é alto!

  5. Existem empresas que fazem um bom trabalho.

    O que você precisa fazer é colocar os custos no papel. Pegue o valor que pagará para uma empresa especializada e calcule quantos livros terá de vender para cobrir esse valor. Daí, de acordo com suas perspectivas de venda do seu livro, poderá ver se compensa ou não contratar esse serviço. Mas lembre-se, nenhuma empresa pode garantir resultados, apenas o trabalho que será executado. Os resultados são sempre imprevisíveis, portanto, em termos de retorno financeiro, contratar tais serviços será sempre um investimento de risco.

  6. Simplesmente amei essa entrevista quando li dias atrás, valeu cada dica e já providenciei um blog para o meu livro! Sensacional mesmo e obrigada pelas dicas, Eduardo Esber!
    Abraços aos dois!

  7. Boa noite Eduardo. Embora tenha dedicado boa parte da mimha vida trabalhando como gestor, eu adoro escrever.Uma curiosidade, estou descobrindo que escrever pode unir ainda mais uma família. Digo isso porque foi a minha esposa, depois que leu o meu livro," A Luz no Final do Túnel" que está disponível no clube de autores, que elaborou a capa. Acho muito importante envolver as pessoas que amamos na busca dos nossos sonhos. A sua dica é muito bem vinda e vou seguir a sua sugestão.
    Valeu, um abraço.
    Luiz Cláudio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *