Dicas de Paraty via FourSquare #clubenaflip

Você conhece o FourSquare?

Ainda em fase de adoção pelos usuários brasileiros, o FourSquare pode ser considerado como uma rede social inteiramente baseada na localização física das pessoas.

Ou seja: você monta o seu perfil, acessa via celular, demarca lugares em que está e dá dicas sobre as redondezas. Em paralelo, o seu celular te alertará cada vez que detectar alguma dica deixada por algum amigo seu nas no local em que estiver.

Como estaremos com a nossa sede temporária em Paraty durante a Flip, decidimos utilizar o FourSquare para compartilhar todas as dicas que a nossa equipe encontrar pela cidade – de locais interessantes para passar o tempo até eventos que valham a pena, tanto parte da programação oficial quanto no circuito off-Flip.

Para acessar o FourSquare, basta ir a www.foursquare.com e montar o seu perfil. O perfil do Clube de Autores é www.foursquare.com/user/clubedeautores. Para receber as nossas dicas, é necessário ficar o nosso “amigo” por lá.

E claro: convidamos todos também a postarem as suas dicas na rede, contribuindo para que todos os autores do Clube tenham uma semana literária perfeita!

2 comentários em “Dicas de Paraty via FourSquare #clubenaflip

  1. TÁ CHEGANDO A HORA ! "ANTES SÓ, de Walmir Monteiro, é um romance que capta com rara densidade momentos paradoxais das escolhas de um homem à procura de sentido para sua existência solitária e contraditória. É assim que ele desabafa: "Gosto da dor que a solidão me causa. Gosto de sentir pena de mim. E este é o meu mistério, a questão central do meu dilema: amo o que me faz sofrer. Como se fosse viciado em uma droga qualquer, uma espécie de veneno doce, que me adoça enquanto me mata".
    GOSTOU? ENTÃO ESCOLHA ANTES SÓ COMO O MELHOR ROMANCE NO CONCURSO DO CLUBE DE AUTORES.

  2. TÁ CHEGANDO A HORA ! "ANTES SÓ, de Walmir Monteiro, é um romance que capta com rara densidade momentos paradoxais das escolhas de um homem à procura de sentido para sua existência solitária e contraditória. É assim que ele desabafa: "Gosto da dor que a solidão me causa. Gosto de sentir pena de mim. E este é o meu mistério, a questão central do meu dilema: amo o que me faz sofrer. Como se fosse viciado em uma droga qualquer, uma espécie de veneno doce, que me adoça enquanto me mata".
    GOSTOU? ENTÃO ESCOLHA ANTES SÓ COMO O MELHOR ROMANCE NO CONCURSO DO CLUBE DE AUTORES.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *